Notícias (257)

Os investigados responderão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) abriu na ultima terça-feira ação penal na corte para investigar suposta participação da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), do marido dela, o ex-ministro Paulo Bernardo, e do empresário Ernesto Kugler no esquema de desvios de dinheiro da Petrobras. Por unanimidade, o colegiado aceitou a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra os três – que foram transformados em réus. A decisão foi unânime, com os votos dos ministros Teori Zavascki, relator da Lava-Jato no tribunal, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Gilmar Mendes.

 

Os investigados responderão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Segundo a denúncia apresentada ao STF em maio, Paulo Bernardo pediu R$ 1 milhão ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa para irrigar a campanha de Gleisi ao Senado em 2010. O dinheiro teria sido entregue por um intermediário do doleiro Alberto Youssef a um empresário chamado Ernesto Kugler, ligado ao casal. A quantia teria sido repassada ao casal em quatro parcelas de R$ 250 mil.

— Nesse contexto de corrupção sistêmica dentro da Petrobras, a denúncia apontou que Paulo Bernardo, em função do cargo de ministro do Planejamento, usando sua posição de destaque no governo federal, pediu R$ 1 milhão a Paulo Roberto Costa para financiar a campanha de sua mulher, Gleisi Hoffmann — afirmou Teori

O relator explicou que, para aceitar a denúncia, não é necessário haver provas cabais no processo, mas apenas indícios de que os crimes ocorreram. Depois, ao longo da ação penal, as apurações seriam mais aprofundadas, para se verificar se os investigados cometeram os crimes ou não.

— A descrição fática da denúncia, aliada aos indícios descritos, revelam nessa fase, em que não se exige juízo de defesa, material necessário ao recebimento da denúncia — declarou o ministro.

Gleisi foi ministra da Casa Civil no governo de Dilma Rousseff entre junho de 2011 e fevereiro de 2014. Durante o processo de impeachment, a senadora foi uma das vozes mais eloquentes na defesa da petista. Paulo Bernardo foi ministro do Planejamento no governo Lula, de 2005 a 2011, e das Comunicações já no governo Dilma, de 2011 a 2015.

A suposta participação do casal na Lava-Jato surgiu nas delações premiadas de Youssef e de Paulo Roberto. Em seguida, veio a delação do advogado Antônio Carlos Pieruccini, que detalhou como o dinheiro foi repassado para a campanha da petista. Em depoimento ao Ministério Público Federal, Pieruccini afirmou ter transportado R$ 1 milhão de São Paulo para Curitiba, a pedido de Youssef. O doleiro teria dito que a destinatária final do dinheiro era a campanha de Gleisi.

Pieruccini disse que as entregas ocorreram em uma sala de propriedade de Ernesto Kugler, localizada shopping de Curitiba. Pieruccini teria levado uma caixa lacrada com a inscrição “P.B./Gleisi”. Ainda segundo Pieruccini, Kugler contou as notas, em um total de R$ 250 mil e disse que o valor “não dava nem para o cheiro”. Teriam ocorrido outras três entregas no mesmo molde, segundo o delator.

Fonte: JL/Época
 

 

Paralisação fechou 13.385 agências nesta sexta-feira (23).
Trabalhadores reivindicam reposição da inflação mais 5% de aumento real.

 

A greve dos bancários ja ultrapassdo 20° dia sem que os trabalhadores e o bancos tenham chegado a qualquer acordo. 

Do G1

Segundo balanço da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), a greve fechou 13.385 agências. A paralisação fechou ainda 40 centros administrativos.

Os bancários têm reunião na próxima segunda-feira (26) para definir os próximos passos da paralisação.

Negociação

Segundo a Contraf, os bancos reapresentaram a proposta que já haviam feito na reunião no dia 13, que terminou sem acordo. Na no dia 9, os bancários já haviam recusado a outra proposta da FenabanA greve teve início  no dia 6.

 

 

 

 

 

 

 

A Fenaban não tem divulgado balanços diários de agências fechadas, mas informa que a população tem à sua disposição uma série de canais alternativos para realizar transações financeiras.

De acordo com o Banco Central, o país tem 22.676 agências bancárias instaladas, segundo último balanço do Banco Central.

Reivindicações

A categoria havia rejeitado a primeira proposta da Fenaban - de reajuste de 6,5% sobre os salários, a PLR e os auxílios refeição, alimentação, creche, e abono de R$ 3 mil. A proposta seguinte, também rejeitada, foi de reajuste de 7% no salário, PLR e nos auxílios refeição, alimentação, creche, além de abono de R$ 3,3 mil.

Os sindicatos alegam que a oferta não cobre a inflação do período e representa uma perda de 2,39% para o bolso de cada bancário. Os bancários querem reposição da inflação do período mais 5% de aumento real, valorização do piso salarial - no valor do salário mínimo calculado pelo Dieese (R$ 3.940,24 em junho) -, PLR de três salários mais R$ 8.317,90, além de outras reivindicações, como melhores condições de trabalho.

A Fenaban disse em nota que "o modelo de aumento composto por abono e reajuste sobre o salário é o mais adequado para o atual momento de transição na economia brasileira, de inflação alta para uma inflação mais baixa".


 Atendimento

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos( Febraban) lembra que os clientes podem usar os caixas eletrônicos para agendamento e pagamento de contas (desde que não vencidas), saques, depósitos, emissão de folhas de cheques, transferências e saques de benefícios sociais.

Nos correspondentes bancários (postos dos Correios, casas lotéricas e supermercados), é possível também pagar contas e faturas de concessionárias de serviços públicos, sacar dinheiro e benefícios e fazer depósitos, entre outros serviços.


Greve passada

A última  paralização dos bancários ocorreu em outubro do ano passado e teve duração de 21 dias, com agências de bancos públicos e privados fechadas em 24 estados e do Distrito Federal. Na ocasião, a Fenaban propôs reajuste de 10%, em resposta à reivindicação de 16% da categoria.

 

 O ônibus urbano envolvido no acidente deixou pelo menos três pessoas mortas, entre elas uma criança, e outras duas gravemente feridas, o acidente aconteceu no início da tarde do ultimo domingo (11), no Centro de João Pessoa, capital paraibana. O ônibus teria batido em carros e invadido uma calçada, atropelando as vítimas, depois que o motorista teria perdido o controle da direção.

De acordo com as primeiras informações divulgadas pelo Corpo de Bombeiros, testemunhas relataram que o motorista do ônibus se sentiu mal enquanto dirigia e perdeu o controle da direção.

O ônibus teria batido em dois carros e depois invadido uma calçada, atropelando as vítimas. O ônibus só parou depois de bater e destruir um poste, na calçada.

O Corpo de Bombeiros  que foi ao local confirmou a morte de três pessoas, sendo elas uma criança. O acidente ocorreu por volta de 13h e até 15h o Corpo de Bombeiros não havia conseguido retirar os corpos das vítimas que ficaram presos as ferragens e embaixo do ônibus.

Ainda segundo o Corpo de Bombeiros, outras duas vítimas sobreviventes foram encaminhadas para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, em estado de saúde grave. Uma das vítimas socorridas seria a avó da criança que morreu.

Fonte: fsilva

De acordo com reportagem, o chefe do executivo paraibano tem 61% de ótimo/bom em João Pessoa, contrariando a tendência nacional.

Matéria publica no Jornal O Estado de São Paulo, com base em pesquisas do Ibope, aponta que o governador Ricardo Coutinho (PSB) é atualmente o mais bem avaliado entre as capitais brasileiras. De acordo com reportagem, o chefe do executivo paraibano tem 61% de ótimo/bom em João Pessoa, contrariando a tendência nacional. O índice de aprovação é quase três vezes maior que a média do País (24%). Dos 26 governadores, 16 têm avaliação negativa nas principais cidades dos estados que governam. Confira o infográfico interativo completo .

Ricardo Coutinho figura em primeiro lugar na lista de popularidade. (Estadão)
 
Na análise do colunista José Roberto Toledo, que assina a reportagem, os governadores que estão no segundo mandato poderiam sofrer com o desgaste de estar há mais tempo no poder, causando desprestígio entre os eleitores, o que não aconteceu em João Pessoa. “A explicação caberia, por exemplo, em São Paulo, Paraná, Goiás, Pará e Rio de Janeiro, onde o mesmo partido ou grupo político governa há seis anos ou mais. Mas não vale para a Paraíba, cujo governador Ricardo Coutinho (PSB) é justamente o mais popular entre todos os seus pares em uma capital. Ele tem 61% de ótimo/bom em João Pessoa e está no segundo mandato”, concluiu.
 
Os dados coletados pelo Ibope refletem que os governadores têm perdido força nas capitais neste ano em que serão realizadas as eleições municipais. A situação é oposta ao período eleitoral de 2012, quando só seis governadores eram considerados impopulares nas capitais. O índice de ótimo/bom caiu de 41% para 24% no período, enquanto a avaliação ruim/péssimo cresceu de 21% para 34%.

 

Fonte: Estado de São Paulo

 

 O trabalho desempenhado pela Comissão já foram celebrados Termos de Compromisso com a Vivo e a Tim, garantindo um investimento total de R$ 68 milhões na melhoria dos serviços de telefonia na Paraíba

Na  ultima terça-feira (06) a operadora Oi assinou Termo de Compromisso com os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito da Telefonia para garantir investimentos da empresa na Paraíba. O deputado estadual João Gonçalves (PDT), presidente da CPI, destacou o compromisso e respeito dos parlamentares com a população paraibana

No documento, a operadora se compromete a disponibilizar internet banda larga gratuita em 1.745 escolas públicas da zona urbana. Além disso, fará um investimento de R$ 33,7 milhões, contemplando 59 municípios paraibanos.

“Nós vamos fiscalizar e encaminhar para o Ministério Público e lá será acompanhado. A CPI vai ficar permanentemente fiscalizando em cada município. Antes de instalar um novo sinal em uma cidade as operadoras terão que comunicar que esse é um trabalho da CPI”, explicou João Gonçalves.

Segundo ele, apenas a operadora Claro ainda não assinou Termo de Compromisso. “Mas já recebemos a sinalização de que a Claro também quer se reunir para fazer o seu Termo”, disse.

A partir do trabalho desempenhado pela Comissão já foram celebrados Termos de Compromisso com a Vivo e a Tim, garantindo um investimento total de R$ 68 milhões na melhoria dos serviços de telefonia na Paraíba.

Fonte Vanderlan Farias.

É necessário salientar que o peticionário (Lula) não reconhece a competência do Juízo da 13ª Vara Criminal de Curitiba para a condução do presente feito”, afirmam os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, José Roberto Batochio e Juarez Cirino dos Santos.

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva afirmou à Operação Lava Jato, por meio de sua defesa, que não reconhece a competência do juiz federal Sérgio Moro na investigação sobre as 23 caixas com presentes recebidos pelo petista no período que ocupou a Presidência da República e que foram apreendidas pela Polícia Federal na Operação Aletheia, 24ª fase da Lava Jato, em março deste ano. Lula disse que somente prestará esclarecimentos à Justiça Federal de Brasília.

“Necessário salientar que o peticionário (Lula) não reconhece a competência do Juízo da 13ª Vara Criminal de Curitiba para a condução do presente feito”, afirmam os advogados Roberto Teixeira, Cristiano Zanin Martins, José Roberto Batochio e Juarez Cirino dos Santos. “Há que se pontuar que o presente procedimento versa sobre fatos que ocorreram em Brasília (isto é, suposto recebimento de bens quando no exercício do cargo de Presidente da República) e a busca e apreensão se deu em agência do Banco do Brasil localizada em São Paulo. Desse modo, não há motivos para que a presente investigação ocorra em Curitiba, uma vez, ainda, que todos os fatos apontados na investigação se dissociam territorial e materialmente de qualquer aspecto ou conteúdo da ‘Operação Lava Jato’.”

A busca da Aletheia encontrou moedas, espadas, adagas, canetas, condecorações e outros objetos de valor que estavam armazenados no banco desde 2011, sem custo, segundo informou o gerente da agência na ocasião. No mesmo dia em que foram feitas as buscas no cofre, Lula foi conduzido coercitivamente para depor e, irritado, disse que não sabia onde estavam as inúmeras “tralhas” que ganhou quando presidente e que iria entregar tudo para o Ministério Público.

Antes disso, ele havia sido flagrado em um grampo com o advogado Sigmaringa Seixas fazendo críticas às investigações sobre os presentes e dizendo que iria mandar tudo para um prédio do Ministério Público Federal.

A petição da defesa afirmou a Moro que “já existe inquérito civil em trâmite na Procuradoria da República do Distrito Federal que apura exatamente os mesmos fatos aqui investigados, no bojo do qual, inclusive, o Instituto Lula já respondeu a ofício que requereu informações detalhadas sobre os bens integrantes do acervo privado”.

“Diante do exposto, o peticionário (Lula) não reconhece a competência deste juízo para processamento do feito em tela, razão pela qual somente prestará os devidos esclarecimentos à autoridade competente, qual seja, a Justiça Federal de Brasília”, anota defesa do petista.

Estadão Conteúdo

 

Entre os vereadores que declararam os seus béns, a última colocada foi Sandra Marrocos (PSB), que declarou- R$ 23.900,00 e João dos Santos (PR) – que não declarou bens  já o vereador Lucas de Brito (PSL) lidera a lista com mais de dois milhões. 

Bens declarado pelos vereadores no município de João Pessoa, que tentarão a reeleição este ano,  à Justiça Eleitoral chega a mais de R$ 13 milhões em patrimônio. Os valorores corresponde ao somatório dos bens declarados pelos 27 parlamentares que ocupam mandato atualmente na Casa de Napoleão Laureano.

Entre os vereadores titulares os que não tiveram seus patrimônios incluídos na listagem são Fernando Milanez (PMDB), que ocupa atualmente a Secretaria Municipal de Turismo e Raoni Mendes (Democratas), que assumiu vaga de deputado estadual na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB). Ambos não tentarão a sua reeleição.

O vereador Lucas de Brito (PSL) é o que lidera a lista com mais de dois milhões de patrimônio declarados, enquanto que Sandra Marrocos (PSB), com cerca de R$ 24 mil e João dos Santos (PR), que declarou não possuir bens, são os candidatos com menor poder aquisitivo.

 

Confira a lista em  ordem  descrescente de valores declaros:

 

Lucas de Brito (PSL) – R$ 2.195.517,41

Durval Ferreira (PP) – R$ 1.335.637,71

Professor Gabriel (PSD) – R$ 1.215.640,65

João Almeida (SD) – R$ 1.055.765,24

Bruno Farias (PPS) – R$ 895.239,60

Dinho (PMN) – R$ 762.574,29

Pedro Coutinho (PHS) – R$ 680.000,00

Bira Pereira (PSD) – R$ 665.000,00

Dr. Luís Flávio (PSDB)- R$ 529.873,28

Djanilson (PR) – R$ 436.000,00

Fuba (PT) – R$ 431.575,00

Marmuthe Cavalcanti (PSD) – R$ 403.000,00

Chico do Sindicato (PTdoB) – R$ 400.000,00

Bosquinho (PSC) – R$ 386.310,16

Felipe Leitão (PSL) – R$ 349.222,00

Benilton Lucena (PSD) – R$ 308.994,81

Renato Martins (PSB) – R$ 301.000,00

Marcos Vinícius (PSDB) – R$ 231.640,00

Marco Antônio (PHS) – R$ 201.406,64

Sérgio da Sac (SD) – R$ 177.500,00

Helton Renê (PCdoB) – R$ 136.000,00

Zezinho Botafogo (PSB) – R$ 132.825,20

Raíssa Lacerda (PSD) – R$ 120.050,06

Eliza Virgínia (PSDB) – R$ 82.373,99

Santino (PMN) – R$ 60.963,98

Sandra Marrocos (PSB) – R$ 23.900,00

João dos Santos (PR) – Não declarou bens

Fonte: Wscom

Adeilton Pereira foi socorrido para o Hospital de Ortotrauma, o Trauminha de Mangabeira, e deve ser transferido ainda neste sábado para o Trauma da Capital

O humorista Adeilton Pereira Dias, que interpreta Biuzinha Priqui, está com suspeita de traumatismo craniano após cair da escada de casa, na noite deste sábado (13), em João Pessoa. Ele teria passado mal e se desequilibrado antes de cair.

A informação foi confirmada pelo serviço social do Hospital de Ortotrauma, o Trauminha de Mangabeira, para onde o humorista foi socorrido. 

Segundo o serviço social, Adeilton passou por exames de tomografia para confirmar a suspeita e traumatismo craniano e deve ser transferido para o Hospital de Emergência e Trauma da Capital ainda neste sábado. O estado de saúde de Adeilton não foi divulgado pela unidade.

A implantação da terceira pista da BR 230, no trecho que compreende a cidade de Cabedelo e o viaduto de Oitizeiro, em João Pessoa, e a duplicação da BR as cidades de Campina Grande e Cajazeiras.

O comunicado das obras foi feito pelo senado paraibano Raimundo Lira (Foto: Divulgação)

O Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) obteve a confirmação da realização de duas importantes obras para a Paraíba: a implantação da terceira pista da BR 230, no trecho que compreende a cidade de Cabedelo e o viaduto de Oitizeiro, em João Pessoa, e a duplicação da BR as cidades de Campina Grande e Cajazeiras. As informações, segundo o senador, lhe foram repassadas pelo diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT), Valter Casimiro Silveira.

De acordo com Lira, trecho que é conhecido como “Estrada de Cabedelo” o edital de licitação para a contratação da obra foi publicado nesta sexta-feira.

A terceira faixa da Estrada de Cabedelo, considerada uma obra de extrema importância não apenas para a capital, João Pessoa, mas para todo o estado, por ser um corredor de escoamento do Porto de Cabedelo, será viabilizada graças a uma Emenda de Bancada, que tem a participação dos parlamentares da bancada paraibana no Congresso Nacional.

A outra informação diz respeito a uma luta que o Senador Raimundo Lira abraçou desde o início de seu mandato: a duplicação da BR 230, trecho compreendido entre as cidades de Campina Grande e Cajazeiras. Segundo Lira, a informação do DNIT dá conta de que o Ministério dos Transportes aguarda, tão somente, a Licença Ambiental, para licitar a obra, pois todos as outras etapas anteriores já foram concluídas.

É importante rememorar que o Senador Raimundo Lira, na condição de relator do Orçamento do Ministério dos Transportes, conseguiu viabilizar a aprovação, no Orçamento Geral da União – OGU, de uma dotação orçamentária no valor de R$ 165 milhões, para o início da duplicação.

Raimundo Lira confirmou que o Estudo de Impacto Ambiental já foi feito e que a obra será licitada logo após a publicação da Licença Ambiental, e que, quando tiver a sua execução iniciada, começará pelo primeiro trecho, considerado o de maior movimentação de veículos, que compreende Campina Grande e a Comunidade Farinha (Praça do Meio do Mundo).

“Sem dúvidas, duas importantes notícias para a Paraíba e para os paraibanos. Vamos continuar atentos e dando nossa contribuição para que estas obras se tornem realidade”, destacou Lira, que tem dedicado uma atenção especial para estas duas intervenções rodoviárias.

No espaço de eventos, será montada barracas para a venda de bebidas e comidas, parque de diversão, entre outras atrações.

Fonte: Click Pb

O senador José Maranhão (PMDB) considerou “caluniosas e levianas” as insinuações do deputado Tião Gomes (PSL) de que teria ocorrido um acordo milionário entre ele (Maranhão), o prefeito Luciano Cartaxo (PSD), o deputado federal Manoel Júnior (PMDB) e a construtora Alliance envolvendo o terreno onde funciona o Aeroclube de João Pessoa. A suposta operação envolveria também o presidente do aeroclube. Maranhão disse que vai processar criminalmente o deputado para que prove as acusações.

“Isso é um absurdo, até porque a minha posição é contrária a posição da prefeitura. Sempre saí em defesa do Aeroclube, a integridade do patrimônio do Aeroclube, que é uma entidade sem fins lucrativos. Faço essa defesa desde a primeira hora”, reagiu Maranhão, adiantando que já acionou sua assessoria jurídica para adotar as medidas cabíveis.

Segundo Maranhão, o Aeroclube é um aeródromo público e se equivale a um bem da União. “O município não podia jamais desapropriar. A única autoridade que poderia é o governo da União, mas não faria sentido a União desapropriar um patrimônio que é seu”, acrescentou, lembrando que defende a permanência do aeroclube no local onde se encontra, no bairro do Bessa.

Na denúncia feita na manhã desta terça-feira, Tião Gomes disse que existe um suposto acordo em torno de uma permuta entre o terreno do Aeroclube e a área de 18 hectares da Usina São João, em Santa Rita, transação que estaria orçada em R$ 250 milhões.

Ainda conforme a denúncia de Tião, a negociação teria sido acertada na semana passada, na última sexta-feira (29), um dia antes das convenções do PMDB em João Pessoa, que oficializou o racha com o governo Ricardo Coutinho e ainda a indicação do deputado federal Manoel Júnior (PMDB) para vice na chapa de Luciano Cartaxo.

Em troca da negociação, de acordo com a denúncia, a construtora Alliance ficaria com a missão de financiar a campanha do prefeito à reeleição no pleito deste ano.

“Nós fomos surpreendidos na outra semana, justamente quando se fez uma aliança entre o prefeito Luciano Cartaxo, o senador José Maranhão, o presidente do Aeroclube, e a construtora Alliance, para se construir um novo Aeroclube em João Pessoa, inclusive já começaram os serviços. E a gente quer saber o porquê disso tão de repente, e isso leva a gente a desconfiar. Eu trouxe a questão aqui pois é uma questão que todos conhecem e nós queremos saber a verdade. Por que esses quatro se juntam para decidir essa construção desse novo Aeroclube”, afirmou Gomes.

Logo após a denúncia, a grupo Alliance encaminhou uma nota à imprensa também negando qualquer participação na compra venda ou troca do terreno do ‘Aeroclube do Bessa’, como foi especulado.

Com informações do Blog do Gordinho e
do portal PBAgora

PUBLICIDADE

JR Esquadrias