Notícias (1315)

 

A partir de segunda-feira, 08 de abril, o público vai poder conferir em Salve Jorge a tão esperada transformação no visual de Jô (foto acima) - interpretada por Thammy Miranda! Com a identidade de Lohana, a policial vai conseguir se infiltrar na máfia como uma dançarina.

Para viver essa nova fase de Jô, Thammy vai usar madeixas longas, franjinha e roupas para lá de provocantes. Até Russo (Adriano Garib) vai ficar caidinho! Essa Jô arrebenta!

Nos bastidores da gravação, Thammy disse encarar a nova fase como um presente da autora Gloria Perez: "Estou fazendo praticamente duas personagens em uma única novela. Está sendo uma honra. Estou em êxtase".

 

AS FOTOS DO SHOW DE LOHANA:

 

Lohana arrasando no palco!  (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
Lohana arrasando no palco! (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
 
 
Thammy arrasa em cima do palco  (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
Thammy dá show em cena (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
 

E não é que a policial arrasou ao som de "Conga, La Conga"? A música é um sucesso de Gretchen, mãe de Thammy Miranda. "É uma grande homenagem, uma forma de agradecer tudo o que ela fez por mim a vida toda", afirma a atriz.

 

A atriz capricha e acerta na coreografia (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
A atriz capricha e acerta na coreografia (Foto: Salve Jorge/TV Globo)

 

Esse show promete! (Foto: Salve Jorge/TV Globo)
Esse show promete! (Foto: Salve Jorge/TV Globo)

Não perca a cena da estreia de Jô nos palcos da boate!

Depois do botão de "não curtir", do falso vídeo do cantor Chorão e uma variedade de outros malwares, os usuários do Facebook estão expostos a um novo vírus, que atingiu a rede esta semana. O golpe consiste em marcar vários amigos de uma só vez em publicações, e, quando a notificação for visualizada pelo usuário, o mesmo será encaminhado a uma página que oferece um download de software para a visualização da postagem. A fraude já foi encontrada por alguns internautas nas extensões do Google Chrome e em plugins do Firefox.

 

Facebook testa novo layout para publicação de novos posts. (Foto: Reprodução) (Foto: Facebook testa novo layout para publicação de novos posts. (Foto: Reprodução))
O Facebook foi atingido por um novo vírus esta semana (Foto: Divulgação)
 

Com o golpe, cibercriminosos podem instalar extensões que acessem dados pessoais e bancários em navegadores web, como Chrome e Firefox. Os infectados pelo vírus têm seus perfis "roubados", o que instala um ciclo vicioso do malware. Ao clicar no link malicioso, hackers passam a ter acesso a sua conta e publicam, em seu nome, as marcações em páginas fraudulentas de escândalos ou promoções, comumente usadas para a prática de golpes virtuais. Ao receberem a notificação de marcação e clicarem na urls, os amigos do usuário são infectados e passam o vírus adiante.

Nas páginas de promoções o golpe é praticado de forma ainda mais convincente, uma vez que são solicitados cadastros para concorrer a sorteios. Além disso, esses dados também podem ser adquiridos por empresas fictícias que buscam realizar uma lista de "mail marketing".

"Fui marcada por um amigo em uma publicação do Facebook. Lá constava uma fan page com diversas promoções, e na que eu cliquei, me direcionava a um site onde eu supostamente concorreria a um carro. Como se tratava de um amigo de confiança, resolvi me inscrever. Conforme fui me cadastrando e respondendo as perguntas, estranhei um pouco, mas ainda assim continuei. Depois de finalizar o cadastro perguntei para ele se ele acreditava nessas ofertas, e ele não sabia do que eu estava falando, afirmando não ter me marcado em nada. Pedi para ele olhar suas atualizações recentes, e nas últimas apareceu a marcação que ele fez, sendo que nem ele mesmo sabe de onde isso surgiu", contou ao TechTudo a jovem de 21 anos que preferiu não se identificar.

 

 universitária acessou um site fraudulentos direcionada por link do novo vírus (Foto: Reprodução/TechTudo)
A universitária acessou um site fraudulentos direcionada por link do novo vírus (Foto: Reprodução/TechTudo)
 

Na Central de Ajuda do Facebook há dicas para os usuários não caírem na farsa. Entre elas, a atualização do navegador, o uso de senha forte e a atenção aos links que aparecem pela rede. "Pense antes de clicar. Nunca clique em links suspeitos - mesmo que sejam de amigos ou empresas que você conheça. Isso inclui links enviados no Facebook (ex.: em um bate-papo ou publicação) e links enviados em e-mails. Se um de seus amigos clicar em um spam por acidente, esse link poderá ser enviado para todos os seus amigos do Facebook".

 

A página solicitava dados pessoais e questionava sobre o uso de cartões de créditos (Foto: Reprodução/TechTudo)
A página solicitava dados pessoais e questionava sobre o uso de cartões de créditos (Foto: Reprodução/TechTudo)
 

Ainda na página, outro tópico alerta os usuários para o fornecimento de dados pessoais. "Nunca forneça o seu nome de usuário ou a sua senha. Nunca compartilhe suas credenciais de login (ex: o endereço de e-mail e a senha) por qualquer motivo. Indivíduos, páginas ou grupos que solicitam informações de login em troca de descontos em bens (por exemplo: fichas de pôquer gratuitas) não são confiáveis. Esses tipos de oportunidades são realizadas por criminosos virtuais e violam os Termos de pagamento do Facebook".

Se por acaso você caiu no golpe, basta denunciar a fraude no próprio Facebook. Alguns usuários, no entanto, afirmaram que nem em todos os casos é possível denunciar, uma vez que a página expira. Nessa situação, altere as senhas de seus e-mails e Facebook. Caso tenha disponibilizado seus dados pessoais, registre a queixa em uma delegacia especializada em crimes virtuais.

Procurada pelo TechTudo, a assessoria da rede social afirmou que há uma equipe responsável pelo bloqueio dessas páginas e remoção das publicações, e que conta com o usuário para eliminar o vírus. "O Facebook detecta ativamente vírus conhecidos nos dispositivos dos usuários para fornecer-lhes um procedimento de auto-correção que inclui uma verificação de vírus.

Adicionalmente, os usuários podem denunciar spam que encontrarem no Facebook ou encaminhar e-mails fraudulentos para O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Nós bloqueamos links maliciosos com a ajuda de 15 empresas de anti-vírus".

A Polícia Civil mineira investiga se uma ossada encontrada na cidade de Nova Serrana (133 km de Belo Horizonte) seria de Eliza Samudio (foto acima), ex-amante do goleiro Bruno Fernandes, desaparecida desde junho de 2010.

 
A Justiça de Minas Gerais determinou a expedição da certidão de óbito da moça, no final de janeiro deste ano, a um cartório da cidade de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte.
 
Segundo o delegado Rodrigo Noronha, titular da Delegacia de homicídios de Nova Serrana, algumas coincidências o induziram a associar a ossada encontrada em uma vala, em entroncamento da BR-262, no final de janeiro deste ano, ao caso Eliza Samudio.
 
O policial aguarda um exame de DNA, que provavelmente ficará pronto na próxima semana, para checar se a ossada seria da moça. Esse exame será feito pelo IC (Instituto de Criminalística), da Polícia Civil, em Belo Horizonte.
 
O órgão já havia coletado, em 2010, material da mãe de Eliza para posteriormente comprovar que sangue encontrado em uma Land Rover, pertencente ao goleiro, era de Eliza.
 
Segundo o delegado de Nova Serrana, isso vai acelerar o procedimento. 
 
Quatro pessoas já foram julgadas pelo crime e duas foram condenadas a penas em regime fechado, Bruno e o seu ex-braço direito dele Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão.
 
Vala
 
Conforme o policial, o corpo teria sido inicialmente enterrado, mas com as chuvas, houve uma erosão no local que evidenciou a existência dos ossos.
 
Noronha afirma ter recebido nesta semana um laudo do setor de Antropologia do IML (Instituto Médico Legal), de Belo Horizonte, confirmando que a ossada era de uma mulher, com aproximadamente 1,70m de altura e com a arcada dentária em "perfeitas condições".
 
"Eu não descarto a possibilidade [de a ossada ser de Eliza]. A arcada dentária dela não é uma arcada comum de ser encontrada nas nossas vítimas de homicídio aqui na cidade. A dentição encontrada é perfeita", afirmou.
 
Segundo ele, ainda foram localizados um cinto de boa qualidade e uma sandália número 37 que, conforme o delegado, era o mesmo número usado por Eliza.
 
"Está faltando parte da ossada. Está faltando o braço direito completo e boa parte da ossada das pernas. Pode ser que algum animal tenha levado, mas segundo as investigações, parte do corpo dela foi jogada para cachorros", destacou o delegado.
 
Noronha ainda relembrou que havia um afundamento no lado esquerdo do crânio. O policial aludiu ao fato de que Eliza havia sido supostamente agredida por coronhadas desferidas por um primo do goleiro, ainda no Rio de Janeiro, quando teria sido sequestrada para ser levada a Minas Gerais.
 
Buscas
 
Entre as buscas feitas na tentativa de localizar Eliza Samudio, cujo corpo até hoje não foi encontrado, a mais inusitada foi a que cogitou a possibilidade de esvaziamento de uma lagoa, em 2010, em cidade da região metropolitana de Belo Horizonte. 
 
Já Sônia de Fátima Moura, mãe da ex-amante do goleiro Bruno, disse ter sido procurada por uma pessoa que lhe entregou uma carta contendo a suposta localização do corpo da filha. No entanto, a afirmação no texto teria sido baseada em um "sonho".
Parentes
 
O policial disse ainda que a mulher de Macarrão, condenado a 15 anos de prisão pela morte da moça, tem parentes em uma cidade próxima a Nova Serrana.
 
 
"A família da mulher do Macarrão é de um distrito aqui perto chamado Alberto Isaacson. O trajeto mais fácil para quem vem da região metropolitana [de Belo Horizonte] é passando pela estrada onde esse corpo foi encontrado", afirmou.
 
Conforme a investigação da Polícia Civil mineira, Eliza teria sido morta no dia 10 de junho de 2010 pelo ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, na casa do homem, que fica na cidade de Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte. A Polícia afirma que Eliza teria sido morta por esganadura.
 
Já conforme o delegado Rodrigo Noronha, foram identificados e comprovados pelo laudo a existência de dois orifícios provocados por disparos de arma de fogo no crânio e na coluna vertebral encontrados da ossada localizada na cidade.
 
"Vamos pedir para que seja feita a determinação do calibre. Mas acreditamos que não sejam de armas de grosso calibre", disse.
 
Ele afirmou ter repassado as informações ao delegado Wagner Pinto, um dos responsáveis pelas investigações feitas sobre o sumiço de Eliza, e para o promotor de Justiça Henry Castro, representante do Ministério Público que atua no caso.
Sexta, 05 Abril 2013 18:20

Cientistas decifram parcialmente conteúdo dos sonhos

Escrito por

 

Uma equipe de cientistas japoneses anunciou ter conseguido decifrar parcialmente o conteúdo dos sonhos, uma experiência intrigante que consideram útil para a análise do estado psíquico, para a compreensão das doenças psicológicas e até mesmo para o controle de máquinas com o pensamento.

"Há muito tempo os humanos se interessam pelos sonhos e seus significados, mas, até agora, apenas a pessoa que sonha conhece o conteúdo de seu sonho", explica nota dos cientistas do laboratório de Yukiyasu Kamitani, do Instituto Internacional de Pesquisas de Telecomunicações Avançadas (ATR) de Kyoto.

Para avançar na compreensão científica dos sonhos, o grupo criou um dispositivo para decodificar as imagens que uma pessoa observa durante a fase onírica.

Para isto, registraram repetidamente a atividade cerebral de três pessoas durante a fase de sonho. Quando aparecia no monitor de análises um sinal correspondente a uma fase de sonho, os cientistas despertavam os voluntários e perguntavam que imagens haviam acabado de ver. A operação foi repetida mais de 200 vezes por pessoa.

Este exercício permitiu criar uma tabela de correspondências entre a atividade cerebral e os objetos ou os temas de diversas categorias (alimentos, livros, personalidades, móveis, veículos, etc.) observados nos sonhos: uma espécie de léxico que associa um sinal cerebral a uma imagem.

Uma vez que esta base de dados foi criada, a exploração da atividade cerebral por meio de ressonância magnética permitiu saber quais imagens as pessoas viam durante os sonhos, graças ao registro dos mesmos sinais característicos. Em 60 a 70% dos casos, a predição foi exata, mas ainda é considerada básica.

"No estado atual da pesquisa, observamos apenas categorias básicas e não é seguro que possamos compreender as diferentes formas e as cores que aparecem", afirmou a equipe. "Apesar disso, nossos resultados demonstram que a experiência visual durante o sonho é representada por padrões específicos de atividade cerebral, o que permite decifrar o conteúdo dos sonhos através de medidas neurológicas", completou o professor Kamitani.

Os cientistas imaginam, inclusive, fabricar um dia uma máquina que permita gravar os sonhos para depois reconstituí-los em imagens. "Por exemplo, se um dia você tem um sonho incrível, seria bom poder mostrá-lo a mais alguém", fantasia Yoshiyuki Onuki, uma das 'cobaias' da pesquisa.

Os trabalhos poderiam, ainda, contribuir para os estudos sobre o controle das máquinas com o pensamento, um tema de pesquisa importante no Japão.

"Neste tipo de estudo, o princípio é sempre o mesmo: a tentativa de classificar padrões cerebrais para transcrevê-los em instruções", explica Abderrahman Kheddar, diretor de um laboratório franco-japonês de robótica no Japão. "A dificuldade é conseguir extrair o sinal cerebral e diferenciá-lo para interpretá-lo corretamente."

"Mas os sonhos são um caso particularmente complexo porque, em geral, não sonhamos apenas com objetos ou pessoas, mas com situações", completa ele. "O que é seguro é que a decodificação onírica é um dos sonhos dos psicólogos... e dos policiais", afirma Kheddar com um sorriso.

 

O bloco “Bunecas do Rangel” vai desfilar pelo segundo ano consecutivo nas ruas do bairro do Rangel, zona Sul da Capital, neste sábado (06/04), com expectativa de público estimada em três mil pessoas e trio elétrico com a banda Swing G4.

A concentração será às 19h, na Avenida Souza Rangel; o percurso segue pela Rua São Judas Tadeu e termina na Avenida 2 de Fevereiro, em frente ao Centro de Ações Comunitárias (Cac) do bairro.

De acordo com o diretor, Fabiano Lima, o “Bunecas do Rangel” reúne pessoas que podem usar fantasias e figurinos diferentes, e luta contra o preconceito e a favor das causas LGBT.

“Colocamos o bloco na rua para nos divertir, mas, acima de tudo, precisamos mostrar que o preconceito contra homossexuais deve ter fim porque somos todos iguais”.

Fabiano explica que o foco é a causa LGBT, mas o bloco também tem como objetivo combater o preconceito e a exclusão social de negros, deficientes e pessoas carentes.

“Não são só os homossexuais que enfrentam problemas de aceitação na sociedade; negros, pessoas mais carentes e deficientes também são vítimas do preconceito e nosso bloco quer juntar todo mundo na rua não só para se divertir, mas também para unir”, lembrou.

O diretor disse que todos são livres para participar, mas quem quiser ajudar, pode comprar as camisas do bloco que custam R$ 5,00; o dinheiro arrecadado será utilizado para confecção de cestas básicas.

“A compra da camisa não é condição para participação no bloco, mas seria muito bom que conseguíssemos vender as mais de 300 que fizemos. Com o dinheiro, vamos produzir cestas de alimentos para distribuir entre as famílias carentes do bairro do Rangel. Até agora, cerca de 90% das camisas já foram vendidas.”

 

Fotos: "Bunecas do Rangel" tem objetivos sociais

Créditos: Alisson Correia

Sexta, 05 Abril 2013 07:29

Nova Acadepol deve ficar pronta ainda este mês

Escrito por

 

A interrupção na construção da nova Central de Polícia, que funcionará no bairro do Ernesto Geisel, em João Pessoa, ocorreu porque os operários precisaram ser deslocados para acelerar as obras do novo prédio da Academia de Ensino de Polícia Civil (Acadepol), localizada no bairro de Jacarapé, também na capital.

A informação foi repassada ontem (04/04) por representantes da empresa responsável pelas obras, após matéria publicada pelo JORNAL DA PARAÍBA, na última quarta-feira (03/04), que denunciava o abandono da nova sede da Central de Polícia.

Conforme o gerente da Portal Administradora de Bens Ltda., empresa responsável pela execução das duas obras, Júlio Gusmão, os cerca de 30 operários que estavam atuando na construção do Geisel foram relocados para dar andamento ao prédio da Academia de Ensino de Polícia Civil.

“Ao invés de focar os trabalhos nas duas obras ao mesmo tempo, nós priorizamos a obra da Acadepol, que está praticamente concluída”, disse o gerente.

Segundo Júlio Gusmão, os trabalhos na Central de Polícia foram paralisados no mês de fevereiro e não no mês de dezembro, como relataram os moradores à reportagem. O gerente disse ainda que as obras na Academia de Ensino de Polícia Civil estarão concluídas até o final deste mês, quando está prevista também a entrega do prédio.

“A obra aqui (Acadepol) está em fase de limpeza e acabamento fino, faltando somente pequenos retoques. Assim que for entregue, todo o pessoal daqui volta para a obra da Central de Polícia”, garantiu Júlio Gusmão.

TAC

A assessoria de comunicação da Portal Administradora de Bens Ltda. informou que o prazo para a entrega das obras, estabelecido no Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB), Governo do Estado e as empresas Portal Administradora de Bens Ltda. e Futura Administrações de Imóveis Ltda., firmado em 16 de setembro de 2011, é até julho de 2014.

 

Eleito com 78,04% dos votos válidos, José Maria de Lucena Filho (Luceninha), do PMDB, é o quarto prefeito a participar da série '100 Dias de Gestão - E Agora Prefeito?', do JORNAL DA PARAÍBA. Ele faz um balanço da sua atuação à frente da prefeitura de Cabedelo e aponta um déficit de mais de R$ 17 milhões deixado pela administração anterior.

Luceninha (foto) revela que primeiros meses do ano foram destinados a colocar a casa em ordem, mas garante que o segundo semestre será marcado por obras de infraestrutura.

Para o prefeito, um grande feito da sua gestão foi a retirada do município de Cabedelo do Cadastro Único de Convênios (Cauc), que impedia a celebração de convênios há oito anos. Com a regularização, o prefeito garantiu recursos federais na ordem de R$ 27,6 milhões para 2013.


JORNAL DA PARAÍBA- Nos primeiros quase cem dias de administração, quais foram as maiores dificuldades encontradas pela gestão?

LUCENINHA - Eu podia estar com mais de R$ 7 milhões livres para realizar obras e outros benefícios para a cidade, mas esse recurso foi usado para pagar contas que ficaram da administração passada. E ainda restam mais R$ 10 milhões a pagar. Só de folha de pagamento, são mais de R$ 5 milhões; a dívida do lixo compromete mais R$ 4 milhões. Fora os diversos convênios que foram feitos e não foram efetuados, contratos de consultorias que não foram pagos. Dificilmente algum prefeito pegou o gargalo que pegamos na parte financeira. Uma dívida de mais de R$ 17 milhões. Ao mesmo tempo, convocamos no início do governo mais de 400 pessoas para serem efetivadas através de concurso público realizado na administração anterior. E a população reclama, porque os concursados entram em substituição aos contratados. Para o filho de Cabedelo é uma insatisfação muito grande porque os concursados são de fora, enquanto os prestadores de serviço são da cidade. Quem assumiu essa carga pesada foi a gente.

JP- Diante disso, deu pra realizar alguma coisa nesse período?

LUCENINHA - Antes de assumir o governo, após as eleições, eu passei 40 dias na luta, viajando para Brasília, para tirar a prefeitura de Cabedelo do Cauc (Cadastro Único de Convênios). Havia oito pendências, entre problemas com o INSS, previdência, convênios e com o Ibama. O senador Cícero Lucena chegou a colocar R$ 6 milhões em emendas para Cabedelo, mas disse que não acreditava que nós conseguiríamos tirar a prefeitura do Cauc. Não foi fácil, mas conseguimos antes mesmo do Natal. Por esse motivo Cabedelo será bastante beneficiada em 2013. Temos R$ 7 milhões do Ministério das Cidades e R$ 2 milhões do Ministério do Turismo para obras de drenagem e pavimentação de Intermares. Conseguimos mais R$ 7,5 milhões para drenagem e pavimentação da Vila Feliz com o deputado Manoel Júnior. Na próxima terça-feira estamos empenhando R$ 10 milhões, através do Ministério da Integração, para drenagem e pavimentação de Ponta de Campina, além de uma emenda da deputada Nilda Gondim de mais R$ 600 mil. E através do senador Cássio Cunha Lima, conseguimos mais R$ 500 mil para compra de equipamentos para o hospital.

JP - Por falar em Intermares e Ponta de Campina, que projetos a prefeitura tem para alavancar o turismo na cidade?

LUCENINHA - No último dia 2 de abril tivemos uma reunião com as equipes dos Ministérios da Integração e do Turismo e nos perguntaram se Cabedelo tinha algum projeto acima de R$ 20 milhões. Então mostramos o projeto Orla, que está orçado em R$ 45 milhões. Teremos outra reunião com eles nos próximos dias para que possamos apresentar esse projeto e, a partir daí, vamos buscar o recurso para a execução do projeto Orla. Em dezembro, quando estive no Ministério do Turismo, fui orientado a dividir o projeto em cinco etapas e assim eu fiz. Agora estamos adequando os valores para apresentar à Caixa Econômica Federal. A nossa vantagem diante de outros municípios foi o fato de já termos o projeto pronto.

JP- Quais são as maiores cobranças da população atualmente?

LUCENINHA- A cobrança da população é pela deficiência que vem se acumulando ao longo dos anos. Eles queriam que em 60, 90 dias a cidade estivesse em obras, mas o Congresso Nacional demorou a aprovar o orçamento, portanto os recursos só deverão ser liberados a partir do meio do ano. A maior cobrança da população está relacionada a infraestrutura, principalmente a pavimentação dos bairros.

JP- E o governo do Estado? Há projetos em parceria?

LUCENINHA - O governo está dando andamento à parte de saneamento. Cabedelo só tinha 30% da cidade saneada. Estamos partindo para aumentar esse percentual. A obra está caminhando no bairro de Camboinha. Além disso, o tráfego na BR, que era muito prejudicado, foi melhorado com a instalação da passarela. Estamos na fase de conclusão do projeto de ampliação do hospital, que hoje está funcionando como anexo. Foi uma promessa do governador. Ele pediu que nós fizéssemos o projeto para, então, liberar o recurso. Hoje temos 80 leitos, mas vamos aumentar para 110 leitos e criar 10 leitos de UTI. O recurso da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que será instalada no Portal do Poço, também já está na conta. O recurso (R$ 1,2 milhão) é do Ministério da Saúde, mas é administrado pelo governo do Estado.

JP- Cabedelo tem uma receita tributária relevante. Que projetos a prefeitura pretende realizar com recursos próprios?

LUCENINHA- Muitas prefeituras dependem do FPM (Fundo de Participação dos Municípios), Cabedelo não. O nosso FPM é pequeno. Entretanto, temos um benefício maior que é o ICMS. A arrecadação mensal ultrapassa os R$ 7 milhões, que você pode usar para tudo: obras, folha de pagamento, entre outros. Estamos licitando uma obra para melhorar o acesso à balsa. Há uma reclamação grande da população e nós vamos dar um trato naquele local, que inclui obras de drenagem e pavimentação da avenida. Isso será feito com recurso próprio e também com o apoio da iniciativa privada, que são as empresas de petróleo e o moinho Dias Branco. A obra será realizada num percurso de 1,8 km e está orçada em R$ 3 milhões.

JP- O senhor governa com o apoio de praticamente 100% dos vereadores. Que tipo de propostas o Executivo já encaminhou à Câmara e aguarda aprovação?

LUCENINHA- Felizmente, a Câmara toda me apoia. Nós fizemos 14 vereadores, exceto o Pereira, do PSD, mas que é uma pessoa muito ligada a gente. Nós vamos trabalhar em parceria, ouvindo as propostas e as reivindicações dos vereadores. Temos encaminhado alguns projetos, especialmente de desapropriações. Nós estamos com um problema grande que é falta de área. Existem muitas áreas particulares e que nós estamos partindo para uma negociação para a desapropriação. Temos dinheiro na conta para construir três creches e três quadras, mas precisamos regularizar algumas áreas para instalar. Um exemplo é um projeto enviado ao FNDE onde a área prevista para a instalação não pertence à prefeitura. Estamos fazendo um levantamento para identificar as nossas áreas para que possamos fazer a implantação das creches e das quadras.

JP- Com relação ao IPTU, o que a prefeitura está fazendo para resolver o problema dos contribuintes?

LUCENINHA- De fato, houve um aumento absurdo de um ano para o outro. Para o município seria muito bom, porque teríamos uma receita de mais de R$ 18 milhões, mas não podemos ser irresponsáveis de lançar o IPTU da forma como está, com um aumento de quase 2.000% em alguns casos. Nós estamos concluindo um estudo e pretendemos lançar no próximo dia 30 de maio. Pela adequação realizada no ano passado e aprovada através de lei, o imposto de algumas casas pularia de R$ 100 para R$ 2.200. A gente sabe que desde 1997 não estava acontecendo a correção dos cálculos, mas não seria justo cobrar de uma só vez a correção de todo esse período.
  

 

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Ricardo Marcelo (PEN), cobrou ontem (04/04) do governador Ricardo Coutinho (PSB) a aplicação dos R$ 109 milhões em emendas parlamentares, aprovados para o Orçamento deste ano, que deveriam estar sendo aplicados em ações de convivência com a seca.

As declarações foram feitas durante entrevista coletiva à imprensa, na manhã de ontem, na qual foram apresentados o resultado da campanha 'SOS Seca', lançada em 15 de janeiro, e as caixas com cerca de 200 mil assinaturas para o abaixo-assinado que será entregue à presidente da República, Dilma Rousseff, em Brasília.

Em seu discurso, Ricardo Marcelo lembrou que os 36 deputados abriram mão de todas as suas emendas individuais, transformando-as numa emenda coletiva de R$ 109 milhões de reais para o Governo do Estado aplicar na assistência às vítimas da seca.

“Mas parece que o problema, na Paraíba, não é dinheiro, já que até agora, o Governo do Estado não usou um centavo desses recursos aprovados pela Assembleia. Agora chegou ao ponto de nós cobrarmos a aplicação desse recurso. É de muita importância que a Assembleia fique atenta e vamos agir”, criticou.

GOVERNO

O secretário de Estado do Planejamento, Gustavo Nogueira, explicou que as emendas genéricas apresentadas em conjunto pelos deputados estão sendo executadas pelo governo do Estado, na medida em que estão sendo realizadas ações na área, com recursos do Tesouro.

“Os investimentos do Estado para combater os efeitos da seca são volumosos. Os deputados foram muito sensatos e maduros em centrar as emendas em áreas importantes como melhoramento da estrutura hídrica, perfuração de poços e recuperação de barragens, por exemplo. São ações que o Estado já vem fazendo”, garantiu.

O presidente Ricardo Marcelo chegou a atribuir à campanha a responsabilidade pelos recursos liberados pela presidente da República, Dilma Rousseff (PT), para minimizar o sofrimento dos paraibanos que convivem com a estiagem.

"Todos nós sabemos que se não fosse a Assembleia que tivesse trazido à tona a situação da Paraíba, jamais ela teria tomado as devidas providências de R$ 9 bilhões para combater a seca. Vamos cobrar do Poder Executivo um plano emergencial de abastecimento de água, pois a previsão é que em poucos dias não tenhamos mais água suficiente para o abastecimento humano em algumas regiões. Esse colapso de abastecimento já existe”, afirmou.

Dentre as ações apresentadas pela presidente Dilma Rousseff, no encontro com os governadores no Ceará, na semana passada, Ricardo Marcelo ressaltou o aumento da oferta de água por meio de carros-pipa e a construção de cisternas.

 

O agricultor José Rodrigues Moreira (à esquerda na foto, com o irmão Lindonjonson), acusado de planejar e financiar o assassinato do casal de extrativistas José Claudio e Maria do Espírito Santo, foi absolvido na noite desta quinta-feira (04/04), após dois dias de julgamento no Fórum de Marabá. As vítimas, que foram mortas em maio de 2011, denunciavam casos de extração ilegal de madeira e grilagem de terras no assentamento Praialta Piranheira, em Nova Ipixuna.

Os outros dois acusados de envolvimento no assassinato foram condenados pela participação na morte do casal: Alberto Lopes do Nascimento foi considerado culpado de duplo homicídio triplamente qualificado e sentenciado a 45 anos de prisão em regime fechado. Os jurados também entenderam que Lindonjonson Silva Rocha participou da emboscada. Ele foi condenado por homicídio duplamente qualificado e sentenciado a 42 anos e 8 meses de prisão. Eles vão continuar presos no presídio de Marabá, onde estavam há 1 ano e 6 meses.

A sentença foi divulgada às 18h40 desta quinta-feira, após os jurados deliberarem por cerca de três horas em uma sala secreta do fórum de Marabá. A absolvição de José Rodrigues revoltou a população que acompanhava o julgamento do lado de fora do tribunal. Janelas foram destruídas com pedradas atiradas pelos manifestantes. A Comissão Pastoral da Terra avaliou o resultado do julgamento como negativo. "A impunidade continua. Para nós é uma indignação. As pedras são uma resposta dos movimentos sociais à impunidade", disse o padre Amaro Lopes da CPT. Os manifestantes foram contidos após a chegada da polícia militar.

Julgamento

O julgamento dos réus acusados de terem participado da morte do casal de extrativistas durou dois dias. Na quarta-feira (03/04) foram ouvidas 16 testemunhas. Durante a manhã desta quinta, ocorreram os debates entre acusação e promotoria, que tiveram duas horas e meia para expor seus pontos de vista. Após intervalo de meia hora para o almoço às 14h30, os jurados se reuniram na sala secreta para discutir o destino dos réus, de onde só saíram por volta de 18h35 após três horas de reunião.

Segundo a promotoria, José Rodrigues Moreira teria arquitetado a morte do casal para poder tomar posse de um lote comprado irregularmente no assentamento Praialta-Piranheira em Nova Ipixuna. Nascimento e Rocha teriam armado uma emboscada e matado o casal a tiros.

A defesa dos réus sustentou durante os dois dias de julgamento que houve falhas no processo. Os três acusados estavam presos preventivamente após uma decisão do Tribunal de Justiça do Pará publicada em dezembro de 2011.

 

Casal Extrativistas Mortos Ipixuna do Pará (Foto: Divulgação/Arquivo CNS)Casal foi morto em 2011 no Pará (Foto: Divulgação/Arquivo CNS)

 

Entenda o caso

José Cláudio e Maria do Espírito Santo foram mortos no dia 24 de maio de 2011. Eles seguiam de moto por uma estrada na zona rural de Nova Ipixuna, quando foram abordados e mortos pelos assassinos. José Cláudio teve uma das orelhas cortadas quando ainda estava vivo.

Os peritos localizaram uma máscara de mergulho na cena do crime que continha material genético de um dos réus condenados. Na casa do agricultor José Rodrigues Moreira foi encontrado o equipamento de mergulho.

Meses antes de suas mortes, José Cláudio e Maria denunciaram as ameaças que estavam sofrendo e apontavam fazendeiros e madeireiros como os ameaçadores. As entidades esperavam que o inquérito da Polícia Federal sobre o caso pudesse avançar na identificação de outros suspeitos do crime.

Em junho de 2011, após a morte do casal a Força Nacional de Segurança escoltou duas famílias de agricultores que estavam sofrendo ameaças de morte no assentamento Praialta Piranheira, em Nova Ipixuna. Eles viviam no mesmo local onde os extrativistas José Cláudio e Maria foram mortos.

Com as famílias, também foi retirada a irmã do extrativista Ribeiro da Silva, Claudelice Silva dos Santos. Ao todo, foram dez pessoas, cinco adultos e cinco crianças. Todas foram retiradas pela Força Nacional e agentes federais e levadas para um local desconhecido em Marabá (PA), por medida de segurança.

O agricultor José Martins sofreu ameaças de morte e teve quatro construções em sua propriedade queimadas por fazendeiros da região. Ele já havia sinalizado que deixaria o assentamento, deixando para trás seus múltiplos pequenos cultivos. Ele foi um dos escoltados pela Força Nacional e, atualmente, vive em outro estado no Norte do país

Um dos outros escoltados pela Força Nacional já havia denunciado ao G1 que tinha sofrido ameaças de morte por parte de policiais civis e militares. O agricultor, que pediu para não ser identificado, chegou a viajar até Brasília para relatar as ameaças para o Ministério dos Direitos Humanos e do Meio Ambiente. Atualmente ele também está fora do Pará.

Ameaças

Em audiência pública realizada na noite de terça-feira (02/03) no auditório da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Marabá, Claudelice disse que cobrou posicionamento do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) pela inclusão do nome da mulher de Moreira em uma lista de beneficiários de um projeto de reforma agrária no Pará. Ela também relatou que a irmã Laísa, que ainda vive no assentamento, ainda sofre ameaças de morte. Ela segue com os cultivos sustentáveis de José Cláudio.

"Ninguém me respondeu. Me disseram que o Incra no Pará não vai se pronunciar para não contradizer o Incra nacional. A sensação que se tem é a de que o crime compensa neste país. Mataram meu irmão e minha cunhada e ainda levaram a terra que tanto queriam", afirmou Claudelice, antes do julgamento.

Em março de 2013 a CPT denunciou ao Ministério Público que a esposa do então acusado José Rodrigues havia sido incluída em um programa do Incra. O documento detalhando a inclusão de Antônia Nery Sousa foi entregue ao Ministério Público Federal de Marabá.

O Ministério Público Federal e o Incra divulgaram documento explicando que o nome de Antônia foi incluído por equívoco no Sistema de Informação de Projetos de Reforma Agrária (Sipra).

 

 
Uma mulher que estava internada no pronto-socorro da Zona Noroeste, em Santos, no litoral de São Paulo, fugiu da unidade de saúde e foi encontrada caída em uma rua da cidade (ver foto), ainda com um cateter no braço, na tarde desta quinta-feira (04/04). De acordo com pessoas que passaram pelo local, o resgate foi chamado, mas só depois de duas horas a senhora foi atendida.
 
Segundo testemunhas, a mulher foi encontrada na Praça José de Oliveira Lopes e aparentava confusão mental. Várias pessoas teriam ligado para o pronto-socorro e para o Samu, mas os atendentes das duas unidades alegavam que não havia viaturas disponíveis para atender à ocorrência. Só depois de duas horas, uma ambulância do Samu chegou no local para resgatar a paciente.
 
A prefeitura de Santos, por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a paciente em questão está passando por tratamento psiquiátrico e aproveitou o momento da visita para fugir do pronto-socorro. Ainda segundo a prefeitura, após a ligação para o Samu, o pedido seguiu o cronograma de atendimentos emergenciais.

PUBLICIDADE

JR Esquadrias