Notícias (1315)

Fotos de presos se divertindo na internet e em videogames, além estarem fumando cigarros, que aparentemente são de maconha, foram postadas em redes sociais, como o Facebook (ver foto acima). A descoberta ocorreu na tarde desta quinta-feira (11/04), quando um agente penitenciário acessou o site de relacionamento e viu a festa dentro de uma das celas da Penitenciária Central do Estado, no bairro Pascoal Ramos, em Cuiabá.

Segundo o Sistema de Administração de Penitenciárias do Estado, possivelmente as fotos foram postadas a partir de telefones celulares, pois os equipamentos são mais fáceis de serem introduzidos dentro dos presídios.

Um dos presos que aparece com o perfil atualizado no Facebook cumpre pena de 16 anos por duplo homicídio ocorrido no parque Cuiabá, em 2009. A informação foi confirmada pela Sejudh (Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos), na tarde desta sexta-feira (12). Os acusados estão sendo identificados.

A secretaria informou que tomou providências para intensificar procedimentos de revista e identificar todos os presidiários que postaram imagens na internet e também aqueles que estão com equipamentos proibidos de entrarem nas celas, tais como videogames. O grupo já teve equipamentos apreendidos.

A Sejudh afirmou que estão em andamento estudos para licitação de tecnologia  de bloqueio do sinal de celulares nos principais presídios do Estado. Também está prevista a colocação de cães farejadores para identificar drogas e celulares.

Em 2012, policiais em revistas às celas da Penitenciária Central do Estado  apreenderam 443 aparelhos celulares.

 

Durante 17 anos, Gislene tentou convencer o parceiro a oficializar o casamento. "Ano que vem a gente casa", respondia o mecânico Willian Marques da Silva, 37.

Ontem (13/04), ligado a um balão de oxigênio, tendo dois médicos como padrinhos e uma fisioterapeuta como dama de honra (ver foto acima), ele disse sim. O monitor cardíaco marcava 113 batidas por minuto. Na situação dele, o normal seria 90.

A cerimônia de casamento aconteceu na UTI do InCor (Instituto do Coração), onde Silva está internado desde o dia 27 de fevereiro aguardando um novo coração.

O coração de Silva trabalha só com 23% da sua capacidade. Ele sobrevive graças a drogas vasoativas que mantêm a força de contração do coração e um dispositivo (balão intraórtico) que aumenta o fluxo de sangue que chega até as artérias cardíacas.

TRANSPLANTE

Segundo a cardiologista do InCor Claudia de Bernoche, por estar muito grave, o mecânico tem prioridade na fila do transplante de coração.

"O primeiro B positivo [tipo sanguíneo de Silva] que aparecer é dele", diz ela, que foi madrinha do casório junto com o médico Sandrigo Mangini, do grupo de transplante cardíaco do InCor.

Hoje, 40 pessoas estão na fila do instituto à espera de um coração, cinco delas em estágio crítico semelhante ao do mecânico Silva.

As chances de sobrevida em um ano são de 90% e, em dez anos, de 55% a 60%, segundo o médico Fernando Bacal, coordenador do núcleo de transplante do InCor.

DOENÇA

Silva e a mulher, Gislene de Paula, 32, eram vizinhos em Sete Lagoas (MG). "Lembro quando a mãe dela chegou da maternidade com um embrulho cor-de-rosa nos braços", diz o mecânico, à época com cinco anos.

Os dois cresceram juntos. "Éramos só amigos, mas de repente a coisa virou e ela engravidou. Só tinha 15 anos. A mãe dela queria que eu casasse, mas eu não quis, preferi juntar os trapos."

Quando o primogênito nasceu, o casal se mudou para Extrema (MG), onde Silva começou a trabalhar como mecânico. "Ele dizia: 'Quando tiver casa própria, eu caso'", lembra Gislene.

Os primeiros sintomas da doença apareceram em 2004. "Comecei a sentir falta de ar quando jogava futebol e nadava na represa."

No início, teve diagnóstico errado. "Fiquei tratando de bronquite durante três meses e só piorava. Só depois é que um outro médico viu que o problema era o coração e eu comecei o tratamento certo."

Por alguns anos, funcionou. Mas, nos últimos meses, a saúde de Silva piorou muito e a única chance de sobrevida passou a ser o transplante do coração.

CERIMÔNIA

O casamento, realizado pela padre Anísio Baldessin, capelão do Hospital das Clínicas, parou a UTI do InCor. "Vocês podem se beijar, mas com moderação", alertou o padre após o "sim". "Beleza, padre", respondeu Silva.

É o sexto casamento que o padre Anísio realiza em um leito de hospital.

"Já casei uma senhora de 70 anos. Além de ser um desejo encrustado, as pessoas em situação de fragilidade querem ficar de bem com Deus", diz o padre.

Horas antes do casamento, um verdadeiro mutirão aconteceu dentro da UTI. Médicas residentes decoraram o quarto com corações coloridos, outra preparou os brigadeiros e a mulher do paciente do quarto ao lado do de Silva, Regina Vaz, fez o bolo.

A equipe toda se cotizou e deu uma geladeira nova aos noivos. "A nossa estava bem velhinha, amarrada com um elástico porque já não fechava mais", diz Silva.

A ideia do casamento surgiu quando o mecânico soube que outro paciente havia se casado no InCor, em 2012, nas mesmas condições dele.

Mais do que depressa, Gislene foi comprar as alianças. "Antes que ele desista e me faça esperar mais 17 anos", brinca. Ao receber a aliança no dedo anular, ela chorou.

Ela visita o marido três dias por semana. Vem numa van da Prefeitura de Extrema.

Ano passado, Silva realizou o sonho da casa própria. "Agora só falta um coração." 

 

O Estado da Paraíba foi destaque na revista americana Forbes. A famosa publicação sobre negócios e economia deu destaque as belezas do Estado e destacou o turismo sustentável. Segundo o texto, a Paraíba tem 75 quilômetros de litoral 'de tirar o fôlego', assim como o Vale dos Dinossauros e sítios arqueológicos.

João Pessoa, como capital do Estado, é uma das mais antigas cidades no Brasil e destacou o Centro Histórico, considerado um patrimônio pelo IPHAN (Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

A revista também falou sobre o algodão colorido, que é reconhecido internacionalmente. Inicialmente desenvolvido pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o produto foi comercializado principalmente por cooperativas nacionais e conquista mercados internacionais.

 

Para marcar as comemorações dos primeiros 100 dias de governo, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (foto), anunciou ontem (11/04) um pacote de obras no valor de R$ 1,7 milhão e apresentou a tabela de pagamento do funcionalismo municipal para 2013. O pagamento do 13° salário já tem data de pagamento definida e será em 10 de dezembro. Só com o pagamento dos servidores, a prefeitura vai injetar R$ 200 milhões na economia do município ao longo do ano.

De acordo com a prefeitura, a folha de pagamento custa R$ 14 milhões por mês aos cofres públicos do município. O valor total de R$ 200 milhões é referente à soma das folhas de pagamento dos 12 meses do ano e do 13° salário, além da regularização de R$ 18 milhões de débitos com o funcionalismo deixados pela gestão anterior.

As pendências salariais foram parceladas em três vezes e já foram quitadas com o pagamento da última parcela em março.

Além da tabela de pagamento, Romero destacou o reajuste de 10% para os servidores da rede municipal de ensino. “Este índice é 25% maior do que o estabelecido nacionalmente pelo Governo Federal”, afirmou.

Os agentes de saúde e de combate às endemias também tiveram um aumento de 17%, além de receberem os equipamentos de proteção individual. O prefeito anunciou ainda que os agentes vão receber tablets para o trabalho de campo.

A prefeitura anunciou, ainda, que conseguiu negociar as dívidas com os bancos e operadoras de crédito para sanar as dívidas com crédito consignado que deixou vários servidores, que, devido ao problema, estavam com os nomes inscritos em órgãos de proteção ao crédito, como PSC e Serasa. Também foram negociadas as dívidas com consignações dos aposentados e pensionistas, categoria onde a dívida totalizou R$ 434 mil.

A solenidade alusiva aos '100 dias' aconteceu na praça da Avenida Giló Guedes, mais conhecida como avenida Canal, em frente à sede da Federação das Indústrias da Paraíba (Fiep-PB), e contou com a presença de secretários da equipe de governo, vereadores aliados a Romero e até mesmo integrantes da bancada de oposição.

O secretário de Articulação Municipal do Estado, deputado Manoel Ludgério, compareceu ao evento e reafirmou a parceria do governo com a prefeitura de Campina Grande.

Obras e entrega de ambulâncias

Durante a solenidade dos '100 dias', o prefeito Romero Rodrigues, além da tabela anual da folha de pagamento, anunciou um pacote de obras no valor de R$ 1,7 milhão. Ele assinou a ordem de serviço para o alargamento da Giló Guedes, mais conhecida como Avenida Canal, com investimento superior a R$ 907 mil.

“As obras promoverão mudanças na sinalização, colocação de novos abrigos para usuários de ônibus e construção de três passarelas com acessibilidade. A ordem de serviço foi assinada, ou seja, as ações são imediatas”, declarou o prefeito.

Romero ainda assinou a ordem de serviço para a construção do acesso alternativo ao distrito de Galante, obra estimada em R$ 116 mil. “O trânsito vai fluir com mais tranquilidade, especialmente em épocas de eventos, como o Maior São João do Mundo”, disse Romero.

Ainda durante a solenidade, Romero Rodrigues entregou três novas ambulâncias ao Samu, que representam um investimento total de R$ 450 mil. Cada veículo custou R$ 120 mil e ainda foram investidos mais R$ 30 mil em cada ambulância para a instalação dos equipamentos de atendimento de urgência.

Além disso, o prefeito confirmou a realização da reforma da sede do Samu, localizada na avenida Almeida Barreto. A obra está orçada em R$ 120 mil.

 

João Pessoa deverá ser a cidade mais visitada pelos turistas que irão passar temporada nas cidades-sede durante os eventos esportivos deste e do próximo ano”. A afirmação foi feita pelo ministro do Turismo, Gastão Vieira (foto), durante a 22ª Brazil National Tourism Mart (BNTM), que acontece em Salvador (BA) até o próximo domingo (14/04).

Conforme explicou na ocasião, a capital paraibana se beneficiará não apenas das demandas de Recife e Natal – que estão mais próximas –, mas dos turistas que visitarão Fortaleza e Salvador neste ano com a Copa das Confederações e em 2014 com a Copa do Mundo. “Pela nossa análise, a Paraíba está fazendo a lição de casa para que isso aconteça, está no caminho certo para acompanhar de forma homogênea o crescimento do turismo no Nordeste”, acrescentou.

Sobre isto, entre os pontos citados que, na opinião do ministro, vem sendo fundamentais para tornar a Paraíba mais competitiva estão a conclusão do Centro de Convenções de João Pessoa no próximo semestre, a capacitação da mão de obra receptiva e a qualificação da orla marítima. “O mais importante agora é que a Paraíba continue o trabalho que vem desenvolvendo nestas frentes”, completou.

Para a presidente da Fundação Comissão de Turismo Integrado do Nordeste (CTI Nordeste), Danielle Novis, a região nordestina é destino certo para turistas nacionais e internacionais. “Por isso, precisamos crescer de forma coesa. Com a sua identidade, o Nordeste é o destino mais procurado do país, das Américas e pelos turistas internacionais”, afirmou.

50 MILHÕES

Durante a abertura do evento, na última quarta-feira, o ministro já havia anunciado um aporte de R$ 50 milhões para dar continuidade às obras do Centro de Convenções. “Conversei com o governador Ricardo Coutinho [PSB] e com o prefeito de João Pessoa Luciano Cartaxo [PT] e este é um projeto do Estado que tem todo apoio do Ministério do Turismo [MT]”, comentou na ocasião.

Anteriormente, o MT já havia liberado R$ 20 milhões para este fim. Agora, conforme Gastão Vieira, o recurso será medido pela Caixa Econômica Federal e para ser pago a partir do andamento das obras.

PRINCIPAL EVENTO

A BNTM é a principal bolsa de turismo do nordeste brasileiro. A edição deste ano acontece simultaneamente ao II Salão Baiano de Turismo e à Feira da Associação Brasileira de Agências de Viagem da Bahia (Abav-Bahia).

Organizado pela CTI-Nordeste, a BNTM 2013 conta com cerca de 246 operadores de turismo do Brasil e de 27 países da Europa, América do Norte, América do Sul e Ásia. O evento conta com 141 estandes, sendo 23 na área institucional e 118 na área comercial.

O BNTM é voltado ao fomento do turismo no local onde é estabelecido sua Sede, os convidados ou compradores (buyers) do destino Brasil vem ao evento para fechar pacotes turísticos para os seus clientes em seu país de origem.

O evento atua em diversos segmentos de mercados, como: pousadas, hotéis, operadoras, agências de viagens, pousadas de charme, entre outros.

Sendo assim, os operadores internacionais poderão indicar a seus clientes uma diversidade de empreendimentos, do pequeno, médio e grande porte, com um leque de opções e gosto para o mais variados públicos. É proporcionado a Micro e Pequenas Empresas (MPE) oportunidades de negócios e expansão de mercado.

Os compradores participam da BNTM para conhecer e negociar com empresas e operadoras locais ligadas ao turismo (hotéis, resorts, agências de turismo, agências de receptivo, pousadas) e operadores nacionais e internacionais, companhias aéreas e órgãos governamentais. (*A repórter viajou para Salvador a convite da comissão organizadora da BNTM)

 

Como esperado, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa (foto), sepultou as pretensões do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu de atrasar a publicação do acórdão do mensalão. No despacho em que nega o recurso apresentado pela defesa de Dirceu, Barbosa foi categórico: “É importante chamar atenção para o fato de que o que se pretende, em última análise, é a manipulação de prazo processual legalmente previsto”.
 
O advogado de Dirceu, José Luís de Oliveira Lima, já havia pedido - em vão - que o prazo legal de cinco dias para a apresentação de recursos contra a sentença do mensalão fosse ampliado. O defensor alegava que, como a íntegra dos votos dos ministros não havia sido disponibilizada ao longo do julgamento, não era possível ter conhecimento de todos os argumentos de cada magistrado. 
 
“O hipotético acolhimento do pedido de divulgação dos votos escritos, antes da publicação do acórdão, e ‘com antecedência razoável’ para a interposição de recursos, acarretaria, na prática, a dilação do prazo para a oposição de embargos, ampliando-o indevidamente para um lapso temporal indefinido, que o requerente entende como razoável’”, afirmou Barbosa em sua decisão.
 
Embora os futuros embargos a serem apresentados pelos mensaleiros tradicionalmente não alterem o teor das condenações, esses recursos servem para esclarecer eventuais contradições e, na prática, funcionam para evitar que a sentença se torne definitiva. Com o trânsito em julgado, Dirceu, condenado a dez anos e dez meses de prisão, terá de começar a cumprir a penalidade imposta pela mais alta corte do país.
 
Defesa - O advogado José Luís de Oliveira Lima  negou nesta quinta-feira que tenha buscado manipular prazos. "Em momento algum, a defesa do ex-ministro (da Casa Civil) José Dirceu pretendeu manipular os prazos processuais, mas sim exercer o seu direito de ampla defesa garantido na Constituição. Aliás, a prática de divulgar os votos antes da publicação do acórdão não é novidade; o próprio ministro Joaquim Barbosa (presidente do STF) o fez quando proferiu seu voto no processo da ficha limpa", afirmou o advogado.

 

A governadora Roseana Sarney (foto), do PMDB-MA, foi aposentada como servidora do Senado e deve receber salário vitalício de R$ 23,8 mil mensais.
 
Roseana ingressou no Senado em 1974 como analista de orçamento numa espécie de "trem da alegria" promovido pelo ex-senador Jarbas Passarinho, com isso, foi efetivada sem a necessidade de prestar concurso público. O ato foi publicado nesta quinta-feira no boletim oficial da Casa.
 
Segundo a Folha apurou, a governadora trabalhou como servidora entre 1982 e 1985, quando o pai era senador. Após esse período, Roseana se licenciou do Senado para acompanhar José Sarney na Presidência da República (1985 a 1990) e iniciar uma carreira política.
 
Roseana irá acumular a aposentadoria com o salário de R$ 15.409,95 a que tem direito como governadora do Maranhão. O Senado não informou se Roseana também solicitou aposentadoria como senadora. No total, 68 ex-senadores recebem o benefício.
 
No início do ano, o Senado concedeu aposentadoria à ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) de R$ 6,1 mil, o equivalente a 8/35 do subsídio parlamentar. Ideli foi senadora por um mandato de oito anos.
 
Por meio de nota, a governadora informou que "a aposentadoria ocorre 38 anos depois" de ingressar no Senado por meio de processo seletivo e que "já tomou medidas no sentido de devolver aos cofres públicos" o valor que extrapolar o teto constitucional que um funcionário público pode receber, de R$ 28 mil.
 
O Senado gasta, por mês, cerca de R$ 100 milhões com o pagamento a servidores aposentados e pensionistas.
 
Veja abaixo a íntegra do ato do Senado
 
ATOS DA DIRETORIA-GERAL
APOSENTADORIA
PORTARIA DA DIRETORIA-GERAL NO 1309, de 2013
 
A DIRETORA-GERAL DO SENADO FEDERAL, no exercício
de suas atribuições regulamentares, conforme a competência
estabelecida no art. 2º, parte III, do Regulamento Administrativo, e
_tendo em vista o que consta no Processo SF nº 005045/13-4,_
RESOLVE aposentar, voluntariamente, com proventos integrais, a
servidora ROSEANA SARNEY MURAD, Analista
Legislativo/Orçamento Público, Nível III, Padrão S45, nos termos do
artigo 3º da Emenda Constitucional nº 47, de 2005, com a vantagem
prevista no artigo 1º da Resolução SF nº 74/1994, observando-se o
limite remuneratório determinado pelo artigo 37, inciso XI, da
Constituição Federal.
Senado Federal, 10 de abril de 2013. Doris Marize Romariz
Peixoto, Diretora-Geral.
Observações:
- Publicado no DOU nº 69, Seção 2, de 11/04/2013. 

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse nesta quinta-feira (11/04), em São Paulo, que o seu ministério é contra a diminuição da maioridade penal. Segundo Cardozo, no seu entendimento, a redução é inconstitucional.

"A redução da maioridade penal não é possível, a meu ver, pela Constituição Federal. O Ministério da Justiça tem uma posição contrária à redução, inclusive porque é inconstitucional. Em relação a outras propostas, eu vou me reservar o direito de analisá-las após o seu envio", disse, após participar esta tarde de uma audiência pública na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) sobre programas federais de segurança.

A ideia de mudanças na maioridade penal foi proposta ontem pelo governador de São Paulo, Geral Alckmin (PSDB). Ele declarou que pretende enviar ao Congresso Nacional um projeto para tornar mais rígido o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). A proposta do governador é que adolescentes que tenham cometido crimes e tenham completado 18 anos não fiquem mais na Fundação Casa. O governador também defendeu penas maiores para os crimes graves ou reincidentes.

Alckmin se manifestou sobre o assunto ao ser perguntado pelos jornalistas sobre a morte de um jovem em um assalto quando chegava ao prédio onde morava, na zona leste da capital. O estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, foi morto na terça-feira (16). A polícia suspeita que o crime tenha sido cometido por um adolescente de 17 anos.

O ministro da Justiça disse, em entrevista à imprensa, que ainda pretende conhecer a proposta do governador de São Paulo sobre a redução da maioridade penal. Ele também falou que não entende que o menor, que cumpre pena, tenha que ser encaminhado para um presídio em vez da Fundação Casa.

"Temos uma situação carcerária no Brasil que, vamos ser sinceros, temos verdadeiras escolas de criminalidade em muitos presídios brasileiros. Há exceções, mas temos situações carcerárias que faz com que certos presos lá adentrem e, em vez de saírem de lá recuperados, saem vinculados a organizações criminosas. Toda essa situação tem que ser cuidadosamente pensada e analisada", disse.

 

A inteligência do Pentágono realizou uma nova avaliação da capacidade nuclear da Coreia do Norte e chegou à conclusão, pela primeira vez, de que o país pode ter aprendido a construir uma ogiva nuclear pequena o suficiente para ser usada em um míssil balístico. A Agência de Inteligência da Defesa (DIA, sigla em inglês) distribuiu um documento a altos funcionários do governo e membros do Congresso com informações sobre a novidade, mas destaca que “confiabilidade da arma é baixa” - possivelmente em referência às dificuldades da Coreia do Norte em desenvolver mísseis precisos ou aos enormes desafios técnicos para se lançar uma ogiva nuclear capaz de sobreviver aos rigores de voo e de atingir um alvo específico.

Alguns analistas consultados pelo jornal The New York Times afirmam que a conclusão do relatório ajuda a explicar por que o governo americano anunciou em março o reforço de seu sistema de defesa contra mísseis de longo alcance no Alasca e na Califórnia, a fim de proteger a costa oeste do país, e o deslocamento de outro sistema de defesa para a ilha de Guam, no Pacífico.

Outras agências de inteligência americanas ainda não se manifestaram sobre essa avaliação - embora a DIA seja a principal responsável pelo acompanhamento das capacidades de mísseis de nações adversárias. No caso do Iraque, há uma década, a agência do Pentágono estava entre aquelas que defenderam de forma mais veemente que Saddam Hussein tinha armas nucleares. As armas de destruição em massa jamais foram encontradas.

Reação do Pentágono

A avaliação foi tornada pública durante uma audiência na Comissão de Serviços Armados da Câmara dos Representantes. Na reunião, o republicano Doug Lamborn, do Colorado, questionou altos funcionários do Pentágono a respeito do programa norte-coreano de armas nucleares. Presente à audiência, o general Martin Dempsey, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas, não quis comentar a avaliação.

Mais tarde, o porta-voz do Pentágono, George Little, disse que “seria impreciso sugerir que o regime norte-coreano testou de forma completa, desenvolveu ou demonstrou o tipo de capacidade nuclear citada no trecho do relatório”.

O presidente Barack Obama disse nesta quinta-feira que os Estados Unidos vão trabalhar de forma diplomática para reduzir as tensões com a Coreia do Norte, mas ressaltou que Washington vai tomar todas as medidas necessárias" para proteger o país e seus aliados. "Agora é o momento de a Coreia do Norte acabar com essa abordagem beligerante e tentar diminuir a agressividade. Ninguém quer ver um conflito na península coreana", afirmou, durante uma reunião na Casa Branca com o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

"Continuaremos tentando resolver algumas dessas questões diplomaticamente, mas os EUA tomarão todas as medidas necessárias para proteger seu povo e cumprir suas obrigações e seus compromissos com suas alianças na região”, acrescentou.

Mais cedo, ministros das Relações Exteriores do G8 condenaram "nos mais fortes termos possíveis" a Coreia do Norte pelo desenvolvimento de tecnologia de armas nucleares e mísseis balísticos, de acordo com um comunicado divulgado em encontro do grupo, em Londres. Os chanceleres de EUA, Grã-Bretanha, França, Alemanha, Itália, Japão, Canadá e Rússia ainda pediram à Coreia do Norte que "recue de futuros atos provocativos". Também nesta quinta-feira, o ministro da Unificação da Coreia do Sul, Ryoo Kihl-jae, fez um pedido de diálogo ao Norte a fim de retomar as operações do complexo industrial conjunto de Kaesong, fechado há três dias por decisão de Pyongyang. 

Quinta, 11 Abril 2013 23:11

PSDB quer pena mais rígida para adolescentes

Escrito por

O governador Geraldo Alckmin (foto), do PSDB, disse nesta quinta-feira (11/04), em evento em Itaquera, na Zona Leste da capital, que seu partido prepara um projeto com o objetivo de alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), tornando mais duras as punições a infratores com idade inferior a 18 anos. O tucano falou sobre o tema nesta quinta ao comentar a morte do universitário Victor Deppman, de 19 anos, ocorrida na terça-feira. De acordo com Alckmin, o projeto deve ser encaminhado em 15 dias ao Congresso Nacional.

Em entrevista à Veja, na edição de 20 de fevereiro, Alckmin já havia se manifestado a favor de uma alteração para tornar o ECA mais rígido em casos de infrações graves e reincidência. "Hoje, o menor infrator só pode ficar três anos na Fundação Casa e sai automaticamente aos 21 com a ficha limpa. Queremos que, no caso de infrações graves, o tempo aumente para oito anos e ele cumpra a pena até o fim", disse. "Esse é um debate que o Congresso terá de enfrentar", completou.

Victor Deppman foi assassinado por um adolescente de 17 anos que tentou levar sua mochila. Ele foi morto com um tiro na cabeça na porta do prédio onde morava, no Belém, na Zona Leste da capital paulista. O infrator já havia cometido alguns furtos e era conhecido da polícia.

"Quero chamar a atenção aqui para uma reflexão que deve ser feita por toda a sociedade de uma ação que deve ser feita no sentido de mudarmos a legislação. Mais uma vez, é um menor de 18 anos de idade, que daqui a alguns dias va completar 18 anos. Mas como foi uma semana antes de completar 18 anos, ele vai ficar apenas três anos na Fundação Casa, vai sair com a ficha limpa, embora seja um caso grave e reincidente", repetiu Alckmin nesta terça.

O governador acrescentou ainda que defende uma "mudança da legislação federal no sentido de que para casos mais graves e reincidentes" o prazo da detenção dos infratores "seja bem maior". Além disso, para Alckmin "quem completou 18 anos não deve ficar na Fundação Casa". 

PUBLICIDADE

JR Esquadrias