Sábado, 30 Março 2013 23:15

Sonda é retirada e menino que engoliu pilha em MS pede chocolate Destaque

Escrito por  G1
Avalie este item
(0 votos)

O menino Isael Arcângelo da Silva Salomão, 4 anos, internado no Hospital Regional de Campo Grande, teve a sonda usada para alimentação retirada neste sábado (30). O garoto havia engolido uma pilha de controle remoto há duas semanas e o líquido dentro do objeto vazou, causando lesões e necrose em parte do esôfago do garoto.

Segundo o pai do garoto, Isael Rodrigues Salomão, o menino se alimentou com caldo hoje e a orientação é que a dieta dele seja de alimentos pastosos. “Ele até pediu chocolate da Páscoa, mas, por enquanto, não dá”, disse. A previsão do pediatra Alberto Cubel Júnior, em entrevista dada ao G1 é que o garoto receba alta médica na segunda-feira (1°). O médico explicou que Isael terá acompanhamento regular para avaliar a gravidade dos danos, mas o garoto recupera-se bem.

Acidente
Isael engoliu uma pilha redonda, semelhante a uma moeda, enquanto brincava com o irmão caçula em Pedro Gomes, distante 296 km de Campo Grande. O incidente aconteceu no último sábado (16).

 

No mesmo dia, o menino foi levado ao Hospital Municipal de Pedro Gomes, onde foi atendido pelo plantonista Lissandro Vargas.

Menino que engoliu pilha em MS poderá ter sequelas, diz médico (Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)Radiografia mostra pilha
(Foto: Gabriela Pavão/ G1 MS)

Segundo Salomão, o médico não solicitou exames e nem radiografia, apenas receitou um antiácido e um remédio para dor e liberou a criança.

Dois dias depois, Isael foi levado ao mesmo hospital com dores e com vômitos frequentes. Outro médico plantonista solicitou a radiografia e constatou que a pilha ainda estava no organismo do menino. Ele foi transferido para o Hospital Regional de Campo Grande, onde permanece internado.

Processo administrativo
Vargas disse que, no dia do primeiro atendimento, o pai do menino não tinha certeza de que o filho realmente havia engolido a pilha. Sobre a necessidade da radiografia, o médico afirmou que o procedimento seria necessário apenas se a criança apresentasse sintomas por conta da ingestão do objeto. O médico afirmou ainda que todos os procedimentos foram registrados no prontuário do paciente no hospital.

O Hospital Municipal de Pedro Gomes informou que vai abrir um processo administrativo para apurar a conduta do médico Lissandro Vargas e verificar se houve falha no atendimento.

Segundo informações do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM-MS), os pais de Isael não registraram denúncia contra o médico e nem contra o hospital de Pedro Gomes.

Endoscopia mostra necrose (mancha preta) no esôfago de criança (Foto: Gabriela Pavão/G1 MS)Endoscopia mostra necrose (mancha preta) no esôfago de criança (Foto: Gabriela Pavão/G1 MS)

 

Ler 166 vezes

PUBLICIDADE

JR Esquadrias