Quinta, 20 Junho 2019 18:32

Interdição do Aeroclube é prorrogada até o mês de agosto pela Aeronáutica

Escrito por  postado por revista atual nordeste
Avalie este item
(0 votos)
Aeroclube da Paraiba Aeroclube da Paraiba imagem da internet

Último comunicado da Aeronáutica estabelecia o dia 7 de junho como prazo para a suspensão das atividades

A interdição do Aeroclube da Paraíba, localizado em João Pessoa, foi prorrogada até o mês de agosto. O último comunicado da Aeronáutica estabelecia o dia 7 de junho como prazo para a suspensão das atividades. Um dia antes do prazo expirar, a interdição foi renovada.

De acordo com o presidente da instituição, Rogério Lumbambo, a suspensão de algumas atividades se deu por questões técnicas, que já estão sendo corrigidas. Ele explicou que foi detectado um problema no plano de zoneamento para que o Aeroclube possa funcionar normalmente no local, mas adiantou que todas as providências foram tomadas neste sentido. “Agora é esperar, o processo está em tramitação, infelizmente isso demora mesmo, vivemos num país burocrático demais”, observou.

Apesar da proibição para que aeronaves decolem do Aeroclube, Lumbambo disse que a instituição conseguiu aprovação para funcionar com voos de helicópteros. Segundo ele, se tudo ocorrer dentro do esperado até setembro o Aeroclube terá heliponto, inclusive no horário noturno.

Rogério Lumbambo também disse que o Aeroclube realiza atualmente cursos de paraquedismo, aeromodelismo e desenvolve o projeto Crianças Escoteiros no Ar.

Desapropriação do Aeroclube

Sobre o processo de desapropriação que tramita desde 2012, quando a Prefeitura amparada por decisão da Justiça à época, iniciou o processo de destruição da pista, Rogério Lumbambo disse que está aguardando o julgamento de um recurso protocolado pela administração municipal para procurar o prefeito e tentar resolver a recomposição da pista. “Vamos procurar o atual prefeito para resolver essa questão, mas isso só após o julgamento do recurso que a prefeitura interpôs na Justiça”, comentou.

Indagado sobre a expectativa de que o equipamento possa permanecer no mesmo local, Lumbambo se mostrou convicto que ganhará a ação na Justiça. “Nós temos apenas um grande problema: que é o tamanho do terreno e a localização e, isso obviamente desperta interesses, sem dúvida”, destacou.

Fonte:  portaldacorreio

Ler 84 vezes

PUBLICIDADE

JR Esquadrias