Notícias (1261)

Podem se inscrever candidatos que tenham entre 16 e 22 anos e 8 meses até o ato da matrícula, e que estejam matriculados no ensino médio ou tenha concluído, a depender do curso escolhido.
Começou nesta terça-feira, dia 06/11, e seguem até o dia 06/12 as inscrições do Processo de Seleção 2019.1 de Cursos gratuitos de Aprendizagem Industrial Básica e Aprendizagem Industrial Técnica de Nível Médio do Senai da Paraíba.
Para realizar a inscrição os candidatos interessados devem acessar o endereço: www.fiepb.com.br/senai
Todas as vagas gratuitas ofertadas são destinadas às pessoas de baixa renda, conforme Protocolo de Compromisso firmado em 22/07/2009 entre o Ministério da Educação (MEC), o Ministério da Fazenda (MF), a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial Básica (Senai) e o Serviço Social da Indústria (Sesi).
Podem se inscrever candidatos que tenham entre 16 e 22 anos e 8 meses até o ato da matrícula, e que estejam matriculados no ensino médio ou tenha concluído, a depender do curso escolhido.
Estão sendo oferecidas 708 vagas, sendo 160 para os cursos de Aprendizagem Industrial Técnica de Nível Médio, e 548 para os cursos de Aprendizagem Industrial Básica. Os cursos serão ofertados nas unidades do Senai em João Pessoa, Bayeux,  Campina Grande e Sousa.
Os cursos estão distribuídos da seguinte forma:
Em João Pessoa, na modalidade Aprendizagem Industrial Técnica de Nível Médio está sendo oferecido o curso Técnico em Eletroeletrônica. Na modalidade de Aprendizagem Industrial Básica, são oferecidos os cursos: Assistente Administrativo, Operador Polivalente da Indústria Têxtil, Costureiro à Máquina na Confecção em Série, Mecânico de Manutenção de Máquinas – Ferramentas (Usinagem de Metais), e Impressor Off-set.
Foto: Ascom
Foto: Ascom
Em Campina Grande, na modalidade Aprendizagem Industrial Técnica de Nível Médio: Técnico em Mecânica, Técnico em Eletroeletrônica, Técnico em Administração. Já na modalidade Aprendizagem Industrial Básica, os cursos oferecidos são: Impressor Off Set,  Assistente Administrativo, Confeccionador de Calçados e Mecânico de Manutenção de Automóveis.
Em Bayeux, são oferecidos na modalidade Aprendizagem Industrial Básica, os seguintes cursos: Assistente de Gerenciamento de Obras, Assistente Administrativo, Pedreiro de Edificação e Eletricista Instalador.
Já na cidade de Sousa, o Senai está oferecendo vagas para o curso Operador de processos na Indústria de Alimentos, da modalidade Aprendizagem Industrial Básica.
As provas serão aplicadas pelo Instituto Euvaldo Lodi – IEL, no dia 16 de dezembro, das 8h às 11h, em locais a serem definidos. Já o resultado final deverá ser divulgado no dia 21/12.
Outras informações poderão ser obtidas nos seguintes endereços:
Senai – CEP/ORC – Centro de Educação Profissional Odilon Ribeiro Coutinho, situado à Avenida das Indústrias, s/n, Distrito Industrial, João Pessoa, Paraíba. Telefone: (83) 3044 6611.
Senai – CFP/JWLL – Centro de Formação Profissional Prof. Engenheiro José William Lemos Leal, situado à Rua Senador Humberto Coutinho de Lucena, 133, Bairro SESI, Bayeux, Paraíba. Telefone: (83) 2108 8700.
Senai – CEP/SL – Centro de Educação Profissional Prof. Stenio Lopes, situado à Rua Pedro II,788, Prata, Campina Grande, Paraíba. Telefone: (83) 31823700.
Senai – CTCC – Centro de Tecnologia do Couro e do Calçado Albano Franco, situado à Rua Luiz Motta, 200, Bodocongó, Campina Grande, Paraíba. Telefone: (83) 3182 5500.
Senai – CITI – Centro de Inovação e Tecnologia Industrial, situado à Av. Assis Chateaubriand, 4585, Distrito Industrial, Campina Grande, Paraíba. Telefone: (83) 3182 0231.
Senai – CFP/MBG – Centro de Formação Profissional Miriam Benevides Gadelha, situado à Rua Princesa Isabel, s/n, Gato Preto, Sousa, Paraíba. Telefone: (83) 3521 3100.
Quinta, 25 Outubro 2018 15:44

A água no Brasil: da abundância à escassez

Escrito por

O pesquisador Ricardo Novaes, especialista em Recursos Hídricos do WWF-Brasil, explica que a crise resulta também da falta de adequada gestão do uso da água, sobretudo em períodos de estiagem -  tendência que deve se manter tendo em vista o baixo índice de precipitação registrado no início desta primavera.

Garantir o acesso à água de qualidade a todos os brasileiros é um dos principais desafios para os próximos gestores do país. Culturalmente tratado como um bem infinito, a água é um dos recursos naturais que mais tem dado sinais de que não subsistirá por muito tempo às intervenções humanas no meio ambiente e às mudanças do clima.

Em várias regiões do país, já são sentidos diferentes impactos, como escassez, desaparecimento de nascentes e rios, aumento da poluição da água. Os especialistas alertam que os problemas podem se agravar se não forem tomadas medidas urgentes e se a sociedade não mudar sua percepção e comportamento em relação aos recursos naturais.

O Brasil tem 12 regiões hidrográficas que passam por diferentes desafios para manter sua disponibilidade e qualidade hídrica. Mapeamento do Ministério do Meio Ambiente mostra que, nas bacias que abrangem a Região Norte, o impacto vem principalmente da expansão da geração de energia hidrelétrica. Na Região Centro-Oeste, é a expansão da fronteira agrícola que mais desafia a conservação dos recursos hídricos. As regiões Sul e Nordeste enfrentam déficit hídrico e a Região Sudeste apresenta também o problema da poluição hídrica.

Em nível global, o desafio é conter o aumento da temperatura do clima, fator que gera ondas de calor e extremos de seca que afetam a disponibilidade de água. O relatório especial do Painel Intergovernamental das Mudanças Climáticas, das Nações Unidas, divulgado recentemente, mostra que, se a temperatura global subir acima de 1,5°C, em todo o mundo mais de 350 milhões de pessoas ficarão expostas até 2050 a períodos severos de seca.

Brasil: o mito da abundância 

“As gerações mais antigas foram criadas com o mito do país riquíssimo em água, que água seria um problema crônico, histórico, só no Nordeste, no semiárido. Obviamente, desde 2013, na primeira crise que a gente teve, o apagão, que na verdade foi um “secão”, porque não foi resultado só de uma questão elétrica, ficou claro que o Sudeste e o Centro-Oeste têm problemas concretos, intensificados nos últimos dois anos, de disponibilidade de água”, destacou Ricardo Novaes, especialista em Recursos Hídricos do WWF-Brasil.

O pesquisador explica que a crise resulta também da falta de adequada gestão do uso da água, sobretudo em períodos de estiagem -  tendência que deve se manter tendo em vista o baixo índice de precipitação registrado no início desta primavera.

“Temos indicativos de que há um risco de, no próximo verão, ou talvez no outro ano, termos novamente um quadro muito complicado em São Paulo, talvez em todo o Sudeste. Os reservatórios estão com níveis abaixo do que estavam há dois anos,  antes da crise de 2014 e 15”, afirmou.

Depois da grave crise hídrica de 2015 que afetou a população de São Paulo, os moradores do Distrito Federal (DF) também passaram pelo primeiro racionamento nos últimos 30 anos devido à falta de água nas principais bacias que abastecem a região. Por mais de um ano, os moradores da capital do país tiveram que se adaptar a um rodízio de dias sem água devido ao esgotamento dos reservatórios das principais bacias que abastecem a cidade.

Na área rural, o governo do DF decretou estado de emergência agrícola. Na época, foi estimado um prejuízo de R$ 116 milhões com a redução de 70% na produção de milho, segundo estudo da Secretaria do Meio Ambiente do DF.

Berço de águas escassas

Os especialistas apontam que uma das principais causas para a crise hídrica é o uso inadequado do solo. No Centro-Oeste, por exemplo, estão concentradas as nascentes de rios importantes do país, devido a sua localização no Planalto Central. Conhecida como berço das águas, a região tem vegetação de Cerrado, bioma que ocupa mais de 20% do território e atualmente é um dos principais pontos de expansão da agropecuária, atividade que usa cerca de 70% da água consumida no país.

Como consequência do avanço da fronteira agrícola, o Cerrado já tem praticamente metade de sua área totalmente devastada. Os efeitos da ausência da vegetação nativa para proteger o solo já são percebidos principalmente na diminuição da vazão dos rios e na escassez de água para abastecimento urbano.

Brasília - Barragem de Santa Maria apresenta nível baixo de água (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Os especialistas apontam que uma das principais causas para a crise hídrica é o uso inadequado do solo - Arquivo/Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Segundo a coordenadora do programa Cerrado e Caatinga do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN), Isabel Figueiredo, que integra a Rede Cerrado, o desmatamento acelerado está impactando tanto a frequência de chuvas, que vem diminuindo nos últimos cinco anos na região, quanto na capacidade do solo de absorver e armazenar a água no subsolo e devolvê-la para os rios.

“A mudança do uso da terra tem alterado demais o ciclo da água e faz com que a gente tenha menos água nos rios, os rios muito assoreados e menor disponibilidade de chuva. Então, o ciclo da água está num pequeno colapso”, afirmou Isabel.

Projeções do Painel Brasileiro de Mudança Climática (PBMC) apontam que nas próximas três décadas o bioma do Cerrado poderá ter aumento de 1°C na temperatura superficial com diminuição percentual entre 10% a 20% da chuva.

“A contribuição do Cerrado para as bacias hidrográficas importantes do Brasil, como São Francisco, Tocantins, por exemplo, vai diminuir muito, se esse processo de desmatamento continuar nesse nível”, completou.

A especialista lembra ainda que o desmatamento do Cerrado não afeta somente as comunidades locais, que já relatam dificuldades para plantar, mas também outras regiões. “Os biomas e ecossistemas brasileiros estão todos interligados. O desmatamento do Cerrado afeta a chuva que cai em São Paulo, o desmatamento na Amazônia afeta a chuva que cai aqui no Cerrado”, explica.

Outros desafios

O desafio de garantir o funcionamento do ciclo hidrológico natural também tem impacto na manutenção dos aquíferos subterrâneos. Os pesquisadores lamentam que o assunto não tenha destaque no debate público e na agenda eleitoral e alertam que, para evitar a próxima crise, é necessário criar um modelo de gestão das águas subterrâneas.

Outro problema que leva à escassez de água é a estrutura precária de saneamento. Considerando as metas estabelecidas pelos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da Nações Unidas, do qual o Brasil é signatário, uma das principais preocupações com relação à água é garantir a universalização do saneamento.

Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), mais de 35 milhões de pessoas ainda não têm acesso à água tratada no Brasil e o sistema de abastecimento de água potável gera 37% de perdas, em média. A falta de tratamento do esgoto compromete mais de 110 mil quilômetros dos rios brasileiros que recebem os dejetos.

A agência estima que, para regularizar a situação, seriam necessários pelo menos R$ 150 bilhões de investimentos em coleta e tratamento de esgotos até 2035.

“Um objetivo absolutamente fundamental, mas que vai exigir um nível de investimento, comprometimento de agentes públicos e desenvolvimento de tecnologias - e não estamos vendo energia sendo colocada pra atingir isso. E não adianta você investir em saneamento e ter de buscar água cada vez mais longe, por causa do desmatamento”, criticou Novaes.

Um problema de percepção

Doutor em ecologia e autor de vários livros sobre educação ambiental, Genebaldo Freire destaca que todos estes problemas só serão resolvidos quando os governos e sociedade mudarem sua percepção sobre a importância dos recursos naturais para a sobrevivência humana.

“Nós estamos vivendo uma falha de percepção e temos algumas evidências objetivas que comprovam isso: nós dependemos de água pra tudo e qual é o nosso comportamento? Desperdício, consumismo, poluição e desmatamento, e isso tudo numa pressa danada, com uma população que cresce em 75 milhões de pessoas a cada ano no mundo”, constata.

Segundo o professor, não há lugar seguro no planeta e, além da falta de percepção, há uma absoluta falta de governança na gestão da água. O escritor também critica a indiferença e incapacidade da classe política em lidar com o tema da educação ambiental.

“A história dos problemas ambientais passa por essa falha de percepção por várias razões: conveniência, ignorância ou apatia. Todo o processo de educação ambiental hoje tem de estar obrigatoriamente centrado na ampliação da percepção, senão não vai mudar coisa alguma”, avalia Freire.

O professor ressalta que vários colapsos já estão ocorrendo devido à grande pressão da população mundial de sete bilhões de pessoas sobre os sistemas naturais, que estão assumindo “configurações diferentes das que nós estamos acostumados para neutralizar nossas ações”.

Para evitar o agravamento da situação, é necessária uma evolução do ponto de visto ético e moral e não somente científico e tecnológico. “A mudança do clima é a maior falha de mercado da espécie humana, porque é algo em que a inteligência estratégica de sobrevivência do ser humano não funcionou e continua errando de forma insistente. E qual a consequência disso? E você ter o crescimento de conflitos que já estão estabelecidos, como disputa por água, energia e espaço, aumento de refugiados”, comenta.

 

Fonte: Agenciabrasil.ebc.

 

 

A decisão certificada pela diretora da 4ª vara de Família de Brasília, Renata Bittar, se baseia nos trâmites do processo que Mayã move contra Frota pela dívida de pensão alimentícia.

A Justiça de Brasília deferiu o pedido de protesto feito pelos representantes de Mayã Frota contra o pai, Alexandre Frota. O nome do recém-eleito deputado federal por São Paulo está negativado. Ou seja, Frota não pode requerer financiamentos ou fazer compras através de crediários.

A decisão certificada pela diretora da 4ª vara de Família de Brasília, Renata Bittar, se baseia nos trâmites do processo que Mayã move contra Frota pela dívida de pensão alimentícia. Na segunda-feira, 15, será pleiteado ainda o pedido de prisão do ex-ator.

 

Mayã Frota trocou farpas com o o pai, Alexandre Frota nas redes sociais
Mayã Frota trocou farpas com o o pai, Alexandre Frota nas redes sociais Foto: reprodução/instagram

 

Um pedido de prisão já havia tramitado no fim de setembro, mas de acordo com a Justiça Eleitoral, o ainda candidato não poderia ser detido num prazo de 15 dias. O que já passou.

Mayã nasceu em maio de 1999. Em agosto, do mesmo ano, Samantha Gondim, a mãe do garoto, entrou com pedido de pensão na Justiça através da Defensoria Pública. A Justiça havia pré-determinado o pagamento de dez salários mínimos, mas Frota teria oferecido apenas R$ 200 na época, o que não foi aceito pela mãe do menino.

Processado criminalmente

Mayã Frota se manifestou. Alexandre Frota contra-atacou o filho. E Samantha Gondim, a mãe de Mayã, vai processar o ex nas varas cível e criminal. De acordo com a advogada Juliana Pocaro, que cuida do caso, ela e Samantha vão entrar com os dois processos na Justiça.

Injúria, difamação e porte de drogas são apenas algumas das infrações nas quais Alexandre Frota pode ser enquadrado. No texto que publicou em seu perfil no Facebook, no qual rebate as acusações do filho, de abandono e não pagamento de pensão, ele deixa claro que fez sexo e consumiu drogas com Samantha num hotel de Brasília.

“Ela tinha 16 anos na época. Não trabalhava e nem poderia trabalhar como bartender como afirma o senhor Alexandre Frota. Não foi apenas uma relação. os dois tiveram um envolvimento”, explica a advogada: “Tomaremos todas as medidas cabíveis na Justiça”.

Na última quinta-feira, em nota, Samantha esclareceu pontos sobre sua relação com Alexandre Frota por meio de sua advogada, Juliana Porcaro.

 

Samantha Gondim teve um relacionamento com o ex-ator em 1998
Samantha Gondim teve um relacionamento com o ex-ator em 1998 Foto: reprodução/instagram

 

"A Sra. Samanta Lima Gondim, por meio de sua Advogada Juliana Porcaro, vem a público esclarecer que:

Teve um relacionamento com o Sr. Alexandre Frota. Na época tinha 16 anos e ele 36 anos. Desse relacionamento, que não foi de apenas uma noite, nasceu Mayã Frota hoje com 18 anos. A questão veio a público por declarações do Sr. Alexandre Frota que se ressentiu das constantes execuções de alimentos e autorizou seu advogado a falar publicamente sobre os alimentos que deve a seu filho. Não é verdade que o Sr. Alexandre Frota sustentou o filho e a Sra. Samanta. A Sra. Samanta nunca pediu alimentos para si. Não é verdade que a Sra. Samanta trabalhava de bartender. Até porque, tinha apenas 16 anos à época. Sobre as afirmações quanto a uso de bebidas alcoólicas e drogas, é necessário lembrar novamente que Samanta tinha apenas 16 anos à época. Mas, Alexandre Frota, 36. Então, sua exposição pública tem por consequência, no mínimo, a confissão de cometimento de crimes. Esclarece, ainda, que não fez e não faz uso de drogas ilícitas.

Também é interessante notar que Alexandre Frota tem conduta recorrente em ofender pessoas por suas redes sociais. Inclusive, já fez crítica ferrenha em situação semelhante à presente, tendo sido determinado pela Justiça a retirada daquelas postagens, da internet, sob pena de multa diária. Assim, esclarece que não veio a público – nesses 19 anos - para atacar a honra de Alexandre Frota, aliás, sempre se manteve silente tanto quanto ao relacionamento, como aos alimentos devidos ao filho. Mas, agora, e apenas para se defender das inverdades por ele recentemente ditas de forma pública, vem fazer esses esclarecimentos. Registramos nosso total repúdio à tentativa de linchamento virtual e desmoralização da mulher e da família que o Sr. Alexandre Frota, que se diz defensor, fez".

 

Mayã Frota e a mãe, Samantha Gondim moram na Bélgica
Mayã Frota e a mãe, Samantha Gondim moram na Bélgica Foto: reprodução/instagram

 

Mãe e filho na Bélgica

Samantha, que é personal trainer, mora hoje na Antuérpia, Bélgica, com dois dos três filhos, Mayã e um bebê de poucos meses, fruto de um novo relacionamento. Na época do envolvimento com o ex-ator, ela era menor de idade e engravidou dele. Alexandre assumiu a paternidade, mas não quis conviver com o garoto, como ele mesmo disse em inúmeras entrevistas que deu anos depois.

A relação familiar que já era inexistente foi posta em xeque com um post de Mayã no Twitter, logo após o resultado do primeiro turno das eleições no Brasil, quando foi confirmada a vitória de Alexandre na corrida da Câmara Federal, com 155 mil votos. “Eu sou filho de um ex-ator pornô e ex-viciado em cocaína, que defende a família, mas queria me abortar. Como ele virou atual deputado federal de São Paulo eu não sei ”, escreveu Mayã.

Após as farpas trocadas entre filho e ex, Samantha também usou as redes para desabafar.

 

Mayã Frota trocou farpas com o o pai, Alexandre Frota nas redes sociais
Mayã Frota trocou farpas com o o pai, Alexandre Frota nas redes sociais Foto: reprodução/instagram

 

Frota disse que fez sexo quando ele e Samantha estavam drogados

No textão que escreveu, Frota assume o vício e ataca a ex. “Não sei se você sabe de tudo, mas quando foi concebido em um quarto de hotel em Brasília, eu e sua mãe, um bar tender na época, que conheci e na mesma noite saiu comigo para uma noitada, já havíamos enchido a cara na festa e resolvemos ir para o hotel. No hotel estávamos bebendo cheirando, fumando e fazendo sexo, ambos bem loucos. Eu e ela ok”, descreve.

“Sei que é difícil para você entender, mas precisamos deixar claro a verdade. E é na loucura que cometemos loucuras. Detalhe: sempre fui contra o aborto como sou até hoje, e nunca quis abortar você, não sei o que Samantha te falou. O estranho é só agora você questionar isso, depois da minha vitória. Você teve 18 anos para me perguntar e só agora aparece ?”, continuou Frota.

 

Alexandre Frota: ele diz ter sofrido pressão para ser pai
Alexandre Frota: ele diz ter sofrido pressão para ser pai Foto: reprodução/instagram

 

Frota: “Ela ligou dizendo que teria o bebê e não me deu chance de opinar”

A relação de Alexandre Frota e Samantha Gondim teve um começo romântico. Eles se conheceram em 1998, durante uma micareta em Brasília, no mês de agosto. Se reencontraram uma semana depois, no programa “Galera”, que Frota comandava na Record. Depois, ele passou o fim de semana com Samantha, em Brasília. Mayã nasceu no dia 1º de maio de 1999.

Em agosto do mesmo ano, Samantha entrou com pedido de pensão na Justiça através da Defensoria Pública. A Justiça havia pré-determinado o pagamento de dez salários mínimos, mas Frota teria oferecido apenas R$ 200 na época, o que não foi aceito pela mãe do menino.

 

Mayã Frota não aceitou acordo
Mayã Frota não aceitou acordo Foto: reprodução/instagram

 

Em entrevista à revista “Isto é Gente”, em 2000, Frota disse que ficou sem ver o filho por mais de um ano por sofrer “pressão familiar” de Samantha. “Quando ela engravidou, me ligou dizendo que teria o bebê e não me deu chance de opinar”, defendeu-se.

No post em que respondeu aos ataques de Mayã, o ex-ator e agora deputado federal diz que sempre foi contra o aborto: “Sempre fui contra o aborto como sou até hoje, e nunca quis abortar você”, escreveu.

 

Fonte: extra.globo

 

Esta ano os eleitores vão votar seis vezes neste domingo

Neste domingo (7), os eleitores vão às urnas escolher o novo presidente do Brasil, os governadores dos 26 estados e do Distrito Federal. Também serão escolhidos os 1.059 deputados estaduais das assembleias legislativas e 24 deputados distritais, 513 deputados federais e dois terços, ou seja, 54 senadores (que ficarão os próximos oito anos no Congresso).

A ordem de votação sofreu uma pequena mudança este ano em relação ao pleito de 2014, quando o primeiro voto foi dado para o deputado estadual. A mudança decorre da Lei nº 12.976, de maio de 2014, que alterou o parágrafo 3º do artigo 59 da Lei das Eleições (Lei nº 9.504/1997) .

Ordem de votação

O eleitor escolherá primeiro o deputado federal (quatro dígitos). Depois, será a vez de votar para um deputado estadual (cinco dígitos), dois senadores (três dígitos), um governador (dois dígitos) e, por fim, o presidente da República (dois dígitos).

Ao digitar os números, aparecerão a foto, o número, o nome e a sigla do partido do candidato. Se as informações estiverem corretas, aperte a tecla verde Confirma. Para o cargo de senador, o eleitor deve fazer a operação duas vezes. 

A urna eletrônica também tem a tecla Corrige, que permite ao eleitor mudar o voto caso detecte algum erro.

A Justiça eleitoral disponibilizou um simulador de votação para o eleitor praticar e não se confundir no dia da votação. 

Voto na legenda

Nos casos de deputado federal e estadual, o eleitor pode votar no partido, sem escolher um candidato específico. Neste caso, é preciso apertar dois dígitos (números do partido).  Antes da confirmação do voto, a urna apresentará a informação do respectivo partido e mensagem alertando ao eleitor que, se confirmado o voto, ele será computado para a legenda. 

Voto nulo e em branco

Há opção de anular o voto, nesse caso, basta votar em um número inexistente - que não seja de nenhum candidato ou partido - e confirmar.

Para votos em branco, há uma tecla específica na urna eletrônica. 

Os votos nulo e em branco não são considerados válidos, ou seja não entram na contagem para escolha de um candidato, são usados apenas para estatísticas. 

Cola eleitoral

Para facilitar e dar agilidade à votação, a Justiça Eleitoral sugere que o eleitor leve para a cabine de votação a cola eleitoral, em papel, com os números dos seus candidatos. Celulares não são pemitidos na cabine de votação.

Para serem eleitos chefes do Poder Executivo já no primeiro turno, os candidatos a presidente e os governadores precisam receber mais da metade dos votos válidos, excluídos brancos e nulos. Caso isso não aconteça, será realizado um segundo turno, em 28 de outubro, entre os dois que obtiverem maior votação.

 
Edição: Carolina Pimentel/ Agencia Brasil

Angela Maria será enterrada no mesmo jazigo de Cauby Peixoto

Aos 89 anos, morreu em São Paulo, a cantora Angela Maria. Ela estava internada há 34 dias, no Hospital Sancta Maggiore em decorrência de um quadro de infecção. O velório e o enterro ocorrerão hoje (30) no Cemitério Congonhas. De acordo com a família, foi um período de sofrimento para a artista.

A cantora morreu na noite deste sábado (29). Em um vídeo, publicado no Facebook, Daniel D’Angelo, marido da cantora, Alexandre, um dos quatro filhos adotivos do casal, e um assessor confirmaram a morte e pediram orações. Também afirmaram que jamais deixarão a estrela dela apagar.

Angela Maria, conhecida como a Sapoti, foi uma das rainhas do rádio e de estrondoso sucesso entre os anos de 1950 e 1960, em um vídeo no Facebook. "É com meu coração partido que eu comunico a vocês que a minha Abelim Maria da Cunha, a nossa Angela Maria, partiu, foi morar com Jesus", disse Daniel D’Angelo.

VIDA

Angela Maria, nasceu em Conceição de Macabu, no Rio de Janeiro. Foi operária e teve várias atividades profissionais, mas sempre quis seguir carreira artística. Mas jamais deixou de cantar.

A artista se consagrou na era dourada do rádio, tornando-se uma referência ao lado de Maysa, Nora Ney e Dolores Duran. Recentemente, a cantora disse que gravou 114 discos e vendeu aproximadamente 60 milhões de exemplares.

Em 2012, tentou seguir carreira política. Candidatou-se a vereadora da cidade de São Paulo, mas não se elegeu. Há três anos foi lançada a biografia “Angela Maria: a eterna cantora do Brasil”, escrita pelo jornalista Rodrigo Faour, que reuniu depoimentos e relatos da cantora.

Fonte: Jornalmetro

 

A empresa que mais faturou com veículos locados este ano foi a M3 Rent A Car Locadora De Veículos Ltda, que recebeu R$ 624.397,63 neste primeiro semestre.

 

O contribuinte paraibano está pagando não apenas pelo aluguel dos veículos oficiais que servem à Assembleia Legislativa da Paraíba, mas até as infrações de trânsito estão incluídas nos gastos. A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) gastou somente até o mês de julho deste ano, segundo dados do Sistema Sagres do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE), R$ 1.248 milhão com locação de veículos e serviços de abastecimento da frota. Os dados nos empenhos não informam a quantidade de veículos que estão sendo locados com os valores pagos pela ALPB. 

No ano passado, esses gastos com locações, combustíveis e multas de trânsito superaram os R$ 2,7 milhões de reais. 

A empresa que mais faturou com veículos locados este ano foi a M3 Rent A Car Locadora De Veículos Ltda, que recebeu  R$ 624.397,63 neste primeiro semestre. Em seguida, o maior gasto nesse campo de transporte foi com a Maxifrota Servicos De Manut Frota Ltda, que levou R$ 333.655,08 para serviços de abastecimento.     

Na sequência vem a Localiza Rent A Car Sa, com R$ 170.334,67, e a Talentos Locadora De Veiculos Ltda Me, R$ 119.919,34. A Nutricash Servicos Ltda, empresa que faz o serviço de abastecimento, este ano recebeu apenas R$ 58.435,10.

Já no ano passado, a mesma empresa, Nutricash Servicos Ltda, recebeu da Assembleia R$ 738.526,11 para pagamento de despesa referente a serviço de abastecimento de combustível. Em 2017, a Assembleia pagou à Localiza Rent A Car Sa um total de R$ 458.406,52 e à M3 Rent A Car Locadora De Veiculos Ltda, R$ 1.474.060,93. A Talentos Locadora De Veiculos Ltda Me recebeu o menor valor, R$ 83.820,00. 

Os pagamentos às empresas de locação de veículos incluem até valores de multas por causa de infrações de trânsito sofridas "por veículo utilizado por esta assembleia". Confira:  

 

 

 

 

 

 

2018      

Localiza Rent A Car Sa    - R$ 170.334,67

M3 Rent A Car Locadora De Veiculos Ltda   -   R$ 624.397,63

Maxifrota Servicos De Manut Frota Ltda   -   R$ 333.655,08 

Talentos Locadora De Veiculos Ltda Me     - R$ 119.919,34

Nutricash Servicos Ltda    - R$ 58.435,10

 

2017       

Localiza Rent A Car Sa    - R$ 458.406,52

M3 Rent A Car Locadora De Veiculos Ltda     -  R$ 1.474.060,93

Talentos Locadora De Veiculos Ltda Me   -   R$ 83.820,00

Nutricash Servicos Ltda    - R$ 738.526,11

 

Fonte: ClickPB

 

 

 O homem suspeito do crime foi preso em flagrante e levado para a superintendência da Polícia Federal na cidade mineira. 

Por Jornalista André Moura/Meionorte


O candidato do PSL à presidência, Jair Bolsonaro, levou uma facada na região do tórax durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), segundo informações da PM, por volta de 15h40 desta quinta-feira, 6. Um suspeito foi preso.

No momento da confusão, Bolsonaro estava sendo carregado nos ombros por um apoiador de sua campanha, fazendo corpo a corpo com eleitores, na região do Parque Halfald. Enquanto ele acenava para os simpatizantes de sua candidatura, uma pessoa se aproximou dele e, supostamente, deu uma facada no presidenciável.

 

 Bolsonaro em hospital em Juiz de Fora

De acordo com um dos filhos de Bolsonaro, o deputado estadual Flavio Bolsonaro, o ferimento foi superficial e o candidato passa bem. Em entrevista à GloboNews, ele afirmou que o pai levou seis pontos.

O presidenciável foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O hospital não informou o estado de saúde do candidato.Há suspeita de lesão no fígado e na alça intestinal.

O suspeito de ter dado a facada foi identificado pela PM como Adélio Bispo de Oliveira. Segundo informações da polícia, ele foi espancado e está muito machucado.

 

Acusado de esfaquear Jair Bolsonaro
Acusado de esfaquear Jair Bolsonaro
l Bolsonaro em hospital em Juiz de Fora
Bolsonaro em hospital em Juiz de Fora

 

 

 

De acordo com um dos filhos de Bolsonaro, o deputado estadual Flavio Bolsonaro, o ferimento foi superficial e o candidato passa bem. Em entrevista à GloboNews, ele afirmou que o pai levou seis pontos.

O presidenciável foi levado para a Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O hospital não informou o estado de saúde do candidato.Há suspeita de lesão no fígado e na alça intestinal.

No mês de agosto, atracaram no Porto de Cabedelo sete navios procedentes dos Estados Unidos, Argentina, Salvador (BA), Suape (PE) e Maceió (AL) para descarga de coque de petróleo (petcoke), gasolina, diesel, trigo e bentonita

O Porto de Cabedelo registrou mais um mês de crescimento na movimentação de cargas. No mês passado, o crescimento foi de 98% em relação a julho de 2017 e agora em agosto foram movimentadas 112.517 toneladas de cargas no terminal paraibano, enquanto que no mesmo mês do ano passado, foram movimentadas 72.546 toneladas, o que representa um aumento de 55,10%.

No mês de agosto, atracaram no Porto de Cabedelo sete navios procedentes dos Estados Unidos, Argentina, Salvador (BA), Suape (PE) e Maceió (AL) para descarga de coque de petróleo (petcoke), gasolina, diesel, trigo e bentonita. Somente em derivados de petróleo (gasolina e diesel), o Porto movimentou 47.927 toneladas, e ainda 30.642 de petcoke, 15.900 de trigo e 18.048 de bentonita.

Para o mês de setembro, já existe a previsão para chegada de cinco navios com trigo, gasolina e petcoke.

No acumulado do ano, o Porto de Cabedelo já registra uma movimentação de 815.645 toneladas. Em todo ano passado, foram movimentadas 1.048.072, o que indica que mais uma vez o Porto deve registrar crescimento em suas operações no balanço anual.

 

Fonte: Da Internet

 


TAGS

 

O listão liberado pelo Banco do Brasil, a partir de uma ação proposta pelo defensor José Espínola da Costa, há codificados com salários de até R$ 20,8 mil (confira em baixo).

O Governo do Estado tachou a publicação do listão dos codificados, liberado pelo Banco do Brasil após decisão judicial, como “sensacionalismo barato” do Blog. Segundo o secretário Luís Torres (Comunicação), não existe 21 mil servidores dito codificados, conforme a relação veiculada, mas “apenas” cerca de oito mil.

Em entrevista ao portal PB Agora (https://goo.gl/Etvkd4), o secretário afirmou: “É importante dizer ainda que o número de quem recebe atualmente por produtividade na Saúde do Estado não chega nem perto do que foi, equivocadamente, anunciado.  Existem aproximadamente oito mil servidores nesta situação. Não 21 mil, como se tenta passar. Tais dados, inclusive, atualmente, são mensalmente repassados ao Tribunal de Contas do Estado para acompanhamento e comprovação.”

E ainda: “Os maiores salários, por sua vez, são resultado da produtividade e de plantões de médicos, cujos oposicionistas, vez por outra, dizem que ganham mal neste Estado. O resto é desespero de quem não consegue decodificar os altos índices de aprovação desta gestão e sabe que, ao longo destes oito anos, este governo nomeou mais de 14 mil servidores públicos aprovados em concurso público, número muito superior a qualquer gestão anterior.” Conforme o listão liberado pelo Banco do Brasil, a partir de uma ação proposta pelo defensor José Espínola da Costa, há codificados com salários de até R$ 20,8 mil (confira em baixo).

O secretário, então, ataca o Blog: “Isto não passa de sensacionalismo barato sobre um tema requentado. O fato é que este governo reduziu a quantidade de servidores que recebem por produtividade e impôs mecanismos de controle rigoroso para assegurar o cumprimento do serviço, coisa que não se registrava nas gestões passadas, quando “os codificados” foram realmente inventados, e ninguém poderia saber onde eles de fato trabalhavam (se trabalhavam), pois tratava-se de uma época em que ninguém dava muita manchete sobre o tema.”

A curiosidade é que o intrépido secretário não teve a mais impetuosidade para atacar o Banco do Brasil, responsável pelo listão. Afinal, as informações são de sua inteira responsabilidade, e o Blog apenas divulgou. Talvez o ínclito, preclaro e insigne secretário tenha algum tipo de trauma com instituições financeiras.

CONFIRA A RELAÇÃO LIBERADA PELO BANCO DO BRASIL…

Codificados Lista do BB jan2016

Codificados lista do BB jan2016b

SHARE
 
0
0
 

 

 

 

Em menos de 48 h, quatro alunos do Centro de Informática (CI) foram assaltados a poucos metros da entrada da unidade Acadêmica

Primeiro foi um estudante de Engenharia da Computação do CI, assaltado, anteontem, pela manhã, por dois jovens que se encontravam em uma moto. Um deles, com arma em punho, obrigou o aluno a entregar o celular. O fato ocorreu na estrada de acesso ao campus e foi testemunhado por alguns estudantes que estavam no pátio do estacionamento da universidade.

Hoje, no mesmo local, por volta das 10h, três estudantes foram abordados por uma dupla de assaltantes, que também utilizava moto como meio de transporte. Um dos assaltantes apontou uma pistola de cor preta para os alunos e tomou os celulares. As vítimas são alunos do Curso de Ciência da Computação do CI e estavam a pé.

Todas as ocorrências foram registradas na Delegacia de Mangabeira. As vítimas foram acompanhadas, nos dois casos, pelo diretor do CI, Hamilton Soares.

DEMANDAS À REITORIA DA UFPB E AO PODER PÚBLICO NÃO SÃO ATENDIDAS

Os quatro casos relatados não são os únicos. A Insegurança no campus da UFPB, em Mangabeira, é velha conhecida. os alunos são vítimas de assaltos frequentes na estrada de acesso à universidade. 
Vários casos já foram registrados, desde que a Unidade Acadêmica Lynaldo Cavalcante foi inaugurada, há mais de cinco anos. As maiores vítimas são estudantes que chegam à universidade por meio de transporte coletivo.

No trecho entre a parada de ônibus, nas proximidades da Honda, no Distrito Industrial de Mangabeira, até o portão de entrada da universidade, a segurança pública é muito falha. Raramente vê-se uma ronda policial percorrendo a área, havendo apenas a vigilância interna do campus, que é contratada para garantir a integridade do patrimônio público.

A estrada, que também dá acesso ao Rio do Cabelo, é bastante esburacada, dificulta o acesso dos veículos ao campus e é conhecida como uma das rotas de tráfico de drogas.

A direção do Centro de Informática, junto com a comunidade universitária, já fez gestões à Prefeitura de João Pessoa e à reitora Margareth Diniz , solicitando providências para melhorar o acesso ao local e também a adoção de novas medidas de segurança.

Ofícios da direção do CI foram encaminhados, em maio deste ano, à Prefeitura da capital, reivindicando mais iluminação na área, aumento das linhas de transporte coletivo transitando na via que margeia o campus de Mangabeira, com instalação de paradas de ônibus no local, visando dar maior segurança à comunidade que depende do transporte coletivo.

Além de relatar a iluminação precária, a comunidade também reivindicou, em ofícios ao município, a necessidade de implantação de faixas de pedestre no trecho que dá acesso à instituição.

Todas essas demandas também têm sido feitas, reiteradas vezes, à reitora Margareth Diniz , pela direção do CI, há vários anos. Uma das mais recorrentes demandas à Reitoria, Prefeitura Universitária e Prefeitura de João Pessoa é a pavimentação da estrada, por onde circula uma comunidade de mais de 1.500 pessoas, diariamente.

Uma reivindicação antiga e muito importante, mas que ainda aguarda a boa vontade da gestão da Reitoria, é a transferência do portal de entrada do campus para a parte alta do terreno, próximo à empresa Honda, o que deixaria a comunidade menos vulnerável à ação dos bandidos e também permitiria um maior fluxo de coletivos, com parada próxima ao portal de acesso.

Em reunião que teve com a comunidade universitária, em 04 de maio deste ano, na direção do CI, o secretário do Orçamento Participativo Municipal, Francisco José , assumiu, perante os participantes, o compromisso de trabalhar para que a pavimentação do trecho seja agilizada no âmbito da administração municipal, reconhecendo a importância dessa obra para a comunidade universitária.

Ele disse que não pouparia esforços para dar andamento a essa solicitação, assegurando, inclusive, que iria se empenhar para que o levantamento dos custos da obra e o projeto como um todo fossem finalizados o mais breve possível. Adiantou que existe uma maior probabilidade de que a pavimentação aconteça no próximo ano, com recursos definidos pelo Orçamento Participativo Municipal de 2019.

As reivindicações apresentadas à Secretaria do Orçamento Participativo Municipal também foram formalizadas à Secretaria de Infraestrutura da capital, em visita do diretor do CI, Hamilton Soares, e do vice-diretor, Lucídio Cabral, em maio deste ano, ao titular da Pasta, Cássio Andrade.

A imagem pode conter: nuvem, céu, árvore, atividades ao ar livre e natureza
A imagem pode conter: atividades ao ar livre

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CI

Pagina 1 de 91
JR Esquadrias