Notícias (1335)

Morador da comunidade do Vidigal, que não quis se identificar, disse que Rodrigo teria se envolvido em uma briga na semana passada e que a morte teria sido motivada pela revanche

Morreu na última segunda, dia 9, o dançarino Rodrigo Motta, de 28 anos, que ficou conhecido por participar do clipe "Vai malandra", de Anitta. A família confirmou a morte, mas ainda não divulgou informações sobre o velório. Rodrigo, que também era bartender no Bar da laje, do Vidigal, foi assassinado e ainda não há mais informações sobre o caso.

"É com enorme pesar que venho informar o falecimento do meu irmão hoje pela manhã. Logo informarei o dia e horário do velório para as últimas homenagens", escreveu Márcio Motta, irmão do modelo.

Morador da comunidade do Vidigal, que não quis se identificar, disse que Rodrigo teria se envolvido em uma briga na semana passada e que a morte teria sido motivada pela revanche. O bartender teria levado um tiro no pé e na perna, seguido de agressões. Levado para o hospital, Rodrigo não resistiu.

 

No trabalho com a "Poderosa", Rodrigo aparecia passando óleo na mulherada, que usavam biquínis de fita isolante, e ele foi elogiado pelo corpo malhado. Depois da participação, o dançarino viu propostas de trabalhos como modelo aumentarem: "Está bombando, mas sigo trabalhando no Bar da Laje", disse ao EXTRA, na época.

Erika Bronze, que estreitou laços com Rodrigo durante as gravações do clipe, ficou abalada com a notícia:

— Essa notícia me deixou muito triste. O Rodrigo era um menino trabalhador, cheio de vida e sonhos, ele sempre corria atrás das coisas dele, trabalhava de barmen, trabalhava na praia... Na última vez que o vi, estávamos no quiosque, ele lá ralando, focado... É muito triste. Vai ficar na memória o que vivemos no dia da gravação. Rodrigo conquistou o coração de todo mundo — diz a empresária.Nas redes sociais, amigos prestaram homenagens ao modelo.

"Meu maninho, não estou acreditando que nunca mais poderei te abraçar. Não era para ser assim. Você respirava alegria, felicidade, sempre fomos fortes e juntos no melhor e na pior. Você foi um irmão que a vida me deu de gaça. E hoje você se foi, mas o seu sorriso vai ficar em nossos corações para sempre. Ainda ontem comentou na foto que eu postei falando que me amava e nem deu tempo de eu responder antes de terem tirado sua vida. Que dor, que ódio", escreveu o MC Francês.

 

Fonte: portal meionorte

“Estou super feliz com esse título, tão especial na minha vida, que receberei na Câmara Municipal de João Pessoa” 

Daniel Rodrigues de Lacerda Nunes, contador, empresário e fundador da Rede Nord Hotéis, casado com a também empresária Patrícia Cantalice, receberá o Título de Cidadão Pessoense,  nesta quinta-feira, 28, às 16 horas, no plenário Senador Humberto Lucena na Câmara Municipal de João Pessoa, numa propositura do vereador Bruno Farias.

Daniel Rodrigues, ou Daniel da Rede Nord, como é mais conhecido por todos, há 17 anos está no ramo hoteleiro paraibano, mas especificamente no litoral da Grande João Pessoa, administrando a Rede Nord Hotéis, com diversos equipamentos hoteleiros espalhados, principalmente, nas orlas marítimas de Tambaú e Cabo Branco.

“Estou super feliz com esse título, tão especial na minha vida, que receberei na Câmara Municipal de João Pessoa”, foi assim que ele reagiu ao receber a notícia da outorga da cidadania pessoense, aprovada em abril deste ano, mas que será outorgado nesta quinta-feira..

Começou como empregado, mas ainda jovem, aos 25 anos, em 2002 se tornou empreendedor, entrando definitivamente no mercado como empresário, tendo atualmente mais de dez hotéis, sob sua administração na Paraíba, sendo oito em João Pessoa, um em Conde, outro em Campina Grande e um em Patos.

“Muita gente pensa que a Nord é detentora de todos esses hotéis, mas na realidade nós fazemos a parte administrativa deles, desde a contabilidade às vendas”, revelou Daniel Rodrigues.

A Nord é a maior rede de hotéis a beira mar do Brasil. Especializada na administração, comercialização e gestão de hotéis e flats em todo território nacional. O Grupo Nord oferece serviços de excelência e por isso conta com profissionais qualificados, com anos de experiência, que trabalham para proporcionar resultados duradouros e sólidos aos investidores e aos hóspedes.

 Atualmente, o grupo possui hotéis em várias regiões da Paraíba, dentro de quatro marcas: Nord Luxxor, Nord Life, Nord Class e Nord Easy. A rede tem o hotel certo tanto para quem viaja a negócios, como para quem deseja descansar e conhecer os pontos turísticos da Paraíba.

Novos desafios – Mas o empresário Daniel Rodrigues não para quieto, como diz o nordestino. Este ano ele decidiu enveredar pelo amo do entretenimento e entrou em uma sociedade com um grupo que investiu no Projeto Folia de Rua, o maior projeto de pré-carnaval do Brasil, trazendo para as ruas de João Pessoa o Bloco Vumbora, animado pelo cantor baiano Bell Marques, que há cerca de 15 anos não subia em um trio elétrico.

Como um verdadeiro Midas (Rei Grego que em tudo que tocava virava ouro), o projeto encampado pelo Daniel da Nord foi um sucesso estrondoso, levando milhares de foliões às ruas da Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, dançando e cantando os sucesso da Axé Music. O sucesso foi tanto que em 2020 o Vumbora estará de volta e metade dos ingressos promocionais, colocados à venda, este mês, já foram vendidos rapidamente.

Daniel Rodrigues, o Lorde da Rede Nord, contribui com a geração de empregos na Paraíba e recebe o Título de Cidadão Pessoense pelos reais serviços prestados à população pessoense, melhorando o serviço hoteleiro para quem vem visitar a cidade e trazendo turistas para conhecer e se divertir, trazendo divisas para a Capital paraibana.

Redação com Blog Vanderlan Farias

“Estou super feliz com esse título, tão especial na minha vida, que receberei na Câmara Municipal de João Pessoa” 

Daniel Rodrigues de Lacerda Nunes, contador, empresário e fundador da Rede Nord Hotéis, casado com a também empresária Patrícia Cantalice, receberá o Título de Cidadão Pessoense,  nesta quinta-feira, 28, às 16 horas, no plenário Senador Humberto Lucena na Câmara Municipal de João Pessoa, numa propositura do vereador Bruno Farias.

Daniel Rodrigues, ou Daniel da Rede Nord, como é mais conhecido por todos, há 17 anos está no ramo hoteleiro paraibano, mas especificamente no litoral da Grande João Pessoa, administrando a Rede Nord Hotéis, com diversos equipamentos hoteleiros espalhados, principalmente, nas orlas marítimas de Tambaú e Cabo Branco.

“Estou super feliz com esse título, tão especial na minha vida, que receberei na Câmara Municipal de João Pessoa”, foi assim que ele reagiu ao receber a notícia da outorga da cidadania pessoense, aprovada em abril deste ano, mas que será outorgado nesta quinta-feira..

Começou como empregado, mas ainda jovem, aos 25 anos, em 2002 se tornou empreendedor, entrando definitivamente no mercado como empresário, tendo atualmente mais de dez hotéis, sob sua administração na Paraíba, sendo oito em João Pessoa, um em Conde, outro em Campina Grande e um em Patos.

“Muita gente pensa que a Nord é detentora de todos esses hotéis, mas na realidade nós fazemos a parte administrativa deles, desde a contabilidade às vendas”, revelou Daniel Rodrigues.

A Nord é a maior rede de hotéis a beira mar do Brasil. Especializada na administração, comercialização e gestão de hotéis e flats em todo território nacional. O Grupo Nord oferece serviços de excelência e por isso conta com profissionais qualificados, com anos de experiência, que trabalham para proporcionar resultados duradouros e sólidos aos investidores e aos hóspedes.

 Atualmente, o grupo possui hotéis em várias regiões da Paraíba, dentro de quatro marcas: Nord Luxxor, Nord Life, Nord Class e Nord Easy. A rede tem o hotel certo tanto para quem viaja a negócios, como para quem deseja descansar e conhecer os pontos turísticos da Paraíba.

Novos desafios – Mas o empresário Daniel Rodrigues não para quieto, como diz o nordestino. Este ano ele decidiu enveredar pelo amo do entretenimento e entrou em uma sociedade com um grupo que investiu no Projeto Folia de Rua, o maior projeto de pré-carnaval do Brasil, trazendo para as ruas de João Pessoa o Bloco Vumbora, animado pelo cantor baiano Bell Marques, que há cerca de 15 anos não subia em um trio elétrico.

Como um verdadeiro Midas (Rei Grego que em tudo que tocava virava ouro), o projeto encampado pelo Daniel da Nord foi um sucesso estrondoso, levando milhares de foliões às ruas da Epitácio Pessoa até o Busto de Tamandaré, dançando e cantando os sucesso da Axé Music. O sucesso foi tanto que em 2020 o Vumbora estará de volta e metade dos ingressos promocionais, colocados à venda, este mês, já foram vendidos rapidamente.

Daniel Rodrigues, o Lorde da Rede Nord, contribui com a geração de empregos na Paraíba e recebe o Título de Cidadão Pessoense pelos reais serviços prestados à população pessoense, melhorando o serviço hoteleiro para quem vem visitar a cidade e trazendo turistas para conhecer e se divertir, trazendo divisas para a Capital paraibana.

Redação com Blog Vanderlan Farias

O Ministério Público Federal na Paraíba (MPF-PB) publicou nesta terça-feira (26) um edital de doação de 270 itens. O desfazimento contempla bens móveis ociosos, irrecuperáveis ou antieconômicos da sede do órgão em João Pessoa, como mobiliário, bens de informática, eletrônicos, eletrodomésticos, livros, entre outros. Confira o edital e anexos com todas as informações

Podem concorrer, prioritariamente, entidades federais, estaduais, do Distrito Federal e municipais, além de organizações da sociedade civil de interesse público e de associações ou cooperativas que atendam aos requisitos do Decreto nº 5.940/2006.

Os interessados devem encaminhar ao procurador-chefe do MPF na Paraíba, em cinco dias, formulário de solicitação.

O envio deve ser feito pelo protocolo eletrônico. Em caso de indisponibilidade do sistema, devem manifestar interesse enviando o formulário pelos emails: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  e  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. . Presencialmente, podem entregar o formulário no Setor de Manutenção e Serviços Gerais do MPF em João Pessoa, situado na Avenida Epitácio Pessoa, 1800, Expedicionários.

As organizações da sociedade civil de interesse público e associações ou cooperativas, além de enviarem o formulário, devem enviar documentação específica informada no edital.

Com vagas espalhadas em todo país, os concursos oferecem salários iniciais de R$ 27 mil

SPPrev 

Com vagas espalhadas pelo Brasil, concursos públicos estão com mais de 3.300 vagas abertas com salários iniciais em R$ 27 mil. A Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação, por exemplo, tem dois processos abertos para contratações de profissionais de nível superior em Brasília e no Rio de Janeiro.

Confira!

A São Paulo Previdência (SPPrev) prorrogou, somente até as 14h desta segunda-feira (18/11), o prazo de inscrições do concurso que oferece 91 vagas de preenchimento imediato, sendo 77 para o cargo de técnico em gestão previdenciária I e 14 para analista em gestão previdenciária I. Os salários chegam a R$ 5.384,42. Saiba mais aqui! 

 
HFA/DF 
 
O Hospital das Forças Armadas (HFA) lançou processo seletivo público para provimento de 32 vagas nos Programas de Residência Medica para o ano de 2020. Interessados em participar podem se inscrever a partir de hoje até 16 de dezembro. A taxa de inscrição custa R$ 109. Saiba mais aqui! 
 

MPT 

O 21º concurso público para procuradores foi lançado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). Podem concorrer candidatos com formação em direito e que comprovem o mínimo de três anos de exercício de atividade jurídica, até a data da inscrição definitiva. As inscrições poderão ser feitas de 27 de novembro a 26 de dezembro. A taxa custa R$ 250. O salário inicial de procurador do Trabalho é de R$ 33.689,11. Há chances para o Distrito Federal, Goiás, Minas Gerais e Curitiba. Saiba mais aqui! 
 

TRE/PA 

O edital de abertura do novo concurso público do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE/PA) foi lançado! São três vaga de preenchimento imediato e formação de cadastro reserva. As vagas disponíveis são para técnicos e analistas. As remunerações chegam a R$ 12.455,30. A inscrição se inicia nesta segunda-feira (18/11) e segue até as 17 de dezembro. As taxas variam de R$ 70 a R$ 55. 

Sefaz/AL 

A Secretaria de Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL) oferece 85 vagas de auditor de finanças e controle de arrecadação da fazenda estadual. Posto que exige nível superior de formação em qualquer curso. O salário inicial varia de R$ 8.264,90 a R$ 9.471,42 para 40 horas semanais de trabalho. Quem se interessar em concorrer deve se inscrever a partir desta segunda-feira (11/11) até 10 de dezembro. A taxa custa R$ 200. 

EBSERH 

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH) está com as inscrições abertas para 2.464 vagas, sendo, 1.660 para o concurso nacional e 804 para o Hospital Universitário da Universidade Federal de Uberlandia, em Minas Gerais. Ambos os concursos ainda vão formar cadastro de reserva, com salários que variam de R$ 2.170,22 a R$ 10.350,46. As inscrições custam R$ 80 para nível médio e R$ 180 para nível superior e vão até 10 de dezembro. Saiba mais aqui! 
 

Rede Sarah 

A Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação está com dois processos seletivos abertos para contratação de oito profissionais de nível superior. As chances são para Brasília e Rio de Janeiro. O salário é de R$ 13.675,28, para 44 horas semanais de trabalho. São três chances para analistas de informática. As inscrições serão aceitas até 20 de novembro. A taxa custa R$ 120. Saiba mais aqui! 
 

CFO 

A seleção oferece 125 vagas, sendo nove de preenchimento imediato e o restante para formação de cadastro reserva. Todas as oportunidades são para lotação em Brasília, DF. Os salários variam de R$ 2.000 a R$ 7.500, para jornada de 40 horas semanais de trabalho. Há chances de níveis médio e superior de formação escolar. As inscrições vão até 9 de dezembro. As taxas variam de R$ 65 a R$ 85. 

TJMS 

Um novo edital de abertura foi lançado pelo Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul (TJMS)! Estão sendo oferecidas 10 vagas para o cargo de juiz substituto, posto que detém salário inicial de R$ 27.363,98. As inscrições poderão ser feitas até 3 de dezembro. A taxa custa R$ 270. Saiba mais aqui! 
 

Crefito-3 

O Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região (Crefito-3), com sede em São Paulo, lançou novo edital de abertura de concurso público. São oferecidas 11 vagas de nível superior para formados em fisioterapia ou terapia ocupacional para o posto de fiscal. De acordo com o regulamento, o salário inicial é de R$ 5.599,80, para 40 horas de trabalho. As inscrições poderão ser feitas a partir de hoje até 12 de dezembro. A taxa custa R$ 82,20. Saiba mais aqui! 
 

Crefono-5 

O Conselho Regional de Fonoaudiologia da 5ª Região (Crefono-5), abriu 165 para Brasília e Goiás! Do total, três são efetivas e o restante é para formação de cadastro reserva. Há chances para os níveis médio e superior de formação escolar. Os salários chegam até R$ 3,8 mil. Quem se interessar pode se inscrever até 9 de dezembro. As taxas custam R$ 50 para nível médio e R$ 60 para superior.

 

Fonte  Da Internet

 

 De acordo com Trevisan, o agressor seguia detido na delegacia da cidade até as 20 horas desta quarta e poderá ser indiciado por injúria racial e lesão corporal.

O professor universitário Juarez Xavier, docente do curso de Jornalismo da Universidade Estadual Paulista (Unesp), foi agredido com um canivete após ser vítima de ofensa racista na última quarta-feira (20), em Bauru, interior de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, ele teve ferimentos superficiais, passou por atendimento médico e já teve alta. O agressor foi detido.

O caso foi relatado pela própria vítima em sua página no Facebook, na tarde desta quarta. "Fui chamado de macaco. Reagi, fui esfaqueado!", escreveu Xavier.

De acordo com o tenente da PM José Eduardo Trevisan, comandante do policiamento da área onde o crime ocorreu, Xavier estava caminhando na Avenida Nações Unidas quando um homem passou e chamou o professor de "macaco".

A vítima, então, teria questionado a ofensa quando foi derrubado no chão e agredido com um canivete. "Ele teve duas perfurações, uma no ombro e outra no tórax", contou o tenente.

Pessoas que passavam pelo local detiveram o agressor, que foi preso pela PM. Xavier foi levado a uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade, onde teve os ferimentos suturados, sendo liberado em seguida.

Professor relatou o crime nas redes sociais

De acordo com Trevisan, o agressor seguia detido na delegacia da cidade até as 20 horas desta quarta e poderá ser indiciado por injúria racial e lesão corporal.

Em 2015, o professor Juarez Xavier foi vítima de racismo dentro da própria universidade. Pichações encontradas em um banheiro da instituição o chamavam de "macaco" e ofendiam também alunas negras.

 

Fonte: Portal Terra

 

 

De acordo com o tenente da PM José Eduardo Trevisan, comandante do policiamento da área onde o crime ocorreu, Xavier estava caminhando na Avenida Nações Unidas quando um homem passou e chamou o professor de "macaco".

A vítima, então, teria questionado a ofensa quando foi derrubado no chão e agredido com um canivete. "Ele teve duas perfurações, uma no ombro e outra no tórax", contou o tenente.

Pessoas que passavam pelo local detiveram o agressor, que foi preso pela PM. Xavier foi levado a uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade, onde teve os ferimentos suturados, sendo liberado em seguida.

De acordo com o tenente da PM José Eduardo Trevisan, comandante do policiamento da área onde o crime ocorreu, Xavier estava caminhando na Avenida Nações Unidas quando um homem passou e chamou o professor de "macaco".

A vítima, então, teria questionado a ofensa quando foi derrubado no chão e agredido com um canivete. "Ele teve duas perfurações, uma no ombro e outra no tórax", contou o tenente.

Pessoas que passavam pelo local detiveram o agressor, que foi preso pela PM. Xavier foi levado a uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade, onde teve os ferimentos suturados, sendo liberado em seguida.

De acordo com o tenente da PM José Eduardo Trevisan, comandante do policiamento da área onde o crime ocorreu, Xavier estava caminhando na Avenida Nações Unidas quando um homem passou e chamou o professor de "macaco".

A vítima, então, teria questionado a ofensa quando foi derrubado no chão e agredido com um canivete. "Ele teve duas perfurações, uma no ombro e outra no tórax", contou o tenente.

Pessoas que passavam pelo local detiveram o agressor, que foi preso pela PM. Xavier foi levado a uma Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da cidade, onde teve os ferimentos suturados, sendo liberado em seguida.

O fim do seguro obrigatório levantou dúvidas sobre o financiamento do Ministério da Saúde e do Denatran, já que 45% do valor arrecadado é revertido diretamente para o ministério, e 5%, para o departamento. 

Após extinguir, por meio de uma Medida Provisória, o seguro obrigatório para veículos, o DPVAT, o governo Jair Bolsonaro ainda não sabe quem será responsável por fornecer os papéis usados para emitir o documento de mais de 65 milhões de veículos licenciados por ano no país a partir de 2020. 

O problema é que a Seguradora Líder, responsável pela administração do DPVAT, era também encarregada da confecção e distribuição das cédulas verdes utilizadas anualmente pelos Detrans de todo o país para imprimir o Certificado de Registro de Licenciamento de Veículo. O papel é popularmente conhecido como "o documento do carro". 

A situação se agrava se considerado que os papéis começariam a ser distribuídos na virada deste ano. 

O documento é usado pelos Detrans dos estados que imprime informações sobre o veículo (placa, chassi, cores, modelo), o comprovante de pagamento do DPVAT, o nome do proprietário e também informações de como acionar o seguro obrigatório, em caso de acidente.

Em 2018, foram emitidos 65,2 milhões de documentos deste tipo durante o processo de licenciamento dos veículos -volume que vem aumentando a cada ano. A tarifa paga por cada dono de veículo pelo papel é de R$ 4,15. Sendo assim, só a emissão e distribuição deste papel, que é responsabilidade da Líder, custa mais de R$ 270 milhões.

O governo Bolsonaro admite que ainda está estudando quem será o novo responsável pelo serviço, uma vez que a Líder não deve mais atuar com o DPVAT. Segundo o Ministério da Economia, ainda não há uma decisão tomada. O Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), vinculado ao Ministério da Infraestrutura, também diz estar avaliando os ajustes e procedimentos após decisão do presidente Bolsonaro.

Uma das possibilidades aventadas no setor é de que o custo das cédulas recaia sobre os Detrans de cada estado, que há décadas, eram os responsáveis pela emissão do papel. 

O governo Bolsonaro anunciou no dia 11 de novembro a extinção do seguro obrigatório a partir de 2020. A mudança foi feita por Medida Provisória, ou seja, tem força de lei a partir de sua edição. A nova regra deve ser votada pelo Congresso, que pode modificá-la, em até 120 dias. Caso contrário, caduca -o que faria com que o DPVAT fosse mantido.

O fim do seguro obrigatório levantou dúvidas sobre o financiamento do Ministério da Saúde e do Denatran, já que 45% do valor arrecadado é revertido diretamente para o ministério, e 5%, para o departamento. 

O Ministério da Economia, porém, considera que o montante de cerca de R$ 1 bilhão que o DPVAT deve reverter ao SUS (Sistema Único de Saúde) neste ano é um valor pequeno frente ao orçamento de mais de R$ 116 bilhões da pasta. Em 2018, quando o custo do DPVAT era maior para os donos de veículos, o repasse ao ministério foi de R$ 2,1 bilhões. 

O Ministério da Economia alega que o SUS não perderá recursos, pelo menos não até 2026. Até lá, a seguradora Líder deve repassar por ano cerca de R$ 1 bilhão à saúde. O dinheiro está hoje numa reserva técnica que a Líder é obrigada a manter para gerenciar o DPVAT em todo o país.

 

Fonte: Portal Jornal do Brasil 

 

 

Os órgãos de Defesa do Consumidor já podem fiscalizar e autuar os estabelecimentos que descumprirem a carência. As punições previstas no texto da lei são de 20 a 30 UFR-PB

O governador João Azevedo (PSB) sancionou a Lei 11.504/2019, que regulamenta o período mínimo de 20 minutos de carência nos estabelecimentos comerciais do Estado. O projeto de lei, de autoria do deputado Wilson Filho, foi aprovado por unanimidade na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), no dia 22 de outubro. A sanção do governador é do último dia 16, mas só foi publicada na edição do Diário Oficial do Estado desta terça-feira (19).

Com a lei em vigor desde às 0h desta terça, os consumidores já possuem o direito de entrar em estacionamentos por 20 minutos sem pagar nenhuma taxa. Os órgãos de Defesa do Consumidor já podem fiscalizar e autuar os estabelecimentos que descumprirem a carência. As punições previstas no texto da lei são de 20 a 30 UFR-PB.

O deputado Wilson Filho, que é Presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos do Consumidor da ALPB, comemorou a publicação da Lei, que, segundo ele, visa beneficiar os consumidores e a sociedade de maneira geral.

“O que ocorria eram consumidores precisando deixar os estacionamentos caso quisessem pegar um táxi ou um Uber. Além deste transtorno, tinha o problema do trânsito, já que o entorno de alguns empreendimentos, como shoppings, fica congestionados porque os carros não podem adentrar nos estacionamentos, nem que seja por cinco minutos para deixar uma pessoa idosa ou com limitações físicas, por exemplo, sem pagar uma taxa”, explicou.

De acordo com a publicação, a lei entra em vigor a partir da data da publicação e em caso de descumprimento, a empresa proprietária do estacionamento receberá uma multa de 20 a 30 UFR-PB.

 

Fonte: Internet

Segundo o secretário do Procon-JP, Helton Renê, como a maioria das pessoas quer comprar algo que está ‘paquerando’ há algum tempo, elas podem ‘guardar’ o preço para o comparativo no dia da Black Friday.                                                                                                                                                    Telefones para denuncias:                                                               3214-3040, 3214-3042, 3214-3046, 2107-5925 (Uninassau) e  0800  083 2015

A Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP) está monitorando os preços de mais de 800 produtos nas lojas da Capital desde o início deste mês, dentro da Operação Black Friday 2019, que este ano se realiza em 29 de novembro. A fiscalização do Procon-JP vai ser realizada até as 20h para atender aos consumidores durante o dia da promoção.

A fiscalização ocorre comparando os preços coletados antes e durante a promoção para verificar possíveis irregularidades, como publicidade enganosa e da ‘maquiagem’ dos preços dos produtos.

Dentre os itens constantes na relação de monitoramento estão os produtos mais procurados pelo consumidor na Black Friday como aparelhos de celular e de TV, fogões, refrigeradores, microondas, máquinas de lavar, computadores, liquidificador, ar-condicionado, ventilador.

Consumidor pode ajudar

Segundo o secretário do Procon-JP, Helton Renê, como a maioria das pessoas quer comprar algo que está ‘paquerando’ há algum tempo, elas podem ‘guardar’ o preço para o comparativo no dia da Black Friday.

“Também vão ajudar nossa fiscalização porque, com esse material em mãos, nossa equipe vai poder tirar dúvidas em tempo real, já que passará toda a sexta-feira (29), conferindo os preços dos produtos promocionais nas lojas. Estaremos de plantão das 8h às 20h”, disse o secretário.

Atendimentos do Procon-JP

  • Sede: segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, na Avenida D. Pedro I, número 473, no Tambiá;
  • MP-Proco: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, no Parque Solon de Lucena, Lagoa, número 300, no Centro;
  • Uninassau: segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, no Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Uninassau, na Avenida Amazonas, número 173, no Bairro dos Estados;

 

  • Telefones: 3214-3040, 3214-3042, 3214-3046, 2107-5925 (Uninassau) e  0800  083 2015

 

Fonte: Da  Internet

Conforme O Estadão, os armadores gregos Athenian Sea Carriers, Tsakos Energy Navigation, Dorian (Hellas) e Aegean Shipping Management teriam efetuado pagamentos de propina e comissões ilícitas na razão de 2% do valor dos contratos de afretamento para contas bancárias de empresas offshores vinculadas a Konstantinos mantidas na Grécia, Luxemburgo, Reino Unido e Suíça

O ex-senador Ney Suassuna voltou ao olho do furacão. Suassuna foi denunciado no âmbito da Operção Lava-Jato por envolvimento com ex-cônsul honorário da Grécia, no Rio de Janeiro, Konstantinos Kotronakis, num esquema de corrupção identificado em contratos de afretamento de navios firmados com armadores gregos pela Petrobrás.

Segundo as investigações, eles formariam uma organização criminosa com prática de crimes de pertinência, corrupção e lavagem de dinheiro em contratos com navios da Petrobras, entre 2006 e 2008, que teriam gerado, pelo menos, US$ 17,6 milhões em propinas e comissões ilícitas. Há vários outros indiciados, entre os quais Herny Hover, ex-assessor de Ney.

A ação penal vem do último mês de agosto.

Esquema – Conforme O Estadão, os armadores gregos Athenian Sea Carriers, Tsakos Energy Navigation, Dorian (Hellas) e Aegean Shipping Management teriam efetuado pagamentos de propina e comissões ilícitas na razão de 2% do valor dos contratos de afretamento para contas bancárias de empresas offshores vinculadas a Konstantinos mantidas na Grécia, Luxemburgo, Reino Unido e Suíça.

 

 

As investigações apuraram, também, que as propinas foram divididas entre funcionários da Petrobras, como Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento e Dalmo Monteiro Silva, ex-gerente de afretamentos, bem como agentes ligados ao PP, enquanto as comissões ilícitas restantes eram repartidas entre os agentes intermediários do esquema, notadamente Konstantinos e Georgios Kotronakis, Ney, Henry Hoyer, João Henrique Hoyer, Jorge Luz e Bruno Luz.

Blog do heldermoura

Pagina 1 de 96

PUBLICIDADE

JR Esquadrias