Notícias (271)

O número de contingente de 13,13 milhões no trimestre encerrado em julho é o maior desde abril do ano passado, quando os desocupados somavam 13,17 milhões

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 13,8% no trimestre encerrado em julho, atingindo 13,13 milhões de pessoas, com um fechamento de 7,2 milhões de postos de trabalho em apenas 3 meses. Os dados são da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal), divulgada nesta quarta-feira (30) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Trata-se da maior taxa de desemprego da série histórica, iniciada em 2012. O índice corresponde a um aumento de 1,2 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em fevereiro (12,6%), e de 2 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre de 2019 (11,8%).

Em termos de número de desempregados, o contingente de 13,13 milhões no trimestre encerrado em julho é o maior desde abril do ano passado, quando os desocupados somavam 13,17 milhões. O recorde histórico foi registrado em março de 2017 (14,1 milhões).

População ocupada cai para mínima histórica

A população ocupada encolheu 8,1% em 3 meses, recuando para 82 milhões, o menor contingente da série. O número representa uma redução de 7,2 milhões pessoas em relação ao último trimestre pré-pandemia e de 11,6 milhões na comparação anual.
O nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) também caiu para o patamar mais baixo da série, para 47,1%.

A analista da pesquisa, Adriana Beringuy, explica que as quedas no período da pandemia de Covid-19 foram determinantes para os recordes negativos deste trimestre encerrado em julho. “Os resultados das últimas cinco divulgações mostram uma retração muito grande na população ocupada. É um acúmulo de perdas que leva a esses patamares negativos”, afirma. A Pnad Contínua é a pesquisa mais ampla sobre o mercado de trabalho no país e é usada como indicador oficial do desemprego no Brasil.

Desalento também bate recorde

A população desalentada (que não buscaram trabalho, mas que gostariam de conseguir uma vaga e estavam disponíveis para trabalhar) também atingiu novo recorde de 5,8 milhões de pessoas, com alta de 15,3% (mais 771 mil pessoas) em relação ao trimestre encerrado em fevereiro e de 20% (mais 966 mil pessoas) frente ao mesmo trimestre de 2019.

Já a população fora da força de trabalho atingiu o recorde da série e chegou a 79 milhões de pessoas, um acréscimo de 8 milhões em relação ao trimestre anterior e de 14,1 milhões em 12 meses.

A expectativa dos analistas é que com uma flexibilização cada vez maior do distanciamento social, a tendência é que as pessoas voltem a buscar trabalho. “Além de tirar o trabalho, a pandemia também impossibilitou sua procura, ou por conta das medidas restritivas, ou porque as atividades econômicas estavam suspensas ou, ainda, por questões de saúde pessoal”, afirma a pesquisadora do IBGE.

Sinais de recuperação em setembro

Com a pandemia de coronavírus, o IBGE passou a realizar também levantamentos semanais para identificar os impactos da Covid-19 no mercado de trabalho. Na semana passada, o IBGE mostrou que a taxa de desemprego passou de 14,3% para 13,7% entre a última semana de agosto e a primeira de setembro. As pesquisas, no entanto, não são comparáveis, devido às características metodológicas, que são distintas.

Fonte: Da Internet

O número de contingente de 13,13 milhões no trimestre encerrado em julho é o maior desde abril do ano passado, quando os desocupados somavam 13,17 milhões

A taxa de desemprego no Brasil subiu para 13,8% no trimestre encerrado em julho, atingindo 13,13 milhões de pessoas, com um fechamento de 7,2 milhões de postos de trabalho em apenas 3 meses. Os dados são da PNAD Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua Mensal), divulgada nesta quarta-feira (30) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Trata-se da maior taxa de desemprego da série histórica, iniciada em 2012. O índice corresponde a um aumento de 1,2 ponto percentual em relação ao trimestre encerrado em fevereiro (12,6%), e de 2 pontos percentuais em relação ao mesmo trimestre de 2019 (11,8%).

Em termos de número de desempregados, o contingente de 13,13 milhões no trimestre encerrado em julho é o maior desde abril do ano passado, quando os desocupados somavam 13,17 milhões. O recorde histórico foi registrado em março de 2017 (14,1 milhões).

População ocupada cai para mínima histórica

A população ocupada encolheu 8,1% em 3 meses, recuando para 82 milhões, o menor contingente da série. O número representa uma redução de 7,2 milhões pessoas em relação ao último trimestre pré-pandemia e de 11,6 milhões na comparação anual.
O nível da ocupação (percentual de pessoas ocupadas na população em idade de trabalhar) também caiu para o patamar mais baixo da série, para 47,1%.

A analista da pesquisa, Adriana Beringuy, explica que as quedas no período da pandemia de Covid-19 foram determinantes para os recordes negativos deste trimestre encerrado em julho. “Os resultados das últimas cinco divulgações mostram uma retração muito grande na população ocupada. É um acúmulo de perdas que leva a esses patamares negativos”, afirma. A Pnad Contínua é a pesquisa mais ampla sobre o mercado de trabalho no país e é usada como indicador oficial do desemprego no Brasil.

Desalento também bate recorde

A população desalentada (que não buscaram trabalho, mas que gostariam de conseguir uma vaga e estavam disponíveis para trabalhar) também atingiu novo recorde de 5,8 milhões de pessoas, com alta de 15,3% (mais 771 mil pessoas) em relação ao trimestre encerrado em fevereiro e de 20% (mais 966 mil pessoas) frente ao mesmo trimestre de 2019.

Já a população fora da força de trabalho atingiu o recorde da série e chegou a 79 milhões de pessoas, um acréscimo de 8 milhões em relação ao trimestre anterior e de 14,1 milhões em 12 meses.

A expectativa dos analistas é que com uma flexibilização cada vez maior do distanciamento social, a tendência é que as pessoas voltem a buscar trabalho. “Além de tirar o trabalho, a pandemia também impossibilitou sua procura, ou por conta das medidas restritivas, ou porque as atividades econômicas estavam suspensas ou, ainda, por questões de saúde pessoal”, afirma a pesquisadora do IBGE.

Sinais de recuperação em setembro

Com a pandemia de coronavírus, o IBGE passou a realizar também levantamentos semanais para identificar os impactos da Covid-19 no mercado de trabalho. Na semana passada, o IBGE mostrou que a taxa de desemprego passou de 14,3% para 13,7% entre a última semana de agosto e a primeira de setembro. As pesquisas, no entanto, não são comparáveis, devido às características metodológicas, que são distintas.

Fonte: Da Internet

O acidente aconteceu nas proximidades da Praia de Marinha Farinha, na cidade de Paulista,  Região Metropolitana do Recife

A escuna Toda Nua, maior embarcação de turismo de Fernando de Noronha, naufragou na madrugada da última  segunda-feira (27), a 12 milhas do Porto do Recife, o que equivale a cerca de 20 quilômetros. O acidente aconteceu nas proximidades da Praia de Maria Farinha, na cidade de Paulista, Região Metropolitana do Recife. A embarcação não transportava passageiros e os cinco tripulantes foram resgatados com vida.

A embarcação estava seguindo, para manutenção no continente. Segundo relatos da tripulação, a viagem teve muito vento e mar revolto. O dono da escuna é o presidente da Associação de Barcos de Turismo de Noronha, Milton Luna, que acionou uma equipe de resgate, ao ser informado das dificuldades na embarcação.

De acordo com declarações do propriétario “Estamos apurando o que aconteceu. O mais importante é que conseguimos resgatar os cinco tripulantes com vida, estão todos bem, em terra”, disse Luna. O dono do barco, que está na ilha, iniciou os contatos para realizar uma operação para içar e rebocar a escuna até o porto da capital pernambucana.

O barco, A escuna Toda Nua tem 26 metros de comprimento e comporta até 90 passageiros. O barco tem dois motores e dois mastros. A embarcação também era usada na ilha para festas flutuantes, como o passeio promovido pelo festival Love Noronha, no ano de 2019.

Fonte Da Internet

É o que prevê a Lei 11.756, de autoria do deputado estadual Adriano Galdino, sancionada pelo governador João Azevêdo e publicada na edição desta sexta-feira (24) do Diário oficial do Estado (DOE)

As operadoras de planos de saúde estão proibidas de limitar, no estado da Paraíba, o tempo de internação dos pacientes suspeitos ou diagnosticados com o novo Coronavirus, em razão de prazos de carência dosadriano contratos com cobertura hospitalar. É o que prevê a Lei 11.756, de autoria do deputado estadual Adriano Galdino, sancionada pelo governador João Azevêdo e publicada na edição desta sexta-feira (24) do Diário oficial do Estado (DOE).

A Lei estabelece ainda que “enquanto perdurar a vigência do estado de calamidade pública na Paraíba, em decorrência da pandemia causada pelo COVID-19, todos os serviços prestados ao contratante em razão da suspeita ou confirmação dessa patologia viral serão considerados emergenciais”.

Com isto, ainda de acordo com a Lei, os serviços a serem obrigatoriamente prestados, mesmo durante a carência, correspondem a todos aqueles contratados pelo consumidor e que tenham relação direta com o quadro de saúde apresentado em razão da suspeita ou da confirmação pelo covid-19.

O descumprimento desta lei implicará nas sanções previstas na Lei Federal 8.078, de 11 de setembro de 1990 – Código de Defesa do Consumidor, sem prejuízo das demais sanções cabíveis.

A medida, no entendimento do deputado Adriano Galdino, é justa e de natureza humanitária, em virtude do momento delicado o qual vivenciamos. Ele lembra que a Lei Federal 9.656/1998, que dispõe sobre os Planos de Saúde, “prevê que após 24 horas da assinatura do contrato com cobertura hospitalar, se o contratante tiver alguma emergência ou urgência, poderá receber tratamento continuado sem que seja preciso respeitar os 180 dias de carência para as internações”.

Ainda conforme o parlamentar, algumas operadoras do serviço têm limitado o tempo máximo de internação dos pacientes com casos suspeitos ou confirmados do covid-19 a 12 horas, prática, segundo ele, “violadora de direitos do consumidor, e em prejuízo, igualmente, do direito à saúde, pois é abusiva a negativa de cobertura por plano de saúde a pacientes suspeitos ou efetivamente diagnosticados com o vírus em razão de carência contratual”.

Todos esses casos, argumenta ainda a justificativa da matéria, sem distinção, devem ser considerados urgentes. “Nesse contexto, danos irreparáveis ao indivíduo e à sociedade podem decorrer dessa recusa dos planos de saúde em custear a continuidade da internação por emergência em casos confirmados ou suspeitos de covid-19, ignorando-se a recomendação médica da manutenção do tratamento hospitalar”, justificou.

 

Fonte:  Da Internet

Os horários foram definidos, sendo: 7h às 10h para o café da manhã; 12h às 16h para o almoço e de 18h às 22h para o jantar. Ficam proibidos os sistemas de rodízio, buffet exposto e o self service só poderá funcionar com protetores e sendo servidos por atendentes do próprio restaurante

Com segurança e evolução positiva das três primeiras etapas do Plano Estratégico de Flexibilização, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anunciou, na manhã desta sexta-feira (24), a entrada na quarta fase do planejamento, com novos protocolos e medidas para a retomada gradual e progressiva de novos segmentos às atividades. A partir da próxima segunda-feira (27), seguindo um rigoroso esquema sanitário e também de fiscalização, os setores de alimentação e bares e as academias poderão voltar a funcionar com 50% da capacidade.

O número de pacientes em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais públicos da Capital continua caindo e, pela primeira vez desde o início do mês de maio, a média semanal de ocupação das UTIs ficou abaixo dos 60%. Aliado a isso, a pressão nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) também segue em ritmo decrescente e a média diária de óbitos segue diminuindo. A partir da consolidação desta avaliação que a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) vem realizando diariamente, o Núcleo Intersetorial de Prevenção e Cuidados com relação ao novo coronavírus planejou o início da quarta etapa.

“João Pessoa está dando exemplo de retomada segura e planejada das suas atividades. Com este Plano, iniciado oficialmente em 15 de junho, a cidade vem paulatinamente entrando neste ‘novo normal’ sem perder tudo que já conseguiu realizar desde março, quando foram tomadas as primeiras medidas de isolamento social. Com apoio da população e uma ação estratégica para fazer o primordial nesta luta, que é salvar vidas, João Pessoa pode, agora, entrar na quarta etapa da flexibilização, com protocolos dialogados com novos setores e acompanhamento permanente das áreas que já estão em funcionamento, para fortalecer nossa economia”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

Retomada – Além de respeitar as chamadas ‘regras de ouro’, como o uso obrigatório de máscaras, distanciamento de 1,5m e disponibilização de álcool gel, para a retomada dos setores de alimentação e bares, o protocolo exige a capacidade máxima de 50%, com horários determinados de funcionamento e sem shows ou apresentações de música ao vivo, bem como playgorunds e espaços de recreação. Os horários foram definidos, sendo: 7h às 10h para o café da manhã; 12h às 16h para o almoço e de 18h às 22h para o jantar. Ficam proibidos os sistemas de rodízio, buffet exposto e o self service só poderá funcionar com protetores e sendo servidos por atendentes do próprio restaurante. Ainda no segmento de alimentação, as praças de alimentação de shoppings e centros comerciais permanecem funcionando apenas com os serviços de delivery e drive thru. Bares e restaurantes de shoppings que possuem mesas dentro de seus próprios estabelecimentos, poderão abrir respeitando a regra dos 50% de capacidade.

As academias de ginástica também devem respeitar as regras de ouro e retomam com 50% da capacidade para atividades individuais e seguindo agendamento prévio. As academias devem manter as máquinas distanciadas umas dos outras e realizar a limpeza com álcool 70% a cada uso. Estão vedadas aulas coletivas, como ginástica e dança.

O esporte profissional pode dar continuidade a seus jogos, no entanto, ainda sem torcidas. Outros eventos, como os sociais, permanecem fechados durante o mês de agosto, assim como as praias e estacionamento da Orla, cinemas e teatros e as atividades educacionais. “Do ponto de vista sanitário, estes são segmentos com maior risco de transmissão do vírus e, por isso, avaliamos a necessidade de manter as atividades suspensas para posteriores avaliações”, explicou o médico e coordenador da Central de Informações sobre a Covid-19 da PMJP, Felipe Proenço.

Mais setores – As aulas de universidades com cursos na área da saúde poderão retornar nesta quarta etapa do Plano, com aulas práticas em laboratórios e com estágios para os concluintes dos cursos em 2020.1. Os serviços públicos essenciais continuam sob protocolos de segurança e com agendamento. E as demais atividades das tapas anteriores não sofrem alteração nesta quarta fase.

Fonte: Secom - PMJP

 
 

Pinto do Arcordeon  nasceu no município de Conceição, no Vale do Piancó paraibano, teve suas músicas gravadas por diversos artistas, como Dominguinhos, Elba Ramalho, Fagner e Genival Lacerda. Entre seus grandes sucessos está a música “Neném mulher”, tema da novela Tieta, da Rede Globo.

O presidente Adriano Galdino, em nome de todos os deputados e servidores da Assembleia Legislativa da Paraíba, vem a público lamentar o falecimento do cantor e compositor paraibano Pinto do Acordeon, aos 72 anos. Ele morreu na madrugada desta terça (21). em São Paulo, onde se encontrava desde janeiro para tratamento de um câncer da bexiga.

Francisco Ferreira Lima nasceu no município de Conceição, no Vale do Piancó paraibano, mas se mudou para Patos na década de 60. Pinto teve suas músicas gravadas por diversos artistas, como Dominguinhos, Elba Ramalho, Fagner e Genival Lacerda. Entre seus grandes sucessos está a música “Neném mulher”, tema da novela Tieta, da Rede Globo.

Em 2019, a ALPB aprovou o projeto de lei 11.399, de autoria do deputado Wallber Virgolino, que reconhecia a importância do músico e solicitava que suas obras fossem consideradas Patrimônio Cultural do Estado. A iniciativa foi sancionada pelo governador João Azevedo em 12 de julho do ano passado.

“Além de uma carreira consolidada como músico, Pinto do Acordeon também realizou um grande trabalho como vereador. É uma grande perda grande para a Paraíba, para o Nordeste e para o Brasil, sem sombra de dúvidas”, lamentou Adriano Galdino

 

Fonte: Acessoria da ALPB

Estudo da Transparência Internacional atesta que a cidade obteve a 1ª colocação isolada entre as capitais brasileiras, alcançando 100 pontos na avaliação das medidas relacionadas às contratações emergenciais durante a pandemia do novo Coronavírus

A cidade João Pessoa é apontada pela segunda vez consecutiva, como a capital mais transparente do país nas aquisições emergenciais voltadas ao combate à Covid-19. O ranking realizado pela ONG Transparência Internacional foi divulgado nesta segunda-feira (29).

Foram avaliados redes sociais e sites oficiais, a exemplo do portal da transparência, com demonstrativos de investimentos públicos dos 26 estados brasileiros, do Distrito Federal e das 27 capitais. A cidade obteve a pontuação máxima, sendo a única a atingir nota 100, com o melhor resultado nacional na fiscalização, controle e na boa aplicação de recursos públicos.

A capital paraibana já havia alcançado a primeira colocação nacional em levantamento de maio deste ano, com nota 88,6. O desempenho deste mês apresentou um crescimento de mais de 11 pontos nas medidas de controle e fiscalização da cidade, que segue aperfeiçoando as ações de transparência pública durante a pandemia.

“O respeito à vida precisa ser acompanhado pelo zelo permanente com o investimento público. Cada centavo é importante nesta luta”, explicou o gestor. O resultado indica que João Pessoa é a capital que melhor está cumprindo as exigências da Lei Federal nº 13.979/2020, que regulamentou as medidas para enfrentamento da emergência de saúde pública decorrente do novo coronavírus.

Apenas 8 capitais brasileiras alcançaram desempenho considerado ótimo. Manaus e Macapá obtiveram a segunda e a terceira colocações, com notas 94,9 e 93,6, respectivamente. “O esforço para seguir adotando novas medidas de controle e fiscalização são permanentes. Este reconhecimento só reforça que optamos pelo melhor caminho, fazendo o certo, o que precisa ser feito, para vencer novas batalhas”, disse o prefeito Luciano Cartaxo.

No ranking, 18 capitais tiveram desempenho considerado como bom, regular, ruim e péssimo. Com sede em Berlim, a Transparência Internacional tem atuação em mais de 100 países, sendo apontada como a principal entidade de combate à corrupção no cenário global. Desde 2016, a organização passou a atuar com espaço próprio no Brasil, formado técnicos e especialistas no setor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Internet/Correio/redação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carne tem os preços oscilando entre R$ 21,99 (DoDia Supermercados – Bessa) e R$ 50,99 (Pão de Açúcar – Epitácio Pessoa), como também  foi feito levantamento em 325 itens entre eles material higiênico e de limpeza

O quilo da carne fraldinha (marca Maturato) está com uma diferença no preço de R$ 29,00, de acordo com pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor em 15 supermercados da Capital. Esse tipo de carne tem os preços oscilando entre R$ 21,99 (DoDia Supermercados – Bessa) e R$ 50,99 (Pão de Açúcar – Epitácio Pessoa). O levantamento do Procon-JP traz 325 itens e coletou preços também para material higiênico e de limpeza.

A maior variação da pesquisa ficou com o creme dental especial gengiva Oral B, 264,84%, oscilando entre R$ 2,19 (Varejão do Preço – Varjão) e R$ 7,99 (Manaíra – Manaíra), uma diferença de R$ 5,80. A secretária Maristela Viana orienta ao consumidor para consultar a pesquisa do Procon-JP antes de ir à feira, já que o levantamento foi feito em vários bairros da cidade e com itens bem diversificados. “Estamos indicando os locais em que o consumidor pode encontrar os produtos mais baratos e, com isso, manter o orçamento equilibrado”.

Outras grandes diferenças foram encontradas no quilo do queijo de Manteiga Sabor da Terra, R$ 24,04, com preços entre R$ 27,95 (Varejão do Preço – Varjão) e R$ 51,99 (Carrefour – Bancários); no quilo da Fraldinha marca Master Boi, R$ 17,91, com preços entre R$ 21,99 (Super Box Brasil – Geisel) e R$ 39,90 (Manaíra – Manaíra); e no quilo do bolo de milho, R$ 15,00, com preços entre R$ 14,90 (Super Box Brasil – Geisel) e R$ 29,90 (Pão de Açúcar – Epitácio Pessoa).

Supermercados – A pesquisa levantou preços nos seguintes locais: Manaíra (Manaíra), Super Box Brasil (Geisel), Santiago e Latorre (Torre), Carrefour (Bancários), Extra e Pão de Açúcar (Epitácio Pessoa), Bemais (Mangabeira), Menor Preço (Bairro dos Estados), DoDia Supermercado e Arruda (Bessa); Varejão do Preço (Varjão); Mendonça (Grotão); Bom Preço (Jaguaribe); e Supermercado Assis (Cidade Verde).

Fonte: Procon /redação

 

Gratuliano Brito era de família tradicional paraibana e filho do oftalmologista Higino Costa Brito, sendo afilhado de Gratuliano da Costa Brito que foi nomeado interventor da Paraíba no governo de Antenor Navarro

Aos 68 anos morreu nesta quarta-feira na cidade de Campina Grande o ex-presidente do Esporte Clube Cabo Branco e ex-funcionário da UFPB, Gratuliano Brito.

Gratú sentiu-se mal na segunda-feira, 22, quando estava em São João do Cariri, descansando com a família em sua fazenda. ‘Gratu’ como era carinhosamente conhecido, sofreu uma hemorragia nas paredes do esôfago e foi levado à Clínica Santa Clara na cidade de Campina Grande aonde veio falecer às 10h40. Gratuliano foi presidente do clube até o meado do ano de 2013, quando Tavinho Santos e Antônio Toledo assumiram a presidência e vice-presidência do Esporte Clube Cabo Branco.

Até o momento não há informações sobre o horário do velório, que deve ser realizado na Central São João Batista, em João Pessoa. O sepultamento deverá acontecer às 10 horas desta quinta-feira, 25, no Cemitério Senhor da Boa Sentença nesta capital.

Gratuliano Brito era de família tradicional paraibana e filho do oftalmologista Higino Costa Brito, sendo afilhado de Gratuliano da Costa Brito, que foi nomeado interventor da Paraíba no governo de Antenor Navarro, em novembro de 1930.

 

Fonte: Da internet /redação

 

 

A Prefeitura da Capital já iniciou os estudos voltados para a reabertura dos estabelecimentos comerciais e retorno das atividades, através de uma Comissão de Estudos para a Flexibilização

O Tribunal de Justiça do Estado da Paraíba (TJPB) acatou o recurso da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), a fim de que as concessionárias de veículos permaneçam temporariamente fechadas para a comercialização de carros novos ou usados. Com a decisão, elas podem abrir exclusivamente para serviços de manutenção e conserto de automóveis, conforme estabelece o decreto vigente durante a pandemia do novo coronavírus.

“O Tribunal de Justiça, ao acatar o recurso da PMJP, restabelece a força do decreto municipal, que determina o fechamento das concessionárias para comércio de veículos, em função da emergência em saúde pública, em decorrência do coronavírus. A Prefeitura já estuda a melhor forma de retomar as atividades, tem um canal de diálogo sempre aberto com a cadeia produtiva, mas o momento ainda requer nossa atenção para manter o isolamento social e para garantir a diminuição da curva de contágio e voltarmos com o máximo de segurança possível”, afirmou o procurador-Geral do município, Adelmar Régis.                                                                                                                                                                                                                                A Prefeitura da Capital já iniciou os estudos voltados para a reabertura dos estabelecimentos comerciais e retorno das atividades, através de uma Comissão de Estudos para a Flexibilização. O grupo está se reunindo com o setor produtivo no sentido de debater e receber propostas para o momento em que houver segurança para o retorno gradual das atividades.

Fonte/Foto: Da Internet

Pagina 1 de 20

PUBLICIDADE

JR Esquadrias