Política (272)

Gervásio destacou as obras realizada pelo Governo da Paraíba na área de infraestrutura. “Eu fico feliz de estar fazendo parte de um governo que tirou 54 municípios do isolamento.

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, deputado Gervásio Maia (PSB), participou na última segunda-feira, ao lado do secretário de Infraestrutura, Recursos Hídricos, Ciência e Tecnologia, João Azevedo; dos deputados Jeová Campos e Hervázio Bezerra; de prefeitos, vereadores e lideranças, do encontro com a militância do PSB, realizado na sede da A.A.B.B na cidade de Cajazeiras.

Na ocasião, Gervásio falou do esforço realizado pelo Governo do Estado para enfrentar a crise. “O governo equilibrou as contas e continuou entregando obras em todas as regiões, mesmo com a grave crise que atravessa o país”, pontuou.

Ainda no discurso, Gervásio destacou as obras realizada pelo Governo da Paraíba na área de infraestrutura. “Eu fico feliz de estar fazendo parte de um governo que tirou 54 municípios do isolamento, que fez com que a Paraíba tivesse os maiores investimentos na área hídrica das últimas décadas”, ressaltou Gervásio.

 

Jornalista Vanderlan Farias

 

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), demonstrou entusiasmo com a possível candidatura do seu irmão, Lucélio Cartaxo ao Governo do Estado nas eleições de outubro.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV), demonstrou entusiasmo com a possível candidatura do seu irmão, Lucélio Cartaxo ao Governo do Estado nas eleições de outubro. Recém filiado ao PV, o prefeito afirmou, nesta sexta-feira, que o partido não estará a reboque de ninguém. A declaração ocorreu durante abertura do Encontro das Cidades Criativas Brasileiras da Unesco (ECriativa).

“Fico feliz que um perfil da nova política, identificado com nossa Capital possar estar, de maneira natural, sendo discutido. Mas essa é uma decisão que cabe aos partidos e na hora exata esse momento vai amadurecer e a gente vai pensar em um projeto para Paraíba”, afirmou Cartaxo sobre a articulação para que Lucélio seja candidato.

Conforme Luciano, o assunto será discutido com os partidos. “A gente continua trabalhando e a política vai se arrumando”, frisou. Presidente estadual do PV, Luciano afirmou que trabalha para fortalecer a sigla. Segundo ele, será iniciado diálogos com várias lideranças. Questionado sobre sua participação no pleito, Luciano frisou que está em paz e que a discussão sobre sua permanência na Prefeitura de João Pessoa já foi superada. 

Fonte: Da internet

 

 

Até o próximo dia 07 de abril, prazo final para as desincompatibilizações, janela partidária e filiações partidárias para quem desejar participar como candidato das eleições deste ano.

Escrito por Rui Galdino Filho

Meus amigos, minhas amigas, meus caros leitores. Até ontem, eu ainda tinha dúvidas a respeito de alguns fatos políticos que estão para acontecer até o próximo dia 07 de abril, prazo final para as desincompatibilizações, janela partidária e filiações partidárias para quem desejar participar como candidato das eleições deste ano. Eu disse, que tinha dúvidas até ontem, porém, a partir de hoje eu não tenho mais nenhuma dúvida.

Com relação ao prefeito Luciano Cartaxo, todos já sabem da sua posição em FICAR na prefeitura, de ter trocado de partido, do PSD para o PV e que a partir de agora, vai caminhar com seu grupo político, sob o seu comando, em carreira solo, com os seguintes partidos: PV, PMN e PSDC. O irmão do prefeito,  Lucélio Cartaxo, será o candidato a governador desse agrupamento, no entanto, creio que lá na frente, deverão caminhar juntos com o governo estadual.

Os tucanos, de tantas idas e vindas, estão correndo atrás do prejuízo, procurando uma saída, porém, só sobrou para eles o PSD de Rômulo e o próprio PSDB de Cássio e Romero. Fala-se que o candidato a governador desse grupo, deverá ser o senador Cássio ou seu filho, o deputado federal Pedro Cunha Lima. Romero Rodrigues, está fora do páreo, pois, já disse também, que FICARÁ na prefeitura de Campina Grande até o fim do seu mandato. A tendência do PSDB e PSD, é caminhar juntos com o senador Maranhão, para o governo do estado.

Com relação ao governador Ricardo Coutinho, já sei que ele realmente vai FICAR no cargo até o final do seu mandato, com isso, vai perder a oportunidade de se eleger senador pela Paraíba. Ricardo, é realmente diferente, por isso, ficará no cargo e vai tentar eleger o seu sucessor na pessoa de João Azevedo. Para o governador, a Paraíba não poderá correr o risco de retroceder, por isso, ele vai sacrificar um possível mandato de senador e com isso, ficando no cargo, ele acredita que será mais seguro para ajudar a eleger o seu sucessor , bem como os dois senadores do seu agrupamento político.

Então, o QUÁDRUPLO FICO, hoje é uma realidade, pois, Cartaxo, Romero, Ricardo e Lígia, ficarão sim, nos seus respectivos cargos, com isso, não serão candidatos a nada este ano, com exceção de Lígia, que poderá constar em qualquer coligação, como candidata à sua reeleição de vice-governadora. Eis a questão! Pena que Ricardo e Lígia, não chegaram a um denominador comum. Vamos aguardar a posição política do clã FELICIANO, que deverá ser externada depois do dia 07 de abril. O senador Raimundo Lira, também fica no MDB. Veneziano, Hugo Motta e Manoel Júnior, sairão do MDB.

O caminho é por aí, por isso, as coisas já começam a clarear. Quem ainda estiver na dúvida ou imaginando que o governador Ricardo, vai sair do governo, pode tirar o cavalinho da chuva, pois, Ricardo Coutinho, por incrível que pareça, não vai sair do governo, pois, ele prefere eleger João, do que se eleger senador e correr o risco de não fazer o seu sucessor. Assim sendo, nem Ricardo, nem Romero e nem Cartaxo. Lígia Feliciano, também ficará no cargo de vice-governadora. Todos os quatro ficarão nos seus respectivos mandatos até o fim ( o QUÁDRUPLO FICO ). Então, o que há de concreto mesmo, é o QUÁDRUPLO FICO e as pré-candidaturas de João (PSB) e Maranhão (MDB). Fora isso, o restante são posições para marcar território, valorizar

Fonte: Polêmica Paraíba

 

O cargo tem mandato de oito anos e garante a possibilidade de se candidatar no pleito de 2022 a outro cargo, sem riscos de ficar de fora da política em caso de derrota

Mandato de oito anos, salário de R$ 33 mil, foro privilegiado, visibilidade, remunerações e regalias que, somadas, podem atingir a casa do milhão ao ano, além da competência para chancelar escolhas presidenciais aos cargos de ministros, procuradores e embaixadores e ainda autoridade para dar aval a operações financeiras. É extensa a lista de atrativos que tornam as 81 cadeiras do Senado Federal o desejo de diversos nomes do meio político. A vitória nesse projeto garante a possibilidade de concorrer ao GDF nas eleições seguintes, com a vantagem de não ficar sem cargo em caso de derrota. Dos três postos à disposição do Distrito Federal, dois serão disputados em outubro. Até agora, pelo menos 17 pessoas estudam entrar no páreo. A oficialização de algumas candidaturas, contudo, depende das negociações durante a construção das chapas majoritárias.

Mandato de oito anos, salário de R$ 33 mil, foro privilegiado, visibilidade, remunerações e regalias que, somadas, podem atingir a casa do milhão ao ano, além da competência para chancelar escolhas presidenciais aos cargos de ministros, procuradores e embaixadores e ainda autoridade para dar aval a operações financeiras. É extensa a lista de atrativos que tornam as 81 cadeiras do Senado Federal o desejo de diversos nomes do meio político. A vitória nesse projeto garante a possibilidade de concorrer ao GDF nas eleições seguintes, com a vantagem de não ficar sem cargo em caso de derrota. Dos três postos à disposição do Distrito Federal, dois serão disputados em outubro. Até agora, pelo menos 17 pessoas estudam entrar no páreo. A oficialização de algumas candidaturas, contudo, depende das negociações durante a construção das chapas majoritárias.

 

Nome forte na capital pela atuação política e empresarial, Paulo Octávio (PP) pretende entrar na disputa. Pela atual configuração, ele integraria a chapa encabeçada pelo ex-secretário de Saúde, Jofran Frejat (PR), ao lado de um vice-governador indicado pelo presidente regional do MDB, Tadeu Filippelli, e de Alberto Fraga (DEM). Mas o empresário também negocia uma frente alternativa, formada por PTB, DEM, PSD, PSDB, PRB, Patriotas, PSC, PMN e DC.

 
Pela centro-esquerda, o PV lançou o nome do ex-secretário de Meio Ambiente Eduardo Brandão. O partido articula uma aliança com Rede, PPL e PCdoB e, caso deixe a base aliada ao governo, tende a se aproximar do PDT, do pré-candidato ao Buriti Joe Valle, e do PPS, do senador Cristovam Buarque. “Não temos representantes no Senado, que revisa a maioria das leis. Precisamos de pessoas comprometidas com questões ambientais e nomes ilibados”, apontou Brandão.
 
Na esquerda, o PSol bateu o martelo sobre seus representantes no pleito. Entrarão no páreo o auditor federal e militante Marivaldo Pereira e o ex-presidente do Sindicato dos Jornalistas Chico Sant’Anna. “Trata-se de um espaço importante, onde precisamos trabalhar pela diminuição de desigualdades, por meio da experiência em gestão pública e trato social. Acho que a população não vai dar novas chances para quem disputa para se esconder atrás do foro privilegiado”, pontuou Marivaldo.
 
O Novo, por sua vez, será representado pelo advogado Paulo Roque. A princípio, o partido não pretende formar coligações. O carro-chefe da candidatura será a renovação política, com o uso das bandeiras da legenda, como a dispensa de dinheiro público na campanha e a negativa a indicações políticas a cargos no governo. “Essa eleição é a mais importante dos últimos 30 anos, porque decidiremos se vamos em direção ao exemplo da Coreia do Sul, que, na década de 1960, era mais pobre que o Brasil e hoje é uma potência, ou da Venezuela”, afirmou.
 
Isolado no cenário eleitoral brasiliense, o PT deve definir, em meados de abril, quem será o candidato do partido ao Senado. A depender da conjuntura, por conta da dificuldade em formar coligações, a sigla pode lançar dois nomes à disputa, numa chapa puro-sangue. Por ora, quatro pessoas colocaram os nomes à disposição: o distrital Wasny de Roure, o conselheiro do Conselho Federal de Economia Júlio Miragaya, o sindicalista Chico Machado, e Marcão, liderança de Taguatinga. Nos próximos dias, novos nomes podem aparecer. A legenda estabeleceu o dia 31 como data-limite para as inscrições.
 
Além de apresentar propostas que conquistem o eleitorado, os nomes chancelados pelo PT terão a missão de defender o legado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá, além de rebater as críticas ao ex-governador Agnelo Queiroz. “O desgaste do PT tem de ser pautado. Há diversos ganhos da sociedade no governo anterior, como também problemas a serem esclarecidos. Irei para o debate lembrando sempre que nunca fui alvo de escândalos e tenho o nome limpo”, adiantou Wasny. 

Alternativa

Entre os nomes interessados no Senado, há partidos e candidatos que o tratam como plano B. Responsável por grande parte das articulações de centro-esquerda na capital e puxador de votos, o senador Cristovam Buarque (PPS) ainda estuda as opções. Ele constrói uma aliança com o PDT, do pré-candidato ao Buriti Joe Valle (PDT), além de PCdoB e PPL — nesta frente, tentaria a reeleição. Mas há outra alternativa em jogo: o PV oficializou, há duas semanas, o convite ao parlamentar para filiação e disputa à presidência da República. Apesar de sonhar com o Palácio do Planalto, Cristovam pediu tempo para pensar na proposta, mesmo porque a convenção do PPS, que fechou as portas para a possibilidade, está marcada para o próximo fim de semana.

 

16 dias

Prazo que resta até a data-limite para desincompatibilização de cargos dos políticos que pretendem concorrer nas eleições.

 

Fonte: Correiobraziliense

Thereza Collor é pré-candidata tucana a uma vaga na Câmara Federal
 
Em 1992, o Brasil era outro. Filmes como O Guarda-Costas lotavam as salas de cinema, e os brasileiros comemoravam o primeiro ouro olímpico no vôlei masculino. O ano também foi marcado pela ação da Polícia Militar na Casa de Detenção de São Paulo, naquilo que ficou conhecido como Massacre do Carandiru. No campo político, a palavra "musa" era de uso corrente - e, por isso, hoje é quase impossível encontrar um registro sobre Thereza Collor em que a expressão "musa do impeachment" não apareça.
 
Ela ganhou essa alcunha quando o seu então marido, o empresário Pedro Collor de Mello (que morreu em 1994), denunciou um esquema de corrupção que envolvia o próprio irmão, o então presidente Fernando Collor de Mello. "Ser considerada musa foi uma honra. Mas você quer me lançar como musa da nova política agora, é?"
 
Thereza Collor, de 55 anos, recebeu o Estado em seu apartamento em São Paulo, na mesma rua onde mora o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Na sala, antiguidades adquiridas durante viagens para países do Oriente Médio, Ásia e África dividem espaço com equipamentos de ginástica, como esteiras e bicicletas ergométricas.
 
A musa de 1992, hoje, é pré-candidata tucana a uma vaga na Câmara Federal. "Não tenho medo. Sei que as pessoas vão ligar meu sobrenome ao impeachment do Collor. Mas tenho a ideia de uma campanha propositiva. Quero fazer parte do novo na política e do processo de renovação do Congresso", afirmou ela.
 
Thereza quer ter no combate à corrupção sua principal bandeira de campanha. Apesar disso, ela não parece disposta ao enfrentamento. Diz não concordar, por exemplo, com as propostas mais polêmicas do deputado Jair Bolsonaro, mas evita fazer críticas severas ao pré-candidato do PSL à Presidência. Ela também considera a pré-candidata Marina Silva (Rede) uma política ausente dos grandes debates nacionais, mas faz questão de completar que se trata de "uma pessoa maravilhosa". Da mesma forma cuidadosa, ela defende a possibilidade de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ser preso, mas sem se comprometer com alguma opinião mais incisiva.
 
Feminismo. Mesmo quando questionada sobre ser feminista ou não, ela prefere o meio termo. "Se você diz que feminista é quem defende a mulher através do diálogo, eu sou feminista. Agora, se você diz que ser feminista é brigar de forma intransigente, eu não sou. Quero o diálogo. Quero o que a mulher tem de melhor: sensibilidade e tato", disse.
 
Thereza só deixa transparecer certa emoção ao falar sobre o ex-cunhado, o hoje senador Fernando Collor. Questionada sobre uma eventual nova candidatura de Collor à Presidência, ela provoca: "O presidente Collor tem o direito de querer (ser presidente), mas se naquela época ele teve problemas com um Fiat Elba, agora vai ser com uma Maserati, uma Ferrari. Achei que com o tempo e a maturidade, ele poderia ter aprendido um pouco mais, mas cada um escolhe suas opções", disse. Sobre a possibilidade de dialogar com Collor caso seja eleita deputada, Thereza diz: "Por enquanto, eu não sou nada. Nesse momento, não posso dialogar com ninguém. Mas se for necessário, investida de um cargo, não me negaria. Acima de tudo, sou uma pessoa educada e civilizada".
 
Há 18 anos vivendo em São Paulo, Thereza será candidata pelo Estado que adotou e não por Alagoas, onde já exerceu a função de secretária de Turismo. Ela não tem clareza de como irá financiar a campanha. Não fala, por exemplo, em autofinanciamento, prefere acreditar que irá receber recursos do partido e de doadores.
 
Nos últimos meses, ela tem se aproximado da vida partidária. Thereza esteve presente no lançamento da pré-candidatura do prefeito João Doria ao governo do Estado. Na ocasião, foi anunciada pelo presidente estadual da sigla, Pedro Tobias. Ao ser convidada a falar, fez menções elogiosas ao PSDB e ao próprio Doria - que, segundo ela, deixou a Prefeitura atendendo um chamado da sigla.
 
No fim da reunião, foi cercada por militantes que queriam uma selfie com a "ex-cunhada" de Collor, com a musa do impeachment de 1992. Ela não nega uma selfie, mas diz não ser fã das redes sociais. "Tenho uma vida discreta."
 
Humanista. Hoje, Thereza é casada com o empresário Gustavo Halbreich e garante viver com conforto. "Não preciso fazer da política uma bancada de negócios. Vou me candidatar porque gosto de desafios e acho que posso colaborar", afirmou ela, que apresenta um leve tremor nas mãos. Thereza é portadora de um distúrbio neurológico de movimento chamado "tremor essencial", que ocorre durante atividades simples e podem ser agravado por estresse ou cansaço.
 
Ela prefere se definir como humanista e diz não se enquadrar na direita ou na esquerda. "Sou humanista, quero dignidade e igualdade para as pessoas", diz ela, que acrescenta não temer o peso do sobrenome Collor. "Minha vida foi exposta. Ele é parte da minha história. Não vou escondê-lo. O que eu espero é que as pessoas me conheçam."
 
 

Os dois anunciaram filiação ao Partido Verde, frustrando expectativas das forças de oposição que esperavam mantê-los no grupo contrário ao governador Ricardo Coutinho (PSB), de acordo com publicação do site clickpb

Os irmãos Cartaxo protagonizaram mais uma mudança significativa no processo eleitoral da Paraíba nesta quinta-feira (15). Os dois anunciaram filiação ao Partido Verde, frustrando expectativas das forças de oposição que esperavam mantê-los no grupo contrário ao governador Ricardo Coutinho (PSB), de acordo com publicação do site clickpb. “Seguirei com os mesmos compromissos, pautado pela boa política. É diálogo, planejamento, trabalho e muito coração envolvido para alcançar resultados que se traduzam em uma vida cada vez melhor para a população”, justificou o prefeito da Capita, em entrevista ao portal de notícias.

O anúncio amplia especulações de acordo com o PSB, do governador Ricardo Coutinho, considerando o discurso do irmão do prefeito, Lucélio Cartaxo, sobre a decisão. Depoimento do presidente nacional do PV, José Luiz Penna, reforça a expectativa da família do prefeito. “É uma grande honra receber um representante como Luciano Cartaxo, que faz uma administração moderna, comprometida com as pessoas e com o desenvolvimento sustentável em uma das cidades mais verdes do país e da América Latina”, disse Penna.

Luciano agradeceu a Rômulo Gouveia e ao ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, sua permanência no partido.

E quem não agradeceria?

FONTE: Blog vanderlanfarias

Os dois anunciaram filiação ao Partido Verde, frustrando expectativas das forças de oposição que esperavam mantê-los no grupo contrário ao governador Ricardo Coutinho (PSB), de acordo com publicação do site clickpb

Os irmãos Cartaxo protagonizaram mais uma mudança significativa no processo eleitoral da Paraíba nesta quinta-feira (15). Os dois anunciaram filiação ao Partido Verde, frustrando expectativas das forças de oposição que esperavam mantê-los no grupo contrário ao governador Ricardo Coutinho (PSB), de acordo com publicação do site clickpb. “Seguirei com os mesmos compromissos, pautado pela boa política. É diálogo, planejamento, trabalho e muito coração envolvido para alcançar resultados que se traduzam em uma vida cada vez melhor para a população”, justificou o prefeito da Capita, em entrevista ao portal de notícias.

O anúncio amplia especulações de acordo com o PSB, do governador Ricardo Coutinho, considerando o discurso do irmão do prefeito, Lucélio Cartaxo, sobre a decisão. Depoimento do presidente nacional do PV, José Luiz Penna, reforça a expectativa da família do prefeito. “É uma grande honra receber um representante como Luciano Cartaxo, que faz uma administração moderna, comprometida com as pessoas e com o desenvolvimento sustentável em uma das cidades mais verdes do país e da América Latina”, disse Penna.

Luciano agradeceu a Rômulo Gouveia e ao ministro Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, sua permanência no partido.

E quem não agradeceria?

FONTE: Blog vanderlanfarias

Na ação, além de Temer, são investigados o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e os empresários Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, donos da Rodrimar, empresa que atua no Porto de Santos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, autorizou a quebra do sigilo bancário do presidente Michel Temer. Em nota, divulgada na noite do último (5), a Presidência da República informou que Temer irá solicitar ao Banco Central todos os seus extratos bancários e a divulgação desses.

"O presidente Michel Temer solicitará ao Banco Central os extratos de suas contas bancárias referentes ao período mencionado hoje no despacho do iminente ministro Luís Roberto Barroso. E dará à imprensa total acesso a esses documentos. O presidente não tem nenhuma preocupação com as informações constantes em suas contas bancárias", diz a nota, assinada pela Secretaria Especial de Comunicação Social.

Barroso é o responsável no STF pelo inquérito que investiga o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer em maio do ano passado. Na ação, além de Temer, são investigados o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e os empresários Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, donos da Rodrimar, empresa que atua no Porto de Santos.

Em janeiro, ao responder por escrito aos questionamentos dos delegados responsáveis pelo caso, a defesa do presidente Temer declarou que ele nunca foi procurado por empresários do setor portuário para tratar da edição do decreto, tampouco autorizou qualquer pessoa a fazer tratativas em seu nome.

Fonte: Agência Brasil

 

"Temos que entender que qualquer benefício salarial para os profissionais do magistério deve ser tratado como prioridade. Por isso vamos votar esse projeto ainda essa semana e para isso conto com a parceria dos demais vereadores”, declarou Ivonete

A presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereadora Ivonete Ludgério (PSD), garantiu que o projeto de lei que define o reajuste salarial dos professores da rede municipal de ensino será votado ainda essa semana. Ela recebeu o projeto na última segunda-feira (19) diretamente das mãos do prefeito Romero Rodrigues. A matéria garante um reajuste na ordem de 6,81% e terá prioridade na pauta da Casa.

“Temos que entender que qualquer benefício salarial para os profissionais do magistério deve ser tratado como prioridade. Por isso vamos votar esse projeto ainda essa semana e para isso conto com a parceria dos demais vereadores”, declarou Ivonete, durante a solenidade de abertura do ano letivo na Escola Municipal Sandra Cavalcante.

Com o incremento de 6,81% o piso do magistério passará a ser de R$ 2.455,35 para a jornada de 40 horas semanais. “Para conceder o ajuste linear dos professores, levando-se em consideração o escalonamento dos diversos níveis do magistério, foi preciso realizar cortes em despesas e apostar firmemente em uma recuperação fiscal decorrente de impostos municiais”, explica o projeto de lei do Executivo.

De acordo com a presidente Ivonete, a matéria já foi protocolada e deverá entrar na pauta de votação da próxima quarta-feira (21). O reajuste é retroativo ao mês de janeiro. Caso aprovado, o aumento será aplicado já nos vencimentos deste mês de fevereiro.

Escrito por Simone Diuarte

Nos meses de novembro e dezembro os prefeitos de Alhandra, Caaporã e Pitimbu participaram de audiências com o governador e com o secretário João Azevedo onde apresentaram seus pleitos, reforçados pelo deputado.

O deputado estadual Branco Mendes participou ao lado do prefeito de Alhandra, Renato Mendes, do lançamento do Programa Mais Trabalho II, onde o governador Ricardo Coutinho lançou, na  última segunda-feira (19), uma série de obras que serão executadas pelo Governo do Estado nas áreas de educação, recursos hídricos, infraestrutura, saúde e outras.

Entre as obras citadas estão algumas que irão beneficiar as cidades de Alhandra, Caaporã e Pitimbu, todas fruto de pleitos do deputado e dos prefeitos apresentados em audiência com o secretário de infraestrutura do Estado, João Azevedo, como é o caso da construção de escolas em Alhandra e Caaporã, no valor de quase um milhão e duzentos mil cada uma. Já nesta quarta-feira dia(21) acontece a solenidade de assinatura do convênio entre as duas prefeituras e o Governo do Estado para construção das novas unidades de ensino.

 

Na ocasião, Ricardo Coutinho informou que está sendo concluída a licitação para a realização da pavimentação e recuperação da PB-034, rodovia que liga Alhandra à cidade de Caaporã, e assim que a empresa que fará a obra for definida, o governador assinará a ordem de serviço na ordem de quase 12 milhões.

Durante o evento, o governador também confirmou que a cidade de Pitimbu será beneficiada com obras de pavimentação asfáltica em todo o trecho da Avenida Senador Humberto Lucena, Pe. Jose João (Rua da Prefeitura), seguindo pela Dr. João Gonçalves, (ponte da Guarita), Rua Vereador João Quirino e toda extensão da Rua António Tavares.

“Essas obras e ações são resultados dos pleitos dos gestores de Alhandra, Caaporã e Pitimbu junto ao secretário de infraestrutura, João Azevedo, através de audiências onde participei com os três prefeitos, e hoje tivemos o resultado positivo com os pedidos atendidos. Em breve estaremos conquistando créditos do empreender para Pitimbu. Mas, quero comemorar as duas escolas conquistadas para os municípios de Alhandra e Caaporã, ambas com 6 salas de aulas e laboratórios de informática na ordem de 1 milhão e 200 mil cada. A licitação da PB-034 está em fase de finalização e brevemente a ordem de serviço será assinada e as obras iniciadas. E ainda, o município de Pitimbu terá o asfaltamento de sua principal avenida, do início da ladeira até Acaú. São conquistas importantes que temos que comemorar”, destacou Branco Mendes.

No ano passado, Renato Mendes e o deputado Branco Mendes solicitaram escola para Mata Redonda durante reunião com João Azevedo

O prefeito Renato Mendes, acompanhado dos secretários municipais Junior Fernandes (Infraestrutura) e Neném de Dete (Serviços Urbanos), comemorou o anúncio da construção da escola e já definiu que será construída em Mata Redonda. “Mostramos a necessidade de se construir uma nova escola em Mata Redonda, tendo em vista que a escola Alfredo José de Carvalho não comporta mais a grande quantidade de alunos. O Governo do Estado entendeu a necessidade do alunado e confirmou a construção dessa nova escola que será muito importante para ampliar o ensino de qualidade em nossa cidade”, disse Renato Mendes.

Fonte: Portal do Litoral

Pagina 8 de 20
JR Esquadrias