Política (278)

Dados revelam que a construtora fez doação na ordem de R$ 3.343.544,00 à campanha a reeleição do governador Ricardo Coutinho em 2014.Empresa responsavel pelas obras do antigo "Dede" hoje Vila Olímpica Parahyba e o Centro de Convenções de João Pessoa, além também das obras de recuperação do Estádio Almeidão.

 Como de costume, à Polícia Federal acordou mais cedo. Bateu á porta do dono da Via Engenharia, Fernando Márcio Queiroz e dos ex-governadores José Roberto Arruda e Agnelo Queiroz, também do ex-vice-governador Tadeu Filippelli. A operação aconteceu em Brasília.

Você pode estar perguntando o seguinte: o que a Paraíba tem a ver com isso? A pergunta não seria pertinente assim se a Via Engenharia não tivesse realizada a quantidade de obras no Governo Ricardo Coutinho. Por isso, a prisão dele causou um grande reboliço no Estado.

Dados revelam que a construtora fez doação na ordem de R$ 3.343.544,00 à campanha a reeleição do governador Ricardo Coutinho em 2014. A Via Engenharia foi a empresa que fez o maior volume de doação, cujos valores citados neste parágrafo ocorreu em seis parcelas, de acordo com o registro.

As obras se referem as maiores do atual governo, a exemplo do antigo Dede, hoje Vila Olímpica Parahyba e o Centro de Convenções de João Pessoa, além também das obras de recuperação do Estádio Almeidão.

Conforme foi noticiado, essa obra (Almeidão) estava orçada em R$ 18 milhões, mas depois da conclusão, o Governo do Estado fez um anuncio de aplicação na ordem de R$ 28 milhões em recursos federais. Por isso, a Paraíba tremeu quando foi divulgada a prisão do majoritário da Via Engenharia.

A operação que prendeu Fernando Márcio Queiroz é batizada de Panatenaico, que se fundamenta nas delações premiadas de três executivos da Andrade Gutierrez, Rogério Nora de Sá, Clóvis Renato Peixoto e Flávio Gomes Machado Filho. A Via é uma empresa especialista em construir ou recuperar estádios de futebol.

Na ação da Polícia Federal a denúncia de desvios de dinheiro público na reconstrução do Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Fonte: blog.marconeferreira

O O presidente do PSD de João Pessoa, Lucélio Cartaxo (PSD), afirmou ao jornalista Anderson Soares, que uma candidatura de Luciano Cartaxo (PSD) ao Governo do Estado é algo extremamente natural.

Ele ressaltou a trajetória política de Luciano e destacou que as pessoas tratam uma possível candidatura como o caminho natural. Porém, Lucélio disse que ainda é muito cedo para se discutir o processo eleitoral.

“É um caminho natural porque o prefeito Luciano Cartaxo tem umabtrajetoria wue faz com que as pessoas tratem de forma natural uma possível candidatura ao Governo do Estado. Quem tem uma trajetória de Luciano e, principalmente, quem apresenta os resultados que a gestão vem mostrando tem o nome lembrado de forma muito espontânea. É um nome forte. Tem trabalho e história política, mas vamos antecipar o processo”, enfatizou.

Com / blog Andeson Soares 

O grupo que controla a JBS ainda busca um entendimento com o Ministério Público Federal, com outras condições financeiras

Grupo J&F, que controla a JBS, não fechou acordo de leniência com o Ministério Público Federal. O prazo terminou na ultima sexta-feira. Os procuradores exigiram um ressarcimento de 11,169 bilhões de reais, a serem pagos em dez anos, condições não aceitas pelos controladores da companhia.

O valor estipulado é equivalente a 5,8% do faturamento obtido pelo grupo econômico em 2016. Já os representantes da J&F propuseram pagar 1 bilhão de reais, meio ponto porcentual do faturamento no período.

Segundo o MPF, a Lei Anticorrupção estabelece que a multa em acordos de leniência varia entre 0,1% e 20% do faturamento. Apesar do desacerto, a empresa já fechou um acordo de colaboração com a Justiça, homologado pelo Supremo Tribunal Federal.

O acordo de leniência abrange aspectos civis e de responsabilidade da empresa, enquanto o acordo de colaboração diz respeito às consequências penais das práticas delitivas. A J&F e o MPF ainda podem voltar a negociar um novo acordo de leniência, em outras condições.

O MPF avalia que pode ser fortalecido por uma decisão na Comissão de Valores Mobiliários, onde o grupo é alvo de seis processos administrativos, incluindo o que investiga se a JBS teria se beneficiado da alta do dólar após a divulgação de gravação feita por um dos controladores, Joesley Batista, de uma conversa com Michel Temer.

Os controladores da empresa podem ter vendido grande quantidade de ações da companhia e comprado até 1 bilhão de dólares às vésperas da denúncia, beneficiando-se da valorização de mais de 8% da moeda americana ante o real no ultimo dia 18, causada justamente em reação às acusações contra o presidente da República.

Temer acusa dono da JBS de “falso testemunho”
Desde quinta-feira 18, o STF vem divulgando o conteúdo das delações da JBS. Os depoimentos revelaram diversas práticas ilícitas dos executivos da empresa, como o pagamento de propina a políticos. Em nota, Joesley Batista admitiu os pagamentos indevidos a agentes públicos e pediu "desculpas a todos os brasileiros”.

Em pronunciamento no sábado 20, Temer negou ter solicitado a Joesley, dono da JBS, para manter pagamentos de propina ao deputado cassado Eduardo Cunha, em troca de seu silêncio. O peemedebista disse que vai pedir ao Supremo Tribunal Federal para que o inquérito aberto contra ele seja suspenso até que seja verificada a autenticidade da gravação feita pelo empresário de uma conversa com o presidente.

“Essa gravação clandestina foi manipulada e adulterada com objetivos nitidamente subterrâneos”, defendeu-se Temer, investigado por corrupção passiva, organização criminosa e obstrução da Justiça.

O peemedebista citou uma reportagem do jornal Folha de S.Paulo, na qual o perito judicial Ricardo Caires dos Santos, que atua no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, aponta a existência de dezenas de cortes e edições no áudio entregue por Joesley aos procuradores.

Em uma análise preliminar do Ministério Público Federal, o diálogo entre Joesley e Temer é qualificado como “audível” e com “sequência lógica”, apesar de identificar “interrupções em razão de ruídos detectados em determinados momentos”. O diagnóstico da Secretaria de Pesquisa e Análise do MPF nada diz sobre possíveis edições na gravação.

Temer acusa Joesley de falso testemunho e de beneficiar-se da crise deflagrada com os grampos. A investigação da CVM foi usada por Temer para desacreditar as denúncias. “Ele cometeu o crime perfeito. Enganou os brasileiros e agora mora nos Estados Unidos. Quero observar a todos vocês as incoerências entre o áudio e o teor do depoimento. Isso compromete a lisura de todo o processo por ele desencadeado”.

* Com informações da agência Deutsche Welle.

O presidente da Assembléia Legislativo da Paraíba, deputado estadual Gervásio Maia, participou, ao lado do governador Ricardo Coutinho, de deputados estaduais e demais autoridades, da inauguração  do contorno de Catolé do Rocha. Na obra, foram investidos pelo Governo do Estado recursos na ordem de R$ 3,7 milhões.

De acordo com Gervásio, a obra era uma reivindicação antiga da população de  Catolé do Rocha. “O povo esperava essa obra há anos. O contorno vai promover o desenvolvimento da região, além de oferecer qualidade de vida, conforto e segurança aos motoristas que passarem pelo local. Hoje, a Paraíba vive um momento diferenciado. Pra nós é uma honra muito grande ver essa obra ser entregue”, ressaltou o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba.

 

130517 - OD em Catolé do Rocha - ©nyll pereira - 003 - _DSC7189

 

 

 

 

 

 

 

 

O governador Ricardo Coutinho reafirmou a fala de Gervásio destacando a preocupação do Governo em interligar todos os municípios. “Só aqui em Catolé do Rocha, nós temos esse contorno, temos a ligação até a BR-230, com investimentos de mais de R$ 25 milhões e eu lembro como Catolé estava isolada, as demais regiões também. Nós tiramos todas as cidades da Paraíba do isolamento. O Estado passou a pensar em um outro patamar, a olhar todas as cidades e regiões”, pontuou.

Em seguida, a comitiva participou da 104ª plenária do Orçamento Democrático Estadual, que foi realizada no ginásio esportivo da Escola Normal Francisca Mendes. No local, foram entregues pelo chefe do executivo e legislativo para os municípios: ônibus escolares, laboratórios de informática, computadores para escolas estaduais, equipamentos para o Corpo de Bombeiros, viaturas para Polícia Militar, créditos do Empreender, entre outros.

Na ocasião, o secretário de Articulação Municipal e deputado licenciado Buba Germano, fez uma apresentação sobre as demandas do Governo na região. Para o gestor, o Orçamento Democrático faz com que a Paraíba avance em pilares importantes para a construção de políticas públicas. “O Orçamento Democrático faz com que a Paraíba tenha avançado em saúde, educação e segurança pública. Na área da Educação, por exemplo, foram construídas quase 2400 salas de aulas”, destacou Buba Germano.

Já o deputado Jullys Roberto, ressaltou a importância do Orçamento Democrático para o desenvolvimento do Estado. “Por meio desse instrumento o Governo do Estado tem trabalhado em todas as regiões. Como representante do Sertão, tenho um grande orgulho em apoiar esse projeto”, pontuou o parlamentar.

Também participaram da plenária popular os deputados Antônio Mineral, João Gonçalves, Galego Sousa, a vice-governadora, Lígia Feliciano, secretários de governo, prefeitos, vereadores e lideranças da região.

Acessoria ALPB 

Neste ano, as audiências para discussão da LDO na Casa Napoleão Laureano serão realizadas em apenas dois dias.

A Câmara Municipal de João Pessoa discute Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) referente ao exercício financeiro de 2018 nesta semana em audiências públicas. Nesta terça-feira (16) e quarta-feira (17) a Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara realiza as primeiras audiências voltadas à discussão da LDO.

A partir das 10h desta terça-feira serão debatidas as pastas administrativas de Habitação Social; Planejamento; Desenvolvimento Urbano; Mobilidade Urbana; Desenvolvimento Social; Trabalho, Produção e Renda, Limpeza Urbana, Infraestrutura, Transparência Pública, Turismo, Administração e Finanças.

A segunda e última audiência da LDO para 2018 está prevista para quarta-feira (17), às 10h, e serão discutidas as ações para as seguintes pastas: Saúde; Instituto Cândida Vargas; Educação e Cultura; Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope); e Unidade Gestora da Estação Cabo Branco, Ciência, Cultura e Artes.

Neste ano, as audiências para discussão da LDO na Casa Napoleão Laureano serão realizadas em apenas dois dias. O presidente da Comissão de Finanças, Orçamento, Obras e Administração Pública (CFOOAP) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador Bispo José Luiz (PRB), afirmou que a proposta foi inspirada na tramitação da Câmara de Vereadores do Recife (PE), que realiza uma única audiência pública para debater o projeto. “Ponderamos que, ao concentrarmos as audiências em dois dias, vamos ganhar em celeridade e produtividade, discutindo as emendas com uma maior objetividade”, garantiu Bispo José Luiz.

A LDO é um instrumento que estabelece as metas e prioridades da Administração Pública, incluindo as despesas de capital, para o exercício financeiro subsequente, servindo de orientação para elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).

CMJP discute “Movimento Maio Amarelo”

Na terça-feira, às 15h, está prevista uma sessão especial para debater o “Movimento Maio Amarelo”, que tem o objetivo de chamar atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo.

“É de extrema necessidade um debate amplo, envolvendo especialistas na área do trânsito, representantes de setores da sociedade civil ligados ao assunto, e especialmente, os órgãos do Poder Público, bem como os pares desta Casa, buscando neste debate a convergência da melhor solução da problemática do tema”, justificou o propositor da discussão, vereador Eduardo Carneiro (PRTB).

Serviços de planos de saúde serão debatidos na Câmara

Na quarta-feira (17), às 15h, esta agendada uma audiência pública para discutir a “problemática da prestação dos serviços dos planos de saúde”, em propositura da vereadora Raíssa Lacerda (PSD).

A vereadora pretende contar com a presença dos representantes da Unimed, Bradesco Saúde, AMI, CAP Saúde, Saúde Excelsior, OAB, GEAP, Procon Municipal e Estadual, Cooperativas Médicas, Sindicatos Médicos, Conselho Regional de Medicina, Conselho Regional de Odontologia, SINDSAÚDE, Agência Nacional de Saúde, como também representantes do Ministério Público Estadual e Federal e da Sociedade Civil Organizada.

CMJP homenageia defensora pública-geral da Paraíba

Encerrando os eventos da semana, na quinta-feira, às 15h, deverá acontecer uma sessão especial alusiva ao Dia Nacional do Defensor Público, celebrado em 19 de maio. O evento foi proposto pelos vereadores Helton Renê (PCdoB) e Bruno Farias (PP) que, na ocasião, vai outorgar o Título de Cidadã Pessoense e entregar a Medalha Cidade de João Pessoa à defensora pública-geral da Paraíba Maria Madalena Abrantes Silva.

Com Ascom da CMJP

Os parlamentares apresentaram emendas que propõem parcelamento em 180 vezes, ao invés das 120 propostas inicialmente; pagamentos à vista devem ter 90% de desconto de multa e juros

por: Suetoni Souto Maior

Pelo menos seis dos 15 deputados e senadores paraibanos devem R$ 2,4 milhões à União. O levantamento foi elaborado pela Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, baseado em requerimento com base na Lei de Acesso à Informação. Os dados surgem justamente quando parlamentares que devem R$ 3 bilhões em tributos inscritos na Dívida Ativa tentam uma espécie de perdão. As negociações são para alterar a medida provisória que instituiu o Programa de Regularização Tributária (PRT). Trata-se de uma nova regra de parcelamento com a Receita Federal.

O projeto de conversão da MP em lei, curiosamente, é relatado pelo deputado Newton Cardoso Júnior (PMDB-MG). O parlamentar acumula débitos de R$ 67,8 milhões em nome de suas empresas. A previsão é que o relatório seja apresentado em meados deste mês. Entre outras medidas, os parlamentares que apresentaram emendas propõem parcelamento em 180 vezes, ao invés das 120 propostas inicialmente; pagamentos à vista devem ter 90% de desconto de multa e juros; para os parcelados, haveria uma escala de desconto de 70% a 85%; a empresa poderia fazer o cálculo com base na sua capacidade de pagamento, que seria determinada a partir do faturamento bruto, etc.

A Câmara dos Deputados, onde a medida está em tramitação, pelo menos 291 deputados devem R$ 1 bilhão em nome próprio, de empresas controladas por eles ou de que são sócios. Também entram nessa conta companhias, fundações ou agremiações em que os parlamentares aparecem como corresponsáveis. O deputado federal Rômulo Gouveia (PSD) explicou que a dívida atribuída a ele é, na verdade, devida pelo partido. Como presidente estadual da sigla, ele aparece como devedor sempre que há pendência da agremiação.

Confira os débitos dos paraibanos

Deputados Federais vinculados a pessoas jurídicas devedoras da União

Aguinaldo Ribeiro (PP)
Sócio administrador: Riverpetro Comércio e Representação de Derivados de Petróleo LTDA.
Débito: R$ 165.088,53

Pedro Cunha Lima (PSDB)
Sócio: Talante Indústria e Comércio de Bebidas LTDA.
Débito: R$ 7.581,96

Benjamin Maranhão (SD)
Sócio: Pousada Bella Praia LTDA.
Débito: R$ 124.496,17

Wellington Roberto (PR)

Corresponsável: Auto Comercial Holanda LTDA.
Débito: R$ 1.843.000,75
Sócio: Ricol Participações e Locações de Imóveis LTDA.
Dévibito: R$ 158.933,16

José Maranhão (PMDB)
Sócio administrador: Rádio FM Correio do Moreno LTDA.
Débito: R$ 2.441,12

 

Deputados Federais que são devedores da União

Rômulo Gouveia (PSD)
Débito: R$ 11.681,67

Benjamin Maranhão (SD)
Débito: R$ 144.129,31

José Maranhão (PMDB)
Débito: R$ 6.367,03

Total de débitos da bancada
R$ 2.463.719,7

Haverá um bloqueio em um raio de 150 metros em torno do prédio, e apenas jornalistas credenciados e moradores da região poderão passar pelos policiais.

Curitiba se prepara para o interrogatório do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva na próxima quarta-feira (10). A Secretaria de Segurança Pública do Paraná montou um esquema especial para garantir que o depoimento ocorra sem intercorrências e evitar confronto entre manifestantes contrários e favoráveis a Lula. Será a primeira vez que o juiz Sérgio Moro e o ex-presidente ficarão frente a frente no processo da Operação Lava Jato.

A Direção do Foro suspendeu os prazos processuais e o atendimento ao público no dia do interrogatório. Além disso, segundo decisão da diretora do Foro, a juíza federal Gisele Lemke, também não poderão entrar no prédio magistrados, servidores, estagiários e terceirizados. “O acesso ao Edifício Manoel de Oliveira Franco Sobrinho [sede Cabral] somente será permitido às pessoas envolvidas com a realização e apoio da audiência, devidamente autorizadas pela Direção do Foro, conforme lista a ser encaminhada à Polícia Militar do Estado do Paraná”, diz o despacho.

Haverá um bloqueio em um raio de 150 metros em torno do prédio, e apenas jornalistas credenciados e moradores da região poderão passar pelos policiais. A Polícia Militar do estado vai cuidar da segurança nas ruas ao redor do prédio da Justiça Federal, que será monitorado pela Polícia Federal.

A Polícia Militar informou que monitora e que já tem notícia sobre grupos favoráveis e contrários ao ex-presidente que se dirigem à capital paranaense, mas não confirmou o número de ônibus que seguem para Curitiba. Os grupos ficarão em pontos distintos da cidade.

De acordo com o secretário estadual de Segurança, Wagner Mesquita, simpatizantes de Lula vão ficar na Rua XV de Novembro, e os que são contra, no Centro Cívico. “Nosso objetivo como órgão de segurança pública é garantir a livre manifestação democrática e pacífica. Por isso, estamos mantendo diálogo com todas as entidades e solicitando cronograma e programação para ajustar o uso do nosso efetivo”, afirmou.

Nesse processo, Lula é acusado de receber propina da empreiteira OAS por meio das reformas de um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo, e de um sítio em Atibaia, no interior do estado. A defesa do ex-presidente nega que ele seja dono dos imóveis.

Edição: Lidia Neves

“Cada um dos 27 vereadores acaba sendo um agente responsável por cobrar melhorias e agir para que a vida dos cidadãos de João Pessoa seja cada vez melhor. É essa a mensagem que queremos transmitir com a nova campanha”, esclareceu Janildo Silva.

“A Voz da Sua Vontade” é o tema da nova campanha publicitária da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), lançada esta semana nos principais portais, rádios, TVs e veículos impressos da Capital. O foco da campanha é buscar uma maior aproximação entre representantes (vereadores) e representados (cidadãos).

“O objetivo da campanha é mostrar para as pessoas que a Câmara quer estar cada vez mais perto delas, inclusive sendo uma ferramenta ainda mais eficiente para ajudar a resolver os problemas do dia a dia do cidadão”, explica Janildo Silva, secretário de comunicação da Casa.

Desenvolvida pela agência Sin Comunicação, todas as peças publicitárias convidam a população a participar das ações do Legislativo: “Pode chamar, pode falar”, “Queremos escutar você” e “Somos a sua voz” são algumas das chamadas utilizadas na campanha, que ainda destaca “Eficiência, transparência e compromisso” como metas da atual Legislatura.

ANÚNCIO PG DUPLA JORNAL 01 (1)

De acordo com o secretário, a campanha vem para reforçar a filosofia da atual Mesa Diretora, de levar a Câmara para os bairros, para perto das pessoas, encurtando a distância entre o Legislativo e os seus representados.

“Cada um dos 27 vereadores acaba sendo um agente responsável por cobrar melhorias e agir para que a vida dos cidadãos de João Pessoa seja cada vez melhor. É essa a mensagem que queremos transmitir com a nova campanha”, esclareceu Janildo Silva.

Canais de participação

Qualquer cidadão pode ter acesso ao que acontece na Câmara através das informações divulgadas na TV Câmara, canal aberto 52 e 23 da NET, no Portal CMJP (cmjp.pb.gov.br) e nas Redes Sociais, que também servem como um canal de envio de críticas e sugestões. Acompanhe as ações do seu representante, evie críticas e sugestões através do Facebook (camaramunicipaljp), Instagram (camaramunicipaljp), Twitter (camarajp) e YouTube (tvcamarajp).

Com Assessoria

A coligação “A Vontade do Povo” recorreu ao TSE e esta semana, através de um parecer da Procuradoria Geral Eleitoral, eis que foi jogado ao meio-fio pedindo à cassação do governado

O que a Justiça Eleitoral da Paraíba custa a ver, a Procuradoria Geral Eleitoral, com acento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), enxergou e já emitiu um parecer fulminante: pediu a cassação da chapa Ricardo Coutinho/Lígia Feliciano e a inelegibilidade só do governador por oito anos.

Não tem nada a ver com a Aije (Ação de Investigação Judicial Eleitoral) da PBPrev, que ainda está sendo julgada aqui, mas o recurso de cassação do caso conhecido como a Aije Fiscal, aquela que o TRE da Paraíba julgou pela improcedência e por unanimidade. Na ação que já está no TSE, RC era acusado de conduta vedada e abuso de poder político.

Ele é acusado de suposto uso da máquina administrativa, com a concessão de isenção de taxas do Detran, crédito tributário de ICMS e renúncia fiscal de crédito tributário do programa Gol de Placa, no ano das eleições, em 2014. Quem conhece sabe, o governador não é de fazer concessões.

A coligação “A Vontade do Povo” recorreu ao TSE e esta semana, através de um parecer da Procuradoria Geral Eleitoral, eis que foi jogado ao meio-fio pedindo à cassação do governador. Conforme o procurador Nicolau Dino, houve abuso de poder na disputa de 2014 e pede a cassação da chapa Ricardo/Lígia.

O texto diz: “Não se vislumbra disputa igualitária (no pleito de 2014), diante do flagrante uso da máquina pública em benefício de determinada candidatura, o que impõe o reconhecimento de abuso de poder político, aplicando-se as cassações dos mandatos dos recorridos e a declaração de inelegibilidade de Ricardo Coutinho, protagonista e responsável direto pelos fatos.”

O julgamento do “caso Fiscal” deve acontecer a qualquer momento. Até relator foi escolhido e será o ministro Napoleão Nunes Maia Filho, que deve emitir seu voto e pedir pauta para julgamento.

parecer-cassação

Dentro das programação do aniversário da cidade, o prefeito Jarques Lúcio participou da palestra ministrada pela equipe do Empreender-PB

A cerimônia de reabertura contou com a participação de várias autoridades do município, como o prefeito Dr. Jarques Lúcio, a vice-prefeita Meladinha, o diretor-clínico do hospital, Dr Rogério, o anestesista , Dr. Jeferson Morais, Prefeito da cidade de São Mamede, da secretária de Saúde, Lindinalva Dantas, a diretora da entidade, Joyciene Lúcio, o ex-deputado Márcio Roberto, os vereadores Juliano Lúcio e Domelice Ferreira, além do secretário de Finanças, John Lúcio. Na oportunidade, o médico e gestor Jarques Lúcio II realizou duas cirurgias, sendo uma de hérnia e outra de próstata.

Dando continuidade à programação do aniversário da cidade, às 17h, o prefeito Jarques Lúcio participou de uma palestra ministrada pela equipe do Empreender-PB, formada pela Sub-Gerente Executiva de Projetos e Desenvolvimento do Estado, Renata Souza e a Gerente de Capacitações, Telma Virgínia. Já à noite, o administrador municipal participou de um Culto com toda comunidade evangélica, no Shopping das Redes.

Ainda dentro das atividades alusivas aos 58 anos de  Emancipação Política da “Capital Mundial das Redes”, que iniciaram na última terça-feira (25), com a final da Taça do Comércio, no ginásio o “Andrezão”, Jarques recebeu, no período da manhã, o Superintendente do SEBRAE-PB, Walter Aguiar, ocasião em que foi assinado um Termo de Compromisso entre a Prefeitura e o Sebrae, para a implantação de um Ponto de Atendimento da entidade de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no espaço do Shopping das Redes, nos próximos dias, antes mesmo da EXPOTÊXTIL, a maior Feira de Negócios da Microrregião 89, que acontecerá de 06 a 09 de setembro de 2017.

PUBLICIDADE

JR Esquadrias