Política (246)

São 513 deputados eleitos pra representar o povo brasileiro mas só representam os interesses de seus protegidos.

Tiririca, um recordista de votos, fez nesta semana uma revelação chocante sobre as eleições de 2018. Ninguém imaginaria que ele diria algo tão impactante depois de viver dois mandatos como deputado federal. 

Resultado de imagem para TIRIRICA

 
O deputado Tiririca fez uma das mais profundas análises sobre a política brasileira jamais feita por nenhum outro deputado com doutorados e mestrados. Sua simplicidade explica da maneira mais correta o atual cenário político do Brasil.

 

Desisto! Este lugar não é para mim. 513 deputados eleitos pra representar o povo mas só representam os interesses de seus protegidos. Meu povo está sofrendo pensando se vão ter dinheiro pra fazer compra no final do mês e estes caras só pensando se vão se reeleger para um próximo mandato.

É gente que não tem talento pra fazer outra coisa na vida. Gente que se perder o mandato não consegue emprego em nenhuma empresa séria. Graças a Deus eu tenho o dom da palhaçaria. Graças a Deus tenho saúde e força para trabalhar fora da arte também. Não me envergonharia de trabalhar como pedreiro ou pintor novamente. Me envergonharia de ter que trocar favor ou pedir dinheiro pra salvar mandato de bandido.

O sistema ta viciado. Tem gente em Brasília que está há mais de 20 anos emendando um mandato no outro. Ficando milionário com o empobrecimento do povo. Não quero mais concorrer a nenhum cargo político. Não quero ficar perto de deputado que faz dancinha pra comemorar a impunidade. Quero ficar perto de minha família e de Deus. Durante 8 anos não faltei nenhum dia as sessões aqui em Brasília. Deixei de abraçar meus filhos no dia do aniversário para estar aqui trabalhando sério, enquanto isso via deputado faltar a semana inteira e ficar postando frase de efeito no facebook.

Chega! Para mim não dá mais. Vou orar para que o Brasil encontre um presidente que bote moral nos deputados. Chega de presidente que passa a mão na cabeça de gente interesseira e sem compromisso com o Brasil.

Deus tenha misericórdia de nós!”

Deputado Francisco Everardo (Tiririca).

Fonte: folhadopoder

A presidente Ivonete Ludgério (PSD) informou aos manifestante que o PL não se encontrava na Casa e por isso não seria votado.
 
Sob o comando do Stiupb e do Sintab, sindicalistas invadiram a Câmara de Campina Grande e tumultuaram a sessão dessa quarta-feira (25). Como pretexto de obter informações sobre um projeto do Poder Executivo que não se encontrava na Casa, eles depredaram o patrimônio, desligaram a energia do prédio, agrediram verbalmente e ameaçaram servidores e jornalistas que estavam no exercício da função. A CMCG vai acionar as entidades na justiça. Mesmo com o tumulto, os vereadores votaram e aprovaram mais de 250 requerimentos em beneficio da população.                                          
                                                                                                                                       “Tentamos prestar todas as informações desde o momento em que eles ocuparam o auditório, mas ficou claro que a intenção era apenas tumultuar a sessão”, declarou Ivonete.

                                                                                                                                           De acordo com os representantes do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb) e do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), o protesto foi organizado para obter informações sobre o Projeto de Lei 561/2017, de autoria do Poder Executivo, que trata sobre programas de Parcerias Público-Privada para serem aplicadas no município. Mas esse projeto havia sido devolvido para a Prefeitura no dia 16 de outubro.

A presidente Ivonete Ludgério (PSD) informou aos manifestante que o PL não se encontrava na Casa e por isso não seria votado. Mesmo assim continuaram com o protesto. Depois a mesma informação foi passada através de ofício diretamente aos dirigentes dos sindicatos, mas o protesto prosseguiu. “Tentamos prestar todas as informações desde o momento em que eles ocuparam o auditório, mas ficou claro que a intenção era apenas tumultuar a sessão”, declarou Ivonete.

Ameaças e depredações

Funcionários da Divisão de Imprensa da CMCG, além de jornalistas da cidade que cobriam a sessão, foram ameaçados por vários manifestantes. Eles também sofreram agressões verbais de toda natureza. Tudo foi registrado em vídeos e o material vai ser anexado ao processo judicial que será aberto contra as duas entidades e seus respectivos representantes. O presidente do Stiupb, Wilton Maia Velez, não quis comentar sobre o assunto, afirmando que não respondia pelos atos dos agressores.

Com murros e pontapés, os manifestantes forçaram a parede de vidro que divide o auditório do Plenário da Casa de Félix Araújo em vários momentos. Como resultado, danificaram três aparelhos de TV do auditório, além de dois roteadores, forçando assim a interrupção da transmissão da sessão que ocorria ao vivo pela internet. Eles ainda desligaram parte da energia do prédio para interromper a sessão. Ao termino do protesto, foram verificadas depredações em três poltronas do auditório e na parede do Plenário.

“Lamentável o que observamos aqui. Numa sessão em que debatemos e aprovamos mais de 250 requerimentos em benefício da população, dois sindicatos tentaram interromper o trabalho dos vereadores sem uma justificativa plausível, pois não estávamos votando nada que tivesse relação com eles”, declarou a presidente Ivonete Ludgério.

Por: Dirp./CMCG com araujoneto

O alerta foi publicado no diário do TCE  e o documento foi emitido pelo conselheiro Marcos Antonio da Costa, relator das contas de 2017 da Prefeitura Municipal de Campina Grande.

O Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) emitiu alerta ao prefeito Romero Rodrigues por gastos com pessoal acima do limite, tanto por parte do Executivo quanto pelo ente municipal, o que também inclui a Câmara.

O TCE aponta um aumento de mais de 75% nas contratações por excepcional interesse público em apenas oito meses, de janeiro a agosto.

O alerta foi publicado no diário do TCE desta segunda-feira (23) – veja a baixo o documento emitido pelo conselheiro Marcos Antonio da Costa, relator das contas de 2017 da Prefeitura Municipal de Campina Grande.

Em agosto o número de servidores contratados por excepcional interesse público representou 89,80% do número de servidores efetivos. De janeiro a agosto, ocorreu aumento de 75,54% no número de contratados por excepcional interesse público, passando de 3.802 para 6.674 contratados.

De acordo com o Relatório de Acompanhamento da Gestão (veja aqui), foram constatados os seguintes fatos: déficit na execução orçamentária; ausência de registro individualizado das receitas financeiras de aplicação dos recursos do FUNDEB; gastos com pessoal acima do limite de alerta, tanto por parte do Executivo quanto pelo ente municipal;  ausência de pagamento regular das obrigações patronais devidas ao RPPS; e ausência de pagamento regular das obrigações devidas ao RGPS.

Segundo o relatório, caso o prefeito não adote medidas de prevenção ou correção das falhas apontadas, poderá ser emitido um Parecer Prévio contrário a aprovação das contas anuais do exercício de 2017.

Fonte: portal 1001noticias

Emocionado e surpreso por tamanhas demonstrações de afeto, o deputado Manoel Ludgério prometeu retribuir a homenagem com mais trabalho e dedicação pela cidade de São Domingos.

Em sessão especial marcada pela emoção e inúmeras manifestações de carinho, o deputado estadual Manoel Ludgério (PSD) foi homenageado, na manhã dessa segunda-feira (23), com o título de Cidadão Honorário de São Domingos do Cariri. A comenda teve origem em uma propositura do vereador Ananias Ferreira (PSDB), presidente da Câmara Municipal de São Domingos. A homenagem coincidiu com o aniversário do deputado e atual Chefe de Gabinete da Prefeitura de Campina Grande.

A entrega do título foi prestigiada por autoridades locais, como a prefeita Inara Marinho, e a prefeita de Barra de Santana, Cacilda Lopes de Andrade, além de vereadores e líderes políticos de vários municípios do Cariri. Alguns vereadores campinenses também participaram das homenagem, como João Dantas, Janduy Ferreira, Aldo Cabral, Pimentel Filho, Renan Maracajá, Saulo Germano, Alexandre do Sindicato, Rui da Ceasa, Luciano Breno e a presidente Ivonete Lufgério.

“Manoel é um amigo desde sempre. Está sempre presente conosco e trabalhando, enquanto deputado estadual, pela cidade de São Domingos. Então ele já é são dominguense de coração, mas agora se torna de forma oficial, por tudo que fez pela nossa população e por todos nós”, declarou o vereador Ananias, ao explicar os motivos que levaram o Poder Legislativo local a aprovar por unanimidade a honraria ao deputado.

Todos os vereadores locais, além de secretários e demais autoridades usaram a tribuna para agradecer principalmente pelos projetos já desenvolvidos por Manoel Ludgério para cidade. Representando toda a família que também se fez presente, a vereadora Ivonete Ludgério destacou as qualidades de bom pai e esposo. A filha Anna Eloysa Ludgério também usou a tribuna e, de improviso, emocionou a todos ao agradecer ao pai por todos os exemplos dados, não só como homem público, mas como cidadão.

A prefeita de São Domingos, também responsável direta por várias homenagens que seguiram após a sessão, disse que o título foi mais que merecido e que o Legislativo local estava de parabéns. “Eu queria somente agradecer a Manoel por tudo que ele fez e faz por nosso município. Essa homenagem é mais que merecida”, declarou.

Emocionado e surpreso por tamanhas demonstrações de afeto, o deputado Manoel Ludgério prometeu retribuir a homenagem com mais trabalho e dedicação pela cidade de São Domingos. “Fico muito feliz hoje, por estar completando 50 anos no cronograma da vida, mas recebo esse registro de nascimento que me torna oficialmente filho de São Domingos do Cariri”, disse.

Fonte:Simoneduarte

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 O secretário está sendo processado pelo Ministério Público Federal (MPF), o mesmo é acusado de ter cometido  supostos deslizeis durante sua passagem pela Prefeitura de Picui. 

A maré não anda nada boa para o lado do deputado licenciado Buba Germano (secretário de Articulação Municipal). Nesta sexta-feira (20), ele voltou ao noticiário.

De acordo com militantes do Partido dos Trabalhadores, o secretário está sendo processado pelo Ministério Público Federal (MPF). Ou seja, só notícia ruim.

Está sendo acionado por improbidade administrativa e danos ao erário. Teria cometido os supostos deslizeis durante sua passagem pela Prefeitura de Picui.

Nos escritos, há informações de suposto desvio de recursos federais em obras não realizadas na cidade.

O novo embate com os petistas veio depois de uma denúncia do deputado federal Luiz Couto (PT), acusando o governista de “boicotar emendas destinadas à realização de obras em Picui”.

Fala em retaliação e que isso vem ocorrendo depois do auxiliar do Palácio ter sido derrotado pelo prefeito Olivânio Remígio, petista assim como Luiz Couto.

buba-acao

Fonte: Marconeferreira

Algumas nomeações já foram publicadas outras devem ser encaminhadas nos próximos dias e Deputados serão contemplados com postos regionais em órgãos como Banco do Nordeste e Ibama, entre outros.

Para garantir sua salvação na Câmara, Michel Temer voltará a fazer uma ampla distribuição de cargos para deputados de partidos como PP, PR, PTB e PRB; objetivo é  conter ameaças de rebelião às vésperas da votação da segunda denúncia contra o peemedebista; Planalto começou a destravar indicações dessas siglas que estavam represadas devido à demora no processo de análise dos nomes escolhidos para esses postos

Líderes dessas siglas —que integram o chamado centrão— levaram ao Planalto, nas últimas semanas, ameaças de deserção em suas bancadas na votação que deve ocorrer na próxima semana. Para evitar riscos e conter a rebelião, o governo prometeu liberar a maior parte dos cargos até lá.

Algumas nomeações já foram publicadas em portarias internas de cada instituição. Outras devem ser encaminhadas nos próximos dias. Deputados serão contemplados com postos regionais em órgãos como Banco do Nordeste e Ibama, entre outros.

Os caciques das siglas do centrão procuraram o ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) para traçar o mapa de nomeações travadas e obtiveram do auxiliar de Temer a promessa de liberação.

As informações são de reportagem de Bruno Boghossian na Folha de S.Paulo.

 

Publicamente, Luciano Cartaxo e Romero Rodrigues afirmam que só decidirão em abril se também concorrem ao governo

O deputado  Raniery Paulino (PMDB) acredita que o tempo joga a favor do PMDB na tentativa de convencer o melhor nome para os partidos de oposição visando às eleições de 2018.
 
O peemedebista assegurou que a candidatura do senador José Maranhão (PMDB) estará mais fortalecida em detrimento ao prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PSD), e ao prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), quando só em abril decidirão se concorrem ao governo.
 
“Cartaxo e Romero têm um lapso temporal diferente do nosso. Eles precisam renunciar seus mandatos em abril. As convenções se darão em agosto. Esse impeditivo, essa condição do tempo, conta a favor do PMDB. Maranhão está apto para conciliar o mandato de senador com a candidatura de governador. O PMDB está montando sua própria estratégia e não está atrelada a decisão de outros partidos, uma vez que eles precisam desincompatibilizar de seus mandatos”, avaliou Raniery.
 
José Maranhão tem percorrido o estado nos últimos meses, além de reafirmar a cada entrevista a intenção de não abrir mão de sua candidatura ao governo. Nessa semana, o senador visitou a cidade de Campina Grande.
 
“Como não sofremos com o tempo, devemos continuar o que estamos fazendo. Articulando, dialogando com os partidos, andando e buscando agregar ao máximo”, disse Raniery.
 
 Blog do Gordinho/ fatoafato

O governo não vai admitir que, mais uma vez, a Prefeitura de João Pessoa prejudique o andamento de bens, obras e serviços na cidade.

Foi motivação política ?                                                                                                      O Governo do Estado acusou, na última sexta-feira (13), a Prefeitura de João Pessoa de dificultar a execução da Perimetral Sul com embargos sob alegações da falta de licenças para execução das obras.

Em entrevista coletiva,  que contou com as presenças do secretário de Comunicação Luis Tôrres e o superintendente do Departamento de Estradas e Rodagem da Paraíba (DER-PB), Carlos Pereira,  foram apresentados documentos que afastariam irregularidades na realização da obra.

Para o secretário Luis Tôrres, o episódio ocorrido na última quarta-feira (11), teve motivação política.

“O mais grave é do que ter interditado a obra alegando falta de documentos é que fizeram mesmo o DER tendo todas as certidões para a execução da obra. Uma emitida pela Sudema em novembro de 2015 e uma da própria prefeitura, em 2013, autorizando a pavimentação da Perimetral Sul. Um ato violento de quem quer apenas comprometer o andamento das obras”, destacou o secretário do governo estadual.

“Como tem sido de praxe, o governo não vai admitir que, mais uma vez, a Prefeitura de João Pessoa prejudique o andamento de bens, obras e serviços na cidade. É tão surreal essa movimentação, que eu fico me perguntando ao universo de onde vem tanta inspiração para prejudicar a cidade de João Pessoa. Na verdade, é um incômodo com a boa avalanche de obras que o Governo tem nesta cidade e que a Prefeitura não consegue nem colocar no papel e a única coisa que coloca é a propaganda, para esconder a mediocridade da gestão municipal”, declarou.

Confira documentos apresentados pelo Governo:

O secretário também rebateu nota da Prefeitura em que diz que foi dado prazo de 72h para que se  apresentasse a documentação. Torres garante que a obra foi embargada e a obra foi suspensa.

“Bastaria dar um prazo para apresentação dos documentos com a obra em execução e assim poderia tirar a prova dos nove”, pontuou.

Luis Tôrres alegou que as obras não vão parar e, na próxima segunda-feira (16), o próprio governador Ricardo Coutinho estará na Perimetral Sul com uma equipe do DER para assegurar a sua execução.

Fonte: secom/Polemica paraiba


 

Senador foi afastado do mandato, por decisão do Supremo Tribunal Federal, por suspeita de receber R$ 2 milhões em propina

Dirigentes e parlamentares do PSDB vão cobrar a saída definitiva do senador Aécio Neves (MG) da presidência do partido nas próximas semanas. Eles querem que o mineiro renuncie ao posto assim que o Senado concluir a votação sobre seu afastamento do cargo, prevista para o dia proximo dia (17).

Tucanos reivindicam que Aécio deixe o cargo para tentar conter o desgaste sofrido pela sigla com as acusações de corrupção contra o senador. Para eles, a situação se agravou com a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que determinou que o mineiro fosse afastado do cargo e cumpra recolhimento noturno em casa.

O movimento é encabeçado por integrantes da ala paulista do PSDB, vinculados ao governador Geraldo Alckmin. Eles acreditam que a permanência de Aécio no posto, mesmo licenciado, é insustentável e pode prejudicar as pretensões eleitorais de integrantes da sigla em 2018 - inclusive a pré-candidatura de Alckmin ao Palácio do Planalto.

O senador é alvo de denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal ao STF pelos crimes de obstrução da Justiça e corrupção passiva. Ele foi gravado pelo empresário Joesley Batista, da JBS, a quem pediu R$ 2 milhões.

Desde maio, quando foi afastado do mandato pela primeira vez pelo STF, Aécio está licenciado da presidência do PSDB, que é exercida interinamente pelo senador Tasso Jereissati (CE). Apesar disso, o mineiro mantém influência sobre a sigla, em especial sobre parte da bancada na Câmara.

Nos últimos meses, Aécio ampliou sua interlocução com o presidente Michel Temer para evitar a deterioração do relacionamento entre o Palácio do Planalto e o PSDB, que ameaçava abandonar o governo. Nesta semana, o senador atuou para tentar conter as divisões na bancada tucana com a escolha do deputado Bonifácio de Andrada (MG) para relatar a segunda denúncia contra Temer.

TAMPÃO

Tucanos discutiram a saída definitiva de Aécio da presidência do PSDB em almoço na terça-feira (3), no gabinete de Tasso. Segundo relatos, mesmo os principais aliados do senador mineiro concordaram que o afastamento é essencial para preservar o partido.

Caso Aécio renuncie, a direção do PSDB será obrigada a convocar uma reunião de sua cúpula para eleger um novo presidente.

A tendência é que esse novo comando da sigla seja eleito para um mandato-tampão, até dezembro, quando uma convenção nacional da legenda deve escolher um presidente para os próximos dois anos.

Alguns tucanos, entretanto, defendem que o presidente escolhido nessa eleição extraordinária comande o partido pelos próximos dois anos.

Em qualquer cenário, o favorito para uma eleição convocada para as próximas semanas é o próprio Tasso Jereissati. Ele tem o apoio dos principais dirigentes do PSDB e se aproximou de Alckmin.

Fonte: Noticiasaominuto/ informações da Folhapress.

 

 

Segundo pesquisa do Instituto Datafolha, 54% dos brasileiros apoiam prisão do ex-presidente e 89% querem o prosseguimento da denúncia contra Temer

Uma pesquisa de opinião feita pelo Instituto Datafolha apontou que a maioria dos brasileiros defende a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o prosseguimento da denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra Michel Temer (PMDB), acusado de obstrução de justiça e organização criminosa.

Das 2.772 pessoas ouvidas pela pesquisa em 194 cidades do país, 54% acreditam que a corrupção revelada durante as investigações da Operação Lava Jato é o suficiente para decretar a prisão do ex-presidente, processado em seis ações penais, quatro na Lava Jato.

Outros 40% afirmaram que não há provas suficientes para a prisão do petista e 5% não opinaram. No caso do atual presidente, a situação é um pouco mais ampla: 89% apoiam a abertura de processo contra o peemedebista, 7% são contrários. Caso a segunda denúncia contra Temer seja aceita, o presidente poderá ser afastado do cargo por seis meses.

Rejeição

De acordo com a pesquisa, o apoio à prisão de Lula aumenta de acordo com grau de instrução do público. Dos que cursaram ensino superior, o apoio chega a 69%, contra 37% dos que estudaram até o nível fundamental.

No nordeste, onde a popularidade do petista é mais alta, 34% são a favor de sua prisão. No sul e no sudeste, 61 e 65%, respectivamente. Em um quadro geral, no entanto, 66% acreditam que Lula não irá para a cadeia.

Os brasileiros demonstraram dúvidas quanto os futuros passos da Lava Jato e suas implicações na política. A pesquisa demonstrou empate  nesse quesito: 44% afirmaram que a corrupção continuará na mesma proporção enquanto outros 44% acreditam que após a operação, os índices diminuirão. Para 9%, atos ilícitos continuarão aumentando nos próximos anos.

É notável, entre a amostra da pesquisa, que há um desprezo quanto às práticas corruptas. Para 62%, ela causa mais prejuízos do que a ineficácia dos governos. 80% acreditam que a corrupção é inadmissível em qualquer cenário. A ideia de que não importa se o político é corrupto se ele administra bem o país é rejeitada por 74%.

Fonte: veja/abril

 

Pagina 9 de 18
JR Esquadrias