Política (258)

 Vamos continuar com as reformas e investimentos na saúde e educação e busca incessantes de geração de emprego e renda para a cidade”, Vitor Hugo após a vitória.

Com explendida votação de quase 75% dos votos, Vitor Hugo veio confirmar seu favoritismo nas eleições suplementares da cidade de Cabedelo, ocorrido no último dia 17 de março. O percentual mostra que o Instituto Datavox estava certo.

A  candidata Eneida Régis é a segunda mais votada. Os votos apurados mostra ela com 19,88%, seguido por Marcos Patrício, que aparece com 3,26% e José Eudes, em último, com 1,99%.

O eleito destacou quais serão suas primeiras ações como prefeito da cidade. “Vamos dar seguimento às ações de infraestrutura pela cidade, com o Pavimenta Cabedelo 2, calçando mais de 80 ruas. Vamos iniciar a reforma do nosso Parque do Jacaré, que estava parada e nós conseguimos dar seguimento. Vamos continuar com as reformas e investimentos em saúde, educação e na busca incessantes de geração de emprego e renda para a cidade”. Vitor Hugo após a vitória.

Com um total  de 46.448 eleitores, o candidato eleito Vitor Hugo obteve 23.169 dos votos e será diplomado dia 1º de maio para comandar, agora como legítimo prefeito, a Prefeitura de Cabedelo.

 

Em seu depoimento Leandro diz que, após combinar com Livânia, foram pagos, com o dinheiro da caixa de dinheiro, os fornecedores Zé Nilson (Adesivos Torres), Weber (Plastifort), Henrique (Prática Etiquetas) e Júnior (carro de som).
O secretário Walsdon de Sousa (Planejamento) não se pronunciou, até a manhã desta segunda (dia 11), sobre as revelações do ex-assessor Leandro Nunes de Azevedo. Em delação ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado) Leandro afirmou que dinheiro de propina da Cruz Vermelha gaúcha pagou contas da campanha de João Azevedo…E Waldson, como se sabe, foi coordenador da campanha de João.
Leandro revelou, durante longo depoimento do Gaeco (Ministério Público), ter recebido no hotel do Rio de Janeiro, em agosto do ano passado, ou seja, durante a campanha eleitoral, caixa de dinheiro de Michele Cardozo, secretária particular de Daniel Gomes da Silva, chefe da organização criminosa, Leandro revelou que havia nela… R$ 900 mil. O caso foi flagrado pela força tarefa da Operação Calvário.
Ainda segundo o ex-assessor e braço direito da secretária Livânia Farias (Administração) o dinheiro foi usado para financiar a campanha do então candidato João Azevedo, num esquema que envolveu, não apenas caixa 2, mas, especialmente, utilização da propina. O que, sendo verdadeiro, seria o mais grave.
Em seu depoimento Leandro diz que, após combinar com Livânia, foram pagos, com o dinheiro da caixa de dinheiro, os fornecedores Zé Nilson (Adesivos Torres), Weber (Plastifort), Henrique (Prática Etiquetas) e Júnior (carro de som). Para alguns deles, o pagamento foi feito em dinheiro e pessoalmente no Rio de Janeiro. Para outros, depósito bancário realizado numa agência de shopping
Uma operação que, certamente, era do conhecimento de Waldson de Sousa, sendo ele coordenador da campanha.
 
 
 
BlogdeHelderMoura
 
O dinheiro, segundo o flagrante do Ministério Público do Rio de Janeiro, foi entregue a Leandro por Michele Cardozo, secretária particular de Daniel Gomes da Silva, chefe da organização criminosa, desbarata na Operação Calvário.
A secretária Livânia Farias (Administração) emitiu nota, na tarde deste sábado (dia 9), através de seus advogados, rebatendo declarações do seu ex-assessor Leandro Nunes Azevedo ao Gaeco (Grupo Atuação Especial Contra o Crime Organizado). Leandro, como se sabe, relatou que Livânia comandou a operação em que ele foi flagrado num hotel do Rio de Janeiro, recebendo R$ 900 mil, supostamente de propina.
O dinheiro, segundo o flagrante do Ministério Público do Rio de Janeiro, foi entregue a Leandro por Michele Cardozo, secretária particular de Daniel Gomes da Silva, chefe da organização criminosa, desbarata na Operação Calvário. O dinheiro seria, conforme força tarefa das investigações, desviado da Cruz Vermelha gaúcha que, somente na Paraíba, movimentou mais de R$ 1 bilhão em oito anos.
Leandro revelou também ao Gaeco que Livânia teria adquirido, com dinheiro de propina, um imóvel em Sousa, pagando em dinheiro vivo, no valor de R$ 400 mil. Na nota, os advogados de Livânia dizem que ainda não tiveram acesso ao depoimento e atacam diretamente o seu ex-assessor de ter proferido “infundadas e caluniosas acusações contra a pessoa Livânia, o que lhe causa surpresa e indignação”.
CONFIRA TRECHO DA DELAÇÃO DE LEANDRO…
 
CONFIRA A ÍNTEGRA DA NOTA DE LIVÂNIA…
acerca de informações divulgadas pela imprensa no dia de hoje (9), a defesa de Livânia Maria da Silva Farias vem a público esclarecer o seguinte:
  1. Até o presente momento não teve acesso ao depoimento prestado pelo Sr. Leandro Nunes Azevedo, no qual teriam sido feitas infundadas e caluniosas acusações contra a pessoa Livânia, o que lhe causa surpresa e indignação.
  2. Já foi solicitado ao Poder Judiciário acesso ao conteúdo do depoimento que vem sendo divulgado.
  3. Que repudia, com absoluta veemência, a leviana insinuação de que um modesto imóvel, localizado na cidade de Sousa, tenha sido adquirido por Livânia com recursos de origem ilícita.
  4. Por fim, ressalta que está – e sempre esteve – à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos necessários.
Solon Benevides e Sheyner Asfora
CONFIRA O IMÓVEL…

 
Fonte: Blog de Helder Moura

Presidente da Casa, João Corujinha (DC), e comitiva de vereadores visitaram setores do Legislativo entregando rosas

Ao som de músicas entoadas pela violonista Ana Laura Lima, as servidoras da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) foram homenageadas pelo presidente da Casa, João Corujinha (DC), e a Mesa Diretora da instituição. Na manhã desta sexta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, uma comitiva de parlamentares, entre eles Eliza Virgínia (PP) e Humberto Pontes (Avante), visitou os setores do Legislativo presenteando cada mulher com uma rosa.

Acostumada a dar as boas-vindas a todos que chegam na CMJP, uma das recepcionistas da Casa, Zeneide Dias Leônidas, foi acolhida de forma diferente dos dias habituais em sua rotina laboral. “Fui pega de surpresa, sendo acolhida por uma comitiva de vereadores e João Corujinha. É maravilhoso se sentir valorizada por aqueles que trabalham com você. Cuido de duas filhas e tenho trabalho doméstico todo dia. Somos humanas e temos problemas pessoais diariamente e, é recompensante chegar na Câmara e ouvir de alguém que você é importante para que as coisas fluam em seu setor. Isso é no mínimo motivador”, declarou a servidora.

“Visitamos os setores da Câmara parabenizando as mulheres, nossas companheiras de trabalho, servidoras competentes, que se doam para que tudo no Legislativo dê certo. Temos convicção de que nossas servidoras merecem todas as homenagens diariamente, não só hoje”, enfatizou João Corujinha.

Acompanhando o presidente da Câmara, após receber sua rosa das mãos do mesmo, Eliza Virgínia deixou seu recado para as mulheres, inclusive as que desejam entrar na política. “A gente precisa de paz, temos enfrentado uma guerra entre os gêneros. Mulheres e homens têm seus espaços e devem seguir a vida em união, mas, infelizmente, a gente ainda percebe muitas desigualdades. Para as companheiras que pensam em entrar na política, desejo força. Se é o que você quer e tem vocação, coloque esse sonho pra frente”, aconselhou a vereadora.

“As mulheres devem ser reconhecidas por serem independentes, guerreiras e por conquistarem espaço em locais de atuação considerados prioritariamente masculinos”. É o que pensa a assessora parlamentar do gabinete da vereadora Raíssa Lacerda (PSD), Flávia Holanda. “Acho que ainda há questões a serem repensadas e resolvidas socialmente. A violência contra a mulher ainda provoca um medo constante, ainda é difícil andar nas ruas e se sentir plenamente segura. É um desaforo, hoje em dia, ter quem trate mulheres como inferiores, ou quem ache que devemos ganhar menos que homens, mesmo com as mesmas atribuições e ocupando a mesma função que eles”, desabafou.

 

Assessoria da CMJP

O que Ricardo precisa saber é que o povo tem mente os métodos que sua gestão adotou para conduzir as licitações públicas de forma tão descarada como ficou comprovado nas gravações e sobejamente demonstrado com a prisão do servidor. (Jampanews)
 
O ex-governador Ricardo Coutinho quebrou o silêncio constrangedor sobre os acontecimentos que envolveram a Cruz Vermelha e sua gestão. Como sempre, Ricardo escolheu o espaço adequado para dar os esclarecimentos mais convenientes para sua defesa sem ser molestado pelas réplicas que o assunto desperta.
 
Muito a vontade, confiante de que não seria surpreendido por perguntas inconvenientes, já que todo questionário parece ter sido elaborado para não lhe constranger e lhe propiciar oportunidade para dizer o que lhe interessava sobre o assunto, Ricardo falou de tudo de bom na Saúde, de todos os benefícios e melhorias reconhecidas por todos e aplaudidas, mas não explicou as gravações nem a prisão do servidor ligado a sua secretária de administração, que é o que interessava e interessa de fato a opinião pública paraibana até o momento abalada e estarrecida com o escândalo da Operação Calvário.  
 
Esbanjar saliva para dizer que  a saúde paraibana melhorou com a gestão pactuada não seria o foco da entrevista depois de tanto tempo de silêncio sobre os fatos escandalosos que levaram sua gestão para a latrina onde chafurdam os corruptos contumazes.
 
O que Ricardo devia ter feito e não fez, porque não tem como fazer, seria desmentir as gravações ou revogar a prisão do auxiliar de primeiro escalão e da inteira confiança ao ponto de ir apanhar em um restaurante do Rio de Janeiro propina acantonada em caixas de vinho recomendadas para climas frios como o de Bananeiras.
 
Impossibilitado de desfazer ou desmentir as provas avassaladoras que joga sua gestão na lama comum que afoga esse país e esse estado, Ricardo limitou-se a falar do que fez lembrando um antigo e conhecido governador paulista, Ademar de Barros, cujo slogan ficou conhecido no Brasil como aquele que “rouba, mas faz”, slogan esse que depois o indefectível Paulo Maluf adotou, o que nos leva acreditar que Ricardo não inovou tanto na política, já que parece ter ido buscar em fontes antigas inspiração para governar.
 
Além do mais a entrevista tem cheiro de espaço encomendado pronto e acabado para o entrevistado dar seu show particular e muitas das vezes explicar o que não tem explicação como no caso em questão onde um escândalo de tamanha envergadura não teve seus aspectos escabrosos abordados, enfatizados, já que se faz necessário satisfazer a indignação dos que se sentem traídos por votar num esquema político que se dizia imune a corrupção, versão que é destruída pelas investigações da Operação Calvário.
 
A entrevista parece ter sido urdida, não para dar satisfações à opinião pública, mas para manter acesa a fé dos que professam a religião de Ricardo Coutinho e que estavam desnorteados sem ter como defendê-lo das terríveis acusações, inibidos e encurralados nas redes sociais, onde ninguém apareceu para refutar os desdobramentos da operação que demoliu sua imagem de homem público probo.
 
É possível que depois dessa entrevista ressurja nas redes sociais os ardorosos defensores de Ricardo aplaudindo a velha politica dos governadores paulistas dos anos 50 viva e atuante, com gente fazendo, mas também levando pra casa.
 
Seria mais inteligente ter permanecido calado do que gastar saliva com argumentos tão mentecaptos.
 
O que Ricardo precisa saber é que o povo tem mente os métodos que sua gestão adotou para conduzir as licitações públicas de forma tão descarada como ficou comprovado nas gravações e sobejamente demonstrado com a prisão do servidor. (Jampanews)
 
Ricardo Coutinho afirma desconhecer algum prejuízo do Estado dentro de contrato com a Cruz Vermelha
 
Ricardo Coutinho falou na noite desta segunda-feira (25), durante entrevista ao programa Conexão Master, que as melhorias para Hospital de Trauma só foram possíveis após a entrada da organização social, Cruz Vermelha.
 
De acordo com o ex-governador, quando uma empresa, sendo ela social ou comercial, é selecionada ou vence uma licitação, tem que prestar o serviço. Mas, se ela prestar o serviço de forma errada ou ter feito algo que seja ilegal, ela precisa responder por isso.
 
Segundo Ricardo Coutinho, não houve irregularidades conhecidas pelo governo. foi decretada  a intervenção em função da intervenção feita pela Cruz Vermelha Brasileira na daqui, e que não foi comunicado ao Estado.
 
“Agora eu falo pelo Estado, pelo sistema de saúde. e falo por uma situação que particularmente conheço como poucos”, disse Ricardo Coutinho.
 
Ricardo citou um acontecimento, que para ele e inaceitável, que foi quando um jovem morreu na porta do Trauma, sem assistência. “Eu estava em Brasilia quando recebi a noticia, e de imediato, decidi providenciar a entrada de uma organização social para o hospital. Chega da falta de assistência para à população”. concluiu.
 

 

Fonte: redação/portais

A intenção é levar aos estudantes de ensino médio noções de cidadania e governança cidadã

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) recebeu, na manhã desta quarta-feira (20), o diretor da Escola Judiciária do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB), juiz Antônio Carneiro. Ele propôs parceria com o Legislativo Municipal para a realização do projeto 'Mandato Legal', que tem o objetivo de capacitar alunos de escolas públicas sobre noções básicas de cidadania e governança cidadã.

O projeto pretende visitar duas escolas por semestre para levar aos alunos informações sobre quais são as atribuições dos agentes políticos e públicos, e sobre como eles estão exercendo seus deveres. As visitas serão direcionadas a estudantes do ensino médio, que também terão acesso aos compromissos firmados durante as campanhas eleitorais, além de noções sobre cidadania, ética e administração pública.

O presidente da CMJP, João Corujinha (DC), recebeu positivamente a proposta, uma vez que a Casa Napoleão Laureano já desenvolve ações junto a escolas públicas. Para Corujinha, essa parceria com a Escola Judiciária do TRE-PB vai ampliar os trabalhos desenvolvidos pela Escola Legislativa da Câmara.

Reunião com Dom Delso E visita do presidente do T.R.E 20-02-20 002 (155)

“Já temos o programa 'Escola na Câmara' e, com essa parceria, podemos valorizar ainda mais o trabalho desenvolvido pela Escola do Legislativo, juntamente com a Escola Judiciária, para os alunos conhecerem tanto o trabalho parlamentar quanto o desenvolvido pela Justiça Eleitoral. Com isto estaremos formando mais cidadãos dentro da política paraibana”, ressaltou o presidente da CMJP.

O juiz Antônio Carneiro afirmou que a parceria proposta ao Legislativo Pessoense é imprescindível para o início do programa. “A Câmara Municipal é já vem desenvolvendo diversas atividades na área de cidadania. O que vamos fazer é dar as mãos, fazer com que a sociedade possa conhecer, cada vez mais, não só a atividade parlamentar municipal, mas a administração pública como um todo, para que os alunos possam criticar, reivindicar, mas sabendo como as coisas acontecem”, explicou o diretor da EJE-PB.

Também participaram da reunião a vereadora Eliza Virgínia (PSDB) e os vereadores Leo Bezerra (PSB), Milanez Neto (PTB), Humberto Pontes (Avante), Bruno Farias (PPS), Carlão (SDC) e Professor Gabriel (SD); além da coordenadora e da assistente do núcleo de cidadania da Escola Judiciária da Paraíba do TRE-PB, Ana Karla Farias e Maria Glória Nunes, respectivamente; da diretora-geral e da procuradora-adjunta da Casa, Nilmara Braga e Moema Fiuza.

Assessoria

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

 

O Mandado de Segurança Cível impetrado pela vereadora Helena Holanda (Progressistas), no qual reivindica o direito de assumir vaga deixada na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), por  ser a primeira suplente, após a renúncia de Eduardo Carneiro (PRTB) ao cargo de vereador, em função da posse dele como deputado estadual. 

Decisão do juiz Aluízio Bezerra, da 6ª Vara da Fazenda Pública da Capital, determinou que seja remetido para a 3ª Vara da Fazenda Pública, o Mandado de Segurança Cível impetrado pela vereadora Helena Holanda (Progressistas), no qual reivindica o direito de assumir vaga deixada na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) após a renúncia de Eduardo Carneiro (PRTB) ao cargo de vereador, em função da posse dele como deputado estadual. 

A remessa dos autos para a outra Vara se deve ao fato de serem idênticos os objetos da demanda, portanto pelo instituto da conexão, o magistrado da 3ª Vara, Gutemberg Cardoso, encontra-se prevento.   

"A presente situação já fora enfrentada pelo Juízo da 3ª Vara da Fazenda Pública em ação ajuizada por outro suplente, tendo aquele Juízo concedido  liminar para suspender a posse  do vereador 'Carlão do Cristo'", diz a decisão.

O advogado de defesa da vereadora, Carlos Fábio, destacou que entre os argumentos utilizados no caso está "a questão de que o vereador Carlão não atingiu a cláusula de barreira, motivo que já teve decisão judicial sobre o assunto" e também que " com os novos cálculos de sobra, a próxima vaga vai para o PP e o Solidariedade, no qual, Helena Holanda é a primeira suplente", explicou.

O desembargador Leandro dos Santos negou pedido de liminar que visava suspender a decisão que cancelou a posse, pela Câmara Municipal de João Pessoa, do vereador Carlos Antônio de Barros, mais conhecido como Carlão do Cristo. A posse foi cancelada por decisão do juiz Gutemberg Cardoso Pereira, da 3ª Vara da Fazenda Pública da Capital.

 

Fonte: clickpb

 

A reforma atende aos princípios fundamentais dos Direitos Humanos e torna o Parlamento paraibano mais democrático

                                                                                                                                            O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Adriano Galdino, realizou, na ultima quarta-feira (6), uma vistoria sobre as especificações do projeto de acessibilidade do Plenário José Mariz, apresentado pela equipe de engenharia da Casa de Epitácio Pessoa.
 
De acordo com o presidente, a reforma atende aos princípios fundamentais dos Direitos Humanos e torna o Parlamento paraibano mais democrático. “A ideia é que não apenas a deputada Cida Ramos utilize a tribuna com dignidade, de acordo com o que garante a Constituição brasileira, mas que todas as pessoas com deficiência possam usar plenamente esse espaço, que é do povo”, afirmou Adriano Galdino.
 
A diretora de engenharia da Assembleia, Carla Valéria, explicou que o projeto foi elaborado com o objetivo de tornar o plenário da Casa de Epitácio acessível a qualquer pessoa. “Nós faremos uma elevação no piso, criando rampas nas laterais para o acesso ao banheiro e, para o discurso, deve ser instalada uma plataforma que ajuste a tribuna a todas as alturas”, ressaltou.

Em razão da função que desempenhava, na triagem de encomendas, o funcionário retinha para si as que lhe interessava.

Policiais Federais prenderam em flagrante, na tarde do último (5), em Florianópolis/SC, um funcionário dos Correios que desviava encomendas oriundas do exterior. Em razão da função que desempenhava, na triagem de encomendas, o funcionário retinha para si as que lhe interessava.

Contando o apoio da área de Segurança dos Correios, foi possível apurar que os desvios devem ter se iniciado no mês passado, haja vista que desde a data de 25/01/2019 vinham sendo encontradas embalagens violadas no local em que o funcionário trabalhava.

Em sua mochila foram encontradas oito encomendas postais ainda lacradas, contendo itens diversos, além de três relógios.  O preso foi autuado pelo crime de peculato, previsto no artigo 312 do Código Penal, cuja pena pode chegar a 12 anos de reclusão.

 

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal/SC - Contato:  (48) 3281-6694

Durante o evento, João Corujinha (DC) destacou as parcerias já firmadas entre o Judiciário e a Câmara na área de comunicação

O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador João Corujinha (DC), prestigiou a solenidade de posse da nova mesa diretora do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJ-PB) para o biênio 2019/2020, que tem como presidente o desembargador Márcio Murilo.

Durante o evento, João Corujinha destacou a importância das instituições manterem uma boa relação. “É muito importante que haja uma boa relação institucional entre o Legislativo Municipal e o Judiciário. São duas instituições que atuam diretamente junto à sociedade e fazem parte do cotidiano da população pessoense e paraibana”, acentuou.

O presidente da CMJP ainda salientou a parceria já existente entre o TJ-PB e a Casa Napoleão Laurean, na área de comunicação, para divulgar os trabalhos do Judiciário Paraibano. “Essa parceria já existe. Por isso, reforcei com o desembargador Márcio Murilo que os nossos veículos de comunicação (TV e Rádio Câmara) estão abertos para que o Tribunal de Justiça divulgue suas atividades”, afirmou.

01.02.19_Posse_TJPB_ft_JulianaSantos 041

O desembargador Márcio Murilo, por sua vez, agradeceu a oportunidade e destacou a atenção da Câmara dos Vereadores da Capital com o Poder Judiciário Paraibano.

Nova Mesa

Além do desembargador Márcio Murilo, também foram empossados os desembargadores Arnóbio Alves Teodósio, na Vice-Presidência; Romero Marcelo da Fonseca, como Corregedor-Geral de Justiça; Marcos Cavalcanti de Albuquerque, como Diretor da Escola Superior da Magistratura (ESMA); José Aurélio da Cruz, como Ouvidor-Geral de Justiça; e João Benedito da Silva, como Ouvidor substituto.

O desembargador Márcio Murilo substitui o desembargador Joás de Brito Pereira Filho na Presidência do TJ. Em seu discurso, Joás destacou várias ações e medidas adotadas durante sua gestão. Márcio Murilo tem como metas principais a economia de recursos, o enxugamento da folha de pessoal e mais investimentos na 1ª instância.

A solenidade de posse ocorreu no anfiteatro do Centro Cultural Ariano Suassuna, no Tribunal de Contas do Estado (TCE), e contou com a presença de servidores do TJ, advogados, militares e políticos, como o governador João Azevedo (PSB) e o prefeito da Capital, Luciano Cartaxo (PSD). Na ocasião, a Banda de Música da Polícia Militar tocou o Hino Nacional.

 
Pagina 1 de 19
JR Esquadrias