Mundo (109)

  Eles foram presos no lote por funcionários do Estado de Sichuan na China, enquanto seus proprietários aguardam julgamentos criminais. Dois modelos diferentes de Bentley, acredita-se que podem valer aproximadamente 1,5 milhões de reais.

Milhões de reais estão desperdiçados em carros de luxo abandonados em um estacionamento na China.                                                                            Os mais de 200 veículos luxuosos foram esquecidos por seus proprietários em um lote cheio de mato em Chengdu.                                                      Dois deles – dois modelos diferentes de Bentley – se acredita valer quase 1,5 milhões de reais.                                                                                   Os moradores chamam o local de “cemitério de carros”.                                 Eles foram presos no lote por funcionários do Estado de Sichuan, enquanto seus proprietários aguardam julgamentos criminais.

As autoridades já leiloaram vários carros no ano passado, mas semanalmente outras chegam ao local e seus donos aguardam por julgamento.

 

Conheça o cemitério de carros de luxo que foram abandonados

 

 
Milhões de reais estão desperdiçados em carros de luxo abandonados em um estacionamento na China. Donos esperam julgamento. Foto: CEN

 

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Fonte: TheSun

Conheça o cemitério de carros de luxo que foram abandonados

 

 
Milhões de reais estão desperdiçados em carros de luxo abandonados em um estacionamento na China. Donos esperam julgamento. Foto: CEN

 

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Foto: CEN

Fonte: TheSun

Participam da missão os governadores Rui Costa (Bahia), João Azevêdo (Paraíba), Renan Filho (Alagoas), Camilo Santana ( Ceará), Paulo Câmara (Pernambuco), Wellington Dias (Piauí), Fátima Bezerra (Rio Grande do Norte), assim como o vice-governador Carlos Brandão (Maranhão). O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, não viajou por motivos de saúde e está representado na missão pelo superintendente de Parcerias Público-Privadas, Oliveira Junior.

O governador João Azevêdo defendeu a educação e o empreendedorismo como formas de inclusão social. Ele discursou em Paris, na França, durante o encontro dos governadores do Nordeste com 40 empresários franceses. O Consórcio Nordeste está na Europa em busca de investimentos para a região brasileira e começou nesta segunda-feira (18) a jornada que ainda percorrerá a Itália e a Alemanha.

"Em função das diferenças sociais que ainda existem no Brasil nós entendemos, claramente, que temos que buscar, aliados ao desenvolvimento econômico de uma região, a inclusão social como tema principal. A educação é muito importante. Ela possibilita, evidentemente, que jovens possam disputar o mercado de trabalho da melhor maneira possível. Nós temos essa compreensão de que no mundo e nas relações de trabalho, hoje completamente diferentes do que nós vivemos alguns anos atrás, o empreendedorismo é fundamental para que a gente possa ter uma educação de qualidade. Mas, ao mesmo tempo, permitindo que o jovem tenha uma visão de mundo e de relações de trabalho diferente", disse João Azevêdo durante o encontro.

Ao final, o governador avaliou a reunião e revelou a expectativa por investimentos a partir desses encontros. "Nós estamos exatamente iniciando aqui em Paris essa agenda, passando por três países, França, Itália e Alemanha. Tivemos a oportunidade hoje pela manhã de nos encontrar com mais de 40 empresários, com vários representantes do governo francês e nós tivemos a possibilidade de agendar uma próxima reunião, a partir de fevereiro já no Brasil, com temas a serem tratados dentro das câmaras técnicas que nós temos no Consórcio. Eu vislumbro com muita expectativa e esperança que possamos ter grandes investimentos sendo feitos no Brasil a partir das reuniões que estamos realizando aqui na Europa."

Fonte:  Da Internet

O poder público como representação dentro do Extremotec está comemorando esta aproximação entre João Pessoa e a Europa através de Portugal”, disse Durval, que também é presidente do Conselho Administrativo do Extremotec.

Durante visita que aconteceu na manhã desta segunda-feira (18), na secretária de Ciência e Tecnologia da Prefeitura Municipal de João Pessoa, o secretário vereador licenciado Durval Ferreira  recebeu o presidente da Câmara de Comércio Brasil- Portugal, Gonçalo Pessoa Vicente, reconheceu a importância do Polo Extremo Oriental das Américas (Extremotec) e fechou parcerias para 2020. A intenção do gestor, que foi recebido pelo presidente do Polo Daniel Targino, na sede do Extremotec, foi de aproximar os países através da tecnologia.

 

A Câmara de comércio Portugal Brasil PB visa aproximar os países irmãos aproveitando as ideias inovadoras e excelente tecnologia que surge neste Estado. “Estamos viabilizando uma comitiva, no início de 2020, para aproximar investidores e empresários que queiram internacionalizar suas ideias e seus negócios lá e cá”, anuncia Gonçalo Vicente.

De acordo com Targino, o Extremotec está sendo visto como uma porta de entrada para investimentos e desenvolvimento local. “O nosso ecossistema de tecnologia está crescendo e alinhando estratégias de desenvolvimento. O Extremotec está cumprindo o seu papel agregador e projetando o Polo e, consequentemente, as empresas que fazem parte dele, para o Brasil e, em 2020, para o mundo”, explica Daniel.

O secretário de Ciência e Tecnologia da Prefeitura Municipal de João Pessoa, o vereador licenciado Durval Ferreira também participou da reunião e comemorou o resultado. “Participaremos juntos desta troca de experiências em Portugal. O poder público como representação dentro do Extremotec está comemorando esta aproximação entre João Pessoa e a Europa através de Portugal”, disse Durval, que também é presidente do Conselho Administrativo do Extremotec.

 

Acessoria 

A esposa do heptacampeão da Fórmula 1 -Michael Schumacherexplicou que o ex-piloto está sendo muito bem cuidado e que a falta de informações foi apenas um pedido do alemão

Corinna Betsch quebrou o silêncio sobre o estado de Michael. A esposa do heptacampeão falou em entrevista sobre os cuidados com o ex-piloto e como estão respeitando sua privacidade.
 
O sete vezes campeão de Fórmula 1 sofreu um grave acidente no dia 29 de dezembro de 2013. Na época, esquiando em Meribel, na França, acabou caindo e bateu sua cabeça. Desde então, tem travado uma batalha pela vida.
 
Pouco se sabe o atual estado do ex-competidor. Notícias esporádicas acabam surgindo na mídia, muitas vezes trazidas por amigos próximos como Jean Todt, que costuma visitar Michael.
 
Entretanto, em uma entrevista a publicação ‘SHE’, Corinna quebrou o silêncio. “Ele fez tudo por mim. Nunca vou esquecer quem eu tenho que agradecer, e esse seria meu marido Michael. Neste momento, está nas melhores mãos possíveis e nós estamos fazendo todo o possível para ajudá-lo, disso podem ter certeza”, disse.

                                                                                                                             “Tentem entender somente que estamos seguindo a vontade de Michael de manter em segredo seu estado de saúde. Ao mesmo tempo, agradecemos muito por todos os desejos de saúde e um ano feliz”, completou. 
 

Os filhos de Michael e Corinna também foram assunto da entrevista. Enquanto Mick atualmente disputa a Fórmula 2 e é membro da Academia de Pilotos da Ferrari, Gina Maria é campeã de equitação, paixão herdada de sua mãe.
 
“Um dia ele me disse que Gina seria melhor do que eu e não gostei muito, mas tinha razão. Eu trabalhava dia e noite com os cavalos tentando entender tudo. Ele dizia que eu era muito amável, enquanto minha filha é mais dura. Michael havia entendido que Gina tinha caráter”, encerrou.
 
A última notícia que circulou sobre Schumacher foi uma ida do alemão a um hospital em Paris. Na capital francesa, o heptacampeão foi submetido a um tratamento secreto, com poucos detalhes divulgados.
 
Fonte: grandepremio
 

As investigações foram realizadas de forma integrada com Marinha, Ministério Público Federal, Ibama e as universidades Federal da Bahia (UFBA), de Brasília (UnB) e Universidade Estadual do Ceará (UEC).

A Polícia Federal afirmou que um navio grego é o principal suspeito pelo derramamento de óleo no mar que provocou a contaminação de mais de 250 praias no Nordeste.

Segundo a investigação, a embarcação atracou na Venezuela em 15 de julho e o derramamento teria ocorrido a 700 quilômetros da costa brasileira entre os dias 28 e 29 de julho. Uma operação foi deflagrada nesta sexta-feira pela PF em conjunto com a Interpol.

Segundo a PF, estão sendo cumpridos dois mandados de busca nesta sexta-feira no Rio em sedes de representantes e contatos da empresa grega responsável pelo navio. Os mandados foram expedidos pela 14ª Vara Federal Criminal de Natal/RN, em sedes de representantes e contatos da empresa grega no Brasil.

As investigações foram realizadas de forma integrada com Marinha, Ministério Público Federal, Ibama e as universidades Federal da Bahia (UFBA), de Brasília (UnB) e Universidade Estadual do Ceará (UEC). Também houve apoio de uma empresa privada do ramo de geointeligência.

De acordo com as investigações, após atracar na Venezuela, onde ficou por três dias, o navio seguiu para Singapura, tendo aportado apenas na África do Sul. O derramamento teria acontecido durante esse translado.

Não há ainda informações sobre quem seria o responsável pelo petróleo abastecido na Venezuela. Foram solicitadas diligências adicionais à Interpol para buscar dados adicionais sobre a embarcação, tripulação e empresa responsável.

A investigação é pelo crime de poluição e por um artigo da legislação brasileira que pune o fato de não ter havido comunicações às autoridades sobre o incidente ocorrido em alto mar. O óleo que contamina as praias nordestinas desde 30 de outubro deste ano já atingiu 286 localidades em 98 municípios nos nove estados do Nordeste.

 

 

Fonte  extra.globo

 

 

Os 30 navios estão entre os que passaram pela costa do Nordeste no período, identificados por fazerem comunicações por sistemas marítimos

O governo federal notificou 11 países cobrando esclarecimentos sobre 30 navios mapeados dentro da investigação sobre a origem do vazamento de óleo que atingiu diversas praias do Nordeste. A informação foi dada pelo coordenador de operações navais da Marinha, almirante de esquadra Leonarndo Puntel, em entrevista a jornalistas no último sábado dia(26).

A investigação conduzida pela Marinha trabalha com a tese de que o responsável teria sido um navio-tanque. A apuração inicial avaliou 1.500 embarcações e afunilou a análise para 30 veículos marinhos de 11 países. O comandante não detalhou que nações estariam neste grupo, mas disse que o requerimento pede informações para os governos para saber se têm conhecimento de algum acidente.

Os 30 navios estão entre os que passaram pela costa do Nordeste no período, identificados por fazerem comunicações por sistemas marítimos. Conforme Puntel, os investigadores calculam que o vazamento teria ocorrido no mês de agosto, com o óleo chegando às praias no fim daquele mês.

O almirante não descartou a possibilidade de que o episódio tenha sido causado por embarcações não oficiais, denominadas “dark ships”. Neste caso, contudo, a apuração será mais complexa e terá de envolver outras fontes de informação, como análise de imagens de satélite.

Puntel declarou que não é possível afirmar que o veículo era venezuelano. Mas que pesquisas da Petrobrás teriam identificado o óleo como proveniente daquele país. “Laudo da Marinha concluiu que óleo não era brasileiro. O laudo da Petrobrás foi além, porque tem amostras de óleos de outros países. Ele é de bacias venezuelanas. O navio a gente não sabe”, comentou.

Manchas

A coordenadora-geral de emergências ambientais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Fernanda Pirilo, afirmou na entrevista coletiva que não há novo óleo nas praias.

“Não há mais chegada de óleo novo, mas algumas praias ainda têm vestígio de óleo, temos os pontos identificados em que ainda há óleo residual, a maioria nos estados de Pernambuco e Bahia”, pontuou.

O comandante Leonardo Puntel acrescentou que a despeito da dificuldade de monitorar a evolução das manchas, dado que elas se deslocam debaixo da água a partir das correntezas marinhas, o exame realizado pelos órgãos envolvidos no grupo de acompanhamento detectou que houve um decréscimo da quantidade.

“As manchas de óleo tiveram dinâmica diferente. No início de setembro e outubro ela estava tranquila, não tinha grandes quantidades. Teve período na semana passada que houve aumento do volume no óleo na Bahia, Sergipe, Alagoas e Sul de Pernambuco. E este volume começou a decrescer agora”, observou.

A coordenadora do Ibama orientou a população dos locais a não entrar em contato com a substância. Já as condições de banho de cada praia são avaliadas pelos órgãos de saúde dos estados e municípios e devem ser verificadas juntamente a esses órgãos.

Brasília

O grupo de órgãos federais encarregados da coordenação das atividades mudou sua base para Brasília. Durante esta semana, várias autoridades do governo federal estiveram em Pernambuco. O comandante da Marinha relatou que ainda permanecem coordenações locais montadas em Recife e Salvador.

A coordenadora de emergências ambientais do Ibama acrescentou que a mudança facilita a atuação do grupo, já que aproxima seus integrantes do centro de decisão política do país. Questionada por jornalistas, ela negou dificuldades na interlocução das entidades tanto em relação ao Executivo quanto no tocante a administrações estaduais.

Fonte: agenciabrasil

Pesquisadores acreditam que barco fazia o transporte de vinho, azeite, sal e um tempero feito de peixe

Uma embarcação que data de 1,8 mil anos, do período do Império Romano, foi encontrada naufragada na Ilha de Maiorca, na Espanha.

Nos destroços foram encontradas cerca de 90 ânforas no estilo grego-romano. Pesquisadores do Balearic Institute of Maritime Archeology (IBEAM), instituto que lidera as escavações do naufrágio, acreditam que os recipientes eram usados para transportar vinho, azeite, sal e um tempero feito de peixe.

Embarcação de 1,8 mil anos encontrada na Ilha de Maiorca, Espanha / Foto: Consell de Mallorca

O naufrágio está localizado a apenas alguns metros de distância da praia S´Arenal. Foram dois moradores quem primeiro encontraram fragmentos dos potes de cerâmica.

Segundo Bel Busquets, conselheira de cultura, patrimônio e política linguística de Maiorca, a prioridade é proteger e recuperar as ânforas encontradas no naufrágio. Os recipientes que já foram retirados do fundo do mar foram levados ao Museu de Maiorca, onde serão restaurados.

A conselheira também afirmou que este é um dos naufrágios mais bem conservados do Mediterrâneo da época do Império Romano.

Fonte: revistaplaneta

 

 

 

 O líder da Igreja Católica pediu para o fiéis se unirem à sua oração para Deus "consolidar a reconciliação fraterna" em Moçambique e na África

 

A programação completa ainda não foi revelada, mas a Santa Sé adiantou que Jorge Bergoglio visitará as cidades de Maputo, em Moçambique, Antananarivo, em Madagascar, e Port Louis, em Maurício. O líder da Igreja Católica pediu para o fiéis se unirem à sua oração para Deus "consolidar a reconciliação fraterna" em Moçambique e na África.

- Daqui a alguns dias a minha visita ao seu país começará e, embora eu não possa ir além da capital, meu coração chega até vocês e abraça a todos, com um lugar especial para quem vive dificuldades - afirmou em uma mensagem de vídeo. - Deus, pai de todos, consolide a reconciliação fraterna em Moçambique e na África, a única esperança de uma paz sólida e duradoura. Ficarei feliz em compartilhar diretamente com vocês e ver como a semente semeada pelo meu antecessor, João Paulo II, cresce.

De acordo com o Pontífice, esta viagem permitirá um encontro com a comunidade católica e a "confirmação do testemunho do Evangelho, que ensina a dignidade de cada homem e mulher e pede que nossos corações sejam abertos a outros, especialmente aos pobres e necessitados". Esta será a quarta viagem à África do Papa depois de visitar Quênia, República Centro-Africana e Uganda em novembro de 2015, Egito em abril de 2017 e Marrocos.

Porta: Estra

Recentemente, Alemanha e Noruega vieram tentando disputar quem iria ser o grande beneficiado com a riqueza representada na Amazônia

O governo Bolsonaro vem de inúmeras maneiras tentando calar os Institutos como o INPE, para que não se haja dados científicos sobre o desmatamento e a destruição da Amazônia através de queimadas. Esta mesma estratégia, Bolsonaro adotou em relação aos dados socioeconômicos ao reduzir também as perguntas do IBGE. Nesta matéria, trouxemos algumas fotografias de Araquém Alcântara, tiradas na Amazônia, demonstrando o aumento desastrosa da destruição deste ecossistema, tão importante para todo o globo. O site oficial do fotógrafo pode ser acessado aqui.

Com o Ministro Ricardo Salles, que é condenado em caso de liberar licenças ambientais no Estado de São Paulo, Bolsonaro dá o recado para o agronegócio, para o garimpo, para os latifundiários recorrentemente pegos em práticas de trabalho escravo em suas lavouras: "pode queimar tudo!"


Recentemente, Alemanha e Noruega vieram tentando disputar quem iria ser o grande beneficiado com a riqueza representada na Amazônia. Os países europeus, depois de destruírem todas as suas reservas, estão de olho nas nossas. Grande demagogia, já que a Noruega tem nada menos que a terceira maior empresa petroleira no país - a Statoil, beneficiada com o saqueio e o desmonte da Petrobrás. Enquanto a Alemanha, por sua vez, é grande utilizadora da energia nuclear em suas usinas produtoras de energia elétrica.


Somente quem pode dar à Amazônia e ao meio-ambiente em geral, o tratamento que merece, não tratando seus recursos como fonte de lucro, é a classe trabalhadora. A mesma classe que é tratada, aliás, como uma mercadoria tão barata quanto as árvores derrubadas pelos desmatadores, que tem seus direitos escamoteados com a reforma da previdência e mais uma nova reforma trabalhista. Os mesmos, vítimas dos vazamentos das barragens da Vale, da expropriação de terras em proveito do agronegócio, do saqueio das riquezas nacionais, são os que podem dar um planejamento racional para que estes recursos sirvam à população e não à sede de lucro de um punhado de capitalistas.

 

O Brasil abriga 60% da Amazônia, a maior floresta tropical do mundo, vista como vital para a luta global contra a mudança climática. “Estamos adotando todas as medidas para combater o desmatamento ilegal", disse o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles

O desmatamento na parte brasileira da floresta amazônica cresceu mais de 88% em junho na comparação com o mesmo mês do ano anterior, o segundo mês consecutivo de aumento do desmate no governo do presidente Jair Bolsonaro.

Segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Amazônia totalizou 920 quilômetros quadrados.

Os dados que apontam aumento de 88,4% são preliminares, mas indicam que a cifra anual oficial, baseada em imagens mais detalhadas e mensurada durante os 12 meses transcorridos até o final de julho, está a caminho de superar o número do ano passado.

O desmatamento já atingiu 4.565 quilômetros quadrados nos 11 primeiros meses, um aumento de 15% em relação ao mesmo período de 2018.

Ambientalistas alertam que as afirmações contundentes de Bolsonaro em defesa do desenvolvimento da Amazônia e criticando as autoridades ambientais do país por aplicarem multas que considera excessivas estimulam madeireiros e fazendeiros a lucrar com o desmatamento.

"Bolsonaro agravou a situação... ele fez um ataque retórico forte", disse Paulo Barreto, pesquisador da organização não-governamental brasileira Imazon.

A temporada de chuvas que foi até abril pareceu ter contido um aumento do desmatamento, que subsequentemente ocorreu no início da temporada seca, em maio.

O desmatamento aumentou 34% em maio na comparação com o mesmo mês do ano passado.

“Estamos adotando todas as medidas para combater o desmatamento ilegal", disse o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, à Reuters. "Nessa semana estavam em ação 17 equipes simultâneas de fiscalização do Ibama em toda a Amazônia”.

O Palácio do Planalto não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

O Brasil abriga 60% da Amazônia, a maior floresta tropical do mundo, vista como vital para a luta global contra a mudança climática.

A comercializadora de grãos norte-americana Cargill disse no mês passado que a indústria alimentícia não conseguirá cumprir a promessa de eliminar o desmatamento em suas cadeias de suprimentos globalmente até 2020, e se comprometeu a fazer mais para proteger ambientes nativos do Brasil.

Paulo Adário, estrategista de florestas do Greenpeace, disse que "todas as indicações" são de que o desmatamento se agravará ainda mais no governo Bolsonaro, mas espera que a notícia de um aumento grande pressione o governo a agir.

"Quando eles tiverem os números finais, se realmente for muito, isso será um pesadelo para Bolsonaro", disse Adário. "Isto é algo realmente importante do ponto de vista internacional e brasileiro porque a Amazônia é um ícone".

Internet

Pagina 1 de 8

PUBLICIDADE

JR Esquadrias