Esportes (257)

O técnico Tite divulgou os 24 convocados para os jogos contra a Argentina e Austrália, que vão acontecer nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente, em Melbourne.

A seleção brasileira terá novidades nos próximos amistosos. Na manhã desta sexta-feira, o técnico Tite divulgou os 24 convocados para os jogos contra a Argentina e Austrália, que vão acontecer nos dias 9 e 13 de junho, respectivamente, em Melbourne. Entre os nomes estão o goleiro Diego Alves, os zagueiros David Luiz e Jemerson, os laterais Alex Sandro e Rafinha, e o meia Rodriguinho.

O preparador físico Fábio Mahseredjian expicou que que alguns nomes foram deixados fora da lista por questões como preservação do período de férias, retorno recente de lesão ou presença na final da Liga dos Campeões. Foi desta forma que ele explicou as ausências de vários craques como Neymar, do Barcelona, Marcelo, do Real Madrid, Daniel Alves, do Juventus, e Miranda, do Inter de Milão.

– São etapas de construção da equipe. Qualquer preparativo a gente pode direcionar para um lado ou outro. O alto nível é assim. Todos os outros que não foram convocados têm que olhar para o lado e dizer: "O Jemerson tá jogando muito, Rafinha foi campeão". Essa é a oportunidade de criar uma equipe forte, não uma individualidade. É ter atletas de alto nível, preservando alguns – disse Tite.

 

Fernando Lázaro e Fernando Thomás, analistas da Seleção, assistirão in loco toda a primeira fase da Copa das Confederações, na Rússia. O treinador irá acompanhar a final e a semifinal da Copa das Confederações junto com o coordenador técnico, Edu Gaspar.

GOLEIROS

Diego Alves (Valencia)

Weverton (Atlético-PR)

Ederson (Benfica)

ZAGUEIROS

David Luiz (Chelsea)

Gil (Shandong Luaneng)

Jemerson (Monaco)

Rodrigo Caio (São Paulo)

Thiago Silva (PSG)

LATERAIS

Alex Sandro (Juventus)

Fagner (Corinthians)

Filipe Luís (Atlético de Madri)

Rafinha (Bayern de Munique)

VOLANTES

Fernandinho (Manchester City)

Giuliano (Zenit)

Rodriguinho (Corinthians)

Paulinho (Guangzhou Evergrande)

MEIAS

Philippe Coutinho (Liverpool)

Renato Augusto (Beijing Guoan)

Lucas Lima (Santos)

Willian (Chelsea)

ATACANTES

Diego Souza (Sport)

Douglas Costa (Bayern de Munique)

Gabriel Jesus (Manchester City)

Taison (Shahktar Donetsk)

 

 

Em tarde de fúria, maior ídolo do Flamengo liga a metralhadora contra o que não aprova

Pense num homem bravo menos de 24 horas depois da eliminação do Flamengo da Libertadores. Era Arthur Antunes Coimbra, o Zico, no hall do hotel em que estava hospedado, em Brasília, nesta quinta-feira. Antes de seguir para o Centro de Convenções — onde ministrou a palestra “Uma noite nota 10”, a convite do médico Marcus Vinicius Montenegro, especialista em traumatologia esportiva —, o Galinho falou ao Correio das dores no jelho, dos remédios que toma para disputar peladas, da dificuldade para ficar sentado com a perna dobrada e a 90 graus, da necessidade de esticá-las... Mas a dor de ontem não era nas pernas. Atingiu a alma rubro-negra do maior ídolo da história do clube. Depois da noite maldormida e do almoço na capital federal, Zico foi duro ao desabafar obre mais um vexame do Flamengo. Disse que o time não é isso tudo; subiu o tom com o cheirinho, mantra da torcida; pediu aos jogadores respeito ao aerofla — multidão que carrega a delegação ao embarque antes de jogos importantes —; detonou o desperdício da geração campeã da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2011; e defendeu a permanência de Zé Ricardo. Não sem antes criticar o trabalho do técnico contra o San Lorenzo. Zico falou também da crise política no Brasil. Sem citar nomes, disse que se decepcionou com pessoas em quem confiou. Um deles, provavelmente, o senador Aécio Neves, de quem foi cabo eleitoral nas eleições de 2014. E só voltou a sorrir ao comentar sobre seu mais novo projeto: o Canal Zico 10, no YouTube.

Eliminação rubro-negra
Foi a única partida em que o Flamengo jogou um tempo  inteiro mal. E não podia. Eu vi os seis jogos. Em três, eu estava ao Maracanã. O Flamengo desperdiçou a chance de ganhar pelo menos um ponto, principalmente com a Universidad Católica, que era a mais fraca do grupo. Um time que só tem a opção daquele centroavante (Santiago Silva). E o Flamengo levou dois gols dele, um dentro e um fora. Na Libertadores, você tem de ganhar nove pontos em casa e um fora.

Culpados
Eu acho que não era necessário fazer as alterações. A não ser que alguém tenha pedido. O Flamengo não estava sendo dominado. Quando mudou, passou a ser dominado. Por que? O Gabriel não é velocista. O Rômulo é um cara que marca, puxou o time para trás. Só ficou o Everton. As alterações que foram feitas deram a impressão ao time de que era para segurar o resultado. Instintivamente, o jogador faz. O Berrío não estava bem, mas é uma opção de ataque, de velocidade. Quando o Berrío saiu, acabou. Ficou só o Guerrero isolado. O Matheus Sávio entrou e ficou de lateral! O time terminou com três zagueiros (Réver, Rafael Vaz e Juan) e três volantes (Márcio Araújo, Willian Arão e Rômulo).No segundo gol, a falta foi na direita da defesa e o Trauco estava na barreira. Não entendi nada. O Trauco é lateral esquerdo. O que ele fazia na barreira e o Matheus Sávio dentro da área? A bola sobra, aos 47 do segundo tempo, e tem um cara livre dentro da área!

 


Choque de realidade
Venderam que o Flamengo tem um p... plantel, um p... time, excepcional... Não é nada disso. Os resultados da Libertadores estão aí. As pessoas falam que sou muito crítico. Eu não sou muito crítico, eu sou exigente. Conheço aquela p... ali toda. Eu sei o que é o Flamengo. Poucos conhecem o Flamengo como eu. Não vou passar a mão na cabeça. Quero ver o patrimônio maior do Flamengo, que é a torcida, feliz. Agora, vamos passar as verdades para a torcida. É ela que lota aquela p... (Maracanã) lá. E estão sempre apoiando.

Caça às bruxas
Não precisa. Tem um Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana. É seguir em frente, tirar alguma lição disso tudo. Não acho que deve trocar o técnico. O cara (Zé Ricardo) só melhora com as coisas acontecendo. Na final (do Carioca), ele fez duas mudanças e disseram que deu nó tático (no Abel Braga). Foi uma pena que não deu certo no momento que tinha que dar, né.

Cheirinho de...
São cinco eliminações na fase de grupos. O problema dessa agora é que o Flamengo fez investimentos, gerou expectativa demais no torcedor.  A cobrança acaba sendo maior. Os caras (torcida) estavam pensando lá no Real Madrid (Mundial de Clubes). P..., é passo a passo. Você não pode não pode deixar transmitir isso. Se alguém tá falando, tem que cortar isso pelo meio. Foi igual no ano passado, quando começou esse negócio de cheirinho. Cheirinho é o cacete! Não tem isso.  Tem quem deixe se levar por isso. Aí, a sacanagem aumenta quando perde.

Vinicius Junior
Ele é um jogador maravilhoso, mas ainda é um juvenil. É espetacular para a categoria dele. Se apressarem isso, a torcida vai para dentro do estádio esperar que ele faça as mesmas coisas que estão acontecendo no sub-20. Se ele estiver adaptado ao ritmo de profissional tem que jogar... Mas não é sempre que aparece um Neymar, um Messi com essa idade. Mas esses dois são garotos que tiveram sequência nessa categoria. O Vinicius precisa ter sequência de treino nos profissionais para ir se adaptando.

Humildade
Quando o (Fleitas) Solich lançou-me no time, em 1971, eu tinha 18 anos. Fiquei treinando com eles muito tempo. Subi do juvenil e fiz muitos jogos treinos... Entrei desde o início no Brasileirão. Jogava bem, jogava mal. Subi e voltei (para o juvenil). Nas voltei com espírito de juvenil, não retornei com espírito profissional. Fiz um estágio no profissional. Fui lá e voltei. Hoje, o jogador não pensa mais dessa maneira. Quando tem que voltar, diz logo: ‘não, sou profissional, c...’.

Pressa
Nós perdemos a geração daquela segunda Copinha (2011). Esqueceram que a idade naquela segunda Copinha não era 20 anos. Baixaram para 18. Era o Adryan, Rafinha, Thomás, Lorran... O Flamengo perdeu aquela geração inteira porque lançou apressadamente. Eram moleques de 17, 18 anos. Perdemos essa geração. Não tem ninguém. E aí?

Estrangeiros
Eu sou da seguinte opinião: entre um jogador estrangeiro que faz isso e um da base que também faz isso, eu prefiro o da base.  Eu não vou perder tempo com quem não vai me dar mais. O Flamengo tem muitos jogadores lá que, se comparar com os cara da base, tipo o (Felipe) Vizeu, Léo Duarte, (Lucas) Paquetá, o Matheus Sávio, o Ronaldo, são do mesmo nível. Aí, temos que jogar com os da base.

Aerofla
Na minha época, não tinha esse negócio de 5 mil pessoas para levar o jogador ao embarque. Se tem isso agora, o cara tem que dar a vida ali dentro do campo. Parece que aquilo ali é obrigação. Não é obrigação. Sou torcedor, fico mal, durmo mal quando vejo as coisas assim. O Flamengo está contratando, tem credibilidade, a estrutura é de primeiro mundo, o CT é sacanagem (maravilhoso). O cara só tem que jogar.

Passividade da diretoria
O Flamengo tem que exigir pelo que está dando. Desde que essa gestão assumiu, está todo mundo recebendo em dia. Quando veio essa turma, que eu participei no início, falei: ‘vocês querem a minha participação, então me garantam que não vão atrasar salário. Pagando em dia e dando condições de trabalho, vocês podem exigir alguma coisa. Eles cumpriram. Está tudo em dia. O Flamengo tem um CT lá que oferece tudo o que o profissional precisa, comodidades que o jogador do Real Madrid, do Barcelona, do Paris Saint-Germain, do Bayern tem. Campos maravilhosos, sala de fisioterapia, de almoço, tudo. Se o cara quiser morar lá, fica. O cara só tem que treinar.

Técnico-ídolo
Eu nunca quis ser técnico no Brasil. Tudo o que eu tinha a fazer pelo Flamengo, eu fiz. Tive a experiência em 2010 (como diretor de Futebol) e aquilo mostrou que eu não posso ocupar cargo nenhum no Flamengo. Você fala do Renato Gaúcho (Grêmio), Rogério Ceni (São Paulo e Petkovic (Vitória). Eles serão sempre ídolos desses clubes. Agora, indo mal como técnicos, vão chamá-los de burro. O ídolo não apaga. Quando vira técnico, é criticado como os outros. Não pensem que vão aliviar. Não há blindagem.

Crise política no país
É uma tristeza para todos nós ver uma situação como essa. Sempre existiu, mas, agora,  tem visibilidade. As redes sociais ajudam. A fiscalização é muito maior, as coisas são imediatas. Tomara que isso tenha seguimento, um fim. E que surja uma geração que não cometa descalabros. Às vezes, nos decepcionamos com quem a gente acreditava (foi cabo eleitoral de Aécio Neves em 2014), mas o poder mexe com as pessoas. Eu lamento profundamente como brasileiro.

Projeto social
Hoje, trabalhar com governo, com prefeitura, está muito complicado por causa desses problemas que estão aí. A gente oferece (o Zico 10). Se der certo, deu. Às vezes, eles não precisam bancar nada. Só os espaços, em troca da visibilidade. Mas a gente sabe como é trabalhar com dinheiro público. Você está com um problema na saúde e abre uma escola de futebol, aí todo mundo cai de pau. Não quero isso, quero o melhor para o cidadão.

Youtuber
Eu não me sinto um youtuber. Sou um cara que tive a felicidade de ter uma carreira bonita, que abriu muitas portas, amizades. Chamei, por exemplo, o Anderson Silva, e o coloquei para bater falta. Errou todas. Aí, ensinei como fazia e ele acertou duas na gaveta. O cara sai de lá feliz porque participou. Eu tenho 100 mil inscritos, peço até para o pessoal entrar lá no Zico 10, curtir, compartilhar, assinar...

Juventus x Real Madrid
Individualmente, o Real Madrid é superior. Coletivamente, a Juventus é melhor. Eu espero ver um grande jogo (em 3 de junho), como foram todos os outros, e é uma partida só. O cara sabe que não pode errar. Não haverá outra chance.

Seleção Brasileira
Foi uma mudança da água para o vinho, tudo graças à competência do Tite. O Brasil perdeu dois anos. Depois que acabou a Copa do Mundo, já tinha que ser o Tite. Era o cara mais vencedor, com maior conhecimento de futebol. Fizeram a experiência novamente com o Dunga. Não deu certo... Não dizem que Seleção tem que ter os melhores do momento? Técnico também. Naquele momento, o melhor era o Tite. Não chamaram. Tem tudo para ser candidato ao título.

Marcos Paulo Lima /Correio Braziliense

(SPORT NEWS) - Não é segredo que Conor McGregor está sendo investigado pelo UFC, mas o verdadeiro motivo certamente irá surpreender você. Seu tamanho e força tem estado sob especulação nos últimos meses, suas ações e atitudes já têm colocado em risco seu contrato com o UFC. Em resposta, o UFC esta considerando a proibição de um suplemento nutricional que ele se tornou muito dependente.

Ele começou a se gabar de seus amigos e companheiros de equipe sobre um novo produto que esta o ajudando a ficar "rasgado" e ter mais testosterona em questão de semanas. Depois de fazer algumas pesquisas, encontramos este suplemento de fortalecimento muscular conhecido pela primeira vez na NBA e, em seguida, tomou conta de Hollywood há alguns meses. Este poderoso suplemento está ganhando incrível popularidade e já é unânime entre os melhores atletas profissionais de países de primeiro mundo, que aparecem por aí se vangloriado em função dos incríveis resultados.

McGregor usa este suplemento projetado para queimar gordura, tonificar os múculos, e gerar uma incrível & monstruosa massa magra, chamado Hyperbody. Este é um suplemento comum utilizado por atletas profissionais e fisiculturistas, mas o UFC considera proibir seu uso por esses 2 grandes motivos:

1. Este suplemento aumenta a força em 150% e triplica a estamina, tornando assim injusto com os lutadores que não usam.

2. Este suplemento não precisa ser usando em conjunto com o treinamento. Os usuários experimentam o crescimento maciço de músculos e perda de gordura sem levantar um único peso. O UFC considera que isto é uma "trapaça", uma vez que não requer quase nenhum esforço por parte do atleta.

 

McGregor usa este suplemento projetado para queimar gordura, tonificar os múculos, e gerar uma incrível & monstruosa massa magra, chamado Hyperbody. Este é um suplemento comum utilizado por atletas profissionais e fisiculturistas, mas o UFC considera proibir seu uso por esses 2 grandes motivos:

1. Este suplemento aumenta a força em 150% e triplica a estamina, tornando assim injusto com os lutadores que não usam.

2. Este suplemento não precisa ser usando em conjunto com o treinamento. Os usuários experimentam o crescimento maciço de músculos e perda de gordura sem levantar um único peso. O UFC considera que isto é uma "trapaça", uma vez que não requer quase nenhum esforço por parte do atleta.

O  atleta veio emprestado pelo Atlético-PR ao Botafogo-PB até o final da Série C do Brasileiro, seu pai Gérson Viéira já  acostumado a conquistar titulos estaduais em sua carreira: Três vezes pelo Gama, uma pelo Brasiliense e uma pelo Náutico.

Sair de casa aos 14 anos foi a escolha mais dura que Victor Feitosa teve de fazer. Filho de um velho conhecido do futebol de Brasília – o zagueiro Gérson Vieira –, ele se sustentou no sucesso do pai para ir em frente. Sete anos depois, o volante pôde ligar para a casa e dizer: “deu tudo certo”. Hoje com 21 anos, Victor conquistou o primeiro título como profissional, ao participar da campanha do campeão paraibano de 2017, o Botafogo-PB.

No domingo, o jogador brasiliense presenciou um estádio Almeidão inteiro vibrar com o 28º título estadual do Belo, que empatou por 1 x 1 com o Treze – na primeira partida havia vencido por 3 x 2.

“Foi sensacional. No primeiro ano como profissional e já conquisto um título. É um sonho realizado”, descreve Victor, por telefone, ao Jornal de Brasília. “Mas é parte do sonho. Ainda pretendo fazer muito mais”, completa..

A ambição de Victor é proporcional ao esforço que faz desde que deixou a casa dos pais. Em 2010, foi convidado pelo Atlético-PR para se mudar para Curitiba e integrar as categorias de base do clube. A decisão, obviamente, passou pelo crivo dos pais. Gérson ainda fazia o último ano como profissional, quando aceitou o desafio. “Perguntei a ele se era realmente o que queria. A mãe foi junto para ver se o negócio era sério. E a estrutura do Atlético-PR é espetacular. Decidimos deixar. A gente viu a luta dele saindo de casa e, agora, está vencendo no futebol”, exalta Gérson.

Emprestado pelo Atlético-PR ao Botafogo-PB até o final da Série C do Brasileiro, que começa no fim de semana, Victor almeja estender as conquistas. Para isso, segue à risca os conselhos do pai. “Meu pai e eu somos muito próximos. Ele sempre diz que não posso me vislumbrar com as coisas boas e nem me abater com as ruins”.

Conquistar o Estadual, por exemplo, é algo que Gérson se acostumou a fazer. São cinco na carreira: três pelo Gama, uma pelo Brasiliense e uma pelo Náutico.

“ Meu pai teve 20 anos de carreira este exemplo em casa ajuda muito. No ultimo (domingo), ele conversou comigo durante todo o dia. Depois do título, comemorou comigo. Falou para aproveitar, que é um momento merecido e único”, diz Victor.

Pai coruja

Em Brasília, Gérson era só alegria. O ex-zagueiro não conseguiu viajar à Paraíba para acompanhar a decisão por conta do trabalho – atualmente gerencia o Centro Olímpico do Setor O –, mas nem por isso deixou de comemorar. “É uma felicidade muito grande. Fico muito feliz pela dedicação de sempre do Victor”, vibrou.

Emocionado com a conquista do filho, ele lembrou de uma ligação. “Eu disse a ele: “vá até onde você aguentar’. Até que chegou o dia que ele falou: ‘pai, agora só volto para casa para visitar’”, recordou Gérson.

Festa com direito a trio elétrico

A festa do Botafogo-PB ganhou as ruas de João Pessoa. A 28ª conquista do clube foi comemorada em frente ao Busto de Tamandaré, no encontro entre as praias de Tambaú e do Cabo Branco. Lá, Victor Feitosa e o restante do elenco do Belo encontraram milhares de torcedores.

A chegada dos jogadores foi em cima de um trio elétrico e do carro do Corpo de Bombeiros. A imagem, aliás, ficou marcada na memória do jogador brasiliense.

“É um sonho realizado. Eu olhava lá de cima do trio e pensava: ‘o que é isso?’”, recorda Victor, que agradeceu o apoio. “A torcida nos apoiou desde o início. Quando tomamos o gol, não houve vaias. Continuaram apoiando e isso foi fundamental para o título.”

Campeão estadual pela 28ª vez, o Botafogo inicia agora a preparação para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série C. E o principal desafio da equipe no ano começa neste fim de semana. O palco da primeira partida será o mesmo do título do último domingo: o Almeidão. Domingo, encara o Cuiabá, o campeão mato-grossense.

Fonte: Roberto Wagner/jornaldebrasilia

 

O acordo da venda de Vinicius Jr está alinhado entre  Flamengo e Real Madrid, mas as partes ainda não assinaram os contratos

 

Por Eduardo Peixoto, Isabella Pina e Ivan Raupp, Rio de Janeiro e Barcelona

Cobiçado pelo Real Madrid e com proposta milionária na mesa, Vinicius Junior segue dando passos até sua ascensão no futebol profissional. Nesta segunda-feira, o jovem de apenas 16 anos acordou cedo para comparecer ao Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, onde realizou exames médicos. Segundo apurou o GloboEsporte.com, os exames são para o seguro de vida que o Fla faz para os seus atletas profissionais, mas o clube da Gávea também enviará os resultados para os merengues, que fizeram esse pedido.

- Ainda estou feliz pelo título de ontem e acordei cedo pra fazer exames. Estou bem empolgado de subir para o profissional e fazer o Brasileirão - comentou Vinicius, com seu habitual sorriso, e ainda pensando no seu próximo passo, que será a integração com o grupo principal do Flamengo.

O Real Madrid ofereceu 45 milhões de euros (cerca de R$ 157 milhões) ao Rubro-Negro pelo jogador                                                

 

A transferência, no entanto, só será concretizada em junho de 2018, quando Vinicius completar 18 anos. Nos próximos dias, o jovem será integrado ao elenco profissional do Fla, como prometeu Zé Ricardo, para a disputa do Brasileirão.

O acordo da venda de Vinicius Jr está alinhado entre Flamengo e Real Madrid, mas as partes ainda não assinaram os contratos. Pelo acertado, ele ficará no Rubro-Negro até julho de 2018, quando completará 18 anos e a legislação permitirá a transferência.

Campeão e artilheiro do Campeonato Sul-Americano Sub-17 com a seleção brasileira e com diverdos títulos na base do Fla, Vinicius Junior tem multa rescisória estipulada em 30 milhões de euros (R$ 104 milhões), mas, diante da concorrência de diversos gigantes europeus como o rival Barcelona, o Real esticou a corda e chegou aos 45 milhões. O Flamengo visava aproveitar mais o jogador nos profissionais, mas diante das cifras milionárias envolvidas, tende a acertar a transferência assim que o atleta fizer 18 anos. O balanço anual indica que o clube carioca tem 100% dos direitos econômicos do garoto. Se isso for mantido na renovação, o Rubro-Negro fica com todo o valor.

 

 

Depois de 22 anos, o Rubro-Negro e o Tricolor voltaram a fazer uma partida decisiva de Campeonato Carioca e a equipe da Gávea acabou levando

O Flamengo é campeão carioca. Pela 34ª vez, o Rubro-Negro conquistou o título do Estadual. No Maracanã, a equipe da Gávea voltou a vencer o Tricolor das Laranjeiras, desta vez, por 2 a 1 se se sagrou campeão de forma invicta.

Depois de 22 anos, Flamengo e Fluminense voltaram a fazer uma partida que valia o título do Carioca. Na última vez, o Tricolor das Laranjeiras havia vencido, desta vez, o Rubro-Negro levou a melhor.

Os gols da partida foram marcados por Henrique Dourado para o Fluminense. Pelo lado rubro-negro, Guerrero e Rodinei fizeram os gols da vitória da equipe da Gávea.

O JOGO

O primeiro tempo entre Flamengo e Fluminense foi bastante tenso. O Tricolor começou mais ligado e conseguiu marcar em um lance de "abafa" no começo da partida. Novamente acuado, a equipe das Laranjeiras permitiu uma superioridade do Rubro-Negro que teve mais a posse da bola. Porém, a equipe da Gávea desmonstrava um nervosismo e não conseguia criar boas oportunidades. O Fluminense ainda quase conseguiu ampliar em lances de bola parada em em contra-ataques.

O Fluminense começou a partida muito ligado, imprensando o Flamengo no campo de defesa. Em um lance de bola parada, o Tricolor conseguiu marcar. Sornoza cobrou escanteio, Renato Chaves desviou e Henrique Dourado apareceu para cabecear a bola para o fundo das redes.

Passado o primeiro gol, o Tricolor recuou e o Flamengo teve o domínio das jogadas. Porém, o time de Zé Ricardo mostrava muito nervosismo. A única chance do Rubro-Negro aconteceu em bela jogada de Renê, que cruzou, a bola passou pela zaga do Fluminense e Everton obrigou Diego Cavalieri a fazer bela defesa.

Guerrero chuta para marcarAlexandre Brum / Agência O Dia

Apesar da maior posse do Flamengo, o Fluminense teve algumas chances de ampliar. Na melhor delas, pouco segundos antes do intervalo, Henrique Dourado puxou contra-ataque e cruzou para Wellington, o atacante tricolor recebeu dentro da área, mas chutou em cima da defesa rubro-negra.

HOTSITE: Flamengo conquista o 34ª título do Carioca

O Tricolor voltou melhor para a segunda etapa, o Flamengo buscando o empate ficou mais desorganizado e a equipe das Laranjeiras passou a criar boas chances. Renato Chaves e Sornoza tiveram boas chances de empatar.

Zé Ricardo colocou Rodinei na vaga de Gabriel tentando repetir a boa mudança da partida da Libertadores. Porém, quem brilhou foi Guerrero. Aos 39 minutos, quando a partida já parecia que iria para os pênaltis, o atacante apareceu dentro da área para marcar.

Porém, ainda havia tempo para mais um. O Fluminense foi desesperadamente para o ataque e acabou ficando com um a menos. Rodinei foi lançado, tentou passar por Cavalieri, que acabou expulso. Como o Tricolor já tinha feito as três substituições, a equipe das Laranjeiras teve que colocar Orejuela no gol. Nos acréscimos, em um contra-ataque, Rodinei ainda fez o segundo e deu a vitória ao Flamengo.

FICHA TÉCNICA
FLAMENGO 2 X 1 FLUMINENSE

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ) 
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa-RJ) 
Assistentes: Luiz Claudio Regazzone e Michael Correia (RJ) 
Cartões amarelos: Pará, Márcio Araújo (FLA); Henrique Dourado, Wellington Silva, Lucas, Léo (FLU) 
Cartão vermelho: Diego Cavalieri, 47'/2ºT (FLU) 
Renda/Público: R$ 3.242.130,00 / 58.399 pagantes 
Gols: Henrique Dourado, 3'/1ºT (0-1); Guerrero, 40'/2ºT (1-1); Rodinei, 50'/2ºT (2-1)

Flamengo: Alex Muralha, Pará, Réver, Rafael Vaz e Renê; Márcio Araújo, Willian Arão, Trauco (Rodinei, 16'/2ºT), Everton (Juan, 43'/2ºT) e Berrío (Gabriel, 11'/2ºT); Guerrero. Técnico: Zé Ricardo.

Fluminense: Diego Cavalieri, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Wendel (Marcos Júnior, 42'/2ºT) e Sornoza; Richarlison (Pedro, 41'/2ºT), Wellington Silva (Maranhão, 17'/2ºT) e Henrique Dourado. Técnico: Abel Braga.

  •  

 

 

Se aceitar os valores, craque será o jogador mais bem pago do mundo

O argentino Lionel Messi ainda tem futuro indefinido junto ao Barcelona. O contrato do craque se encerra em junho do próximo ano e o processo de renovação já foi iniciado pelos dirigentes do clube espanhol. No entanto, o jogador teria rejeitado a primeira oferta dos mandatários.                                                                         

Segundo o jornal espanhol 'As', a oferta do Barcelona girava entre R$ 104 milhões e R$ 122 milhões anuais líquidos. Caso aceitasse a oferta, o camisa 10 se tornaria novamente o jogador mais bem pago do mundo. 

No entanto, o craque argentino recusou a proposta. Além disso, Jorge Messi, pai e empresário do atacante, teria manifestado preocupação com algumas cláusulas do contrato que causariam problemas com a Receita espanhola novamente.

Por conta disso, o contrato foi rejeitado, mas o patriarca pediu à diretoria para que seguisse com otimismo e tentasse um acordo nas próximas semanas. Especula-se que o novo contrato iria até o ano de 2022.      

A federação paraibana de beach soccer, promove o paraibano de 2017 no adulto masculino

Confirmado  no evento a participação de 12 clubes divididos em três sedes, será um super campeonato onde os clubes filiados a entidade poderão disputar e buscar uma vaga para o brasileiro de beach soccer de 2017, que está confirmado na cidade de Jacaraú, litoral norte do estado da paraíba no mês de novembro.                                                                                                                                                                                 O grupo do litoral norte contará com 4 clubes: Porto, CCCLB, Vitoria e Palmares.                                                                                                                                                     Grupo da capital vai contar com Moroni, Colibri, Palmeiras e Servicar.

As cidades de Itabaiana e Mogeiro quando definirão o grupo da região com mais quatro clubes o Gama, Sep/Pilar, Santa Cruz e EF Bola na Rede.

Já o grupo da mata paraibana será definido nesta sexta-feira(05)

Fonte: FPBS - Ailton Cavalcanti

 

Por 3 votos a 1, o clube de Recife foi mantido como o vencedor da competição

A 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) negou nesta terça-feira (18) o recurso do Flamengo contra a decisão da Corte que garantiu ao Sport o direito de ser o único campeão brasileiro de 1987 reconhecido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Por 3 votos a 1, o clube de Recife foi mantido como o vencedor da competição.

 

O caso estava parado desde agosto de 2016, quando o ministro Luís Roberto Barroso pediu vistas ao processo e suspendeu o julgamento. Ele votou para que o título fosse dividido entre os clubes. Relator do caso e torcedor do Flamengo, o ministro Marco Aurélio votou contra o recurso do time de coração.

Os ministros Alexandre de Moraes e Rosa Weber também deram posição contrária. O ministro Luiz Fux se declarou impedido de participar do julgamento. Rodrigo Fux, seu filho, foi o advogado do Flamengo na ação.

O Flamengo informou que aguardará a publicação da decisão para avaliar se caberá novo recurso. "Nossa posição em busca do reconhecimento segue firme, uma vez que ganhamos o título no campo", afirmou o vice-presidente jurídico, Flávio Willeman.

Já o presidente do Sport, Arnaldo de Barros, celebrou mais uma conquista do clube sobre o time carioca nos tribunais. "Era uma pretensão esdrúxula do Flamengo. Queriam afrontar a coisa julgada que é protegida constitucionalmente. Desejavam subverter as decisões que ocorreram inclusive no STF para fazer valer um acordo, um conchavo político que tinha havido anteriormente. Mas o STF soube rechaçar e colocar em ordem os valores institucionais", encerrou o mandatário.

O CASO

Em 1987, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) atravessava grave crise financeira e se declarou incapaz de organizar o Campeonato Brasileiro. A partir daí, a Copa União foi organizada pelo Clube dos 13 com as principais equipes do país.

Na sequência, porém, a CBF resolveu fazer um campeonato com os clubes que ficaram de fora da Copa União. Os times foram divididos em dois módulos, o Verde (Clube dos 13) e o Amarelo (equipes reunidas pela entidade).

Flamengo e Internacional, campeão e vice do Módulo Verde, se recusaram a jogar um quadrangular final contra Sport e Guarani, campeão e vice do Módulo Amarelo. A polêmica se arrastou desde então.

 Folhapress.

 

Generation Cup e Verona Soccer Cup são competições muito prestigiadas

O futebol de base do Flamengo estará representado por sua equipe Sub-17 em importantes torneios nos Estados Unidos e na Europa: a Generation Adidas Cup e a Verona Soccer Cup.

Disputada na casa do Dallas FC em Frisco, no Texas, a Generation Adidas Cup reúne 16 equipes das Américas do Sul, Norte, Central e Europa. O Flamengo está no grupo B, ao lado de LA Galaxy (EUA), Sporting Kansas City (EUA) e Eintracht Frankfurt (ALE). O primeiro colocado de cada grupo avança para as semifinais da competição.

No fim do mês de abril, será a vez de os Garotos do Ninho visitarem a Europa. A estreia na 28ª Verona Supper Cup, disputada na região de Verona, na Itália, será no dia 28.04 contra o Arsenal, da Inglaterra, no Estádio Gavagnin, em Veneza. Completam o grupo B da competição internacional as equipes italianas do Atalanta e do Chievo Verona, que o Flamengo enfrentará em seguida. Os dois primeiros colocados de cada grupo jogam as semifinais da competição.

"A importância de realizarmos um intercâmbio disputando competições internacionais como essas, é proporcionar aos nossos atletas a oportunidade de jogarem contra e de se relacionarem com as principais equipes do futebol mundial, enfrentando atletas de diferentes culturas e modelos de jogo. Não temos dúvidas de que isso dará a eles uma experiência fantástica tanto nas suas vidas pessoais, que também é uma grande preocupação nossa, como no seu desenvolvimento desportivo. Além disso, podemos balizar o nível de nossos atletas com o principal mercado do futebol", explicou Carlos Noval, Diretor do Futebol de Base do Flamengo.

O time sub-15 rubro-negro também viajará para a disputa de torneios na Europa. Os jovens participarão, entre os dias 14 e 17 de abril, da oitava edição do torneio Memorial Stefano Gusella, em Turim, competição que reúne equipes de base de prestigiosas equipes da Itália e do resto da Europa, como Juventus, Milan, Roma, Sampdoria, Napoli, Spartak Moscou, CSKA e Espanyol.

Pagina 1 de 19
JR Esquadrias