Econômia (136)

Em dezembro de 2019, serão atendidas pelo Programa 13,1 milhões de famílias, em todos os 5.570 municípios brasileiros, totalizando R$ 5 bilhões em pagamentos - R$ 2,5 bilhões referentes à folha de pagamento mensal e R$ 2,5 bilhões correspondentes ao Abono Natalino.

A CAIXA começa a pagar, nesta terça-feira (10), o benefício Abono Natalino do Programa Bolsa Família, um pagamento adicional que permite às famílias beneficiárias receberem, no total, o dobro do benefício do mês de dezembro. A ação de pagamento atende à Medida Provisória nº 898/2019, editada pelo Governo Federal em outubro de 2019.

Em dezembro de 2019, serão atendidas pelo Programa 13,1 milhões de famílias, em todos os 5.570 municípios brasileiros, totalizando R$ 5 bilhões em pagamentos - R$ 2,5 bilhões referentes à folha de pagamento mensal e R$ 2,5 bilhões correspondentes ao Abono Natalino.

O benefício adicional será pago com a utilização do mesmo cartão, nas mesmas datas e canais por meio dos quais os beneficiários recebem normalmente as parcelas do Programa Bolsa Família. Para as famílias que recebem as parcelas mensais por meio de crédito em conta poupança ou conta CAIXA Fácil, os valores correspondentes ao Abono Natalino serão creditados nessas mesmas contas.

 

O calendário de pagamentos é de acordo com o final do Número de Inscrição Social (NIS) do responsável familiar apresentado no cartão do Programa Bolsa Família, conforme segue:

 

Final do NIS

Data início de pagamento

Final 1

10/dez

Final 2

11/dez

Final 3

12/dez

Final 4

13/dez

Final 5

16/dez

Final 6

17/dez

Final 7

18/dez

Final 8

19/dez

Final 9

20/dez

Final 0

23/dez

 

As parcelas têm validade de 90 dias a partir da data de início de pagamento apresentada no cronograma.

Para a vice-presidente de Governo da CAIXA, Tatiana Thomé de Oliveira, “a operação do novo benefício fortalece o papel do banco de principal agente de políticas públicas, fazendo chegar esse recurso adicional de R$ 2,5 bilhões a 13,1 milhões de famílias em situação de pobreza e extrema pobreza em todos os municípios brasileiros”. “Essa operação somente é possível pela capilaridade e expertise que a CAIXA possui”, complementa.

O valor do benefício do Bolsa Família pode ser consultado por meio do Aplicativo CAIXA Bolsa Família, sendo que o valor do Abono Natalino será adicionado ao valor da parcela apresentada.

A CAIXA disponibiliza, ainda, atendimento às famílias por meio do telefone 00-726-0207, para informações relacionadas ao Programa e demais benefícios ao cidadão.

 

Fonte: Ascom Caixa

 

 

 

 

A Campanha de Conscientização da Black Friday Legal tem como base a Lei 10.859/2017, também de autoria de Adriano Galdino, que obriga as empresas físicas e onlines a publicarem informações e valores dos produtos que estarão inclusos na promoção

A Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB) lançará oficialmente, nesta terça-feira (12), a Campanha de Conscientização do Black Friday Legal, durante sessão especial no Plenário Deputado José Mariz, a partir das 14h30. A proposta é do presidente da Casa, deputado Adriano Galdino, e tem como objetivo conscientizar servidores, a população e demais parlamentares sobre regras e diretrizes, além de direitos do consumidor durante a Black Friday.

A Campanha de Conscientização da Black Friday Legal tem como base a Lei 10.859/2017, também de autoria de Adriano Galdino, que obriga as empresas físicas e onlines a publicarem informações e valores dos produtos que estarão inclusos na promoção. A publicação deve ser feita pelo menos dois dias antes do início da Black Friday.

A lista com os itens que estarão na Black Friday deverá ser exibida no próprio site da loja, com o preço real de cada produto, sem o desconto a ser concedido durante a promoção.

De acordo com o projeto de Adriano Galdino, a fiscalização ao cumprimento da Lei é de responsabilidade do Serviço de Proteção ao Consumidor do Estado da Paraíba (Procon-PB).

Black Friday 

A Black Friday é uma ação publicitária que trata de promoções e facilidades em compras de produtos e serviços com preços mais baixos que o normal. A ação acontece na última sexta-feira do mês de novembro e marca o início das compras natalinas.

 

Matéria da Internet

O empreendimento fica no inicio da Avenida Cabo Branco, na orla da praia de Cabo Branco, em João Pessoa

Um dos empreendimentos mais comentados de João Pessoa, o futuro Ba’ra Hotel, já pode ser visto em maquete. Quem visitar a Hoffmann Imobiliária e a Construtora Massai pode ter uma ideia do que será o equipamento hoteleiro mais inovador da Paraíba.

O Ba’ra Hotel, uma parceria da Massai, uma das cem maiores do País, e do jogador de futebol Hulk, já iniciou a fase de fundação e tem projeto assinado pelo premiado escritório internacional de arquitetura Plan B, localizado em Medelín, na Colômbia.

O empreendimento conta com um projeto pautado na integração e na sustentabilidade, com detalhes únicos na futura obra, focados na simplicidade e no compartilhamento. Pelo projeto, que agrega natureza e cultura, haverá pontes entre os hóspedes, e as 124 suítes parecem células independentes, que imprimem arrojo e conforto.

O empreendimento fica na Avenida Cabo Branco, na orla da praia de Cabo Branco, em João Pessoa.

O perfil no Instagram é @barahotel.

Para informações sobre a Massai, o Instagram é @massaioficial

Por  Fabio cardoso

Folha de dezembro será antecipada e mais de R$ 214 milhões serão disponibilizados antes do Natal; medida, que integra a ação “Cidade que tem mais oportunidades”, foi anunciada durante reunião com a CDL

João Pessoa terá mais de R$ 225 milhões em circulação na economia. O aporte – que contempla o pagamento das folhas de novembro e dezembro, além da 2ª parcela do décimo terceiro salário e a premiação do 14º dos professores – foi anunciado pelo prefeito Luciano Cartaxo durante reunião com a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), realizada na manhã desta sexta-feira (8), na sede da instituição. A medida integra a ação “Cidade que tem mais oportunidades”, iniciada na última segunda-feira, com a divulgação do calendário turístico e cultural da cidade.

Pela primeira vez, a Prefeitura antecipou o pagamento da folha de dezembro para antes do Natal, injetando R$ 214 milhões no início do mês. A mudança no cronograma de desembolso foi acordada com a CDL, contribuindo para impulsionar as vendas no comércio nos últimos 30 dias do ano. “A Capital paraibana tem ido além do dever de casa, com um modelo de gestão coeso, que dá resultado. Cortamos gastos, qualificamos o investimento, fortalecemos o controle interno e chegamos ao sétimo ano de trabalho consecutivo cumprindo um compromisso assumido com a população e com os servidores. Ao mesmo tempo, estamos estimulando a economia, dinamizando setores como o do comércio e o de serviços”, pontuou Luciano Cartaxo.

O presidente da CDL João Pessoa, Nivaldo Vilar, disse que a medida chega em boa hora, sendo um dos fatores decisivos para o fortalecimento das vendas no momento de maior movimentação do ano. “O prefeito Luciano Cartaxo veio nos trazer uma grande notícia para nosso segmento e todo o setor produtivo de nossa cidade. Estamos nos recuperando de uma grave crise e com certeza este aporte financeiro será muito importante para nós lojistas. Ficamos todos muito agradecidos e esperamos que os consumidores façam suas compras de fim de ano na cidade para que este dinheiro circule dentro de João Pessoa”, afirmou.

Quem também agradeceu à iniciativa do prefeito foi o embaixador de Negócios da Paraíba, Paulo Júnior. “Temos que reconhecer e saudar o compromisso que o prefeito Luciano Cartaxo tem com o desenvolvimento de nossa terra, comprovado mais uma vez com este anúncio”, disse.

A folha do mês de novembro, de R$ 85,3 milhões, será paga entre os dias 28 e 29/11. A segunda parcela do 13º salário, que prevê a injeção de R$ 43,1 milhões, será efetuada no dia 16/12. Já o desembolso do mês de dezembro, de R$ 86,2 milhões, será quitado no dia 20/12. “Divulgamos o cronograma de pagamento uma semana depois do Feirão de Imóveis realizado com os servidores municipais. Com a medida, todos aqueles que trabalham na administração poderão se planejar, sabendo a data que o pagamento vai ser depositado em conta”, apontou o secretário de Administração do município, Lauro Montenegro.

Professores – O pagamento do décimo quarto será realizado no dia 30/12. A premiação, paga aos profissionais da educação, é resultado da avaliação do programa Escola Nota 10. A medida beneficia professores e servidores da Rede Municipal de Ensino.

Fonte: Secom-Municipal

Na ocasião, João Azevêdo destacou os potenciais turísticos e energéticos do Estado e detalhou o trabalho desenvolvido pela gestão estadual para manter a Paraíba no 1º lugar no ranking de competitividade do Nordeste

O governador João Azevêdo apresentou, nesta quinta-feira (31), na Câmara Espanhola de Comércio no Brasil, em São Paulo, as oportunidades de negócios e potenciais econômicos da Paraíba a investidores de países europeus que possuem interesse de investir no Nordeste.

Na ocasião, João Azevêdo destacou os potenciais turísticos e energéticos do Estado e detalhou o trabalho desenvolvido pela gestão estadual para manter a Paraíba no 1º lugar no ranking de competitividade do Nordeste, como aponta o Centro de Liderança Pública (CLP), que analisa ferramentas aplicadas pelas gestões nas áreas da infraestrutura, solidez fiscal, inovação e segurança pública.

Os projetos do Polo Turístico Cabo Branco, que prevê, inicialmente, a construção de cinco resorts nas imediações do Centro de Convenções de João Pessoa, e do estaleiro para reparos navais no município de Lucena, que juntos devem injetar, em um primeiro momento, mais de R$ 4 bilhões na economia do Estado e gerar mais de nove mil empregos, também foram apresentados aos investidores europeus.

Foto: Secom

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

“A Paraíba mantém sua gestão fiscal controlada, fazendo com que o Estado gere o maior número de emprego com carteira assinada no Nordeste. Isso acontece porque temos uma determinação para manter o nosso patamar de investimentos; a cada obra concluída, uma outra é inserida no lugar para que o número de emprego permaneça constante. Além disso, nós temos nossas obrigações em dia, com o pagamento de fornecedores e funcionários dentro do mês trabalhado, o que cria um ambiente de negócio propício a atrair novas empresas ”, pontuou. O diretor executivo da Câmara Espanhola de Comércio no Brasil, Alejandro Gómez, agradeceu a participação do governador João Azevêdo e enalteceu o crescimento de investimentos nas áreas da infraestrutura, energia e turismo no Nordeste. “A Câmara Espanhola é uma das principais fontes provedoras de relacionamento entre o Brasil e a Espanha. Completamos 64 anos de atuação no país e o nosso objetivo é apoiar as 280 empresas associadas no desenvolvimento de novos negócios. O Brasil tem um grande potencial na pecuária e agricultura e vive um momento de reformas e abertura comercial e acreditamos que os investimentos virão”, frisou.

Foto: Secom

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os deputados estaduais Ricardo Barbosa e Wilson Filho e os secretários Marialvo Laureno (Fazenda); Gilmar Martins (Planejamento, Orçamento e Gestão); Adauto Fernandes (executivo da Representação Institucional); e Rômulo Polari Filho (diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba – Cinep PB) também acompanharam o evento.

Secom

 
 
 

Em nota, o Copom credita reformas e ajustes econômicos em processo no Brasil estão em avanço, e que "perseverar [neles] é essencial para permitir a consolidação da queda da taxa de juros estrutural, e para a recuperação sustentável da economia".

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM) anunciou redução da taxa básica de juros nesta quarta-feira (30). A Selic teve 0,5 ponto percentual cortado, chegando aos 5% – novo patamar mais baixo da história.

Tal decisão era uma questão de tempo, já antecipada por especialistas do mercado. A diminuição da taxa estimula compras, barateia o crédito e é artifício comum para acelerar a economia do país.

Em nota, o Copom credita reformas e ajustes econômicos em processo no Brasil estão em avanço, e que "perseverar [neles] é essencial para permitir a consolidação da queda da taxa de juros estrutural, e para a recuperação sustentável da economia".

Analistas financeiros apostam em uma Selic ainda menor para o fim do ano, com prospectivas chegando até 4,5%.


O que é a Selic?

Infográfico explica o que é a taxa básica de juros, a Selic
 
Fonte: Agência Brasil
 

 

São negociáveis os tributos Taxa de Coleta de Resíduos (TCR); Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e ITBI referentes ao exercício de 2018 e anos anteriores

Os contribuintes com pendências em tributos municipais da Prefeitura de João Pessoa (PMJP) têm a chance de regularizar a situação durante o Programa de Recuperação Fiscal (Refis) 2019, que começou nesta terça-feira (22). De acordo com a Secretaria da Receita Municipal (Serem), a expectativa é que 450 pessoas sejam atendidas, por dia, até 22 de novembro.

São negociáveis os tributos Taxa de Coleta de Resíduos (TCR); Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) e ITBI referentes ao exercício de 2018 e anos anteriores. O contribuinte deve ficar atento, pois não são negociáveis no Mutirão Fiscal os débitos lançados no exercício atual (2019). Além disso, os débitos relativos às infrações de trânsito, indenizações devidas ao município, multas de natureza contratual e outorga onerosa não entram no Refis.

Entre as vantagens de regularizar a situação fiscal perante o município, está a possibilidade de o contribuinte poder participar de licitações ou receber qualquer quantia proveniente de órgãos públicos. “É uma chance que a Prefeitura está dando ao contribuinte, oferecendo um desconto de 100% nos juros e até 90% nas multas, para regularizar a situação fiscal. Dessa forma, as pessoas evitam transtornos futuros com a Receita Municipal”, acrescentou o secretário da pasta, Max Bichara.

Jociane Oliveira Guedes estava entre as dezenas de pessoas que compareceram ao primeiro dia do Mutirão Fiscal. Para ela, a inicitativa é uma oportunidade para as pessoas ficarem em dia com os tributos municipais. “É ótimo regularizar a situação com a Prefeitura e não ter o nome negativado”.

Atendimento – O Mutirão Fiscal acontece exclusivamente no Centro Administrativo Municipal (CAM), no bairro de Água Fria, em dois pontos de atendimento, o que já existe, na Central de Atendimento ao Contribuinte, e o segundo local é o auditório do Centro Administrativo Municipal. O atendimento funcionará de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

Os contribuintes que vão participar do Refis 2019 devem ficar atentos ao calendário de atendimento, que foi definido por ordem alfabética. O cronograma completo está disponível no link: https://midi.as/bqT2

Calendário completo de atendimento para o Refis:

Letras Data
A 22 e 23 de outubro
B,C 24 de outubro
D, E 25 e 28 de outubro
F 29 de outubro
G, H , I 30 e 31 de outubro
J 1, 4 e 5 de novembro
K , L 6 de novembro
M 7, 8 e 11 de novembro
N , O 12 de novembro
P, Q , R 13 e 14 de novembro
S , T 18 de novembro
U, V, W, X, Y, Z 19 de novembro
Retardatários 20 e 22 de novembro

 Fonte: Secom

Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou na tarde desta sexta-feira (27) que a bandeira tarifária de outubro será amarela. Dessa forma, a tarifa sofre acréscimo de R$ 1,50 a cada 100 quilowatt-hora (kWh) consumidos. A medida representa uma redução em relação aos meses de agosto e setembro, quando a agência adotou a bandeira tarifária vermelha, no patamar 1, com acréscimo de R$ 4 para cada 100 kWh consumidos. 

Segundo a agência, a mudança da bandeira vermelha para amarela ocorre pela previsão do aumento das chuvas em outubro. “A previsão hidrológica para o mês sinaliza elevação das vazões afluentes aos principais reservatórios, o que também permitirá reduzir a oferta de energia suprida pelo parque termelétrico”, disse a Aneel, em nota.

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos com base nas condições de geração.

O cálculo para acionamento das bandeiras tarifárias leva em conta, principalmente, dois fatores: o risco hidrológico– GSF, na sigla em inglês, e o preço da energia (PLD). Segundo a agência, o cenário favorável reduziu o preço da energia para o patamar mínimo, o que “diminui os custos relacionados ao risco hidrológico e à geração de energia de fontes termelétricas”, possibilitando a manutenção dos níveis dos principais reservatórios próximos à referência atual.

Fonte: Agenciabrasil                                                                                                      dição: Lílian Beraldo
 

 

João Azevêdo enalteceu o fortalecimento do Consórcio Nordeste. “Nós tivemos a oportunidade de fazer um debate extremamente produtivo com relação à reforma tributária e discutimos a situação da Petrobras no Nordeste.

O governador João Azevêdo e demais governadores do Nordeste participaram, nesta segunda-feira (16), do Encontro do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste), realizado no Hotel Senac Barreira Roxa, em Natal, no Rio Grande do Norte. Na ocasião, os gestores anunciaram para esta terça-feira (17) o lançamento do primeiro edital de compra coletiva na área da saúde. 

Durante o encontro, os governadores também se posicionaram sobre a reforma tributária e manifestaram preocupação com a redução da presença da Petrobras na região e com a decisão do Governo Federal de elevar a cota de importação do etanol não tributada dos Estados Unidos. Além disso, eles defenderam a celeridade na tramitação do Projeto de Emenda à Constituição (PEC) que torna o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) um instrumento permanente de financiamento da educação básica pública. 

Ao final da reunião, o governador João Azevêdo enalteceu o fortalecimento do Consórcio Nordeste. “Nós tivemos a oportunidade de fazer um debate extremamente produtivo com relação à reforma tributária e discutimos a situação da Petrobras no Nordeste. São pautas como essas que interessam a todos os Estados e que faz com que haja uma unidade tão grande de interesse. Nós estamos às vésperas de uma viagem internacional para que o Consórcio se apresente enquanto alternativa de investimento para vários países da Europa para mostrar os nossos potenciais, o que faz com que as nossas reuniões sejam muito propositivas”, avaliou.

Por sua vez, o governador da Bahia, Rui Costa, destacou a economia que as compras coletivas proporcionarão aos Estados. “Depois de toda uma apresentação ao mercado e aos fornecedores de equipamentos na área da Saúde, nós vamos publicar amanhã a primeira compra coletiva do Consórcio que lançará outros editais até dezembro, alcançando boa parte dos produtos que hoje os Estados compram e, com isso, vamos garantir economia para os cofres públicos”, explicou. 

Já a anfitriã da reunião do Consórcio Nordeste e governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, fez uma avaliação positiva das pautas discutidas na oportunidade. “É um dia muito importante porque temos a presença de todos os governadores do Nordeste, que representam mais de 56 milhões de brasileiros, numa ocasião em que tratamos de temas essenciais para vencer os desafios do desenvolvimento regional, com a geração de emprego e distribuição de renda”, observou. 

Também estiverem presentes na reunião, os governadores Paulo Câmara (Pernambuco); Wellington Dias (Teresina); Flávio Dino (Maranhão); Belivaldo Chagas (Sergipe); além da governadora em exercício do Ceará, Izolda Cela.

O crescimento de 0,4% do PIB foi previsto pelo Ipea, que antecipou que o país crescerá em 2019 0,8%, três décimos de pontos percentuais abaixo do verificado em 2017 e 2018 (1,1%).

O Produto Interno Bruto de R$ 1,78 trilhão nos meses de abril, maio e junho deste ano surpreendeu os economistas. O valor corresponde ao fluxo de novos bens e serviços finais produzidos no segundo trimestre deste ano. O resultado foi 1% acima do registrado no mesmo período em 2018 e 0,4% superior ao primeiro trimestre de 2019.

Antes da divulgação do PIB pelo IBGE, a tendência geral dos economistas ouvidos no mercado financeiro era apostar em um crescimento de 0,2% de um trimestre a outro. O percentual em dobro é melhor do que se esperava, mas não o suficiente para marcar uma vigorosa retomada da economia, concordam economistas de postos diferentes ouvidos pela Agência Brasil.

Para Thiago Xavier, economista da Consultoria Tendências, o resultado do PIB é uma “pequena surpresa, mas precisa ser relativizada”. De acordo com ele, “uma das razões para ter cautela é a base muito frágil de comparação dos resultados. Independentemente de qual for a métrica, [o resultado] tem bases de comparação fracas”.

Xavier assinala que as comparações entre períodos iguais de 2019 e 2018 têm que levar em consideração que no primeiro semestre do ano passado houve a greve dos caminhoneiros que desarticulou toda a economia nacional, e que no primeiro semestre deste ano a ruptura da barragem da Vale em Brumadinho (MG) reduziu a produção mineral.

Capital e trabalho

Flávio Castelo Branco, gerente-executivo de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI) faz coro com economista da Consultoria Tendências e acrescenta que na última medida do PIB o crescimento atribuído à indústria se destaca porque o histórico é negativo.

“É uma notícia positiva e enseja expectativas, mas vamos lembrar: a indústria tinha caído dois semestres seguidos e o crescimento anterior tinha sido fraco. Agora estamos de cinco a seis pontos percentuais menores que estávamos no início da recessão”.

A recessão mencionada pelo representante do capital também é citada pelo representante da força de trabalho.

“O país está longe de ter uma dinâmica capaz de ter um crescimento que reponha as perdas do período recessivo e recoloque o país nos mesmos patamares econômicos de 2013 e 2014”, assinala Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

“Nessa dinâmica é preciso de mais três ou quatro anos para recuperar o mesmo posicionamento de 2014. Isso significa que podemos ter mais uma década perdida em que o país mergulha e depois sai do fundo do poço para voltar para a mesma posição”, compara.

Cenário internacional

Se o passado recente de baixo crescimento econômico relativiza os feitos medidos pelo PIB do 2º trimestre de 2019, o futuro exige cautela. O Brasil pode sentir efeitos do conflito comercial e cambial entre os Estados Unidos e China, da saída do Reino Unido (Brexit) da União Europeia, e da recente moratória da Argentina.

Estados Unidos, China, União Europeia e Argentina são os principais parceiros comerciais do Brasil. A redução do comércio internacional desses países pode tornar o bom desempenho da economia mundial duvidoso. “Quando o mundo fica mais incerto, países emergentes ficam mais expostos”, pondera Thiago Xavier, da Consultoria Tendências.

“O cenário internacional já foi melhor e nós não aproveitamos por causa da nossa situação doméstica”, rememora Castelo Branco, da CNI. Para ele, “o maior freio está dentro da nossa economia”.

Em sua avaliação, a aprovação final da reforma da Previdência Social, a simplificação da cobrança de tributos, a desburocratização das obrigações das empresas e a medida provisória da liberdade econômica poderão fortalecer a economia do país em meio ao tempo fechado entre os parceiros comerciais.

“Esses fatores vão preponderar sobre as dificuldades que vêm do ambiente internacional”, acredita o gerente-executivo de Política Econômica da CNI.

Reformas e investimentos

Além das medidas em andamento, Castelo Branco tem expectativa positiva quanto ao programa de privatização e concessões do governo federal e acredita que o Banco Central continuará reduzindo a taxa básica de juros (Selic). “Isso tudo cria um ambiente mais favorável para a demanda de investimentos e para a demanda das famílias, fazendo a roda do crescimento girar um pouquinho mais rápido”, descreve.

“O que vai viabilizar um crescimento mais robusto da economia é o investimento. É preciso atrair muito recursos para infraestrutura e para isso temos que fazer alterações nas leis para que estimule a entrada de capital”, acrescenta José Ronaldo Souza Júnior, diretor de Macroeconomia do Ipea.

O crescimento de 0,4% do PIB foi previsto pelo Ipea, que antecipou que o país crescerá em 2019 0,8%, três décimos de pontos percentuais abaixo do verificado em 2017 e 2018 (1,1%).

“Será o terceiro ano com a atividade econômica em ritmo muito baixo. Com uma dinâmica que não responde ao que se esperava. Nós já temos um período longo de baixo crescimento”, lamenta Clemente Ganz Lúcio, do Dieese.

 

Por Gilberto Costa                                    Repórter da Agência Brasil

Pagina 1 de 10

PUBLICIDADE

JR Esquadrias