Cultura (38)

Em meio ao cerceamento do governo Bolsonaro na Ancine, "Marighella", de Wagner Moura, tem estreia cancelada

O filme “Marighella”, dirigido por Wagner Moura, teve seu lançamento adiado indefinidamente no Brasil.

Em nota, a produtora O2 Filmes informou que a estreia do longa, prevista inicialmente para o dia 20 de novembro, foi cancelada porque os realizadores não conseguiram “cumprir os trâmites” exigidos pela Agência Nacional de Cinema (Ancine).

A data escolhida inicialmente para o lançamento marcaria tanto o mês em que se completam cinquenta anos do assassinato de Carlos Marighella quanto o dia da Consciência Negra.

As verbas para a produção e comercialização do filme vêm do Fundo Setorial Audiovisual (FSA), administrado pela Ancine. A distribuição é da Paris Filmes.

Recentemente, a agência já havia negado dois pedidos da produtora O2 Filmes referentes à “Marighella”. O primeiro dizia respeito ao reembolso de parte do dinheiro investido na produção do longa, no valor de R$ 1 milhão. O segundo pedia adiantamento de verbas de comercialização, referentes justamente ao lançamento do filme.

“É impossível não pensar que existe uma articulação política para criar esse tipo de ambiente”, disse o diretor Wagner Moura à revista Época na ocasião. Ele já previa, então, que a negativa da Agência poderia atrapalhar a estreia do filme.

Controle e corte de verbas

Desde o início do mandato, Jair Bolsonaro (PSL) vem declarando recorrentemente que pretende ampliar o controle sobre as produções audiovisuais brasileiras apoiadas pela Ancine. Nesta terça-feira (10), Bolsonaro afastou o presidente da agência, Christian de Castro, e outros quatro servidores.

“É Bíblia embaixo do braço e que saiba 200 versículos da Bíblia”, disse o presidente, ao jornal Valor Econômico, sobre a busca do perfil do substituto para assumir a Ancine. As declarações foram feitas à jornalistas no Quartel General do Exército, em Brasília.

A Agência tem orçamento anual de quase R$ 1 bilhão, e o setor do audiovisual movimenta anualmente R$ 25 bilhões.

Para o ano que vem, de acordo com a proposta orçamentária encaminhada pelo Executivo ao Congresso, pode haver um corte de 43%, reduzindo a verba do FSA, gerido pela Ancine. Os recursos previsto para o Fundo em 2020 somam R$ 415,3 milhões.

“Nós, produtores do longa-metragem Marighella, dirigido por Wagner Moura, anunciamos que a data de lançamento do filme nos cinemas brasileiros, divulgada anteriormente para 20 de novembro de 2019, está cancelada.

Os produtores haviam escolhido o mês de novembro, que marca os 50 anos de morte de Carlos Marighella, e o dia 20, da Consciência Negra, para a estreia. No entanto, a O2 Filmes não conseguiu cumprir a tempo todos os trâmites exigidos pela Ancine (Agência Nacional do Cinema).

Marighella segue sendo apresentado com muitos sucesso em vários festivais de cinema no mundo. Nosso objetivo principal sempre foi a estreia no Brasil. Os produtores e a distribuidora Paris Filmes vão seguir trabalhando para que isso aconteça”.

 

Fonte: Facebook/Pragmatismopolitico

O gestor destacou a alegria de celebrar o centenário de um paraibano que, pela sua força e arte, fez a diferença no Brasil e levou o nome da Paraíba aos quatro recantos do país.

João Azevêdo prestigiou, nessa quinta-feira (25), a abertura do Festival de Artes Jackson do Pandeiro, no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa, que integra a programação alusiva às comemorações do centenário de nascimento do cantor, compositor e ritmista paraibano mundialmente conhecido como o rei do ritmo. Além das exposições, debates e apresentações culturais, o primeiro dia do evento foi marcado pelo show do cantor e compositor pernambucano Lenine, que cantou grandes sucessos da sua carreira para o público que lotou a Praça do Povo. 

No local, o governdor e a primeira-dama Ana Maria Lins visitaram estandes de artesãos paraibanos e homenagearam a viúva de Jackson do Pandeiro, Neuza Flores, e as sobrinhas do artista, Geralda Miranda e Maria das Mercês Souza.

O gestor destacou a alegria de celebrar o centenário de um paraibano que, pela sua força e arte, fez a diferença no Brasil e levou o nome da Paraíba aos quatro recantos do país. “Nós dedicamos o ano inteiro ao centenário de Jackson que, pela sua importância enquanto músico e representante do nosso estado e do Nordeste, nos estimulou a criar esse maravilhoso Festival. A história dele ficará imortalizada não só pela sua obra, mas pelo reconhecimento do seu povo e da sua região”, frisou.

A presidente da Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), Nézia Gomes, afirmou que a gestão estadual está promovendo ações que mantêm viva a história de um paraibano que foi importante para a cultura brasileira. “O Governo do Estado está realizando todo o ano cultural em homenagem a Jackson do Pandeiro e este evento vem coroar essa digna homenagem ao artista, juntando todas as artes, porque nós lembramos muito de Jackson na música, mas ele também era do cinema e do teatro, e nós estamos aqui com uma diversidade da arte, com muita presença da cultura paraibana, além de atrações nacionais para abrilhantar o Festival”, declarou.

O cantor Lenine ressaltou o significado especial de participar de um Festival em homenagem a Jackson do Pandeiro. “Ele é um pilar para mim porque se a gente for pensar na música popular brasileira, ele é um dos alicerces, o que é evidente para mim. Jackson é fundamental e importantíssimo e é muito bom estar fazendo essa comemoração com tanto tempo de festa”, disse.

Neuza Flores, viúva de Jackson do Pandeiro, agradeceu a homenagem do Governo do Estado ao centenário do artista. “Meu coração está transbordando de alegria. Estou muito orgulhosa e feliz de ver essa homenagem e se ele aqui estivesse, também teria gostado muito. Eu quero agradecer a todo o povo da Paraíba e ao governador por esse reconhecimento”, comentou.

A empresária Luana Suzuki elogiou a organização do evento e garantiu presença em todos os dias do Festival. “Eu estou impressionada com a qualidade das bandas convidadas e o que eu achei mais interessante foi que o Governo chamou alguém de fora, mas chamou artistas daqui também. Isso para mim é incrível porque têm artistas reconhecidos nacionalmente, mas também valoriza os da nossa cidade”, falou.

A comerciante Edineia Lima também parabenizou a programação do Festival. “Eu estou achando maravilhoso. Eu gosto muito do Lenine e essa homenagem a Jackson do Pandeiro é merecida. Além disso, eu gosto muito das programações do Espaço Cultural”, afirmou.

A primeira noite do Festival de Artes Jackson do Pandeiro também foi prestigiada pelo deputado estadual Ricardo Barbosa e o secretário de Articulação Política, João Gonçalves, além de auxiliares do Governo.

Festival de Artes Jackson do Pandeiro - O evento segue até domingo (28), com mais de 60 atrações, em diversas áreas da cultura, como música, teatro, dança, circo, audiovisual, literatura, cultura popular e artes visuais. Durante quatro dias, mais de 400 artistas passarão pelo Espaço Cultural José Lins do Rego, que foi dividido em 13 polos.

Entre os artistas convidados que ocuparão o Polo ‘Sebastiana’ (Palco da Praça do Povo) estão a baiana Margareth Menezes, que canta no sábado (27), e o paraibano Genival Lacerda, que participa do concerto especial da Orquestra Sinfônica da Paraíba no domingo (28). A programação completa do evento está disponível no site www.funesc.pb.gov.br.

Fonte: Secom estadual

Festa das Neves será aberta no dia 27 de julho, quando os parques e barracas começam a funcionar. Shows acontecem em 4 e 5 de agosto

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope), divulgou nesta sexta-feira (12), a programação da Festa das Neves, que terá o cantor Fagner como grande atração,além da apresentação do padre Nilson Nunes e de outros artistas. A Festa das Neves será aberta no dia 27 de julho, quando os parques e barracas começam a funcionar. Os shows e apresentações dos grupos de cultura popular serão realizados nos dias 4 e 5 de agosto no Ponto de Cem Réis.

No domingo (4), primeiro dia de show no Ponto de Cem Réis, a programação começa às 17h com apresentação de teatro infantil a Turma do Chaves, que vai alegrar a meninada. Depois será a vez da cultura popular com o Boi de Reis Estrela do Norte. Em seguida, a partir das 20h o palco será do padre Nilson Nunes e banda com um show voltado para a família e repleto de músicas de louvor.

Na segunda-feira, (5), dia do aniversário de João Pessoa, a programação começa às 18h, com a apresentação da Lapinha Jesus de Nazaré, seguida da banda Tentáculos, que se apresenta a partir das 20h e anima o público para receber o cantor e compositor Fagner, um dos artistas consagrados da Música Popular Brasileira, que vai interpretar os grandes sucessos de sua carreira de mais de 50 anos.

O diretor executivo da Funjope, Maurício Burity,disse que a Prefeitura de João Pessoa faz uma festa para todas as pessoas com uma programação voltada para a família, com apresentações de grupos de cultura popular e atrações musicais.

“A Prefeitura fez uma opção por uma programação voltada para a família que é característica da Festa das Neves, com um show religioso antenado com a natureza do evento e ao mesmo tempo comemorando o aniversario da cidade e dia da padroeira com um dos maiores nomes da música popular brasileira, e fiel representante da cultura nordestina. Temos certeza que o publico vai aprovar”, afirmou.

Programação:

Domingo (4)

17h – Teatro infantil – A Turma do Chaves

18h30 – Boi de Reis Estrela do Norte

20h00 – Padre Nilson Nunes

Segunda-feira (5)

18h – Lapinha Jesus de Nazaré

20h – Banda Tentáculos

22h – Fagner

Fonte: Secom / Juneldo Moraes

Das festas juninas para as academias! Esse é o forró, estilo de dança tão tradicional no Brasil e que também pode ser um ótimo exercício físico para a saúde

Para quem busca bem-estar, autoconfiança e qualidade de vida, qualquer momento é propício para cuidar da saúde. Até mesmo em um simples forró, dança brasileira tão tradicional em nossas festas juninas, é possível tirar bons proveitos para o nosso corpo. Tanto que, atualmente, diversas academias de ginástica passaram a implantar a prática dentre as aulas de atividades aeróbicas oferecidas para quem deseja tonificar os músculos, principalmente das pernas, e precisa perder calorias de forma natural e extremamente prazerosa. 

Dançar é uma atividade incrível para a saúde. E, muito mais do que meros "dois pra lá e dois pra cá", o forró está enraizado na cultura brasileira. O som feito por triângulos, zabumbas e sanfonas, traz melodias agradáveis, dançantes e muito animadas para praticar a dois. Para o professor de dança Leandro Rocha, as razões principais pelas quais o forró faz contagiar as academias são os seus benefícios para a saúde e o ritmo que a dança embala naturalmente o corpo dos praticantes:

"O forró ganhou espaço nas academias por ser uma atividade que ajuda na melhora da coordenação motora e, praticada com frequência, ajuda no fortalecimento muscular, principalmente pernas. Além disso, atua naturalmente no alívio do estresse, como uma dança alegre e quando o praticante mantém uma regularidade contribui com a perda peso", explica o professor, reiterando a frequêcia ideal para um iniciante:

"Fazer duas a três aulas de forró por semana já é uma ótima forma de renovação de energia corporal e mental".

Conheça os 5 principais benefícios do forró para sua saúde

                                                                                                                                  1 - Controla a ansiedade: Por ser uma atividade que exige concentração nos passos, ritmos e no parceiro de dança, a prática ajuda a controlar a ansiedade em outros âmbitos da sua vida. Quando você dançar forró, tente libertar seus pensamentos e aproveitar o momento de dança e alegria que o ritmo proporciona.

2 - Favorece a perda de peso: Para quem quer diminuir as medidas e conquistar o peso ideal, o forró também pode te ajudar! Cerca de uma hora de dança em um ritmo mais acelerado, é capaz de queimar mais de 200 calorias.

3 - Tonifica os músculos: O forró não beneficia apenas os músculos inferiores, é possível conquistar aquela barriga sarada com a prática constante da dança. O ritmo ainda ajuda a melhorar a flexibilidade e evitar as cãibras.

4 - Afasta a depressão: A dança favorece a socialização, a conhecer novas pessoas, conversar e ter um novo hobby, ajudando na liberação de serotonina, o hormônio do bem-estar que atua no combate a depressão.

5 - Melhora o equilíbrio: São tantos "dois pra lá e dois pra cá", giros e controle no ritmo que exercitamos o nosso equilíbrio a cada aula, fazendo com que os passos sejam feitos com mais segurança e até agilidade.

Todo mundo pode dançar forró?

Uma dança tão alegre e contagiante, não podia ser seletiva. Segundo o professor Leandro, o forró é democrático e todos podem praticar: "A dança não tem limites, hoje em dia temos projetos que até pessoas em cadeira de rodas dançam. Lógico, tem uma certa adaptação para que a dança em geral tenha um campo cada vez maior de público para atingir em qualidade de vida. Mas não existem restrições e sim alguns cuidados para que a atividade seja feita com segurança e apenas proporcione saúde, bem-estar e alegria", explica o especialista.

Redação/Professor Leandro Rocha (SPDRJ nº 37110)

 

O forró é brasileiro, ele é nordestino:                     

 

O forró é nosso! Dançar faz bem ao corpo, à  alma e a mente.

 

                                                                                                                    As festas juninas homenageiam três santos católicos: Santo Antônio (no dia 13 de junho), São João Batista (dia 24) e São Pedro (dia 29). No entanto, a origem das comemorações nessa época do ano é anterior à era cristã. No hemisfério norte, várias celebrações pagãs aconteciam durante o solstício de verão.

As festas juninas brasileiras podem ser divididas em dois tipos distintos: as festas da Região Nordeste e as festas do Brasil caipira, ou seja, dos estados de São Paulo, Paraná (Norte), Minas Gerais (sobretudo na parte Sul) e da Região Centro Oeste.

O forró é uma dança popular de origem nordestina. ... A origem do nome Forró tem várias versões, porém a mais aceita é a do folclorista e pesquisador da cultura popular Luiz Câmara Cascudo. Segundo ele, a palavra forró é deriva da abreviação de forrobodó, que significa arrasta-pé, confusão, farra.

E  vamos  dançar forró neste São João!

Vejo que a necessidade de aproximação do mercado e o Extremotec será uma via importante para a  experiências no futuro com  os empreendedores do ramo", afirma Durval Ferreira.
 
A secretária de Ciência e Tecnologia (Secitec) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) esteve reunida na manhã da ultima sexta-feira (17), na sede da secretaria, com um grupo de CEOs de startups de João Pessoa para uma apresentação de projetos da pasta além de promover uma rodada de apresentações para gerar networking entre o ecossistema de tecnologia da capital.
 
O secretário de Ciência e Tecnologia comemorou o encontro e promete novos eventos até o final do ano. "Reunir todas essas forças só tem a fortalecer o ecossistema de tecnologia de João Pessoa. Vejo que a necessidade de aproximação do mercado e o Extremotec será uma via importante. Já vislumbro outras rodadas de discussões e troca de experiências no futuro com cada vez mais empreendedores do ramo", afirma Durval Ferreira.
 
Entre os presentes, estava o presidente da Associação Promotora de Empreendedorismo, Tecnologia e Economia Criativa do Brejo Paraibano (ASPETEC), Pablo Ramon. "Estamos chegando em João Pessoa e precisamos de força e de unir conhecimento com o setor.  A Extremotec e a Secitec estão sendo esses veículos de conexão", afirma. 
 
Já o coordenador da Casa do Empreendedor, projeto da PMJP, a Secitec está no caminho certo e chamou de reestruturação da pasta as iniciativas da gestão. "Quero parabenizar a gestão do secretário porque enxergo que a secretaria estava precisando dessa reestruturação pela qual está passando. É uma necessidade do presente e não do futuro", afirma Brunno Sitônio.
 
 
 
Fonte: Assessoria 
 

 

Roberto Cavalcanti é pragmático. Embora saída da força do saldo paterno, ele tem outra natureza conservadora, mesmo assim entende ser importante conviver com a diferença” ,Walter

Walter Santos publicou no seu Wscom que o empresário Roberto Cavalcanti, ex-senador da República, apresentou candidatura a vaga de Carlos Romero na APL – Academia Paraibana de Letras, um nome que, aliás, dispensa maiores comentários sobre sua capacidade no campo literário.

Escreveu que Cavalcanti “se mostra seguro e amadurecido para ser um membro da APL de valor, à altura do pai pernambucano, o antropólogo Renê Ribeiro, um dos mais estudiosos sobre a influência afro no universo nordestino.

Disse mais: “Roberto Cavalcanti é pragmático. Embora saída da força do saldo paterno, ele tem outra natureza conservadora, mesmo assim entende ser importante conviver com a diferença”.

E arremata com o pensamento do empresário sobre o atual momento vivido pelo Brasil, sem descartar que existem caminhos para a superação. “Precisamos dar um novo passo adiante mesmo com as intolerâncias”.

É preciso, pois, evitar que algum forasteiro desça de paraquedas para ocupar a vaga do escrito Carlos Romero. Por isso, desde já, somos todos Roberto Cavalcanti.

Será neste domingo, 24, dia em que as Virgens de Tambaú ocupam a orla pessoense, que o Bloco dos Imprensados vai animar os foliões jornalistas, radialistas, publicitários e gráficos, a partir do meio dia, no quiosque Estrela do Mar, na Praia do Cabo Branco, ao som de Mirandinha Sambista e Poliana Resende. A partir das 17 horas o trio elétrico, sob o comando do radialista e cantor Jadir Camargo, segue em direção ao Busto de Tamandaré ao som de marchinhas e muito frevo.

É domingo – A programação do Projeto Folia de Rua, divulgada há poucos dias, consta que o bloco dos Imprensados vai sair no sábado, de forma equivocada. “Este ano a diretoria da Associação Paraibana de Imprensa (API) decidiu retornar a realização do  evento para a orla do Cabo Branco e vai acontecer no domingo e não no sábado como foi colocado na programação”, reforçou João Pinto presidente da API.

Com canções dançantes, marcadas pela diversidade e cheias de groove, o grupo paulistano Okiah chega a João Pessoa para mais uma edição do projeto Música do Mundo. O show acontece na sexta-feira (9), às 21h, na Sala de Concertos Maestro José Siqueira do Espaço Cultural José Lins do Rego. O acesso custa R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada). A bilheteria abre com uma hora de antecedência.

No show “É Okiah”, o grupo encabeçado por André Moraes (violão, voz e kalimba), Julianna Carmo (voz e percussão) e Henrique de La Rosa (guitarra e voz) traz suas canções autorais dançantes para os palcos, numa performance divertida e cheia de energia. Ao vivo, a banda traz Ádamo Oliveira (bateria e voz) e Anderson Zimmer (baixo elétrico e voz) que, além de garantir a base instrumental pulsante, se unem aos cantores principais em arranjos vocais com harmonias mais intrincadas do que aquelas gravadas no EP da banda (março/2018), criando um clima ainda mais envolvente e fazendo da apresentação uma experiência nova.

Inspirados por ícones nacionais, como Novos Baianos e Mutantes, a identidade de Okiah é construída pela diversidade de influências de cada integrante, que possuem experiências bem distintas. André traz de seu trabalho solo (2015) a marca da nova MPB. Julianna agrega a interpretação semelhante à das divas do jazz e do pop. Henrique (duo Capitão Blue), Ádamo e Anderson (Cosmo Drah/ banda Marcenaria) trazem diferentes faces do rock para o caldeirão de referências artísticas do grupo.

No repertório, além da canção funkeada “Moça”, da sombria “Tourada” e da pictórica e suave “Linhas de desejo”, presentes no EP, o quinteto apresenta novidades, como “Artimanhas Digitais”, que mostra uma leitura pop do tradicional swing jazz e “Cartão Postal”, que flerta com a percussão corporal, estabelecendo uma interação mais próxima e intimista com o público. Com essas novas composições, o grupo se aprofunda ainda mais no seu lado crítico, com letras mais questionadoras, satíricas e até irônicas, seguindo a linha já explorada em “Picadeiro Brasileiro”.

O empoderamento feminino também aparece em “O Mundo é Delas”, canção que foi interpretada com participação de Carol Naine no show de lançamento, fortalecendo a representatividade feminina. A desigualdade social também é observada pela poética canção “Andarilho”, de André Moraes, colocando assim a alegria e espontaneidade no palco também como uma postura de contestação em tempos de acentuado conservadorismo.

Este é o conceito “Tropicodélico” do grupo, reinventando essa identidade tropical, que festeja como forma de protesto, que canta e celebra como arma contra o individualismo, dialogando com seu público além da música, numa experiência para os ouvidos, os olhos e a mente.

Música do Mundo - O projeto é uma ação promovida pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc) que tem como objetivo a valorização dos artistas e da música contemporânea. A cada edição, artistas brasileiros e de outros países ocupam o palco da Sala de Concertos. O lançamento aconteceu em agosto de 2015. Uma das características do projeto é o preço popular do ingresso, de forma a permitir ao público acesso às atrações de qualidade internacional.

 

Serviço

Música do Mundo apresenta Okiah (SP)

Data: 09/11, às 21h

Local: Sala de Concertos Maestro José Siqueira

Entrada: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada)

João Pssoa vai se transformar na Capital nordestina da Biodanza, contando com a presença de participantes de todas as partes do mundo durante a realização do XIX Encontro Nordestino de Biodanza, que terá como tema central a Biodanza - A Política da Amorosidade, que acontecerá entre os dias 6 e 9 de setembro no Espaço Cultural José Lins do Rêgo.

O congresso contará com mesas teóricas, vivências, oficinas, apresentações artísticas e de monografias. As inscrições estão abertas e podem ser feitas  pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. , aonde o interessado obterá informações mais detalhadas sobre o evento. Outros contatos para informações: 99982.9590 (Tim e WhatsApp), O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

De acordo com um dos coordenadores do evento, Sinfônio Lima, a Escola de  Biodanza Sistema Rolando Toro , o XXIX Encontro Nordestino de Biodanza reunirá profissionais e alunos de Biodanza de várias partes do mundo, nos dias 6 a 9 de Setembro de 2018 em João Pessoa, capital do Estado da Paraíba.

"A cidade de João Pessoa e o Estado da Paraíba têm o maior prazer de receber de novo nossos colegas que participam da Biodanza em todos os quadrantes deste mundo. Serão quatro dias de convivência e muito afeto. O Evento mostrará o momento atual da Biodanza, com a ampliação do seu papel social junto ao SUS e às comunidades carentes. Essas ações ajudarão a reforçar a união entre as pessoas que vivem o sonho diário de colocar a Biodanza no lugar de destaque que ela merece", revela Petronio Lima..


Biodanza - A Biodanza é um movimento mundial, que se iniciou no Chile, na década de 60, e hoje ajuda pessoas em todos os continentes a superar o estresse, sair do esquema das doenças psicossomáticas e recuperar motivações e a alegria de viver.

 

O radialista Ronaldo Belarmino, mais conhecido no meio artístico como o  cantor Ronaldo Rossi, cover do Rei do Brega Reginaldo Rossi, vai promover, juntamente com o empresário Antônio Fernandes, o “matuto que deu certo”, da 100% Lazer 10, um passeio náutico, no próximo dia 27 de maio, a partir das 10h30, na Praia do Jacaré, em Cabedelo, com o melhor da música brega.

O passeio acontecerá no mais novo catamarã da 100% Lazer 10, a maior embarcação da categoria existente na região Nordeste, com capacidade para 330 pessoas, mas que no dia do passeio comportará 250 passageiros, para que todos fiquem bem acomodados. Serão colocadas 60 mesas ao preço de R$ 120. Mas quem preferir ir sozinho poderá pagar o ingresso no valor de R$ 40.


“Mal começaram as vendas e a procura está sendo muito grande, inclusive, já está sendo vendido o segundo lote. Será Proibido o embarque com comidas e bebidas, uma vez que estaremos comercializando dentro da embarcação”, lembra o comandante Fernandes, da 100% Lazer 10.


“Será um domingo diferente, muito alegre, com muita música, bebida e comida. Estamos esperando os amantes das canções do Rei Rossi que marcaram décadas”, convida o cantor Ronaldo Rossi.

O passeio só terminará por volta das 18 horas, após o Pôr do Sol do Jacaré, um dos mais belos do planeta.


Este será o primeiro evento do tipo naquela área, considerada um dos pontos turísticos mais bonitos e visitados da Paraíba. “A pretensão é colocarmos um passeio cultural uma vez por mês. Esse com o Rei Rossi é o primeiro de uma série que marcará o calendário turístico paraibano”, acredita, por fim, o comandante Fernandes.

Pagina 1 de 3

PUBLICIDADE

JR Esquadrias