Futebol (63)

De acordo com documentos, Cristiano Ronaldo vai receber R$727 milhões até 2026

Não é segredo que Cristiano Ronaldo é um dos esportistas mais bem pagos do mundo, mas a revista alemã Der Spiegel, com base em informações obtidas pelo Football Leaks, conseguiu dar uma maior dimensão do fato. Isso porque o veículo vazou os valores do contrato entre o português e a Nike, sua principal patrocinadora.

De acordo com os documentos vazados, Cristiano Ronaldo vai receber 162 milhões de euros (R$727 milhões) até 2026. O acordo, assinado em 2016 e válido por 10 anos, prevê um pagamento de 16,2 milhões de euros (cerca de R$73 milhões) por ano. Além disso, o valor recebe um acréscimo de quatro milhões de euros (R$18 milhões) caso o atacante da Juventus conquista a Bola de Ouro ou o prêmio The Best durante o período.


Com isso, Cristiano Ronaldo é o jogador de futebol com o maior contrato com a Nike no mundo. Além dele, Neymar é outro nome forte dentro da empresa.

Der Spiegel tentou conato com Jorge Mendes, empresário do jogador, mas o agente não respondeu. A Nike, por sua vez, preferiu não comentar sobre contrato com atletas.

 

Fonte: df.superesporte

 

A camisa nove do Brasil nos Jogos de Tóquio, caso a seleção masculina chegue lá, parece cada vez mais perto do paraíbano Matheus Cunha 

Artilheiro da conquista brasileira no Torneio de Toulon, um dos mais tradicionais do futebol de base, o atacante do RB Leipzig, da Alemanha, Matheus Cunha, manteve o bom momento pela equipe pré-olímpica nos amistosos disputados no Pacaembu, em São Paulo. Após marcar uma vez no 2 a 0 sobre a Colômbia, na última quinta-feira (5), o jovem de 20 anos foi decisivo contra o Chile nesta segunda-feira (9): com dois gols e uma assistência para Antony, ele liderou a vitória por 3 a 1.

Se diante dos colombianos o gramado pesado dificultou o jogo brasileiro, desta vez foi diferente - exceto pelo primeiro gol sair cedo. Acelerando a bola e com a troca de passes fluida, a seleção iniciou a partida envolvendo os chilenos. Aos 15 minutos, Matheus Cunha se antecipou à marcação, recebeu de Pedrinho e bateu na saída do goleiro para abrir o placar.

O Chile se soltou aos poucos. Com toques rápidos, obrigou Wendel e Douglas Luiz a acumularem faltas no meio-campo. Em uma dessas jogadas, aos 35 minutos, Iván Morales escapou de Ibañez e cruzou da direita para Víctor Dávila bater de primeira e acertar a mão de Lyanco na pequena área. Pênalti, que o próprio Dávila converteu para deixar tudo igual. E antes do intervalo, Cleiton fez duas defesas que evitaram a virada.

Na etapa final, o Brasil retomou o ataque à saída de bola adversária, com Matheus Cunha comandando a pressão. E como aconteceu diante da Colômbia, deu certo: aos seis minutos, o centroavante aproveitou uma bobeada da zaga na grande área para marcar o segundo. E aos 17, após outro erro chileno forçado pela marcação brasileira, o camisa nove abriu para Antony, atacante do São Paulo, encobrir o goleiro e ampliar.

Jogo administrado. Nervos, nem tanto. Aos 33, após duas faltas seguidas de Alex Ibacache em Pedrinho, jogadores das duas seleções trocaram empurrões. Após a briga, sobrou para o chileno e para Lyanco - que tentou separar os brigões, mas também acabou expulso, no último lance de emoção da partida.

A seleção olímpica volta a jogar em outubro, ainda sem data, local e adversários definidos. Já em novembro, disputa um torneio amistoso na Espanha contra Argentina, Estados Unidos e a equipe da casa.

 

FICHA TÉCNICA

BRASIL 3x1 CHILE

Local: Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (Pacaembu), em São Paulo (SP)

Data: segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Horário: 20h (de Brasília)

Árbitro: Guillermo Guerrero (Equador)

Assistentes: Juan Macías e Ricardo Baren (ambos Equador)

4ª árbitra: Edina Alves Batista (Brasil)

Público total: 5.059 pessoas

Renda: R$ 76.700,00

Cartões amarelos: Douglas Luiz, Emerson, Guilherme Arana (Brasil), Ángelo Araos e Camilo Moya (Chile).

Cartões vermelhos: Lyanco (Brasil) e Alex Ibacache (Chile).

Gols: Matheus Cunha (Brasil), aos 15, e Victor Dávila (Chile), aos 35 minutos do primeiro tempo; Matheus Cunha (Brasil) aos 6 e Antony (Brasil) aos 17 minutos do segundo tempo.

BRASIL: Cleiton; Emerson (Guga), Lyanco, Ibañez e Guilherme Arana (Abner Vinícius); Douglas Luiz, Wendel (Jean Lucas) e Pedrinho (Walce); Antony (Artur), Matheus Cunha (Arthur Cabral) e Paulinho. Técnico: André Jardine.

CHILE: Gonzalo Collao; Raimundo Rebolledo, Nicolás Ramírez, Nícolas Díaz e Alex Ibacache; Camilo Moya, Gabriel Suazo (Matías Cavalleri), Victor Dávila (Carlos Lobos) e Ángelo Araos (Sebástian Galani); Nicolás Guerra (Diego Valencia) e Ivan Morales (César Muder). Técnico: Bernardo Redín.

Edição: Verônica Dalcanal

O Rubru-negro ganhou por 3 a 0, com gols de Gabriel, Pablo e  Reinier, joia de apenas 17 anos da base, que comandou as ações ofensivas da equipe ao lado de Everton Ribeiro e Gerson.

Diante de mais de 47 mil pagantes em Brasília, o Flamengo fez, neste sábado, o que se esperava do líder do Campeonato Brasileiro frente ao lanterna: atropelou. Mais que isso, o placar de 3 a 0 em um jogo - apenas teoricamente - fora de casa, mesmo com uma série de desfalques, diante do Avaí exibiu muito do que o time carioca ainda é capaz de fazer na competição. 

São 39 pontos em 18 rodadas, o time voltou a se isolar na liderança e agora acumula cinco vitórias em sequência, com 41 gols marcados (média de 2,27 por jogo) e saldo que já chega a 23, onze a mais que o segundo colocado - e um estilo de jogo que está longe de ser apenas pragmático, sempre agressivo e organizado, e mesmo diante de uma equipe catarinense que ficou com apenas dez pontos e ocupa a última colocação na tabela.

 
Na próxima rodada, o Flamengo põe à prova seu poderio ofensivo e a confiança em alta ao fazer o jogo que tem tudo para definir o campeão simbólico do turno, contra o vice-líder Santos, no sábado, às 17h, no Maracanã. Já o Avaí, no domingo, vai à Arena da Baixada para enfrentar o Athletico-PR, às 11h.
 
Na partida deste sábado, a história do confronto começou como mera repetição do que tem ocorrido nas últimas partidas da equipe treinada por Jorge Jesus. Com uma posse de bola que ultrapassava os 70%, não obstante às ausências de Rodrigo Caio, suspenso, e Arrascaeta, Bruno Henrique e Berrío, convocados para atuar em amistosos por suas seleções. 
 
Assim, coube ao garoto Reinier, joia de apenas 17 anos da base, comandar as ações ofensivas da equipe ao lado de Everton Ribeiro e Gerson. Este, por sinal, mais liberado da função de marcação com a presença do volante Piris da Motta ao lado de Willian Arão - fez outra partida excepcional pela equipe. 
 
E a 12ª vitória dos cariocas na competição, a quarta fora de casa - o mando do jogo era do Avaí, mas foi vendido para ser realizado na capital federal - começou com mais um gol - o 15º - do artilheiro do campeonato, Gabriel Barbosa. Logo aos dez minutos, recebendo ótimo passe de Reinier, o camisa 9 fugiu pela direita e bateu cruzado para abrir o placar.
 
O time de Alberto Valentim ainda esboçou rápida reação, com Brenner perdendo uma chance que não se deve desperdiçar diante de um adversário tão embalado, aos 15 minutos, para ótima defesa, na base do reflexo, de Diego Alves. 
 
Só que a bola no travessão de Willian Arão, aproveitando lindo passe de letra de Gerson, aos 20, tratou de mostrar que o relaxamento do líder do campeonato não era opção. Condição esta confirmada pela cabeçada do zagueiro Pablo Marí, que aproveitou cobrança de escanteio de Everton Ribeiro para ampliar o placar, mostrando que o leque de jogadas da equipe comportava ainda as bolas paradas ofensivas. 
 
Na etapa final, com a boa vantagem no placar, a tal intensidade, tão propagada como marca da equipe de Jorge Jesus, só foi utilizada mesmo nos minutos iniciais, muito em função da personalidade exibida pelo garoto Reinier. 
 
Aos cinco, ele quase fez um golaço de letra. Aos sete, para coroar sua ótima atuação, veio o primeiro gol pelo time profissional. Na saída de Vladimir, o camisa 19 completou bela triangulação com Arão e Gabriel Barbosa para fechar o placar.
 
Nitidamente com o pé tirado do acelerador, tal qual fizera diante do Palmeiras na rodada anterior após abrir 3 a 0, o Flamengo apenas aguardou o fim da partida, que ainda teve a expulsão do atacante Gustavo Ferrareis, do Avaí, devido a uma entrada dura e fora da bola em Rafinha, confirmada pelo VAR. 
 
AVAÍ 0X3 FLAMENGO
 
AVAÍ
Vladimir; Iury, Ricardo, Marquinhos Silva e Igor Fernandes; Pedro Castro, Richard Franco e João Paulo (Matheus Barbosa); Caio Paulista, Brenner (Jonathan) e Lourenço (Gustavo Ferrareis)
Técnico: Alberto Valentim
 
FLAMENGO
Diego Alves; Rafinha, Rhodolfo, Pablo Marí e Filipe Luís (Renê); Piris da Motta (Vitinho), Willian Arão, Everton Ribeiro, Gerson e Reinier (João Lucas); Gabriel Barbosa
Técnico: Jorge Jesus
 
GOLS - Gabriel Barbosa, aos 10, e Pablo Marí, aos 31 do primeiro tempo; Reinier, aos 7 da etapa final
 
ÁRBITRO - Edina Alves Batista (Fifa/SP)
 
CARTÕES AMARELOS - João Paulo (Avaí); Pablo Marí e Gabriel Barbosa (Flamengo)
 
CARTÃO VERMELHO - Gustavo Ferrareis (Avaí)
 
RENDA - R$ 3.957.192,90
 
PÚBLICO - 47.575 pagantes
 
Matéria Da Internet

Fluminense decepsiona seus torcedores em pleno Maracanãse e perde por 1 a 0 para o lanterna Avaí, o FLU mostrou desorganização total e muita tensão na partida

O Avaí conquistou sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro nesta segunda-feira (2). O time catarinense se fechou todo e abusou dos chutões, mas foi mais eficiente que o Fluminense e venceu por 1 a 0 no Maracanã, com gol de João Paulo, de pênalti.

Com dois meias e três atacantes, o time tricolor foi para cima desde o primeiro minuto, mas deixou muitos espaços na defesa. Sem qualidade, a equipe visitante pouco aproveitava e teve no goleiro Vladimir seu destaque no jogo.

A primeira chance foi do Flu, aos 11min, em tentativa de Igor Julião que parou no goleiro do Avaí. Depois, João Pedro tentou bicicleta aos 21min.

Aos 26min, se iniciou uma blitz: Nem driblou goleiro e bateu na rede pelo lado de fora. Três minutos depois, Nenê penteou demais a bola e perdeu a chance mais clara do jogo até então.

Na volta para o segundo tempo, nervoso, o Fluminense se mostrou desorganizado, e a tensão começou a atrapalhar. As chances criadas eram apenas em bolas alçadas na área, como a que João Pedro mandou para o gol obrigando Vladimir a fazer grande defesa.

A ansiedade atrapalhou de novo aos 17min, quando Yony recebeu na área e chutou mascado para fora em outra boa oportunidade.

Até que o cenário já ruim virou drama aos 39min, quando Caio chegou duro em Iury, e Raphael Claus assinalou pênalti com a ajuda do VAR.

A derrota manteve a equipe tricolor no 18º lugar, com 12 pontos, mas agora mais distante do primeiro time fora da zona de rebaixamento, o Cruzeiro, que soma 18. Já o Avaí chegou aos 10 pontos, mas segue na lanterna do Brasileirão.

Fluminense e Avaí voltam a campo no próximo sábado (7), atuando contra Fortaleza e Flamengo, respectivamente. Os tricolores jogarão em casa, enquanto os catarinenses estarão em seus domínios. (FolhaPress SNG)

FLUMINENSE

Muriel; Igor Julião, Nino, Digão e Caio Henrique; Allan, Ganso (Caio) e Nenê; Wellington Nem (Marcos Paulo), Yony González e João Pedro. T.: Oswaldo de Oliveira

AVAÍ

Vladimir; Léo, Ricardo, Marquinhos Silva e Igor Fernandes; Pedro Castro, Richard Franco e João Paulo; Caio Paulista, Lourenço (Mosquera) e Brenner (Jonathan). T.: Alberto Valentim.

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro

Público e renda: 16.811 presentes (16.043 pagantes; R$ 179.235,00

Juiz: Raphael Claus (SP)

Assistentes: Marcelo Van Gasse e Alex Ribeiro (SP)

VAR: Luiz Flávio de Oliveira (SP)

Cartões amarelos: Caio, Allan e Nino (FLU), Ricardo (AVA)

Gols: João Paulo (AVA), aos 41min do 2º tempo

 

Fonte:  da internet

Em seu terceiro torneio continental pelo Tricolor, o comandante manteve o seu retrospecto de colocar o time entre os quatro melhores

Na noite da última terça-feira, Renato Gaúcho escreveu mais um capítulo em sua linda história no comando do Grêmio. Diante de um Pacaembu repleto de torcedores do Palmeiras, o Tricolor saiu atrás do marcador, mas com Everton Cebolinha inspirado, reverteu a vantagem e carimbou seu passaporte para a semifinal.

Além da vitória dentro de campo, que vale muito, a classificação manteve uma escrita de Portaluppi no comando do Tricolor. Em sua terceira Liberta consecutiva, em todas o time gaúcho esteve presente entre os quatro melhores.


Na primeira edição, em 2017, o Grêmio tirou o Botafogo nas quartas de final e encarou o Barcelona de Guayaquil na semifinal. No jogo de ida, o Tricolor venceu por 3 a 0 e depois perdeu em casa pela vantagem mínima, garantindo a sua vaga na grande final.

Em 2018 a história foi diferente. No duelo contra o River Plate, o Tricolor venceu fora de casa por 1 a 0, mas sucumbiu em casa e viu a chance de jogar uma segunda final escapar entre os dedos.

Agora, o Tricolor espera o vencedor de Flamengo e Internacional para descobrir quem será o seu adversário na terceira semifinal de Libertadores consecutiva.

 

Fonte  Da internet

 Exaltado pelo narrador Galvão Bueno, que o chamou de "meme", repercutido nos perfis oficiais da Conmebol e febre no Twitter, Joinha foi assediado já no Maracanã

Animador de festas infantis, youtuber e figurante nas horas vagas, Robson Mafalda Porto, de 44 anos, resolveu fazer da sua ida ao Maracanã, na quarta-feira, um evento. O carioca do bairro de Santo Cristo acompanhou a vitória rubro-negra por 2 a 0 sobre o Internacional, pelas quartas de final da Libertadores, vestido de árbitro, com direito a equipamento do VAR. Flagrado nas transmissões de TV, o "Robson Joinha", da Fla-Mureta, viralizou e agora curte a fama.

— Perdi a minha mãe há pouco tempo, e de repente minha vida entrou num trampolim. Tenho um mês e meio de Maracanã. Fui uma vez com máscara de lobo e não pude entrar.

 

Joinha fez sucesso ao se vestir de árbitro em jogo do Flamengo
 
Joinha fez sucesso ao se vestir de árbitro em jogo do Flamengo Foto: Reprodução/Sportv

 

O lobo é um dos personagens que o carioca ostenta em seu canal do Youtube, voltado ao público ao humor. Joinha diz que já frequentou o estádio com outras fantasias, como do mágico Mr. M e de Papa. Mas a fama só veio com a critividade da fantasia de árbitro.

— Pintei o cabelo pra dar um efeito legal, acabou queimando, mas no final deu certo — brinca ele, aos risos. A intenção era deixar a cabeça branca, mas o erro o deixou loiro.

A fama repentina rendeu frutos. Exaltado pelo narrador Galvão Bueno, que o chamou de "meme", repercutido nos perfis oficiais da Conmebol e febre no Twitter, Joinha foi assediado já no Maracanã. Falou com ex-jogadores, repórteres e equipes de transmissão.

Dificuldade em atender todos em meio ao assédio

Enquanto conversava com o Extra, na manhã desta quinta-feira, o carioca teve que parar duas vezes para cumprimentar conhecidos e adiar outras ligações. Com todo o cuidado, explica ele, para mostar que a fama não subiu à cabeça, e a falta de tempo é decorrente do excesso de pedidos.

Em seu perfil no Facebook, Joinha ostenta fotos com famosos, praticamente todo o elenco rubro-negro, além de trabalhos como figurante em séries, novelas e outras funções em frente às câmeras. Sempre bem trajado, é claro, com roupas remetendo ao apelido.

 

Curiosamente, ele não tinha noção da extensão do sucesso durante a partida, já que a transmissão do telão do estádio não é a mesma do que a mostrada na TV:

— O público está agitado, porque eu saio aqui e pedem foto. No Maracanã, começaram a chegar em mim e começou a congestionar. Quando eu cheguei no estacionamento, mulheres e os filhos dos jogadores me reconheceram, porque me viram no celular. Até na van de volta para casa, foi reconhecido:

— Quando eu saltei na minha porta, era todo mundo pedindo pra tirar foto.

Segundo ele, a intenção era que a fantasia desta quarta-feira fosse mais completa, mas alguns adereços foram barrados na porta do Maracanã. Para o jogo da volta, o carioca aposta em um empate de 1 a 1 ou 0 a 0, e na consequente classificação rubro-negra.

— A fantasia ainda tinha uns sprays (desodorante) que eu ia usar, mas o pessoal da segurança não deixou entrar com eles. Ia fazer maior sucesso. Acho que agora, eles não vão mais barrar — brinca ele.

Fonte: Extra 

 
  •  

 

Joinha posa ao lado de Éverton Ribeiro Foto: Facebook/Robson Porto Joinha

 

Curiosamente, ele não tinha noção da extensão do sucesso durante a partida, já que a transmissão do telão do estádio não é a mesma do que a mostrada na TV:

— O público está agitado, porque eu saio aqui e pedem foto. No Maracanã, começaram a chegar em mim e começou a congestionar. Quando eu cheguei no estacionamento, mulheres e os filhos dos jogadores me reconheceram, porque me viram no celular. Até na van de volta para casa, foi reconhecido:

— Quando eu saltei na minha porta, era todo mundo pedindo pra tirar foto.

Segundo ele, a intenção era que a fantasia desta quarta-feira fosse mais completa, mas alguns adereços foram barrados na porta do Maracanã. Para o jogo da volta, o carioca aposta em um empate de 1 a 1 ou 0 a 0, e na consequente classificação rubro-negra.

— A fantasia ainda tinha uns sprays (desodorante) que eu ia usar, mas o pessoal da segurança não deixou entrar com eles. Ia fazer maior sucesso. Acho que agora, eles não vão mais barrar — brinca ele.

Alan é um dos três jogadores que conseguiram sobreviver ao acidente aéreo com a delegação da equipe catarinense na Colômbia, em novembro de 2016. 

Sobrevivente de uma das maiores tragédias da história do futebol mundial, o lateral Alan Ruschel se despediu da Chapecoense na tarde desta quarta-feira. O jogador de 29 anos foi emprestado para o Goiás, que assim como a Chape, disputa a Série A do Campeonato Brasileiro.

Alan é um dos três jogadores que conseguiram sobreviver ao acidente aéreo com a delegação da equipe catarinense na Colômbia, em novembro de 2016. Os outros dois são o zagueiro Neto e o goleiro Jakson Follmann. 

Com contrato com a Chape até 2020, Ruschel retornou aos gramados nove meses após o acidente, em uma partida amistosa contra o Barcelona, no Camp Nou. 

Revelado pelo Juventude, o lateral se junto ao time de Chapecó em 2013. Em sua primeira passagem pela equipe alviverde, disputou apenas seis partidas, antes de se transferir para o Internacional. Em 2016, o Colorado emprestou o jogador para o equipe da Arena Condá.

.A média de público do Flamengo no estádio ao ano é de 48.449 pagantes, enquanto do Fluminense é de 16.248. e o aluguel mínimo cobrado é de R$ 90 mil por jogo, que a princípio vem sendo pago.

A parceria entre Flamengo e Fluminense para a gestão do Maracanã demonstrou, depois de quatro meses, o que muitos dirigentes e conselheiros rubro-negros alertaram. O Tricolor não tem conseguido pagar os custos de seus jogos no estádio. A informação de que o clube das Laranjeiras deve dinheiro para o da Gávea, que vem pagando quase integralmente os custos da gestão do estádio foi publicada pelo jornalista Paulo Vinícius Coelho, em seu blog no portal "UOL", e confirmada pelo Extra.

 

 

O valor exato da dívida devida pelo Fluminense ao Flamengo, atualmente é de R$ 652 mil, adquiridos em quatro meses. A gestão do ex-presidente Pedro Abad deixou um passivo de R$ 373 mil. Após a posse da nova diretoria, em junho, o montante cresceu mais R$ 279 mil.

Apesar da crise financeira que assola as Laranjeiras, o Fluminense já tem uma ideia de como quitar o débito. Como clube formador de Gerson, o tricolor tem direito a parte do valor pago pelo Flamengo à Roma pela contratação do meio-campista. E pretende usar essa receita para negociar a dívida com o rival.

Apesar da falta de pagamentos por parte do Fluminense na administração do estádio, fazendo com que o Flamengo arque com quase toda a despesa, internamente, a impressão é que não há ruídos na parceria entre os clubes.

 

 

A reportagem apurou que a dívida é referente aos custos operacionais do estádio, e não ao aluguel que é pago ao Governo do Estado.

 

O valor depositado para o poder público é dividido e de responsabilidade de cada clube por partida. Assim como custos com limpeza, segurança e orientação.

A gestão conjunta de Fla-Flu começou em 19 de abril, com o acordo sendo válido por 180 dias, até outubro. No entanto, existe a possibilidade de renovação. Antes de se trabalhar por um contrato de 35 anos.

Os clubes criaram uma empresa responsável por administrar os pagamentos ao Estado. E apenas direcionar os recursos de cada clube para os fornecedores. A empresa também se responsabiliza pelas contas do estádio, como luz e água. Camarotes, aluguel de espaços e shows têm as receitas revertidas também para esta empresa criada. O aluguel mínimo cobrado será de R$ 90 mil por jogo, e a princípio vem sendo pago.

A média de público do Flamengo no ano no estádio é de 48.449 pagantes, enquanto do Fluminense é de 16.248.

 

Fonte : Extra- Globo                                                                       Diogo Dantas, Igor Siqueira                                                           e Thales Machado

No contrato de dois anos e meio oferecido a Balotelli, o salário seria dividido em duas etapas: de agora até o fim do ano, 2 milhões de euros (cerca de R$ 9 milhões); e em 2020 e 2021, 4 milhões de euros anuais (cerca de R$ 18 milhões). Além disso, se dividisse os R$ 22 milhões de luvas por 28 meses (tempo total do vínculo), os vencimentos de Balotelli passariam de R$ 2 milhões mensais.

A negociação entre Flamengo e Balotelli continua e agora detalhes do possível contrato começam a surgir, como o salário que o clube brasileiro pretende pagar pelo atacante. A Goal sabe que, a pessoas a próximas, Balotelli revelou que as cifras oferecidas pelo Rubro-Negra se aproximam de R$ 1,5 milhão por mês, além de "luvas" de 5 milhões de euros (o equivalente a R$ 22 milhões).

No contrato de dois anos e meio oferecido a Balotelli, o salário seria dividido em duas etapas: de agora até o fim do ano, 2 milhões de euros (cerca de R$ 9 milhões); e em 2020 e 2021, 4 milhões de euros anuais (cerca de R$ 18 milhões). Além disso, se dividisse os R$ 22 milhões de luvas por 28 meses (tempo total do vínculo), os vencimentos de Balotelli passariam de R$ 2 milhões mensais.

As conversas entre Flamengo e Balotelli foram reveladas pelo jornalista italiano Gianluca Di Marzio na última segunda-feira (5). O italiano está sem clube desde que deixou o Olympique Marseille ao fim da última temporada. O atacante gostou da primeira investida do clube carioca, dando seguimento às conversas.

Na última semana, a Goal havia apurado que a oferta do clube seria de um salário de R$ 1,6 milhão por mês para o italiano, valor que agora se aproxima do que Balotelli disse a seus interlocutores. Isso faria dele o jogador mais bem pago atuando no Brasil. Segundo o UOL, sondagens da China podem atrapalhar o namoro entre Flamengo e Balotelli, representado pelo empresário italiano Mino Raiola, o mesmo de nomes como Ibrahimovic e Pogba.

Dias antes, o vice-presidente rubro-negro Marcos Braz avisara que a prioridade do Flamengo era contratar um centroavante do mercado europeu. A ideia inicial da diretoria do Flamengo era trazer Fernando Llorente, finalista da última Champions League com o Tottenham, mas o centroavante espanhol não quis vir ao Brasil.

As conversas com Balotelli têm sido conduzidas diretamente por Marcos Braz e pelo diretor Bruno Spindel, de acordo com Di Marzio. O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, confirmou o contato com o jogador e falou que existe interesse por parte de Balotelli. "É um grande jogador, tivemos contato. Ele demonstrou interesse em jogar no Flamengo, mas ainda não foi nada além disso. É um grande jogador, tem muita água para correr debaixo dessa ponte", afirmou Landim.

Balotelli passou três temporadas no futebol francês e atualmente está sem clube. Segundo Di Marzio, o jogador está disposto a expandir seus horizontes do futebol e procurar novas ligas para atuar.

Outro fator que teria agradado o italiano seria a possibilidade de seu irmão, Enock, defender o Boavista, do Rio, em acordo fruto de parceria com o Flamengo.

Balotelli, aos 28 anos, já passou por um grande número de times importantes da Europa como MilanInternazionaleRomaLiverpool e Manchester City. Por clubes, ele fez 364 jogos oficiais, anotou 146 gols e deu 34 assistências. Na seleção italiana, Balotelli jogou em 36 jogos e balançou as redes 14 vezes.

Na última terça-feira, surgiram rumores na Itália de que o Brescia, atual campeão da Série Bdo país, também prepara uma oferta com um ano de contrato para o atacante. O Brescia tem a seu favor o fato de ser da cidade onde Balotelli cresceu.

 

Fonte: Goal.com

 

 

Quando esteve à frente dos Estados Unidos, a nova treinadora do Brasil foi campeã Olímpica em Pequim-2008 e em Londres-2012. Em 2011, a Sueca foi vice-campeã do Mundo com as norte-americanas em 2011. No Rio-2016, sob comando da Suécia, ficou com a prata. Além disso, foi eleita a melhor técnica do ano em 2012.

Pia Sundhage foi apresentada oficialmente como técnica da Seleção Brasileira feminina nesta terça-feira (30/7), na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de janeiro. Pia assinou um contrato de dois anos, com mais dois renováveis. A cerimônia quebrou com a formalidade de costume. Logo no início, Pia foi recebida com vídeos de boas-vindas de Andressa Alves, Cristiane e Tamires, jogadoras que disputaram a Copa do Mundo na França.

Com a palavra, a treinadora disse que assumir a Seleção Brasileira é um grande passo na carreira. “Tenho o maior orgulho e estou muito feliz pelo fato de olhar ao meu redor e sentir muita expectativa. Quando se tem muita expectativa de um treinador, é claro que se quer mais. Estou assumindo um grande time”, declarou.

Quando esteve à frente dos Estados Unidos, a nova treinadora do Brasil foi campeã Olímpica em Pequim-2008 e em Londres-2012. Em 2011, a Sueca foi vice-campeã do Mundo com as norte-americanas em 2011. No Rio-2016, sob comando da Suécia, ficou com a prata. Além disso, foi eleita a melhor técnica do ano em 2012.

O presidente da CBF, Rogério Caboclo também comemorou a chegada da nova comandante. “Momento histórico, de grande alegria por trazer a melhor treinadora do mundo para o melhor futebol do mundo. A Pia dispensa apresentações, simplesmente participou das três últimas finais olímpicas. Pia conjuga a qualidade técnica com as jogadoras que temos”, disse Caboclo.

Pia Sundhage foi apresentada pelo presidente da CBF, Rogério Caboclo | Lucas Figueiredo/CBF


As melhores do planeta juntas: Marta e Pia

A Seleção Brasileira vai contar com a melhor treinadora do mundo em 2012 e com a jogadora eleita seis vezes melhor do mundo, ambas em votação da Fifa. “Marta tem sido a melhor há tanto tempo, tem esse coração do futebol. Não sei que posição vai ter em campo, preciso ganhar o respeito dela. Falei com ela, está determinada a fazer algo positivo. Não é só a Marta, mas o time todo. No fim das contas, é a equipe que vence, a Marta sabe disso”, apontou Pia.


Mudanças  no elenco

A Seleção comandada por Vadão chegou à França com o revés de nove derrotas em 10 jogos. No Mundial, ganhou duas partidas e perdeu uma na fase de grupos e outra quando foi eliminada nas oitavas de final para as anfitriãs. Durante a coletiva de apresentação, Pia Sundhage falou sobre o maior desafio à frente da equipe canarinha. “A Seleção precisa mudar, mas não tem de ser muito radical, pois podemos perder a confiança. O Brasil jogou bem na Copa do Mundo, mas não pode ser também uma mudança muito pequena. É preciso ter uma mudança que faça a diferença, isso é o mais importante.”


Categorias de base do Brasil

Neste ano, a CBF organizou pela primeira vez um Campeonato Brasileiro  Sub-18 feminino. No entanto, as Seleções Brasileiras sub-20 e sub-17 seguem sem técnicos desde 2018. Em meio à falta de alinhamento entre as ações da entidade, Pia ressaltou a importância do investimento em divisões juvenis. “As categorias de base são necessárias quando a gente fala de desenvolvimento. Se você quer que a Seleção jogue um futebol excelente, você precisa de um sub-20 e sub-17 muito bons. Vai acontecer passo a passo.”

A nova treinadora falou sobre a necessidade de obter equilíbrio de jogo e tentar imprimir a mentalidade das escolas norte-americanas e suecas. “O EUA não joga 90 minutos, mas 92 minutos. Apesar do ego grande, são as melhores em equipe. E na Suécia, que é defender a organização. Se eu conseguir trazer o melhor dos Estados Unidos e o melhor da Suécia, diria que vamos ter uma jornada interessante”.

Olimpíadas de Tóquio, em 2020

Apesar da grande expectativa devido ao currículo vencedor da treinadora em Jogos Olímpicos, faltando pouco menos de ano para a edição de Tóquio, Sundhage destacou que o foco inicial não será o título e sim no trabalho. “Esperamos chegar na final, mas precisamos trabalhar muito,  dar o primeiro passo e não falar ainda sobre medalha. Ao fazer o dever de casa, as coisas acontecem.”

Pia Sundhage falou sobre o perfil das jogadoras que devem compor o elenco brasileiro para Tóquio-2020. “Para mim, temos que falar principalmente da atitude, tem de vir de dentro. Vi todas as jogadoras se saindo bem porque queriam isso. Minha função é essa. Jogadoras como Cristiane são ótimas, mas será que vai querer mostrar isso amanhã, depois de amanhã, semana que vem? Precisamos ter a ideia de quem vai querer jogar nos Jogos Olímpicos e quem não vai querer.”

 

Por Mariana Fraga/correiobraziliebse

 

Pagina 1 de 5

PUBLICIDADE

JR Esquadrias