Futebol (81)

O time da Premier League pode entrar o ano de 2020 brigando por sete troféus; veja quais

A temporada 2019/20 do Liverpool chama a atenção entre os times da Inglaterra e Europa. Atual campeão da Champions League, a equipe comandada por Jurgen Klopp poderá conquistar sete títulos em 2020 além do Mundial Interclubes, ainda em dezembro deste ano .

Classificado para as oitavas de final da competição europeia após derrotar o RB Salzburg por 2 a 0, o elenco não somente assegurou vaga à próxima fase da competição como também possibilitou aos torcedores comemorarem três troféus em 2020: o da própria Champions e os campeonatos consequentes ao título continental - a Supercopa da UEFA e o Mundial de Clubes. Neste caso, o avanço à fase eliminatória da UCL aumentou gradativamente o possível “ano de ouro” dos Reds, com três chances de t:ítulos.

 

O cenário tende a melhorar, uma vez que o time de Klopp é o grande favorito a vencer a Premier League. Líder isolado com oito pontos de diferença para o segundo colocado , o Leicester, as chances de o Liverpool não tornar-se campeão inglês em 2020 são remotas. E, se vencer a Premier, o time garante vaga à Supercopa da Inglaterra. Ou seja, a possível lista de títulos sobe para cinco no próximo ano.

Liverpool fans Anfield 2019
(Foto: Getty Images)

O número de competições simultâneas que vão ser disputadas pelo Liverpool em 2020 contribui para o feito histórico e, entre elas, ainda estão a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa. O Liverpool inicia a corrida rumo ao título da Copa da Inglaterra somente em 05 de janeiro, contra o Everton. Já na Copa da Liga Inglesa, o elenco entra em campo no próximo dia 17, pelas quartas de final, contra o Aston VillaA partida será disputada quase que 'simultaneamente' com o Mundial de Clubes e, por este motivo, os Reds não vão disputar a Copa com o elenco titular.

Após o final da lista de possíveis títulos para 2020, o Liverpool poderá erguer até sete taças somente em 2020. O último clube europeu a alcançar a extensa marca de conquistas foi o Barcelona, em 2009. Na época, o clube de Lionel Messi e Pep Guardiola venceu seis torneios: o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Supercopa Espanhola, a Champions League, a Supercopa Europeia e o Mundial de Clubes.

Em 2015, o Barça ficou perto de superar a própria marca após vencer cinco competições: o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Champions League, a Supercopa da Europa e o Mundial de Clubes. Mesma cifra do Bayern de Munique, que fez a 'rapa' quando venceu a Bundesliga, a Copa da Alemanha, Champions, Supercopa da UEFA e Mundial em 2013.

 

Fonte: Goal. com

Em uma competição que tem o Liverpool como favorito, o Flamengo chega como o brasileiro com mais chances de fazer frente ao campeão europeu nos últimos anos. Mas para se enfrentarem, ambos precisam passar da semifinal da competição, o último campeão brasileiro foi Corinthians, em 2012, sobre o Chelsea, da Inglaterra.

Trinta e oito anos depois, o Flamengo volta a disputar o Mundial de Clubes, pela primeira vez no atual formato, iniciado no ano 2000. O desafio é ir além do que a maioria dos outros times brasileiros fez em 18 anos de torneio. O último campeão brasileiro foi Corinthians, em 2012, sobre o Chelsea, da Inglaterra. Desde então, a única equipe nacional a chegar a uma final foi o Grêmio, em 2017, quando perdeu por 1 a 0 para o Real Madrid. Nas duas ocasiões, os jogos foram decididos pela diferença mínima.

Além do Corinthians, campeão também no ano 2000, sobre o Vasco, só ergueram a taça do Mundial o São Paulo, em 2005, e Internacional, em 2006. Em uma competição que tem o Liverpool como favorito, o Flamengo chega como o brasileiro com mais chances de fazer frente ao campeão europeu nos últimos anos. Mas para se enfrentarem, ambos precisam passar da semifinal da competição.

 

O otimismo se dá principalmente pela campanha do Rubro-Negro em 2019. Deixando os demais times do Brasileiro muito para trás. Em campo, o alto nível ficou marcado através de dois nomes. Gabigol e Jorge Jesus. O camisa 9 simboliza um Flamengo sedento pelo ataque e por um jogo ofensivo inspirados no modelo europeu, que foi aplicado pelo técnico português com precisão em poucos meses.

Somado a este trabalho, pesou a chegada de jogadores com experiência na Europa. E campeões mundiais, inclusive. Como Rafinha, ex-Bayern de Munique. Também já levantaram a taça Diego, pelo Porto, e Willan Arão, reserva do Corinthians em 2012. A delegação viaja para Doha na sexta-feira.

 

 

A façanha de ser o primeiro técnico estrangeiro a comandar uma equipe brasileira campeã da Libertadores vai se repetir com Jorge Jesus no Mundial de Clubes. O português chega para o torneio com o status internacional revigorado, sobretudo por não ter obtido sucesso nas disputas europeias com times de seu país.

Sob o comando do Benfica, Jorge Jesus chegou às decisões da Liga Europa de 2013 e 2014, e perdeu para Chelsea e Sevilla, respectivamente. A última nos pênaltis e a outra nos acréscimos do segundo tempo. Da mesma forma que conquistou a Libertadores sobre o River Plate.

Após faturar também o Campeonato Brasileiro com quatro rodadas de antecedência, o Flamengo iniciou a preparação para o Mundial. E também começou a planejar 2020. O ano que vem depende da permanência de Jorge Jesus, cujo contrato vai até junho.

Ficou alinhado que a conversa definitiva acontecerá depois do Mundial no Qatar. A diretoria do Flamengo conversou com o técnico algumas vezes, mas ele até agora indicou apenas que pode cumprir o contrato. A ideia é pelo menos ampliar até o fim do ano que vem.

 

Diogo Dantas/ Extra

 

Surpreendentemente poupando alguns titulares, o Palmeiras pouco conseguiu fazer na primeira etapa, Raphael Veiga e Hyoran, que começaram jogando, não aproveitaram as oportunidades e foram mal

Parecia que apenas um dos times ainda lutava por algo neste Brasileiro. E levou a melhor quem foi mais eficaz. Em um jogo de poucas chances, o Fluminense mostrou mais vontade, foi melhor e fez 1 a 0 sobre o Palmeiras, que poupou alguns jogadores, nesta quinta-feira, no Maracanã. Com o resultado, o Tricolor chegou a 41 pontos, em 15º, e se afastou um pouco mais da zona de rebaixamento. O Verdão parou nos 68, na terceira colocação.

Na próxima rodada, o Fluminense visita o Avaí, na Ressacada, no domingo, às 16h. No mesmo dia e horário, o Palmeiras recebe o campeão Flamengo.                                                                                                                           
 Duelo de opostos


Desde o começo da partida desta quinta-feira no Maracanã, ficou claro que um dos times parecia querer mais a vitória. Apesar das situações opostas na tabela do Brasileiro, - ou, talvez, justamente por isso - o Fluminense mostrou mais vontade e tentou controlar o jogo, ainda que tivesse problemas para criar jogadas no seu setor ofensivo.

Pelo falta de criatividade, o Tricolor demorou a ameaçar o Palmeiras. Mas, na sua melhor chance do primeiro tempo, conseguiu marcar. Aos 37, Luan cortou mal um lançamento para área e a bola sobrou para Marcos Paulo. O garoto dominou e mandou por cobertura sobre Weverton, marcando um golaço.                                                                                                                                                                                                                                                   
Veron estreia

Surpreendentemente poupando alguns titulares, o Palmeiras pouco conseguiu fazer na primeira etapa. Raphael Veiga e Hyoran, que começaram jogando, não aproveitaram a oportunidade e foram mal. Por isso, após o intervalo, já com o placar desfavorável, Mano Menezes colocou Dudu e Lucas Lima em campo. Depois, ainda promoveu a estreia de Veron como profissional. O time melhorou e passou a jogar no campo do adversário, pressionando a zaga do Fluminense.  Mas a única chance clara de gol aconteceu aos 16, quando Luiz Adriano cabeceou com perigo e Digão cortou a bola, que iria para o gol.                                                                                                                                                                                                          Tricolor segura e comemora

Pressionado pelo Palmeiras, o Fluminense se segurou como pode. Empurrado pela torcida, que compareceu em bom número, apesar da forte chuva que caiu no Rio de Janeiro, o Tricolor fechou a entrada da área e deu pouco espaço para o Verdão. No final, prendeu a bola no ataque até o apito final, para a festa da torcida tricolor.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 PALMEIRAS


Data/Hora: 28/11/2019, às 19h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) - Nota LANCE!: 6,0 - Não comprometeu o andamento da partida.
Auxiliares: Jorge Eduardo Calza (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Árbitro de vídeo (VAR): Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Público/Renda: 29.968 pagantes /30.947 presentes/ R$ 337.160,00
Gramado: Bom.
Cartões amarelos: Daniel e Digão (FLU), Willian, Victor Luis e Hyoran (PAL)

Gol:  Marcos Paulo, 37'/1º (1-0)

FLUMINENSE: Marcos Felipe, Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Airton (Dodi, 11'/1ºT), Allan, Daniel e Ganso (Nenê, 38'/2ºT); Yony González e Marcos Paulo (Pablo Dyego, 28'/2ºT). Técnico: Marcão.

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Vitor Hugo e Victor Luis; Thiago Santos, Matheus Fernandes e Raphael Veiga (Lucas Lima, 11'/2ºT); Hyoran (Dudu, Intervalo), Willian (Veron, 30'/2ºT) e Luiz Adriano. Técnico: Mano Menezes.

 

 

Fonte: portal Lance

Eleito melhor jogador da Libertadores, atacante do Flamengo tem despertado atenção de clubes do Velho Continente e também da Ásia; empresário embarca nos próximos dias para ouvir os interessados

A temporada de Bruno Henrique chama atenção: eleito melhor jogador da Libertadores, vice-artilheiro do Flamengo no ano, com 34 gols em 59 jogos, vice-artilheiro do Brasileirão, com 21 tentos, e 14 assistências. A boa fase despertou interesse de clubes europeus e asiáticos.

As sondagens já começaram, mas nenhuma oferta oficial chegou à mesa do empresário de Bruno Henrique, Dênis Ricardo. Porém, nos próximos dias, o agente viajará para o exterior para se reunir com clubes e ouvir o que os interessados têm a oferecer ao jogador de 28 anos (completa 29 em dezembro). Lucas Cândido, atualmente no Vitória, outro cliente de Dênis, também será pauta durante a viagem pelo Velho Continente. 

Embora o tour de Dênis Ricardo seja apenas pela Europa, clubes asiáticos também demonstraram interesse em Bruno Henrique. Clubes da Primeira Divisão da China e do Japão, através de agentes intermediários, entraram em contato com o agente oficial do atacante para sondar a possibilidade de o jogador atuar no mercado que não tem tanta visibilidade, mas com a promessa de salários astronômicos, girando em torno de 3 milhões de euros por ano, cerca de 14 milhões de reais.

O foco de Bruno Henrique está no restante da temporada, com a possibilidade de terminar o Brasileirão como artilheiro - Gabigol tem quatro a mais - e na possibilidade de conquistar o Mundial pelo Flamengo. O jogador, inclusive, ainda não sentou com Dênis Ricardo para falar sobre o assunto.
 

Bruno Henrique do Flamengo foi escolhido o craque da Libertadores 2019 - Alexandre Vidal / Flamengo

Bruno Henrique foi contratado no início desta temporada e tem vínculo com o Flamengo até dezembro de 2021. O valor da multa rescisória não foi revelada à reportagem, mas é considerada "bem alta" para algum clube do exterior pagar sem que haja negociação com o Rubro-Negro.


O clube carioca desembolsou 23 milhões de reais para tirar o atacante do Santos e não vai facilitar em caso de um possível interesse de um time estrangeiro. A diretoria entende que o camisa 27 é peça fundamental no elenco e não quer se desfazer do jogador facilmente. Um dirigente, à reportagem, afirmou: "Vai ser osso duro de roer tirar ele (Bruno Henrique) daqui."
Eleito o melhor jogador da Libertadores da América, Bruno Henrique é um dos artilheiros do Flamengo - Giuliano Gomes/Estadão Conteúdo
Elogios de Riquelme:
O ídolo do Boca Juniors, após o Flamengo bater o River Plate na final da Libertadores, concedeu entrevista ao jornal "Olé", da Argentina, e elogiou o atacante rubro-negro. Para o hermano, o camisa 27 foi essencial no lance do primeiro gol na vitória decisão da competição sul-americana.
"Aos 90 minutos, a única coisa que se pensa é cruzar a bola, e quando todos pensaram que Bruno Henrique iria cruzar, passou pelo meio de todos e deu um passe para o gol. O que ele fez foi maravilhoso, não tem como marcar. Eu mesmo teria cruzado", disse Riquelme.
Fonte: odia.ig / Venê Casagrande
 

 

 As informações são do comentarista da ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira de que JESUS, vem sendo assédiado pela CBF, em quanto os Rubro-negros estão otimista com a permanência do treinador no clube

 

O Flamengo está otimista em relação a permanência de Jorge Jesus, porém, o possível assédio da CBF é o que mais preocuparia o clube carioca. As informações são do comentarista da ESPN Brasil, Mauro Cezar Pereira.
O português tem contrato até o meio do ano que vem, mas deverá discutir a sua situação após o fim do Brasileiro e da Libertadores. O Flamengo deseja renovar o vínculo do treinador até o fim do ano pelo menos.
A situação pode se complicar ainda mais caso o  FLAMENGO volte  do Perú com o titulo de campeão da  Libertadores  e seja campeão do Brasileiro. 
O receio em relação a um possível convite da CBF acontece por conta do momento de instabilidade da seleção brasileira vem passando nos últimos amistosos.
O treinador Tite não é considerado mais uma unanimidade. 
 
Fonte Da internet

A alta arrecadação rubro-negra é potencializada pelos mais de US$ 57 milhões (cerca de R$ 240 milhões na cotação atual) pagos pela televisão, outros US$ 24 milhões (por volta de R$ 100 milhões) do sócio torcedor e bilheteria, e por volta de US$ 22 milhões (em torno de R$ 92 milhões) em patrocínios.

Flamengo e River Plate farão a decisão da Copa Libertadores neste sábado. O embate coloca um clube em franca ascensão esportiva diante de um time que já se consolidou como uma das potências do continente sul-americano, mas os dados financeiros mostram uma realidade completamente distinta, conforme revelou estudo da Sports Value.

O Flamengo encerrou 2018 com uma receita de US$ 140 milhões (cerca de R$ 543 milhões na cotação da época), e, em nove meses deste ano, já arrecadou US$ 167 milhões (por volta de R$ 700 milhões na cotação atual).

 

Potencializado pelas verbas vindas do título continental, o River Plate obteve receitas de US$ 58 milhões (cerca de R$ 225 milhões na cotação da época), ou 2,1 bilhões de pesos, durante todo 2018, quantia três vezes inferior se comparada com a angariada pelo Mengão só nesta temporada. Em 2015, o clube argentino arrecadou 1 bilhão de pesos, ou US$ 113 milhões à época.

“A análise do River Plate é fortemente impactada pela situação econômica que vive a Argentina. Embora o clube tenha dobrado suas receitas em pesos argentinos nos últimos quatro anos, em dólar o valor caiu pela metade”, ressalta o relatório.

A alta arrecadação rubro-negra é potencializada pelos mais de US$ 57 milhões (cerca de R$ 240 milhões na cotação atual) pagos pela televisão, outros US$ 24 milhões (por volta de R$ 100 milhões) do sócio torcedor e bilheteria, e por volta de US$ 22 milhões (em torno de R$ 92 milhões) em patrocínios.

Diante de um mercado em crise, a inflação alta e a queda do poder da compra dos argentinos, o River Plate se apega na sua torcida para seguir investindo no futebol.  As receitas apenas com os sócios em 2018 chegaram á casa dos US$ 15 milhões (por volta de R$ 58 milhões na cotação do último ano), quantias maiores que as provenientes dos direitos televisivos e responsáveis por 26% do faturamento.

Flamengo e River Plate fazem a final da Copa Libertadores neste sábado, às 17 horas (de Brasília), no Estádio Monumental de Lima, no Peru.

A alta arrecadação rubro-negra é potencializada pelos mais de US$ 57 milhões (cerca de R$ 240 milhões na cotação atual) pagos pela televisão, outros US$ 24 milhões (por volta de R$ 100 milhões) do sócio torcedor e bilheteria, e por volta de US$ 22 milhões (em torno de R$ 92 milhões) em patrocínios.

Fonte: Gazetaesportiva

 

 

 

Por mais que o time mineiro tenha empurrado o Flu para o Z4, o dano aos cariocas poderia ter sido muito pior se a provável vitória cruzeirense em casa tivesse se concretizado.

O Avaí é o primeiro rebaixado à Série B no Brasileirão. O jogo que sepultou a queda do time catarinense, lanterna com 18 pontos, trouxe um cenário melhor do que o previsto para Fluminense e Botafogo. É que o destino do Avaí foi selado com um empate por 0 a 0 com o Cruzeiro.

Por mais que o time mineiro tenha empurrado o Flu para o Z4, o dano aos cariocas poderia ter sido muito pior se a provável vitória cruzeirense em casa tivesse se concretizado.

O time mineiro chegou aos mesmos 36 pontos de Botafogo e Ceará, mas leva a pior nos critérios de desempate. Ao mesmo tempo, a vantagem sobre o Fluminense é de apenas um ponto, faltando cinco rodadas para o fim da Série A.

O rebaixamento do Avaí não surpreende. O time só não esteve na zona de rebaixamento durante as duas primeiras rodadas. E mais: das 33 disputadas até aqui, apareceu em último lugar em 19 delas.

Mais do que o resultado, o fato de o Cruzeiro de Abel Braga não ter superado um time tão frágil anima os concorrentes. A falta de repertório do time de Abel Braga foi flagrante. Contraum time fechado como o Avaí, que estava disposto a cair com dignidade, a alternativa cruzeirense se limitou a cruzar bolas na área. Segundo o Footstats, foram 61 cruzamentos. A torcida vaiou.

— O Avaí se defendeu bem. Não temos desculpa. Temos que trabalhar, continuar acreditando. Meu pai costuma dizer que quanto mais amor, mais sofrimento. Temos ainda cinco jogos, vamos buscar pontos fora de casa — disse o lateral-esquerdo Dodô.

Para o Cruzeiro se desgarrar do Z4, vencer é imperativo. Mas essa dificuldade tem sido grande no Brasileirão. Com o 0 a 0 diante do Avaí, são 15 empates. Quatro deles vieram nos quatro últimos jogos em casa.

Santos (f), CSA (c), Vasco (f), Grêmio (f) e Palmeiras (c) são os compromissos que estão adiante do Cruzeiro. Só há um adversário teoricamente mais simples, que é o CSA, também na sina do rebaixamento. Só que nem assim dá para o torcedor se empolgar, e o jogo contra o Avaí está aí para justificar a preocupação.

Agora, o Brasil volta à campo para enfrentar a forte seleção da França, na quinta-feira, no Bezerrão às 20h. 

Enfrentar a Itália, seja lá qual for a categoria, nunca foi e nunca será um desafio fácil - muito pelo contrário. Nesta segunda-feira, o Brasil se impôs para vencer a Azzurra por 2 a 0 no Estádio Olímpico, em Goiás, e garantiu sua classificação para a semifinal do Mundial Sub-17.

A Itália teve mais posse de bola e chutou mais vezes ao gol no primeiro tempo, mas foi a efetividade da Seleção Brasileira que garantiu o resultado ainda na primeira etapa, com gols de Patryck e Peglow.

Agora, o Brasil volta à campo para enfrentar a França, na quinta-feira, no Bezerrão às 20h. Adversário histórico da Canarinho, os franceses atropelaram a Espanha nas quartas de final por impressionantes 6 a 1.

INÍCIO A MIL POR HORA

Assim como na vitória sobre o Chile, o Brasil começou o jogo impondo seu ritmo e rapidamente balançou as redes. Aos cinco minutos da primeira etapa, o lateral-esquerdo Patryck foi lançado na linha de fundo, infiltrou na área e chutou forte para estufar as redes, sem chances para o goleiro. Com quatro finalizações em sete minutos, o Brasil se acomodou após o gol e perdeu o controle do jogo, com uma notória desconcentração dos jogadores. A Itália tomou as rédeas e controlou o jogo.

QUEM NÃO FAZ, LEVA!

Aos 35 minutos, a Itália controlava o jogo e quase empatou o placar com uma boa chegada de Gnonto, que subiu sozinho após uma cobrança de falta e quase estufou as redes. Depois do susto, a Seleção Brasileira acordou. Aos 39 minutos, Pedro Lucas aplicou um lindo passe e deixou Peglow sozinho na direita, que chutou cruzado e venceu o goleiro italiano, com a bola resvalando no pé da trave antes de entrar.

PELAS PONTAS

O Brasil chegou muito bem durante o jogo em jogadas pelas laterais, utilizando a rapidez de seus laterais para concretizar contra-ataques. Aos 22 minutos, Pedro Lucas, um dos principais destaques do jogo, perdeu um gol na entrada da área na finalização de um bom contra-ataque. O goleiro Molla trabalhou bastante no segundo tempo com o intuito de evitar o terceiro gol da Seleção Brasileira.

 

Fonte: portal terra

 
 
Pagina 1 de 6

PUBLICIDADE

JR Esquadrias