Futebol (88)

 

Qualquer descrição de Mané Garrincha é pouca diante de quem ele foi para o futebol. Se hoje a camisa 7 do Botafogo carrega uma eterna mística, muito se deve a ele. Então, ser o maior ídolo da história alvinegra 

Garrincha morreu em 1983 e, 37 anos depois, ainda é reverenciado por botafoguenses e torcedores brasileiros de maneira geral. Para muitos, após Pelé, foi o maior a vestir a camisa da seleção. Seu futebol merece ser eternizado e a filha de Mané tenta manter a sua memória viva.

— Não podem esquecer do papai. Aqui em casa tem uma quartinho só para ele com fitas, vídeos. São muitas [memórias] para escolher. Sei que ele ficaria feliz em receber essa homenagem — completou.

Garrincha é bicampeão do mundo pela seleção brasileira (1958 e 1962), melhor jogador do torneio de 1962 e segundo jogador que mais atuou pelo Botafogo (612 partidas). Pelo Botafogo, é o terceiro maior artilheiro (261 gols) e multicampeão.

Fonte: Da Internet/Extra

O Palmeiras foi seu último time, onde foi coroado campeão do Brasileiro em 2016, com a seleção, ele ganhou duas Copas das Confederações , de 1997 e 2005, e duas Copas da América (1997 e 1999)

 

O craque Zé Roberto se aposentou dos gramados há três anos, mas o ex-seleção e Real Madrid continua chamando atenção fora dele. Dono de uma forma física invejável que o permitiu prolongar a carreira no Palmeiras, aos 45 anos ele ainda recebe elogios pelo corpo e o estilo de vida saudável.

As fotos atuais de Zé Roberto chamaram atenção até na mídia internacional. O jornal inglês "The Sun" destacou o "incrível corpo rasgado” do brasileiro. O "Olé", da Argentina, afirma que ele "desafia Cristiano Ronaldo com seu físico".

Muito ativo nas redes sociais, o ex-joagdor compartilha seus treinos em casa e conta alguns de seus segredos: não consome bebidas alcoólicas, não fuma, come e dorme muito bem. Em seu perfil do Instagram, recebe muitos elogios e interage com mais de 1 milhão de seguidores.

O Palmeiras foi seu último time, onde foi coroado campeão do Brasileiro em 2016. Com a seleção, ele ganhou duas Copas das Confederações, de 1997 e 2005, e duas Copas da América (1997 e 1999).

 

Fonte: Da Internet/Portal Extra

Presidente Mário Bittencourt confia em definição do imbróglio judicial entre o atacante e Cruzeiro antes do início do Brasileirão e espera trazê-lo de volta ao Tricolor ainda este ano

O Fluminense ainda tem esperanças de contar com o atacante Fred para a temporada de 2020. Em coletiva, nesta sexta-feira, no CT Carlos Castilho, o presidente Mário Bittencourt explicou a estratégia do Tricolor para ter de volta o ídolo para a disputa do Campeonato Brasileiro. O clube das Laranjeiras aguarda o encerramento definitivo do atacante com o Cruzeiro, discutido em ação judicial, que corre em Minas Gerais. Até agora, Fred conseguiu o desligamento por meio de uma liminar e aguarda audiência com a Raposa. 

- Já dei muitas evidências de que quero trazê-lo de volta, mas sempre disse que não faria nada que prejudicasse nosso planejamento financeiro, nem nada que colocasse a nossa relação com o Cruzeiro em risco. Liminares são derrubadas. Entendemos que ele precisa sair de lá resolvido quanto ao vínculo com o Cruzeiro. Não queremos correr o risco de trazer um jogador e uma liminar cassada frustre todo um planejamento nosso.

As conversas com Fred se iniciaram ainda no final de 2019, quando o Cruzeiro terminou rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro. O jogador de 36 anos, no entanto, ainda não chegou a um acordo com o clube mineiro pelo pagamento de uma dívida em torno de R$30 milhões. 

– Vi que a maioria dos jogadores do Cruzeiro conseguiu a liberação na primeira audiência e deixou os valores para serem discutidos ao longo do processo. Se isso acontecer com o Fred, pego um avião no dia seguinte para trazer o nosso ídolo de volta para casa. É o que eu, nossa torcida e ele queremos. Acredito que se tudo for resolvido, ele pode voltar para o Fluminense para o Campeonato Brasileiro – completou o presidente. 

 

 

Rei do futebol e do Santos fala sobre sua infância, sua relação com o Corinthians, sobre o racismo no esporte e também nega que esteja com depressão

Pelé é considerado o Rei do futebol e não é por acaso. O maior jogador de todos os tempos é um personagem que ainda hoje, mais de 40 anos após pendurar as chuteiras, é capaz de mobilizar o mundo da bola. Em entrevista à CNN Brasil, o eterno camisa 10 falou a respeito do polêmico título do Palmeiras de 1951, considerado pelos torcedores alviverdes como um título mundial, apesar de não ser reconhecido pela FIFA como tal.

“Não é um campeonato mundial. Não era um torneio como os torneios [mundiais] disputados hoje, como os que o Santos ganhou", afirmou, categórico. 

Pelé também contou que apesar de seu amor pelo Santos, seu time de infância foi o Bauru Atlético Clube, equipe onde o Rei deu seus primeiros chutes até se destacar e ir para a Vila Belmiro. Mas o tricampeão do mundo com a seleção brasileira também revelou que sempre teve uma forte ligação com o Corinthians, time que Pelé já assumiu que adorava enfrentar em seus tempos de jogador.

Coutinho Pelé Santos jogadorPelé e Coutinho / Foto: Reprodução

"Meu irmão era palmeirense. Nós jogávamos botão juntos e eu ficava com o Corinthians. E sempre perdia", lembrou. "Mas eu dizia: ‘meu time é o BAC [como é conhecido o Bauru], e meu time de botão é o Corinthians’".

Ainda com limitações para andar e se locomover, o maior jogador de todos os tempos afirmou que não está com depressão, que “inventaram” essa história de que estaria deprimido, e que está bem de saúde.

Fonte: Redação Goal

 

 

O prêmio de melhor jogado do Sul-americanos ficou com Gabigol do Flamengo. que teve ainda a companhia de outros rubro-negros: Bruno Henrique, Arrascaeta, Felipe Luís, Rafinha e Rodrigo Caio também estão na seleção eleita por jornalistas

O caderno de esportes Ovacion, do jornal uruguaio El Pais, elegeu os melhores jogadores da América do Sul em 2019. O prêmio de melhor jogador ficou com Gabriel Barbosa do Flamengo.

O artilheiro também teve ainda a companhia de outros rubro-negros: Bruno Henrique, Arrascaeta, Felipe Luís, Rafinha e Rodrigo Caio também estão na seleção eleita por jornalistas.

O prêmio de melhor treinador ficou pelo segundo ano consecutivo com Marcelo Gallardo do River Plate. A equipe argentina ainda teve quatro jogadores escalados entre os melhores do continente: o goleiro Armani, o zagueiro Pinola, Enzo Pérez e Ignacio Fernández.

O estranho no ninho entre os dois finalistas da Libertadores foi o gremista Everton.

Citado entre os destaques sul-americanos em atividade na temporada também está a nova contratação vascaína Germán Cano. O centroavante argentino de 31 anos brilhou no Independiente de Medellín, da Colômbia.

 

Fonte Da Internet

Atualmente, grande parte do elenco do Cruzeiro está acima do limite de R$ 150 mil. Destaques para o goleiro Fábio, o lateral-direito Edilson, os zagueiros Dedé e Leo, o lateral-esquerdo Egídio, os volantes Ariel Cabral e Henrique, os meias Thiago Neves, Robinho e Rodriguinho, e o atacante Fred.
                                                                                                                  O Cruzeiro estabeleceu em R$ 150 mil o teto salarial da temporada 2020, quando disputará pela primeira vez a Série B do Campeonato Brasileiro. Segundo Vittorio Medioli, CEO do clube, os atletas que quiserem continuar na Toca terão de se adequar à realidade financeira, que passa por reduzir o valor da folha de pagamento do futebol de R$ 15 milhões para R$ 4 ou 5 milhões.
O teto deverá ser cerca de R$ 150 mil. Tem gente que ganha R$ 1 milhão. Se quiser ficar com R$ 150 mil, ótimo. Agora, não queremos brigar, e sim mostrar que não há como contratar sem ter dinheiro. É uma realidade crua”.
 
Atualmente, grande parte do elenco do Cruzeiro está acima do limite de R$ 150 mil. Destaques para o goleiro Fábio, o lateral-direito Edilson, os zagueiros Dedé e Leo, o lateral-esquerdo Egídio, os volantes Ariel Cabral e Henrique, os meias Thiago Neves, Robinho e Rodriguinho, e o atacante Fred.
 
Quem não concordar com a política de “pés no chão” deverá ser negociado. Medioli revelou que a soma dos meses de salários, direitos de imagem e outras verbas trabalhistas em atraso correspondem a R$ 95 milhões, mais que todo o orçamento disponível em 2020, de R$ 80 milhões.
 
“Chamaremos os atletas e negociaremos quem já tenha propostas de outros clubes. A nossa realidade é de Série B. Foi discutido o salário máximo que podemos pagar. Se quem está aí gosta da camisa do Cruzeiro e rebaixa o salário ao máximo que podemos pagar, ótimo. Agora, não podemos pagar alguma coisa que não temos. Em dívidas, só a folha de atletas são R$ 95 milhões. Absurdo. R$ 95 milhões”.
 
Vittorio ainda se mostrou preocupado com os funcionários de remuneração mais baixa - inferior a R$ 2,5 mil. Esses terão prioridade para receber a totalidade. “Temos mais de 500 funcionários trabalhando aqui dentro e vamos honrar aquele de baixo salário, que está faltando comida dentro de casa. Vamos regularizar aqueles que estão em situação mais crítica até 7 ou 8 de janeiro”.
 
Por fim, o vice-presidente-executivo ressaltou a necessidade de diminuir gastos no presente para colher os frutos de recuperação administrativa no futuro. “Não tem como. Tem que cortar muita coisa. Quem vivia no palácio, tem que se mudar para a casa dos fundos. Mas podemos, com projeto, voltar a construir um palácio sustentável, com pessoas que possam garantir um time que dá orgulho”.
 
Uma das saídas encontradas por Medioli é transformar o Cruzeiro em clube-empresa - uma espécie de S/A (Sociedade Anônima) - e entrar em recuperação judicial. Desse modo, patrimônios da agremiação não utilizados para a prática esportiva poderiam ser negociados para abatimento da dívida de R$ 700 milhões. Estima-se que esses bens estejam avaliados em cerca de R$ 500 milhões.

O atacante participou do evento Futebol Contra a Fome, partida beneficente organizada pelos cantores Alexandre e Fernando Pires e realizada na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais.

Alvo de times da China, Bruno Henrique tratou de tranquilizar os torcedores rubro-negros nesta quinta-feira. O segundo melhor jogador do Mundial de Clubes disse que faria um “contrato vitalício” com o Flamengo ao ser perguntado sobre seu futuro.

O atacante participou do evento Futebol Contra a Fome, partida beneficente organizada pelos cantores Alexandre e Fernando Pires e realizada na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais.

“O Flamengo hoje é minha casa. Um time da grandeza do Flamengo depois de muitos anos voltar a conquistar títulos, trazer o torcedor de volta. Foi muito bonito o ano que a gente viveu. Por mim, eu fazia contratado vitalício ficava para sempre no Flamengo”, disse ao SporTV.


Com 62 partidas, 35 gols marcados e 15 assistências, Bruno Henrique se consolidou como peça fundamental do Flamengo e é especulado em times da China. O clube carioca, inclusive, já trabalha com a renovação de seu contrato, mas estipulou um valor para uma possível venda: 20 milhões de euros (cerca de R$ 90 milhões).

 

Fonte: df.superesportes

O time da Premier League pode entrar o ano de 2020 brigando por sete troféus; veja quais

A temporada 2019/20 do Liverpool chama a atenção entre os times da Inglaterra e Europa. Atual campeão da Champions League, a equipe comandada por Jurgen Klopp poderá conquistar sete títulos em 2020 além do Mundial Interclubes, ainda em dezembro deste ano .

Classificado para as oitavas de final da competição europeia após derrotar o RB Salzburg por 2 a 0, o elenco não somente assegurou vaga à próxima fase da competição como também possibilitou aos torcedores comemorarem três troféus em 2020: o da própria Champions e os campeonatos consequentes ao título continental - a Supercopa da UEFA e o Mundial de Clubes. Neste caso, o avanço à fase eliminatória da UCL aumentou gradativamente o possível “ano de ouro” dos Reds, com três chances de t:ítulos.

 

O cenário tende a melhorar, uma vez que o time de Klopp é o grande favorito a vencer a Premier League. Líder isolado com oito pontos de diferença para o segundo colocado , o Leicester, as chances de o Liverpool não tornar-se campeão inglês em 2020 são remotas. E, se vencer a Premier, o time garante vaga à Supercopa da Inglaterra. Ou seja, a possível lista de títulos sobe para cinco no próximo ano.

Liverpool fans Anfield 2019
(Foto: Getty Images)

O número de competições simultâneas que vão ser disputadas pelo Liverpool em 2020 contribui para o feito histórico e, entre elas, ainda estão a Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa. O Liverpool inicia a corrida rumo ao título da Copa da Inglaterra somente em 05 de janeiro, contra o Everton. Já na Copa da Liga Inglesa, o elenco entra em campo no próximo dia 17, pelas quartas de final, contra o Aston VillaA partida será disputada quase que 'simultaneamente' com o Mundial de Clubes e, por este motivo, os Reds não vão disputar a Copa com o elenco titular.

Após o final da lista de possíveis títulos para 2020, o Liverpool poderá erguer até sete taças somente em 2020. O último clube europeu a alcançar a extensa marca de conquistas foi o Barcelona, em 2009. Na época, o clube de Lionel Messi e Pep Guardiola venceu seis torneios: o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Supercopa Espanhola, a Champions League, a Supercopa Europeia e o Mundial de Clubes.

Em 2015, o Barça ficou perto de superar a própria marca após vencer cinco competições: o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei, a Champions League, a Supercopa da Europa e o Mundial de Clubes. Mesma cifra do Bayern de Munique, que fez a 'rapa' quando venceu a Bundesliga, a Copa da Alemanha, Champions, Supercopa da UEFA e Mundial em 2013.

 

Fonte: Goal. com

Em uma competição que tem o Liverpool como favorito, o Flamengo chega como o brasileiro com mais chances de fazer frente ao campeão europeu nos últimos anos. Mas para se enfrentarem, ambos precisam passar da semifinal da competição, o último campeão brasileiro foi Corinthians, em 2012, sobre o Chelsea, da Inglaterra.

Trinta e oito anos depois, o Flamengo volta a disputar o Mundial de Clubes, pela primeira vez no atual formato, iniciado no ano 2000. O desafio é ir além do que a maioria dos outros times brasileiros fez em 18 anos de torneio. O último campeão brasileiro foi Corinthians, em 2012, sobre o Chelsea, da Inglaterra. Desde então, a única equipe nacional a chegar a uma final foi o Grêmio, em 2017, quando perdeu por 1 a 0 para o Real Madrid. Nas duas ocasiões, os jogos foram decididos pela diferença mínima.

Além do Corinthians, campeão também no ano 2000, sobre o Vasco, só ergueram a taça do Mundial o São Paulo, em 2005, e Internacional, em 2006. Em uma competição que tem o Liverpool como favorito, o Flamengo chega como o brasileiro com mais chances de fazer frente ao campeão europeu nos últimos anos. Mas para se enfrentarem, ambos precisam passar da semifinal da competição.

 

O otimismo se dá principalmente pela campanha do Rubro-Negro em 2019. Deixando os demais times do Brasileiro muito para trás. Em campo, o alto nível ficou marcado através de dois nomes. Gabigol e Jorge Jesus. O camisa 9 simboliza um Flamengo sedento pelo ataque e por um jogo ofensivo inspirados no modelo europeu, que foi aplicado pelo técnico português com precisão em poucos meses.

Somado a este trabalho, pesou a chegada de jogadores com experiência na Europa. E campeões mundiais, inclusive. Como Rafinha, ex-Bayern de Munique. Também já levantaram a taça Diego, pelo Porto, e Willan Arão, reserva do Corinthians em 2012. A delegação viaja para Doha na sexta-feira.

 

 

A façanha de ser o primeiro técnico estrangeiro a comandar uma equipe brasileira campeã da Libertadores vai se repetir com Jorge Jesus no Mundial de Clubes. O português chega para o torneio com o status internacional revigorado, sobretudo por não ter obtido sucesso nas disputas europeias com times de seu país.

Sob o comando do Benfica, Jorge Jesus chegou às decisões da Liga Europa de 2013 e 2014, e perdeu para Chelsea e Sevilla, respectivamente. A última nos pênaltis e a outra nos acréscimos do segundo tempo. Da mesma forma que conquistou a Libertadores sobre o River Plate.

Após faturar também o Campeonato Brasileiro com quatro rodadas de antecedência, o Flamengo iniciou a preparação para o Mundial. E também começou a planejar 2020. O ano que vem depende da permanência de Jorge Jesus, cujo contrato vai até junho.

Ficou alinhado que a conversa definitiva acontecerá depois do Mundial no Qatar. A diretoria do Flamengo conversou com o técnico algumas vezes, mas ele até agora indicou apenas que pode cumprir o contrato. A ideia é pelo menos ampliar até o fim do ano que vem.

 

Diogo Dantas/ Extra

 

Surpreendentemente poupando alguns titulares, o Palmeiras pouco conseguiu fazer na primeira etapa, Raphael Veiga e Hyoran, que começaram jogando, não aproveitaram as oportunidades e foram mal

Parecia que apenas um dos times ainda lutava por algo neste Brasileiro. E levou a melhor quem foi mais eficaz. Em um jogo de poucas chances, o Fluminense mostrou mais vontade, foi melhor e fez 1 a 0 sobre o Palmeiras, que poupou alguns jogadores, nesta quinta-feira, no Maracanã. Com o resultado, o Tricolor chegou a 41 pontos, em 15º, e se afastou um pouco mais da zona de rebaixamento. O Verdão parou nos 68, na terceira colocação.

Na próxima rodada, o Fluminense visita o Avaí, na Ressacada, no domingo, às 16h. No mesmo dia e horário, o Palmeiras recebe o campeão Flamengo.                                                                                                                           
 Duelo de opostos


Desde o começo da partida desta quinta-feira no Maracanã, ficou claro que um dos times parecia querer mais a vitória. Apesar das situações opostas na tabela do Brasileiro, - ou, talvez, justamente por isso - o Fluminense mostrou mais vontade e tentou controlar o jogo, ainda que tivesse problemas para criar jogadas no seu setor ofensivo.

Pelo falta de criatividade, o Tricolor demorou a ameaçar o Palmeiras. Mas, na sua melhor chance do primeiro tempo, conseguiu marcar. Aos 37, Luan cortou mal um lançamento para área e a bola sobrou para Marcos Paulo. O garoto dominou e mandou por cobertura sobre Weverton, marcando um golaço.                                                                                                                                                                                                                                                   
Veron estreia

Surpreendentemente poupando alguns titulares, o Palmeiras pouco conseguiu fazer na primeira etapa. Raphael Veiga e Hyoran, que começaram jogando, não aproveitaram a oportunidade e foram mal. Por isso, após o intervalo, já com o placar desfavorável, Mano Menezes colocou Dudu e Lucas Lima em campo. Depois, ainda promoveu a estreia de Veron como profissional. O time melhorou e passou a jogar no campo do adversário, pressionando a zaga do Fluminense.  Mas a única chance clara de gol aconteceu aos 16, quando Luiz Adriano cabeceou com perigo e Digão cortou a bola, que iria para o gol.                                                                                                                                                                                                          Tricolor segura e comemora

Pressionado pelo Palmeiras, o Fluminense se segurou como pode. Empurrado pela torcida, que compareceu em bom número, apesar da forte chuva que caiu no Rio de Janeiro, o Tricolor fechou a entrada da área e deu pouco espaço para o Verdão. No final, prendeu a bola no ataque até o apito final, para a festa da torcida tricolor.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 PALMEIRAS


Data/Hora: 28/11/2019, às 19h30 (de Brasília)
Local: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS) - Nota LANCE!: 6,0 - Não comprometeu o andamento da partida.
Auxiliares: Jorge Eduardo Calza (RS) e Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Árbitro de vídeo (VAR): Jean Pierre Gonçalves Lima (RS)
Público/Renda: 29.968 pagantes /30.947 presentes/ R$ 337.160,00
Gramado: Bom.
Cartões amarelos: Daniel e Digão (FLU), Willian, Victor Luis e Hyoran (PAL)

Gol:  Marcos Paulo, 37'/1º (1-0)

FLUMINENSE: Marcos Felipe, Gilberto, Nino, Digão e Caio Henrique; Airton (Dodi, 11'/1ºT), Allan, Daniel e Ganso (Nenê, 38'/2ºT); Yony González e Marcos Paulo (Pablo Dyego, 28'/2ºT). Técnico: Marcão.

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Luan, Vitor Hugo e Victor Luis; Thiago Santos, Matheus Fernandes e Raphael Veiga (Lucas Lima, 11'/2ºT); Hyoran (Dudu, Intervalo), Willian (Veron, 30'/2ºT) e Luiz Adriano. Técnico: Mano Menezes.

 

 

Fonte: portal Lance

Pagina 1 de 7

PUBLICIDADE

JR Esquadrias