Tecnologia (21)

A comitiva da Secitec participa de diversas visitas entre elas no parque tecnológico, em empresas e fundações do ecossistema de tecnologia de Florianópolis como a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), ACE, Sapiens Park, Softplan, RD e a Decora, uma das maiores produtoras globais de imagens em 3D. Sob os olhos vereador licenciado e secretario Durval Ferreira
 
O secretário de Ciência e Tecnologia (Secitec) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), o vereador licenciado Durval Ferreira, está participando até sexta-feira (16) do Innovation Summit cujo tema central é “Ecossistemas de Inovação: criativos, conectados e competitivos”. Essa semana de imersão no ecossistema de tecnologia de Florianópolis,  coordenado pelo Sebrae e outras entidades de fomento à tecnologia, promove debates e visitas a empresas e associações voltadas para o tema. 
 
A Innovation Summit,  é uma conferência realizada pela entidade em conjunto com outras iniciativas de incentivo ao empreendedorismo, como o Sebrae. Às portas de entregar a sede do Polo Extremo Oriental das Américas (Extremotec), o secretário avalia a participação no evento. “A nossa vinda para Florianópolis está nos conectando para uma realidade inovadora que nos impulsiona a qualificar cada vez a nossa cidade em roteiro de empreendedorismo tecnológico e de inovação”, afirma Durval.
 
 
Nesta quarta-feira, a comitiva da Secitec participa de diversas visitas entre elas no parque tecnológico, em empresas e fundações do ecossistema de tecnologia de Florianópolis como a Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), ACE, Sapiens Park, Softplan, RD e a Decora, uma das maiores produtoras globais de imagens em 3D. “A visita no ACATE, por exemplo, foi de grande importância para saber que estamos no caminho certo com o Extremotec. Também visitamos a empresa Hostgator e a Celta, que é uma fundação. Todas com projetos extraordinários”, explica Durval Ferreira.
 
Fonte: assessoria

A imagem de perfil do WhatsApp será, obrigatoriamente, a arte gráfica do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, para permitir a identificação, a iniciativa foi do juiz em substituição na comarca, Rogério Ursi Ventura

Em tempos em que a tecnologia está em todos os lugares e conectando pessoas, a utilização de aplicativos de comunicação tem ajudado instituições a prestarem um serviço mais eficiente e rápido. É o caso do Poder Judiciário na comarca de Brasilândia, que regulamentou a intimação por meio do aplicativo WhatsApp. Também será possível a realização de videochamadas em audiências de conciliação. A iniciativa foi do juiz em substituição na comarca, Rogério Ursi Ventura.

A ferramenta pode ser utilizada para fazer intimações das partes, advogados, conselheiros tutelares, defensores públicos, delegados de polícia, procuradores, promotores de justiça e demais membros de entidades que mantenham contato com o Poder Judiciário.

A intimação, via aplicativo WhatsApp, será oferecida como ferramenta facultativa, e será considerada efetivada a partir da confirmação do destinatário, sendo que a contagem dos prazos correrá na forma da legislação vigente, devendo o servidor responsável certificar a data e horário da comunicação. Caso não haja a confirmação de recebimento pela parte, a unidade judiciária providenciará a intimação, no prazo de três dias, por outro meio idôneo.

Junto com a mensagem, será encaminhada a imagem do documento, que contém a identificação do processo e das partes.

A imagem de perfil do WhatsApp será, obrigatoriamente, a arte gráfica do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, para permitir a identificação. Também ficou definido que será utilizado aparelho celular destinado à secretaria da unidade judiciária exclusivamente para esse fim, sendo proibida a utilização para finalidade diversa.

Também poderá ser feita videochamada para realização das audiências de conciliação em que a parte requerida resida em comarcas de outros estados. O procedimento é semelhante às videoconferências, que já foram utilizadas pelo Poder Judiciário de MS até na realização de julgamento do Tribunal do Júri.

A utilização deste recursos em Brasilândia está sendo implementada pelo chefe de cartório Eder Francisco Franzin, e pelo assistente de TI, Eder Paulo Cavalcante da Silva. A regulamentação foi feita por meio de uma ordem de serviço, assinada pelo juiz Rogério Ursi Ventura.

                                                                                           Fonte: Acritica

 

As Centrais Elétricas da Paraíba S.A. – Epasa foi constituída para construir e explorar as usinas Termoparaíba e Termonordeste, vencedoras de leilão Aneel em 2007.

O governador João Azevêdo participou, na manhã desta segunda-feira (18), do ato de ligação da termoelétrica Epasa ao gasoduto da PBGás. Na ocasião, também foi entregue 1,5 km da rede de gasoduto no Distrito Industrial de João Pessoa, que poderá atender ao aterro sanitário e a outras indústrias que venham a se instalar no entorno da área.

Após a ligação simbólica do gás natural na Estação de Regulação e Pressão, o governador, acompanhado da vice-governadora Lígia Feliciano, dos diretores da PBGás, da Epasa e de secretários de estado conheceram as instalações e a central de monitoramento da 2ª maior usina a óleo combustível do Nordeste, que passa a utilizar o gás natural em suas caldeiras.

 

João Azevêdo destacou que a ligação das caldeiras para geração de vapor é um primeiro passo para que, no futuro, com a substituição dos motores a óleo, a usina possa funcionar toda no gás natural e servir até para a geração de energia. “Sabemos que as termoelétricas são importantes como energia complementar a hidroelétrica, solar e eólica e necessitamos que ela continue funcionando e que possa, com o gás natural, melhorar o seu processo produtivo, reduzir a emissão de poluentes e fortalecer a matriz energética do Estado”, observou.

 

O governador acrescentou que nos últimos oito anos a Paraíba buscou equacionar a distribuição de energia com a execução da linha de transmissão em 500 kW que liga Milagres, Cajazeiras, Santa Luzia e a linha de Campina Grande e João Pessoa, que permitirá a Paraíba ser um grande pólo de distribuição. “Temos concedido incentivos fiscais e locacionais que geram a atração de novas indústrias, inclusive um conjunto de parques de energia eólica e placas fotovoltaicas instalados na Paraíba. Esse é o caminho para fortalecer a nossa matriz energética”, ressaltou.

 

De acordo com a diretora-presidente da PBGás, Tatiana Domiciano, o investimento da companhia na construção do gasoduto e na ligação da termoelétrica foi de mais de R$ 1 milhão e o novo gasoduto poderá atender outras indústrias que venham a se instalar no entorno da área do Distrito Industrial. “Estamos garantindo que a 2ª maior termoelétrica do Nordeste a óleo possa operar suas caldeiras ao gás natural e em um futuro próximo incorporar também os seus motores, o que irá gerar um volume considerável de gás, que é um combustível que emite menos poluentes”, explicou.

 

O presidente de Epasa, José Ferreira Abdal Neto, afirmou que a ligação do gás natural é um momento importante para a termoelétrica, já que com a conversão dos motores e caldeiras ao gás a emissão de gases poluentes sofrerá uma redução de cerca de 80%. “Nesta primeira etapa, o uso do gás natural na geração de vapor das caldeiras já traz vantagens como a redução dos caminhões para o abastecimento do óleo, propiciando um ambiente mais limpo e seguro”, explicou.

 

José Ferreira Abdal adiantou que o próximo passo será a conversão dos motores ao gás natural. “Já iniciamos um projeto de pesquisa para a conversão de um dos motores e esperamos no segundo semestre do ano fazermos a ligação e sermos um dos grandes clientes da PBGás. No processo produtivo esperamos uma redução entre 17% e 20% do custo em relação ao óleo diesel. Isso é algo muito relevante”, completou.

 

Epasa - As Centrais Elétricas da Paraíba S.A. – Epasa foi constituída para construir e explorar as usinas Termoparaíba e Termonordeste, vencedoras de leilão Aneel em 2007. A usina iniciou suas operações em dezembro de 2010. Considerando a potência instalada, as duas usinas, juntas, constituem a 2ª maior planta termoelétrica a óleo combustível no Nordeste, respectivamente.

 

As termoelétricas geram energia que é distribuída pela rede elétrica para vários estados do país e, em caso colapso na rede elétrica, a termoelétrica tem capacidade de suprir a demanda de energia em mais de 40% do estado da Paraíba.

 

A Epasa gera 450 empregos, sendo 156 empregos diretos de alta qualificação (engenheiros e técnicos) e cerca de 300 indiretos nas áreas de apoio, alimentação e transporte. A empresa também recebe incentivos fiscais do Governo do Estado, por meio da Receita do Estado e locacionais pela Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep).

 

Fonte: Secom PB

A Ventos de Arapuá 2 está autorizada é geradora de Energia Eólica e deverá atuar nos municípios de Santa Luzia, Areia de Baraúnas e São Mamede, no Sertão do Estado

Empresa paraibana foi autorizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para estabelecer-se como produtora independente de energia. A autorização foi publicada na edição desta terça-feira (05) do Diário Oficial da União.

A Ventos de Arapuá 2 está autorizada é geradora de Energia Eólica e deverá atuar nos municípios de Santa Luzia, Areia de Baraúnas e São Mamede, no Sertão do Estado. O prazo de outorga da licença é de 35 anos, segundo a publicação.

O regime de produção independente de energia elétrica autorizado é de 34.650 kW de potência instalada.

 

 
 

 FONTE: uaepetro.ufcg

Esta semana, a Seja Digital atingiu o patamar de cerca de 70 mil kits gratuitos distribuídos para as famílias da região de Campina Grande. A distribuição do kit gratuito, que conta com antena digital e conversor com controle remoto, é uma das missões da Seja Digital, entidade não governamental e sem fins lucrativos, criada por determinação da Anatel para operacionalizar a migração do sinal analógico de TV para o digital.

O desligamento do sinal analógico de TV em Campina Grande e outras 9 cidades está previsto para acontecer no dia 05 de dezembro. Após essa data, só será possível assistir à programação da TV aberta por meio do sinal digital. “Temos ainda mais de 30 mil kits para serem distribuídos e não vamos deixar ninguém para trás”, afirma Aline Fernandes, gerente regional da Seja Digital. Para saber se tem direito ao kit, a população deve ligar gratuitamente para o número 147 ou acessar o portal sejadigital.com.br/kit com o NIS (Número de Identificação Social) em mãos.

AGENDAMENTO

Para aqueles que ainda não retiraram seu kit ainda dá tempo. A Seja Digital está promovendo mutirões diários de agendamento para atender a população que ainda não recebeu seu conversor. Além de agendar, é possível também tirar dúvidas sobre o desligamento durante os mutirões. Confira onde a Seja Digital estará até sábado (13).

Quarta - feira (10/09)

08:00 às 17:00 - SOCIEDADE DOS AMIGOS DO BAIRRO (SAB) - BAIRRO JOSÉ PINHEIRO - CG

08:00 às 17:00 - INSTITUTO DOS CEGOS - ESTAÇÃO VELHA - CG

14:00 às 17:00 - ONG PROAMEV - BAIRRO CATINGUEIRA - CG

14:00 às 17:00 - TERMINAL DE INTEGRAÇÃO – MALVINAS - CG

14:00 às 17:00 - CASA DA CARIDADE PADRE IBIAPINA - BAIRRO JOSÉ PINHEIRO - CG

14:00 às 16:00 - SOCIEDADE DOS AMIGOS DO BAIRRO (SAB) - BAIRRO CUITÉS - CG

Quinta - feira (11/09)

08:00 às 17:00 - BAIRRO CIDADES - CG

08:00 ás 13:00 - ASSOCIAÇÃO SÃO TOME - DISTRITO SÃO MIGUEL - ESPERANÇA

14:00 às 16:00 - CENTRO DE FORMAÇÃO HUMANA SOCIAL - BAIRRO UNIVERSITÁRIO - CG

13:00 às 16:00 - SEDE DA ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA -COMUNIDADE RURAL AÇUDE DE DENTRO

Sábado (13/10)

09:00 às 12:00 - COMUNIDADE PAUS FERROS - LAGOA SECA - PB

14:00 às 16:00 - SOCIEDADE DOS AMIGOS DO BAIRRO (SAB) - BAIRRO BELA VISTA - CG

João Pessoa soma-se a outras cidades do mundo em que o projeto de mapeamento já foi concluído ou está em vigor, como nos Estados Unidos, México, Reino Unido, África do Sul e Austrália. De acordo com a empresa, o trabalho consiste em uma combinação de tecnologias de mapeamento para fornecer a infraestrutura adequada para os aplicativos da Uber.

O projeto de mapeamento da Uber no Brasil, que teve início no fim do ano passado, chegou a João Pessoa e será concluído nesta sexta-feira (23), com a captação das últimas imagens. No total, de acordo com a empresa, já foram mapeadas cerca de 200 mil km de vias em mais de 15 cidades do país, incluindo a capital paraibana. Agora, a equipe segue para as cidades de Natal e Fortaleza.

Para mapear João Pessoa, uma equipe específica da Uber utilizou mais de dez veículos equipados com dispositivos de alta tecnologia, a exemplo de receptores, radares a laser e câmeras de alta precisão. O trabalhou foi realizado ao longo das últimas semanas e, por enquanto, ainda não é possível mensurar quantas vias ou quilômetros foram mapeados na cidade.  O mapeamento da Uber no Brasil está previsto para ser concluído até o início do segundo semestre.

Com isso, João Pessoa soma-se a outras cidades do mundo em que o projeto de mapeamento já foi concluído ou está em vigor, como nos Estados Unidos, México, Reino Unido, África do Sul e Austrália, por exemplo. De acordo com a empresa, o trabalho consiste em uma combinação de tecnologias de mapeamento para fornecer a infraestrutura adequada para os aplicativos da Uber.

“Mapas precisos são o coração do nosso serviço e a espinha dorsal do nosso negócio. Na verdade, a Uber não existiria se os mapas digitais não tivessem sido criados primeiro”, afirmou Michele Biggi, gerente geral da Uber no Norte e Nordeste.

A iniciativa é fundamental para a Uber porque a experiência do usuário com o aplicativo baseia-se principalmente em informações fornecidas pelos mapas: quando ele insere o local em que quer esperar pelo carro e qual será seu destino, por exemplo. Da mesma forma, é com base nas informações dos mapas e GPS que o algoritmo da Uber calcula o horário estimado de chegada e o local e horário exatos onde os usuários devem esperar pelo motorista.

Os mapas já existentes são um bom ponto de partida, mas algumas informações não são relevantes para a Uber, como a topografia oceânica, por exemplo. Segundo Biggi, “há dados sobre os quais precisamos saber muito mais, como padrões de tráfego e locais precisos para embarque e desembarque. Precisamos também ser capazes de proporcionar uma experiência perfeita aos usuários em partes do mundo onde não há mapas detalhados ou nem mesmo sinais de rua”. Para acompanhar mais detalhes do projeto, visite uber.com/mapping.

 

Fonte: Celina Modesto, com assessoria de imprensa

 

O uso dos consoles para entretenimento adulto cresceu tanto que muita gente já chama suas máquinas de PornStation 4 e Sexbox One.

O hype em torno dos lançamentos do PlayStation 4 e do Xbox One não movimentou apenas a indústria convencional dos games: o mundo do pornô continua comemorando os lucros trazidos com a nova geração de consoles, mesmo após cinco anos de seus lançamentos originais. Seja com jogos de conteúdo adulto ou no aluguel de filmes, os consoles já se tornaram o meio favorito dos fãs do gênero.

Você conhece o Sexbox One? É uma montagem, mas sabendo procurar...
 
Você conhece o Sexbox One? É uma montagem, mas sabendo procurar...
Foto: Reprodução

Assim como Netflix e Amazon Prime se tornaram ótimas opções para ver filmes no PS4 e no Xbox One, o SugarInstant (antigo SugarDVD) se tornou uma verdadeira mania para os fãs de conteúdo adulto. O serviço funciona nas duas plataformas, mas os donos do console da Sony assistem três vezes mais filmes pornôs do que os do console da Microsoft, segundo estudo divulgado em 2015. A título de estatísticas, ainda segundo pesquisa da empresa entre seus clientes, os fãs de Xbox gostam mais de filmes com bumbuns, enquanto os do PlayStation preferem os filmes ditos “amadores”.

O SugarInstant começou seu negócio alugando DVDs eróticos, que eram entregues na casa do cliente, mais ou menos como a NetMovies fez no Brasil por alguns anos. Com o crescimento dos serviços online, ele agora cobra uma mensalidade e oferece streaming ilimitado de filmes, que podem ser assistidos através de aplicativo próprio nos consoles de games. E em ambos consoles o filme Cream Plosions 2 foi recordista de acessos: é um dos mais assistidos de todos os tempos.

O uso dos consoles para entretenimento adulto cresceu tanto na nova geração que muita gente já chama suas máquinas de PornStation 4 e Sexbox One. Mas algumas particularidades mexem com a imaginação dos clientes.

O Xbox One interage de maneira tão completa com o Kinect (quem disse que ele não servia pra nada?) que é possível navegar pelos menus, acessar jogos e até participar da ação sem usar as mãos. Só por conta disso, ele seria teoricamente a escolha número um para os fãs de conteúdo erótico. Mas não é bem assim: muita gente não confia no que o Kinect envia online para os servidores da Microsoft e o medo de uma situação constrangedora é mais forte do que a vontade de ver Cream Plosions 2 pela milésima vez seguida.

Se o Xbox One tem o Kinect com altos e baixos para o erotismo, o PS4 tem o PS Move como acessório ideal, tornando-se um best-seller em países que tradicionalmente consomem muito conteúdo erótico, especialmente na Europa.

Mas nem a paranóia de estar sendo observado pelos espiões do governo arrefece o ânimo dos pornofãs do Kinect: há até artistas que se especializaram em fazer filmes pornôs com o acessório do Xbox One. Alejandro Gomez-Arias é um desses caras.

Intitulado Love is All, o filme de Alejandro faz sucesso entre os proprietários do Xbox One por ter sido gravado com a câmera de infravermelho do Kinect, inclusive com uso dos sensores de profundidade do equipamento. Depois de filmado, o material recebe efeitos especiais e permite uma aproximação em 3D nas cenas mais quentes, sem que o câmera precise ficar cutucando as atrizes quando vai dar um close mais ousado.

“Eu queria gestos, movimentos e relações que fossem bem reais, mas não encontrei atores que quisesse fazê-lo, por isso, decidir fazer eu mesmo”, disse Alejandro ao periódico nova-iorquino Animal NY.

E é nesse pique do DIY (Do It Yourself) que filmes como Monsters of Jizz fazem sucesso, ainda que muitos jurem que imaginavam se tratar de um novo game do Suda51.

Kirsten Price (direita) com Nikki Benz: pioneirismo com o Kinect
 
Kirsten Price (direita) com Nikki Benz: pioneirismo com o Kinect
Foto: Pounding Pink / Divulgação

A atriz pornô Kirsten Price, que já contracenou com a lenda viva Ron Jeremy, foi uma das primeiras a testar o Kinect como “mídia” para tentar burlar o filtro de nudez do sistema: ela aprovou o resultado e rumores dão conta de que uma película “especializada” é esperada para breve.

Muitos desses “filmes” recebem alguns códigos de programação e se transformam em games bem simples, que se limitam a permitir que você use o Kinect para acariciar as atrizes.

Então, não vamos ser hipócritas: os novos consoles trazem features fantásticas para quem joga, mas também se tornaram uma maneira segura, rápida e divertida de consumir conteúdo erótico, a ponto de movimentarem um mercado sempre ávido por novas tecnologias que tragam mais lucros.

 
Geek
 

 

 

De acordo com a previsões do professor Molion, que segundo ele são baseadas em similaridades de fenômenos climáticos, a Paraíba deverá ter um acumulado de chuvas entre os meses de abril, maio e junho deste ano em torno de 900 milimetros.

“As previsões climáticas para 2018 apontam que este será um ano de chuvas acima da média para a Paraíba e que 2019 deve ficar uns 20% abaixo da média”. Essa afirmação foi feita na última quarta feira (07), pelo professor e doutor em Climatolopgia e Meteorologia, Luiz Carlos Baldicero Molion, durante uma palestra realizada na sede da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan). O especialista veio a convite do Departamento Técnico da Associação canavieira fazer um diagnóstico e falar sobre tendências do clima mundial.

De acordo com a previsões do professor Molion, que segundo ele são baseadas em similaridades de fenômenos climáticos, a Paraíba deverá ter um acumulado de chuvas entre os meses de abril, maio e junho deste ano em torno de 900 milimetros. Entre julho e setembro esse acumulado deve atingir cerca de 700 milimetros e de outubro a dezembro volta a normalidade registrando algo em torno de 120 milimetros. “Este ano teremos chuvas acima da média na Paraíba até o final do ano, mas 2019 vai ser mais seco, algo em torno de 20% abaixo desta média”, disse Molion.

Outra previsão do professor indica que se ocorrer o fenômeno El Niño, ele não se repetirá com a intensidade dos anos de 2014/2015. “O que aconteceu em 2014 foi que o El Niño chegou forte e perdurou em 2015 e 2016, mas, de acordo com minhas projeções se ele se formar agora será mais fraco e não vai provocar a intensidade de seca como em 2014/2015”, afirmou Molion, ressaltando que quando se trata de clima ‘não existe nada sacramentado’. “Há que se considerar que trabalhamos com hipótese físicas e que a natureza não se comporta de maneira linear, estando sujeita a vulnerabilidades”. disse ele, explicando que, por exemplo, se houver uma erupção vulcânica isso afeta diretamente e rapidamente no clima.

O modelo de estudo climático utilizado pelo professor parte de um método comparativo de similaridade que cruza dados anteriores com os da atualidade e também leva em consideração a temperatura da superfície do mar, além da influência do sol e da lua. “Como a superfície do planeta, em sua maior parte, é coberta por oceanos, suas oscilações de temperatura tornam-se determinantes para as variações do clima, lembrando que o Pacífico é o grande comandante do clima global”, explicou Molion.

Em relação a influência da Lua no clima, o professor explicou que a força gravitacional da lua acelera as correntes marinhas e estas, por sua vez, transportam mais calor da região tropical e toda vez que a lua esteve dentro da região tropical, ocorreu um El Niño forte. “Eu proponho que a lua seja a responsável por esses El Niños fortes que causam quatro a cinco anos de seca forte e baseado nisso eu publiquei um artigo defendendo essa minha tese”, afirmou o especialista, fazendo um alerta aos produtores: “Preparem-se que o próximo período semelhante a esse de 2012/2016 deve ocorrer por volta de 2033/2034 se essa minha teoria da lua controlando as conrrentes marinhas tiver sentido”, atestou Molion.

Para ele, não é coincidência esse fenômeno de influência da lua. “O fato de você ter uma força física chamada força gravitacional da lua que nós sabemos que mexe com as marés e com as correntes marinhas, me levou a concluir que enquanto a lua está no máximo, ela acelera as correntes marinhas e exportam mais calor para fora das regiões tropicais que ficam mais frias e secas e a gente passa por um período de chuvas abaixo do normal e por isso eu digo que vocês não terão grandes problemas no próximo ano e de 2020 ate 2032 eu não vejo grandes problemas neste horizonte climatológico”, afirmou o especialista.

Para os próximos dez anos, Molion disse que os totais anuais de chuvas na Paraíba devem ficar um pouco acima da média. Molion também abordou em sua palestra a questão do aquecimento global, mas, para o especialista isso é mito e a ideia do efeito estufa que se tem hoje precisa mudar. “O Dióxído de Carbono (CO2) não controla o clima, não é vilão, mas sim o gás da vida, responsável pela fertilização das plantas, é o CO2 que dá maior produtividade, portanto, precisamos mudar esse discurso inútil. Eu afirmo que o clima varia por causas naturais e que eventos extremos sempre ocorrerão, com clima frio ou quente e cabe a nós nos adaptarmos a eles”, disse Molion criticando os modelos tradicionais de previsão climática.

Para Molion, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) e o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) não fazem previsões e sim projeções climáticas utilizando modelos de clima global que não representam, na opinião do especialista, adequadamente os processos físicos que controlam o clima e, portanto, não reproduzem o clima atual. “Eles utilizam cenários de concentração de CO2 ficticios, gerados pela mente humana, por isso, as projeções dos Modelos de Clima Global são fictícios, meros exercícios acadêmicos que não se prestam para planejamento das ações humanas”, disse o especialista.

Para o presidente da Asplan, José Inácio de Morais, a palestra de Molion foi uma verdadeira aula de climatologia e, especialmente, uma palestra de altissímo nível. “O professor Molion é um especialista, fala com propriedade sobre essa temática e nos brindou com informações interessantes, de forma que só temos a agradecer pelos novos conhecimentos e torcer para que todas as projeções se tornem realidade já que elas nos deixaram aliviados com a perspectiva de chuvas acima da média este ano”, afirmou José Inácio, agradecendo a parceria da Yara e da Crop Agrícola no evento desta quarta-feira (07), que foi encerrado com um almoço. O diretor do Departamento Técnico da Asplan, Neto Siqueira reforçou os agradecimentos e reiterou o compromisso da Asplan em, mensalmente, promover eventos para melhor orientar os produtores associados.

.

 

 

 

 

 

 

 

Acessoria / Asplanpb

 

No Espírito Santo, assim como nos demais estados dos sudeste, a previsão é que os aparelhos irregulares deixem de funcionar em março do ano que vem.

 

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), como havia prometido desde 2012, começou nesta quinta-feira (22) o bloqueio de celulares piratas no Brasil. Os primeiros estados que passarão pelo pente fino são Goiás e Distrito Federal. E, até março de 2019, todos os estados brasileiros deverão ter celulares irregulares bloqueados.

Quem habilitar um celular irregular nas redes das prestadoras de telefonia móvel no Distrito Federal e no Estado de Goiás receberá a mensagem: “Operadora avisa: Pela Lei 9.472 este celular está irregular e não funcionará nas redes celulares em 75 dias”. 

Essa mensagem deve ser enviada em até 24 horas da ativação do celular e a contagem dos dias será alterada na medida em que se aproximar a data do bloqueio. Ela também será encaminhada ao aparelho móvel 50 dias e 25 dias antes do bloqueio. No dia 8 de maio, véspera do bloqueio, o celular irregular deve receber o seguinte SMS: “Operadora avisa: Este celular IMEI XXXXXXXXXXXXXXX é irregular e deixará de funcionar nas redes celulares”.

Segundo a Anatel, no Espírito Santo, assim como nos demais estados da Região Sudeste, a previsão é de que o encaminhamento de mensagens aos usuários ocorra a partir de 7 de janeiro do ano que vem e que o impedimento do uso dos aparelhos irregulares aconteça a partir de 24 de março de 2019.

O Projeto

O projeto tem por objetivo coibir o uso de telefones móveis não certificados pela Anatel, com IMEI (International Mobile Equipment Identity) adulterado, clonado ou outras formas de fraude. Participam do projeto, coordenado pela agência, a indústria e as empresas de telefonia móvel.

A decisão da Anatel prevê ainda que a interação com órgãos de defesa do consumidor e Ministério Público deve ser constante e anteceder a fase de encaminhamento de mensagens sobre adoção de medidas de restrição de uso de aparelhos irregulares.

A Procuradoria Federal Especializada da Anatel não identificou impedimento jurídico ao bloqueio apenas de novos aparelhos irregulares. Dados coletados pela Anatel demonstram que cerca de 1 milhão de novos aparelhos entram nas redes das prestadoras mensalmente.

Perigo

Segundo a agência reguladora, aparelhos irregulares podem ser perigosos para a saúde do usuário por apresentarem grande quantidade de chumbo e cádmio, não possuírem garantias em relação a limites de radiações eletromagnéticas e utilizarem materiais de baixa qualidade, como baterias e carregadores mais sujeitos a quebras. Além disso, eles tendem a apresentar problemas de queda de chamadas e falhas na conexão de dados.

Dados coletados pela Anatel demonstram que cerca de um milhão de novos aparelhos entram nas redes das prestadoras mensalmente.

IMEI

Cada celular tem um número de identificação único e global, chamado de IMEI, que equivale, por exemplo, ao número de chassis de um carro, ou seja, é único para cada aparelho celular.

O consumidor deve verificar, antes de comprar um aparelho celular, se o número que aparece na caixa, o número do adesivo e o número que aparece ao discar *#06# são os mesmos. Caso os números apresentados sejam diferentes, há uma grande chance de o aparelho ser irregular

Confira o cronograma de implantação

Distrito Federal e Goiás - A partir de 22 de fevereiro de 2018, serão enviadas mensagens aos usuários que possuem aparelhos irregulares. O bloqueio desses aparelhos nestes estados se dará a partir de 9 de maio de 2018. E, entre 8 de agosto de 2018 e 22 de setembro de 2018, ocorrerá a fase de avaliação das medidas adotadas.

Acre, Rondônia, São Paulo, Tocantins, Região Sul e demais estados da Região Centro-Oeste – As mensagens aos usuários de aparelhos irregulares serão encaminhadas a partir de 23 de setembro de 2018. O bloqueio dos aparelhos será a partir de 8 de dezembro de 2018. A medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 23 de setembro de 2018 nesses estados.

Região Nordeste e demais estados da Regiões Norte e Sudeste– Encaminhamento de mensagens aos usuários a partir de 7 de janeiro de 2019 e impedimento do uso dos aparelhos irregulares a partir de 24 de março de 2019. A medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 7 de janeiro de 2019 nos estados da Região Nordeste, e demais estados da Região Norte e Sudeste.

Aparelhos estrangeiros

Celulares comprados no exterior vão continuar funcionando no Brasil, desde que sejam certificados por organismos estrangeiros de certificação equivalentes à agência reguladora.

 

/ES
O adiamento foi decidido após pesquisas apontarem um porcentagem insuficiente de cobertura do sinal digital nas cidades citadas, desconsiderando a curva de tendência
 
O Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), adiou o desligamento do sinal analógico em algumas cidades brasileiras. Florianópolis (SC), Porto Alegre (SC), Franca (SP) e Ribeirão Preto (SP) não terão seus sinais retirados do ar às 23h59 do dia de hoje, como divulgado anteriormente. 
 
O adiamento foi decidido após pesquisas apontarem um porcentagem insuficiente de cobertura do sinal digital nas cidades citadas, desconsiderando a curva de tendência. Enquanto Florianópolis está com a cobertura do sinal em torno de 89%, a cidade de Porto Alegre está com 88% de cobertura. Já em São Paulo, Rio Preto, tem cobertura de 89% do sinal digital. 
 
De acordo com a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é necessário o mínimo de 90% de alcance, considerando as margens de erro em ceca de 3%. No entanto, mesmo as cidades estando dentro dos parâmetros estabelecidos, o Ministério, junto com a Anatel, decidiu prorrogar as datas do desligamento pensando em um número de cobertura mais expressivo nas próximas pesquisas.
 
Com isso, cerca de 2,1 milhões de moradores das regiões de Ribeirão Preto e Franca em São Paulo, terão sinal analógico retirado do ar até o 21 de fevereiro. Em Florianópolis o sinal será desligado até o dia 28 de fevereiro, enquanto Porto Alegre está com o desligamento previsto para 14 de março. Nos dois estados a medida afetará total de 6,7 milhões de habitantes.
 
Já para os moradores de Curitiba, município que registrou uma cobertura de 91% no sinal digital, as regras do desligamento continuam sendo válidas. Portanto às 23h59, o sinal analógico será desligado na cidade, atingindo cerca de 3,8 milhões de pessoas.
 
Sucesso
 
No nordeste os números impressionam. Em São Luís, no Maranhão a cobertura do sinal digital já chegou a 92%. Segundo o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, a iniciativa tem sido bastante positiva, tendo um alto índice de cobertura nacional. “Já são quase 500 cidades com o sinal digital, alcançando cerca de 90 milhões de brasileiros. É um grande sucesso”, destacou. 
Pagina 1 de 2
JR Esquadrias