Saúde (99)

Com um investimento de aproximadamente R$ 3 milhões, os ônibus vão garantir que crianças, adolescentes, jovens e adultos do município de João Pessoa, tenham mobilidade reduzida, e possam ter o mesmo direito ao acesso aos serviços disponibilizados pela Rede Municipal de Ensino.

A cada ano cresce o público da educação especial no município de João Pessoa. Atualmente, são mais de 2 mil alunos com necessidades especiais atendidas nas escolas municipais. Os serviços especializados e os profissionais para atender este público também precisam aumentar para fortalecer o que vem sendo garantido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Educação e Cultura (Sedec). É com este olhar que o prefeito Luciano Cartaxo entregou, na manhã desta segunda-feira (12), doze novos ônibus acessíveis para a Rede Municipal de Educação, em solenidade no Centro Administrativo Municipal  (CAM).

“Essa entrega representa nosso compromisso com a educação inclusiva, com o cuidado que temos com as nossas crianças. Estamos dobrando a quantidade de ônibus, chegando a 24, para que possamos buscar estas crianças em casa, reduzir as rotas e o tempo delas dentro dos veículos e garantir que elas cheguem às escolas da rede municipal, onde serão acompanhadas pelos nossos 500 cuidadores durante o dia e voltarão para casa em segurança”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

 

 

A entrega é parte do pacote de ações e obras anunciadas em comemoração aos 434 da Capital. Com um investimento de aproximadamente R$ 3 milhões, os ônibus vão garantir que crianças, adolescentes, jovens e adultos do município de João Pessoa, que tenham mobilidade reduzida, possam ter o mesmo direito ao acesso aos serviços disponibilizados pela Rede Municipal de Ensino.

“Vale salientar que a partir do ano de 2014 a gestão do prefeito Luciano Cartaxo teve a sensibilidade de ofertar um serviço de extrema importância, trazendo esses alunos que antes eram invisíveis aos olhos da sociedade tornando-os sujeitos de direitos. Iniciamos com 54 alunos atendidos com o transporte escolar acessível, e hoje contemplamos 218 estudantes que possuem alguma deficiência, como física, intelectual, visual e autistas”, disse a secretária da Sedec, Edilma da Costa Freire.

 

 

 

Com a entrega dos 12 novos ônibus nesta segunda (12), o Transporte Escolar Acessível (TEA) passa a contar com 24 ônibus acessíveis, todos entregues pela atual gestão, garantindo diante das políticas inclusivas o direito da pessoa com deficiência a estar inserida no ambiente escolar de qualidade, acessível e formada por profissionais qualificados. Cada um dos 12 veículos conta com uma plataforma de elevação e espaço para atender a 44 alunos.

Equipe – O TEA atualmente conta com uma equipe de motoristas, monitores e um setor de coordenação que seleciona, qualifica e monitora estes profissionais para atender e dá suporte da melhor forma a todos os alunos inseridos.

Rede – A Prefeitura Municipal atende atualmente mais de 2 mil estudantes com necessidades especiais, seja com deficiência, autismo, down e/ou superdotação. Eles estão divididos nas 100 escolas e 86 creches.

Fonte : Secom

  Profissionais e pacientes são ameaçados de violência e nenhuma providência foi tomada para garantir a segurança


O Conselho Regional de Medicina do Estado da Paraíba (CRM-PB) interditou eticamente a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital infantil Arlinda Marques, após fiscalização na manhã desta sexta-feira (9). Na última quarta (7), o CRM-PB deu um prazo de 48 horas para que a Secretaria de Saúde Estadual providenciasse segurança armada no hospital, após ameaças do pai de uma criança internada contra a equipe de profissionais do hospital e pacientes da UTI pediátrica. Nesta sexta o prazo concedido para que as providências fossem tomadas expirou e nada foi resolvido.

                “É um absurdo o que está acontecendo neste hospital. Pacientes, acompanhantes e profissionais estão assustados e preocupados com a falta de segurança no local. Tentamos resolver o problema da melhor forma possível, mas só tivemos promessas de que a segurança armada seria providenciada. Infelizmente, temos que fazer a interdição ética”, explicou o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa.

                Ele acrescentou que na próxima quarta-feira (14), a equipe de fiscalização do CRM-PB irá retornar ao hospital para verificar se foi providenciada a segurança do hospital. Caso contrário, o Conselho poderá interditar eticamente também o Pronto Atendimento do hospital. O diretor de fiscalização explicou ainda que as interdições éticas realizadas pelo CRM-PB impedem o médico de atender nas unidades de saúde. No entanto, os pacientes que ainda estiverem internados continuam recebendo assistência médica, mas não há novas internações na unidade.

                Entenda o caso – Na quarta (7), o CRM-PB esteve no hospital Arlinda Marques após denúncias de pediatras da UTI. A equipe de fiscalização apurou que na sexta-feira (2), o pai de uma crianaç de 6 anos internada na UTI disse que se a filha fosse a óbito, ele mataria uma paciente de 12 anos também internada no setor. Durante as ameaças, o homem quebrou dois vidros do setor, se feriu e deixou pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde assustados. Com isso, o CRM-PB entregou relatório pedindo que fosse providenciado policiamento armado em um prazo de 48 horas, sob pena de interdição ética da UTI.

 

Fonte: Formato Assessoria de Comunicação

 

 

 

Rede Municipal de Saúde  também atende  este público nas outras cinco Policlínicas Municipais, Unidades de Saúde da Família (USF), Centros de Práticas Integrativas e Complementares, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e de toda a rede hospitalar

A Policlínica Municipal do Idoso possui mais de 12 mil usuários cadastrados e, desses, aproximadamente 2,5 mil são atendidos mensalmente. O serviço conta com profissionais de diversas especialidades para prestar assistência integral em saúde à população idosa da Capital.

De acordo com a gerente de Atenção Especializada da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Andressa Cavalcante, a unidade é a única policlínica municipal, na região Nordeste, especializada para atender este público. “João Pessoa é o único município do Nordeste que oferece um serviço totalmente voltado para o idoso”, afirmou.

Na unidade são oferecidos atendimentos ambulatoriais nas especialidades médicas: angiologia, cardiologia, endocrinologia, geriatria, ginecologia, gastroenterologia, neurologia e reumatologia. Além dos atendimentos em outras áreas de saúde como enfermagem, odontologia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, assistência farmacêutica e assistência social.  São disponibilizados, também, grupos operativos que estimulam e incentivam os participantes à convivência e recreação coletiva.

“Ter um serviço que atende exclusivamente à população idosa é uma forma de valorização, cuidado e respeito, oferecendo a atenção adequada, não apenas com atendimento médico, mas também com atividades de convivência e recreação”, comentou Maria José Carneiro, coordenadora da Policlínica do Idoso.

Uma das usuárias da policlínica é a aposentada Maria Francisca da Rocha, de 71 anos. Ela já conhece o serviço há alguns anos e destaca a praticidade em ter várias especialidades concentrada num único espaço. “Eu gosto muito daqui, porque além dos atendimentos com os especialistas, ainda participo de vários grupos que servem como uma terapia pra mim”, disse.

Serviço – Para ter acesso aos serviços ambulatoriais, o usuário deve procurar a Unidade de Saúde da Família (USF) mais próxima, para que seja encaminhado. Já para os grupos e outros atendimentos como nutricionista, psicólogo, fisioterapia, assistência farmacêutica, o idoso pode procurar diretamente a policlínica.

A unidade é localizada na Praça Caldas Brandão, em prédio anexo ao Hospital Municipal Santa Isabel (HMSI). O horário de atendimento é das 7h às 11h e das 13h às 17h, de segunda a sexta-feira. O telefone é 3214-2863.

Saúde do Idoso – Além da Policlínica do Idoso, a Rede Municipal de Saúde atende este público também nas outras cinco Policlínicas Municipais, Unidades de Saúde da Família (USF), Centros de Práticas Integrativas e Complementares, Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e de toda a rede hospitalar. São oferecidas, ainda, atividades físicas nas praças por meio do projeto João Pessoa Vida Saudável.

Fonte: Secom Municipal

Relatório de Fiscalização do CRM-PB apontou que unidade está com quantidade insuficiente de anestesistas e não pode funcionar sem esses profissionais

A escassez de recursos do Hospital e Maternidade Flávio Ribeiro Coutinho, em Santa Rita, com a consequente falta de anestesistas e possibilidade de interdição da unidade de saúde pelo Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB) foi discutida na manhã da última quinta-feira (18), na Promotoria da cidade entre as partes envolvidas. Direção do hospital, prefeitura, Secretaria de Saúde, CRM-PB e Ministério Público expuseram os problemas e soluções para que a população de Santa Rita não fique sem os serviços do único hospital e maternidade públicos da cidade. Na última sexta-feira (12), o CRM-PB fiscalizou o hospital e constatou que há uma quantidade insuficiente de anestesistas, o que torna o atendimento inviável em um hospital que realiza partos, cirurgias e atende mais de 3,7 mil pessoas por mês.

                O hospital Flávio Ribeiro Coutinho é uma instituição filantrópica, que recebe recursos de doações, do Ministério da Saúde, através do SUS, e da Prefeitura de Santa Rita. De acordo com a direção do hospital, o repasse dos recursos pela Prefeitura vem sendo vendo feito regularmente e em dia, no entanto, são insuficientes para cobrir os custos do hospital, o que vem gerando dívidas com fornecedores, a Cooperativa de Anestesistas da Paraíba (Coopanest), dentre outros.

                Durante a audiência na Promotoria, o prefeito Emerson Panta informou que já agendou uma reunião com os vereadores da cidade para que eles conheçam as estatísticas e dados financeiros do hospital e, assim, possam aprovar um projeto de lei que aumente o aporte financeiro da prefeitura à unidade de saúde. Além disso, o prefeito sugeriu uma “gestão compartilhada” do hospital, uma espécie de administração assistida para que se melhore, também, a gestão da unidade.

                “Todos aqui reconhecemos a importância do hospital para o município e sua região. A maternidade de Santa Rita responde por uma quantidade expressiva de nascimentos no Estado, sendo a segunda no volume de partos da região metropolitana. Além disso, o hospital oferece clínica médica e cirurgia geral. Por essa importância, não pode funcionar sem anestesistas. O CRM vê essa situação com preocupação e por isso espera que esses problemas sejam resolvidos o mais rápido possível”, destacou o presidente do CRM-PB, Roberto Magliano de Morais, durante a audiência.

                Ele também acrescentou que entrará em contato com a presidência da Coopanest para que ela garanta a presença de anestesistas no hospital até o dia 1º de agosto. Na sexta-feira passada (12), a Coopanest garantiu que manteria os profissionais até o dia 25 de julho. Após este prazo, o CRM-PB faria uma nova fiscalização e, se o problema não tivesse sido resolvido, iria interditar eticamente o hospital.

                Após a audiência na Promotoria, ficou acordado que na próxima segunda-feira (22), a direção do hospital irá se reunir com os vereadores na Câmara Municipal para que exponha a situação financeira da unidade de saúde e a necessidade de um volume maior de recursos por parte da administração pública. Após esta audiência, as partes se reunirão novamente na Promotoria de Santa Rita.

                Importância do hospital – O Hospital e Maternidade Flávio Ribeiro Coutinho atende cerca de 3,7 mil pacientes por mês, oferecendo serviços em obstetrícia, cirurgia geral, clínica médica, UTI e ambulatório de urgência. Possui 101 leitos conveniados com o SUS, sendo 34 para maternidade, 46 para clínica médica, 12 para cirúgica e 8 para UTI. Ainda atende 120 pacientes por dia no setor de imagens, realizando raio X, ultrassonografia, tomografia, além do laboratório de análises clínicas.

 

 Assessoria de Comunicação

A maioria das vítimas (75%) era homem. Foram 243 mortos do sexo masculino e 79 do sexo feminino.

Nos últimos dez anos, 322 brasileiros morreram vítimas de intoxicação acidental por gases e vapores, segundo levantamento feito pela reportagem no Datasus, portal do Ministério da Saúde que traz dados sobre mortalidade. Os números são referentes ao período de 2008 a 2017, o mais recente disponível.

Segundo o balanço, a faixa etária com o maior número de mortes é de 20 a 29 anos, com 64 óbitos. Entre os mortos, 34 eram crianças ou adolescentes com menos de 14 anos, dos quais oito eram bebês menores de 1 ano.

A maioria das vítimas (75%) era homem. Foram 243 mortos do sexo masculino e 79 do sexo feminino. O Estado com o maior número de ocorrências foi São Paulo, com 88 mortes no período analisado, seguido por Rio Grande do Sul (38) e Rio de Janeiro (33).

No grupo de mortes acidentais por gases e vapores, de acordo com a base de dados do ministério, inclui-se a intoxicação por substâncias como monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio, dióxido de enxofre, entre outras.

Na sexta-feira passada, dia 12, quatro pessoas de uma mesma família foram encontradas mortas em Santo André, cidade do ABC paulista. A principal suspeita é de que as mortes tenham sido causadas por intoxicação após vazamento de gás.

Fonte: Metrojornal

O sexo é uma atividade que, além de prazerosa, é muito saudável, e não poderia ser diferente quando o assunto é prevenção. Sobre o vinho, pesquisadores do Centro de Pesquisa de Câncer Fred Hutchinson, em Seattle, investigaram a relação do consumo de álcool com o câncer de próstata, descobriram que homens que tomam vinho tinto têm menos chance de ter a doença

Trago neste post mais um tema relacionado ao temido câncer de próstata. Após ler esta informação na revista Cientifica European Urology, logo pensei nos meus queridos amigos e pacientes

Como sempre indico para vocês, o sexo assim como a atividade física e a alimentação saudável, está atrelado também à boa prática para evitar problemas graves. O sexo é uma atividade que, além de prazerosa, é muito saudável, e não poderia ser diferente quando o assunto é prevenção.

Para entenderem, nesta pesquisa divulgada por esta revista cientifica, as análises apontam que homens que ejaculam pelos menos 21 vezes por mês possuem 20% menos riscos de desenvolver o câncer de próstata. As análises foram pela Escola de Saúde Pública da Universidade de Boston e mais de 30 mil pessoas participaram da pesquisa, ao longo de 18 anos.

É uma pesquisa muito interessante, e por isso eu indico aos pacientes, certamente aos que não tem restrição. Pratiquem sim, sexo. É saudável para o corpo e para a mente também, não há o que temer. Devemos sempre buscar motivos para cuidar da nossa saúde, e porque não este motivo?

Sobre o vinho, li que pesquisadores do Centro de Pesquisa de Câncer Fred Hutchinson, em Seattle, investigaram a relação do consumo de álcool com o câncer de próstata, com isso, descobriram que homens que tomam vinho tinto têm menos chance de ter a doença. Os pesquisadores analisaram os hábitos de 1.456 homens entre 40 e 64 anos e os fatores que podiam influenciar o desenvolvimento da doença, como histórico familiar, peso, ingestão calórica diária, consumo de cigarro, vida sexual, estilo de vida e consumo de álcool.

Após as análises, foi possível perceber uma diferença no risco de ter a doença de acordo com o tipo de bebida alcoólica ingerida. Homens que consomem cerveja em demasia registraram um risco maior, enquanto os que beberam vinho, preferencialmente tinto, tinham chances menores de adquirir a doença.

Os pesquisadores ainda não sabem explicar o porquê, mas acreditam que o efeito seja por causa dos flavonóides e do resveratrol, antioxidantes presentes em maior quantidade nos tintos que diminuem a atividade dos genes das células que podem causar o câncer.

Os relatórios mostraram que o baixo consumo também pode ajudar; uma taça por semana chega a baixar em até 7% do risco de adquirir a doença e sete por semana diminui as chances em 52%.

Não esqueça do combo da prevenção que sempre repito por aqui: Atividade física diariamente, alimentação equilibrada, boas horas de sono, e agora, a prática do sexo e consumo moderado de vinho tinto. Não tem como reclamar da saúde, concorda?

Cuide hoje e sempre. Qualidade de vida é o nosso bem maior.

Fonte:urologia-doutoreze/Internet

Dicas, para acabar de vez com todas as questões que envolvem este assunto, o ortopedista e especialista em cirurgia do pé e tornozelo, Dr. Rafael Macedo, tira as duvidas dos atletas de final de semana e mostra a diferença para um melhor diagnóstico e tratamento. 

 

Quando alguém se machuca é comum a dúvida sobre que tipo de problema o trauma desencadeou, já que é difícil saber qual a diferença entre torção, luxação, contusão e fratura. Dito isto, para acabar de vez com todas as questões que envolvem este assunto, o ortopedista e especialista em cirurgia do pé e tornozelo, Dr. Rafael da Rocha Macedo, explica abaixo cada umas dessas lesões, seus sintomas e tratamentos. 

  Contusão - É considerado pelo especialista o menos grave, pois é o resultado de uma pancada que pode vir acompanhada de hematoma, dores e inchaço. Porém, não conta com cortes em tecidos moles, que são formados por vasos sanguíneos, vasos linfáticos, músculos, tecido gorduroso, aponeuroses, tendões e nervos. O problema pode ser resolvido com repouso, compressa de gelo sobre o local para diminuir o desconforto.

Torção - Este problema, que também causa dor, inchaço, hematomas e até dificuldade para caminhar, é caracterizado pela ruptura total, parcial ou estiramento do ligamento de uma articulação, que são estruturas elásticas que unem um osso a outro. O tratamento pode ser feito com repouso, uso de medicamentos, uso de gesso ou atadura para imobilizar a região e, em casos graves, intervenção cirúrgica.

Luxação - Caracterizada por uma lesão em que a articulação é tirada de sua posição normal, a luxação é uma urgência ortopédica, pois quando a cartilagem do local é danificada aumenta-se o risco de uma degeneração da articulação afetada, conhecida como artrose. "Este problema pode ocorrer após quedas, acidente automobilístico ou devido à frouxidão nos ligamentos articulares. Seu tratamento é feito com o posicionamento do osso no lugar feito pelo ortopedista, imobilização da região, fisioterapia e, em alguns casos, cirurgia para posicionamento ósseo", explica Macedo.

Fratura - O problema é causado após trauma que leva a quebra do osso, desencadeando dor forte, inchaços e hematomas. A fratura pode ser considerada fechada, quando o osso não é evidenciado, ou aberta, quando existe abertura da pele. Este também é um caso de emergência ortopédica, já que o problema pode causar complicações sérias à saúde do indivíduo, que vão desde danos aos vasos sanguíneos, aos nervos, infecções no osso, entre outros problemas, que podem colocar em risco a vida do paciente. O tratamento para alívio da dor e o controle de seus depende muito do tipo da fratura e do osso acometido, pode variar desde imobilização do seguimento até procedimentos cirúrgicos para o restabelecimento da anatomia normal.

Fonte: Meionorte

Vale lembrar que independente do tipo de problema o ideal é sempre procurar a opinião de um especialista. "Atualmente, existem inúmeras opções de tratamentos que possibilitam uma rápida recuperação do paciente, mas para isso é essencial ter um diagnóstico preciso da enfermidade e começar com o método adequado para cada situação", finaliza o especialista.

 

 

O milho da pipoca é o mais rico em fibras, sendo um grande aliado para o bom funcionamento intestinal, além disso, ele é o que mais contém minerais como fósforo, magnésio e zinco

O milho traz benefícios para a saúde como proteger a visão, por ser rico nos antioxidantes luteína e zeaxantina, e melhorar a saúde intestinal e emagrecer, devido ao seu alto teor de fibras que regulam o funcionamento do intestino e aumentam a sensação de saciedade.

O milho pode ser consumido cozido ou incluído em diversas receitas, como saladas, bolos, biscoitos, tortas, canjica e pamonha, além de poder ser incluído em preparações como arroz, molhos e carnes.

Dentre os seus principais benefícios para a saúde, estão:

  1. Prevenir doenças nos olhos, pois protege a mácula ocular devido à presença dos antioxidantes luteína e zeaxantina;
  2. Fortalecer o sistema imunológico, por ser rico em carotenoides;
  3. Ajudar a emagrecer, por dar mais saciedade devido à presença de fibras;
  4. Reduzir os níveis de colesterol, devido à presença de fibras;
  5. Ajudar a controlar o açúcar no sangue, por conter fibras e vitaminas do complexo B;
  6. Dar energia, por ser rico em carboidrato;
  7. Melhorar o trânsito intestinal, pois suas fibras favorecem a formação das fezes e servem de alimento para a flora intestinal.

O milho da pipoca é o mais rico em fibras, sendo um grande aliado para o bom funcionamento intestinal. Além disso, ele é o que mais contém minerais como fósforo, magnésio e zinco, enquanto o milho verde contém mais vitaminas, especialmente ácido fólico, niacina e vitamina B6.

Saiba como consumir pipoca do jeito certo para não engordar

Informação nutricional do milho

A tabela a seguir traz a informação nutricional para 100 g de milho verde cozido.

Nutrientes 100 g de milho de verde cozido
Energia 98 calorias
Proteínas 3,2 g
Gorduras 2,4 g
Carboidratos 17,1 g
Fibras 4,6 g
Vitamina E 2 g
Niacina (Vit. B3) 3,74 g
Potássio 162 mg
Fósforo 61 mg
Magnésio 20 mg

Também é importante lembrar que o milho é um cereal que não contém glúten, e por isso pode ser consumido em casos de Doença Celíaca ou intolerância ao glúten.

Receita de Canjica Fit

Milho protege a visão e melhora o intestino

 

Ingredientes:

  • 1 xícara de canjica de milho
  • 1/2 xícara de leite de coco
  • 1/2 xícara de água
  • 2 cravos
  • 2 canelas em pau
  • 2 colheres de sopa de adoçante culinário
  • 1 colher de sopa de amido de milho

Modo de preparo:

Colocar a canjica em um recipiente e cobrir com água, deixando de molho por 12 horas. Descartar a água e cozinhar a canjica em uma panela de pressão por cerca de 25 minutos. Em uma panela, juntar o leite de coco, a água, o cravo, a canela, o adoçante e o amido de milho, e mexer bem até ferver. Quando começar a engrossar, juntar a canjica cozida e continuar mexendo até o creme ficar uniforme e ganhar consistência. Servir quente ou gelado.

Receita de Bolo de Milho Fit

Milho protege a visão e melhora o intestino

 

Ingredientes:

  • 3 ovos inteiros
  • 1 lata de milho verde escorrida
  • 100 ml de leite desnatado
  • 1 colher de sopa de manteiga
  • 3 colheres de sopa de adoçante culinário em pó ou açúcar de coco
  • 6 colheres de sopa de aveia em flocos
  • 1 colher de sopa de fermento em pó

Modo de preparo:

Bater as claras em neve e reservar. No liquidificador, bater as gemas, a manteiga, o leite e o milho em lata. Numa outra taça colocar a massa líquida, o açúcar, aveia em flocos e misturar bem. Depois de bem misturado adicionar o fermento em pó e por último as claras, de forma delicada. Colocar em uma forma untada para pudim, levando ao forno médio pré-aquecido por cerca de 30 minutos ou até dourar.

 

Fonte: Tuasaúde

 

 

Para o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, a falta de estrutura das duas unidades de saúde compromete o atendimento e a saúde dos profissionais e pacientes, em especial crianças e idosos com problemas respiratórios

O CRM-PB interditou eticamente, na manhã desta quinta-feira (13), os médicos que atendem na Policlínica Municipal de São Sebastião de Lagoa de Roça e na Unidade Básica de Saúde Antônio Pedro dos Santos, localizada na mesma cidade, no Agreste paraibano. Na policlínica, a interdição foi motivada pelas precárias instalações do consultório médico, com paredes cheias de infiltração e muito mofo. Já na unidade de saúde, o consultório não oferece privacidade para o atendimento, além de ventilação, já que não há no local ar condicionado ou ventilador e, assim, as consultas são realizadas com a porta do consultório aberta.

De acordo com o diretor de Fiscalização do CRM-PB, João Alberto Pessoa, a falta de estrutura das duas unidades de saúde compromete o atendimento e a saúde dos profissionais e pacientes, em especial crianças e idosos com problemas respiratórios. A interdição ética tem início à meia noite desta sexta-feira (14). “Verificamos que as unidade apresentam uma infraestrutura precária e que colocam em risco a segurança do paciente e do exercício da medicina”, destacou o diretor.

 

As interdições éticas realizadas pelo CRM-PB impedem, exclusivamente, o médico de atender nas unidades de saúde. A medida tem o objetivo de preservar a dignidade do atendimento médico à população e a segurança do ato médico.

 

 

 Fonte:Formato Assessoria de Comunicação

          Luciana Oliveira/Kaylle Vieira 

 

 

Entre as causas do desperdício estão a falta de consciência, a falta de informação a respeito dos valores nutricionais das partes rejeitadas dos alimentos e a questão cultural tanto ao preparar como ao servir à comida

Quase 37 milhões de toneladas de comida são desperdiçados pelos brasileiros em um ano, segundo um estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Segundo o levantamento, que acompanhou os hábitos de 700 famílias brasileiras, cada pessoa desperdiça 41 quilos de comida em um ano. O número equivale à metade de todo o lixo recolhido no país.

Entre as causas do desperdício estão a falta de consciência, a falta de informação a respeito dos valores nutricionais das partes rejeitadas dos alimentos e a questão cultural tanto ao preparar como ao servir à comida. No que tange o preparo, muitas pessoas acabam descartando partes comestíveis dos alimentos, como cascas e camadas mais superficiais que podem ser consumidas.

Outro fator relevante é a compra de alimentos em excesso, o prazo de validade e o armazenamento inadequado de alimentos mais sensíveis. Em um país de altas temperaturas como o Brasil, é imprescindível guardar certos tipos de frutas, legumes e verduras na geladeira para que seu prazo de consumo se estenda. Também é importante ter cuidado com o recipiente de armazenamento: guardar refeições em panelas de alumínio não preserva os alimentos e ainda pode ser prejudicial à saúde.

A saída para combater o desperdício é o aproveitamento integral dos alimentos, ou seja, utilizar todas as fontes de nutrientes de um alimento: cascas, folhas, talos, sementes e polpa. Todas estas partes apresentam um alto valor nutritivo e podem ser incorporadas às receitas do dia a dia.

A incorporação dessas partes não tradicionais à dieta ainda é uma questão delicada e há muito preconceito e desinformação sobre o tema. No aproveitamento integral dos alimentos não se come somente cascas, talos ou sementes em separado, mas sim incorporados às receitas para que eles não sejam descartados. Muitas vezes, é preciso apenas um pouco de criatividade e ter a disposição os utensílios certos, como panelas de diferentes estilos para cada tipo de receita.

Iniciativa contra a fome no Brasil

Algumas iniciativas atuam para combater o desperdício de alimentos e a fome no país. É o caso da ONG Banco de Alimentos, fundada em 1999, que redistribui alimentos excedentes da produção e do comércio que foram descartados por não cumprir com o padrão mas estão aptos para o consumo. A comida distribuída pela ONG é responsável por complementar a dieta das pessoas assistidas pelas mais de 40 instituições cadastradas.

A Comida Invisível foi criada em 2005 para ajudar na conscientização e na educação para o combate ao desperdício de alimentos através de palestras, treinamentos e eventos. Além disso, um aplicativo conecta pessoas que precisam de alimentos com empresas doadoras, como restaurantes, hotéis e supermercados, e ONGs que distribuem comida para a população carente.

O Mesa Brasil SESC é uma rede nacional de bancos de alimentos contra a fome e o desperdício. A iniciativa recebe doações de empresas, instituições e voluntários e repassa os alimentos para pessoas em situação de pobreza. Segundo a Mesa Brasil SESC, mais de 17 toneladas de comida já foram distribuídas e cerca de 1,5 milhão de pessoas são atendidas diariamente. Entre os alimentos aceitos nas doações estão frutas, verduras, legumes, frios e laticínios, massas pães, carnes e outros.

Fonte: Oimparcial 

Pagina 1 de 8
JR Esquadrias