Cidades (106)

 

A Secretaria de Infraestrutura de João Pessoa (Seinfra) deu início a mais uma etapa do projeto de requalificação da Avenida Beira Rio, em João Pessoa. Trata-se das obras de padronização das calçadas, o que fará da avenida um grande corredor de passeio. O serviço, iniciado pela calçada em frente ao Departamento de Estradas e Rodagens (DER), vai garantir mais beleza a via e segurança aos pedestres.

A obra, onde estão sendo investidos R$ 6,7 milhões, faz parte do projeto de mobilidade implantado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), que inclui também a construção de uma ciclovia que vai ligar o Parque da Lagoa à orla de Cabo Branco, pelo canteiro central, além de nova iluminação e plantio de 900 novas mudas de árvores.

Com a padronização, que ocorrerá nos dois lados da avenida, as calçadas receberão piso com blocos intertravado, rampas de acessibilidade, mesma altura e padronização na largura.

Ciclovia – Paralelo ao trabalho de padronização das calçadas, a Seinfra continua com as obras de construção da ciclovia, onde já foi executado cerca de 1,3 quilometro (km).

A requalificação da Avenida Beira Rio é um dos mais importantes projetos de mobilidade urbana implantado pelo prefeito Luciano Cartaxo, pois prioriza o uso da via para os pedestres e ciclistas, contemplando também quem anda de transporte coletivo, carros e motos.

O projeto foi desenvolvido pela PMJP, com a participação de técnicos, professores universitários, ciclistas e a sociedade, respeitando o meio ambiente e obedecendo a arborização da via e as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) quanto à acessibilidade.

 

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues (PSDB), anunciou na noite desta segunda-feira (2) os nomes de secretários para a segunda gestão. As nomeações vão ser publicadas em edição extra do Semanário Oficial.

Vão permanecer os secretários Geraldo Nobre (Serviços Urbanos), Paulo Diniz (Administração), Joab Pacheco (Finanças), Eva Gouveia (Assistência Social), José Fernandes Mariz (Procuradoria-Geral do Muncípio), Félix Araújo Neto (STTP) e Antonio Hermano (IPSEM).

André Agra, que acumulava Planejamento e Obras, responderá apenas pelo Planejamento. Romero também confirmou o vereador Teles Albuquerque (PSC) na pasta da Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) no lugar de Gustavo Ribeiro. Teles abrirá vaga na Câmara Municipal para o suplente Álvaro Farias (PSC).Os demais auxiliares vão ser anunciado nos próximos dias

“Estamos promovendo poucas alterações na equipe de auxiliares porque time que está ganhando não se mexe muito, apenas se reforça com novos aliados. Vamos ao trabalho”, explicou Romero.

Cotado

Outro vereador deverá ser chamado para o secretariado, a fim de abrir vaga na Câmara para o suplente Lucas Ribeiro (PP). Um dos deles será convocado: Nelson Gomes Filho (PSDB) ou Joia Germano (PSDB).

JornaldaParaíba

As provas estão previstas para ser realizada no dia 29 de janeiro.

Estão prorrogadas até o dia 05 de janeiro de 2017, as inscrições do Concurso Público da Prefeitura de São Vicente do Seridó, no Estado da Paraíba.

Os interessados devem realizar a inscrição mediante preenchimento da ficha disponível no site da empresa organizadora www.conpass.com.br. É necessário nesta etapa efetuar o pagamento da taxa de inscrição.

No total este certame conta com 40 oportunidades nas funções de: Enfermeiro (1); Farmacêutico Bioquímico (1); Fonoaudiólogo (1); Médico Auditor (1); Médico Clínico Geral (1); Nutricionista (1); Odontólogo (1); Psicólogo (1); Supervisor Escolar (1); Professor Polivalente (3); Professor de Matemática (1); Professor de Educação Física (1); Professor de Educação Especial (1); Técnico em Enfermagem (2); Técnico em Laboratório (1); Agente Comunitário de Saúde (4); (1); Auxiliar Administrativo (1); Digitador (1); Monitor do PETI (1); Operador de Máquinas Pesadas (2); Motorista - Categoria "D" (1); Pedreiro (4); Auxiliar de Serviços (2); Gerais (2); Coveiro (1); Gari (2) e Vigilante (2).

Os novos contratados trabalharão sob jornada de trabalho de 25h e 40h semanais, com salários que vão de R$ 880,00 a R$ 3.246,44, conforme discriminado no edital de abertura disponível em nosso site.

As provas que estão previstas para ocorrer no dia 29 de janeiro de 2017, são constituídas de Escritas, de Títulos e Prática, a depender da função que o candidato irá desempenhar.

 Por meio da Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri), a Prefeitura de Campina Grande inicia nessa terça-feira, primeiro de novembro, o prazo de inscrição para os agricultores familiares participarem do Garantia-Safra (2016/2017), da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. O Garantia-Safra beneficiará cerca de 1.700 famílias de agricultores da zona rural de Campina Grande. Serão atendidos agricultores ainda não inscritos neste tipo de programa.

De acordo calendário divulgado pela Seagri, as inscrições para o Garantia Safra acontecerão nos dias 01 e 03 de novembro em Galante (Mercado Público), 08 e 09 de novembro em São José da Mata (Associação de Moradores) e nos dias 10 e 11 de novembro em Catolé de Boa Vista (sede da Cooperativa de Catolé).

Todos os inscritos receberão um boleto na Prefeitura de Campina Grande, no valor de R$ 17,00 e deverão se dirigir a uma lotérica ou agência da Caixa Econômica Federal para fazer o pagamento, dentro do prazo de cada município.

Aviso

 “Os agricultores devem ficar atentos aos prazos de inscrição e de pagamento do boleto. A adesão deve ser feita antes do plantio, para que o agricultor tenha sua produção segurada”, alertou Fábio Agra, secretário municipal de Agricultura.  O programa Garantia Safra é voltado ao agricultor com renda bruta familiar mensal de até 1,5 salário mínimo, que plante entre 0,6 e 5 hectares de algodão, arroz, feijão, mandioca ou milho.

Os outros critérios é que o agricultor seja aderido e residente em municípios com perdas mínimas de 50% da produção, seja por falta ou excesso de chuva. O valor do Garantia-Safra será de R$ 850,00 por agricultor, divididos em cinco parcelas de R$ 170,00. Os inscritos serão avisados, posteriormente, sobre a entrega do boletos, que provavelmente acontecerá em janeiro de 2017. O boleto deve ser pago nas lotéricas e garante a adesão ao Programa.

Fonte: Codecom

Por meio da Secretaria Municipal de Agricultura (Seagri), a Prefeitura de Campina Grande inicia nessa terça-feira, primeiro de novembro, o prazo de inscrição para os agricultores familiares participarem do Garantia-Safra (2016/2017), da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. O Garantia-Safra beneficiará cerca de 1.700 famílias de agricultores da zona rural de Campina Grande. Serão atendidos agricultores ainda não inscritos neste tipo de programa.

De  acordo com o calendário divulgado pela Seagri, as inscrições para o Garantia Safra acontecerão nos dias 01 e 03 de novembro em Galante (Mercado Público), 08 e 09 de novembro em São José da Mata (Associação de Moradores) e nos dias 10 e 11 de novembro em Catolé de Boa Vista (sede da Cooperativa de Catolé).

Todos os inscritos receberão um boleto na Prefeitura de Campina Grande, no valor de R$ 17,00 e deverão se dirigir a uma lotérica ou agência da Caixa Econômica Federal para fazer o pagamento, dentro do prazo de cada município.

Alerta 

“Os agricultores devem ficar atentos aos prazos de inscrição e de pagamento do boleto. A adesão deve ser feita antes do plantio, para que o agricultor tenha sua produção segurada”, alertou Fábio Agra, secretário municipal de Agricultura.  O programa Garantia Safra é voltado ao agricultor com renda bruta familiar mensal de até 1,5 salário mínimo, que plante entre 0,6 e 5 hectares de algodão, arroz, feijão, mandioca ou milho.

O outro critério é que o agricultor seja aderido e residente em municípios com perdas mínimas de 50% da produção, seja por falta ou excesso de chuva. O valor do Garantia-Safra será de R$ 850,00 por agricultor, divididos em cinco parcelas de R$ 170,00. Os inscritos serão avisados, posteriormente, sobre a entrega do boletos, que provavelmente acontecerá em janeiro de 2017. O boleto deve ser pago nas lotéricas e garante a adesão ao Programa.

Fonte: Codecom com redação

Governo estima que irá economizar R$ 147,5 milhões com a mudança.
Estados das regiões Norte e Nordeste não adotaram o horário.

O horário de verão entrará em vigor no próximo domingo (16) em dez estados mais o Distrito Federal. A partir de meia-noite de sábado (15), os moradores devem adiantar os relógios em uma hora. O horário de verão vai durar até o dia 19 de fevereiro de 2017.

Horário de verão 2016 (Foto: Arte/G1)

O governo federal estima que irá economizar R$ 147,5 milhões. O valor representa o custo evitado em usinas térmicas por questões de segurança elétrica e atendimento à ponta de carga no período de vigência do horário de verão.

O horário diferenciado vale para os estados de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Espírito Santo, além do DF.

Entre os objetivos está a redução da demanda durante o horário de pico, que vai normalmente das 18h às 21h. Com o horário de verão, a iluminação pública, por exemplo, é acionada mais tarde, deixando de coincidir com o horário de consumo da indústria e do comércio

Redução do consumo

Segundo o governo, nos últimos dez anos, a medida tem possibilitado uma redução média de 4,5% na demanda por energia no horário de maior consumo e uma economia absoluta de 0,5%. Isso equivale, em todo o horário de verão,  ao consumo mensal aproximado de energia em Brasília, com 2,8 milhões de habitantes.

O governo explica que o horário de verão possibilita a ampliação do período de maior consumo, reduzindo o volume de carga de energia nas linhas de transmissão, nas subestações e nos sistemas de distribuição num mesmo momento, o que reduz os riscos de apagões.

No Brasil, o Horário de Verão tem sido aplicado desde 1931/1932, com alguns intervalos.

Segundo as pesquisas, o horário de verão pode afetar o tempo de prática de atividades físicas, no número de acidentes de carro e até no período em que funcionários passam navegando na internet de forma improdutiva durante o expediente.

O prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, liderando uma comitiva, visitou na ultima quinta-feira(06), as obras de transposição das águas do Rio São Francisco, no Eixo Leste, no Cariri paraibano (Monteiro) e no estado de Pernambuco (Sertânia).
 
Acompanharam Romero representantes de entidades classistas da cidade, os deputados estaduais Bruno Cunha Lima e Tovar Correia Lima, além de auxiliares e do vereador eleito Teles Albuquerque.

 
O prefeito esteve acompanhado do presidente da Associação Comercial de Campina Grande, Álvaro Barros, e da presidente interina da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Rosália Lucas. Integraram tambem a equipe de vistoria das obras os secretários André Agra (Planejamento e Obras), Geraldo Nobre (Serviços Urbanos e Meio Ambiente), Fábio Medeiros (Agricultura) e Luiz Albeto Leite (Desenvolvimento Econômico). O coordenador de Comunicação, Marcos Alfredo, também se fez presente conduzindo uma comitiva de jornalistas.
 
Em Monteiro, Romero e comitiva foram recebido pelo vice-prefeito Cajó Menezes, e pelo engenheiro Marcílio Lira, representante do consórcio responsável pela obra do Eixo Leste.
 
O grupo se dirigiu ao longo de todo o percurso de obra da transposição no município, parando em várias etapas da construção do canal, a exemplo do túnel escavado em montanha e estação elevatória.
 
Segundo informações de Marcílio Lira, a obra retomou um ritmo mais acelerado nos últimos dias e a previsão é de que a água do São Francisco chegue a Monteiro em abril de 2017. 
 
A preocupação do prefeito Romero Rodrigues, segundo confessou em entrevista aos jornalistas da comitiva, diz respeito à inércia do Governo do Estado em relação às obras que caberiam à Paraíba, notadamente investimentos em saneamento básico na bacia dos rios Paraíba e Taperoá.
 
Mais do que nunca, Romero está disposto a cobrar, junto ao governador Ricardo Coutinho e ao próprio presidente Michel Temer - com quem pretende articular uma reunião nos próximos dias, através da bancada paraibana no Congresso Nacional - liberação de recursos para construção de uma adutora de engate rápido, que emergencialmente supriria o abastecimento de Campina Grande, enquanto se conclui a obra de transposição na Paraíba.
 
No início da tarde, Romero voltou a Campina Grande e promete, nos próximos dias, já implementar articulações em Brasília para a audiência no Palácio do Planalto, com representantes da sociedade civil e da bancada paraibana, para tratar do tema, que considera extremamente prioritário.
 

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) recebeu do Executivo pessoense a proposta da Lei Orçamentária Anual (LOA) referente ao exercício financeiro de 2017. Na sessão ordinária da ultima quarta-feira (05), foi realizada a primeira leitura do documento, que estima em R$ 2.578.838.120,00 a receita total do município de João Pessoa para o próximo ano.

 

Segundo mensagem do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) ao presidente Durval Ferreira (PP), o valor representa um aumento de 1,12% em relação ao orçamento previsto para 2016, ou seja, cerca de R$ 28,5 milhões.

Esse pequeno acréscimo foi calculado com base em criteriosa e prudente análise das perspectivas das receitas municipais, embasada na realidade da economia brasileira

Ainda de acordo com o prefeito, são elementos essenciais da atual gestão a economia e a austeridade administrativa, a fim de contribuir positivamente para a melhoria da qualidade na aplicação dos gastos públicos.

Entre as áreas do Poder Executivo que deverão receber mais investimentos, conforme a LOA 2017, estão: Educação, com R$ 321.886.700,00; Administração, com R$ 207.050.000,00; Saúde, com R$ 185,5 milhões; Habitação Social, com R$ 152 milhões; e Planejamento, com R$ 150.879.000,00.

Comparando-se com o planejamento orçamentário de 2016, a LOA 2017 prevê uma diminuição de mais de R$ 10 milhões em investimentos na Educação e de R$ 2 milhões na área de Planejamento. Já a Administração e a Habitação Social terão aumento de R$ 7 milhões e de R$ 25 milhões, respectivamente. A Saúde permanece em 2017 com recursos idênticos aos aplicados este ano.

Da administração indireta, os maiores valores serão destinados para: a Autarquia Municipal Especial de Limpeza Urbana (Emlur) – R$ 126 milhões (correspondendo a uma diminuição de R$ 3 milhões em relação a 2016); o Fundo Municipal de Saúde (FMS) – R$ 86 milhões (ou seja, acréscimo de R$ 500 mil para o próximo ano); e o Instituto de Previdência Municipal (IPM) – R$ 77,5 milhões (aumento de R$ 9 milhões para 2017).

Sobre a LOA

A Lei Orçamentária Anual estima as receitas e fixa as despesas do Município para o exercício financeiro subsequente. A matéria, prevista na Constituição Federal e na Lei Orgânica de João Pessoa, é de iniciativa do Executivo Municipal e encaminhada para apreciação e acréscimos pelo Legislativo, que devolve o texto com as emendas sugeridas pelos parlamentares e pela sociedade civil organizada.

O orçamento anual compreende a estimativa de receitas e despesas para órgãos da Administração Direta e Indireta, empresas em que o Município detenha a maioria do capital social, com direito a voto, e a seguridade social, abrangendo todas as entidades e os órgãos a ela vinculadas.

Tramitação no Legislativo

Conforme prevê o artigo 191 do Regimento Interno da CMJP, o projeto da LOA deve ser lido em três sessões ordinárias, para que o Plenário tenha conhecimento do fato, para depois ser encaminhado pelo presidente da Casa para a Comissão de Finanças, Orçamento, Obras e Administração Pública da Casa Legislativa.

Após isso, abre-se prazo de dez dias para que a Comissão apresente uma resolução definindo o relator da LOA 2017. Também é definida a programação das audiências públicas com entidades e autoridades da sociedade pessoense, a fim de discutir o orçamento de cada área, além dos prazos para recebimento das emendas e o prazo final para que o prefeito envie mensagem propondo modificações ao texto original, caso necessário.

 


 

CMJP

 

 

O evento aconteceu em frente a paróquia Nossa Senhora da Conceição do município de Araripina-PE, terra natal do Dom Francisco de Sales.

 

A festa  realizada no  ultimo dia (14), na cidade de Araripina, no estado de Pernambuco para ordenação do Frei Francisco de Sales Alencar Batista como novo bispo da Diocese de Cajazeiras reuniu uma grande multidão.

Com a presença padres e religiosos, além de várias caravanas vindas de diversas cidades da Diocese de Salgueiro, Pernambuco e fiéis da Diocese de Cajazeiras, aconteceu a Solene Concelebração Eucarística com o rito de ordenação episcopal que teve como Bispos Ordenantes, Dom Antônio Muniz Fernandes (Arcebispo Metropolitano de Maceió), Dom Antônio Fernando Saburido (Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife) e Dom José González Alonso (Bispo Emérito de Cajazeiras).

»Entre José e Francisco, Por Damião Fernandes

O evento aconteceu em frente a paróquia Nossa Senhora da Conceição do município de Araripina-PE, terra natal do Dom Francisco de Sales.

Dom Francisco de Sales é o oitavo bispo da diocese de Cajazeiras e foi nomeado no  ultimo dia 08 de Junho de 2016 pelo Papa Francisco. A posse, consequentemente, dará início ao seu Ministério Pastoral no dia 04 de Setembro em solenidade na Catedral Nossa Senhora da Piedade na cidade de Cajazeiras – PB.

VEJA FOTOS DO EVENTO!

Fotos  Magda de Sousa

 

 
Fonte: JL/Agência Senado
 
Pagina 7 de 8
JR Esquadrias