Quarta, 22 Agosto 2018 23:40

Paraíba é o segundo Estado mais eficiente do Nordeste e o sexto do Brasil

Escrito por  POSTADO ATUAL
Avalie este item
(0 votos)
Paraíba Paraíba

Os Estados mais bem posicionados são aqueles que gastam menos, por exemplo, para ter mais jovens na escola, médicos e leitos em hospitais, redes de água e esgoto, melhores rodovias e menores índices de violência.

Mais educação, saúde, infraestrutura e segurança à população, apesar da queda da receita. A Paraíba é o segundo Estado mais eficiente do Nordeste e o sexto do país. 

Os dados constam no Ranking de Eficiência dos Estados – Folha (REE-F), divulgado neste domingo (19), no qual observa-se o salto da Paraíba, que em 2016 ocupava a 15ª posição e em 2017 a 10ª posição.

Ranking

Segundo o ranking, numa escala de 0 a 1, a Paraíba pontua com 0,498, enquanto a média do Brasil é de 0,395. No Nordeste, o Estado ficou abaixo apenas de Pernambuco (0,517). Pelo estudo, os Estados mais bem posicionados são aqueles que gastam menos, por exemplo, para ter mais jovens na escola, médicos e leitos em hospitais, redes de água e esgoto, melhores rodovias e menores índices de violência. Santa Catarina foi o mais eficiente (0,635).

A maior pontuação da Paraíba foi na área da Segurança, ficando acima da média do Brasil e também de Pernambuco. Enquanto, a Paraíba ficou com 0,679 na escala, o país obteve 0,616 e Pernambuco 0,394, considerado um dos piores índices do país. O Estado ainda se destacou na área da infraestrutura com um indicador de 0,557, enquanto o indicador do Brasil foi de apenas 0,459 e Pernambuco 0,500; e também obteve boa pontuação na área da saúde, com 0,495, contra 0,410 do Brasil e 0,480 de Pernambuco.

Bem posicionados

O objetivo do REE-F é quantificar o cumprimento, pelos governos estaduais, de funções básicas e previstas em lei segundo seus recursos financeiros. Aparecem mais bem posicionados os estados que gastam menos, por exemplo, para ter mais jovens na escola, médicos e leitos em hospitais, redes de água e esgoto, melhores rodovias e menores índices de violência.

O trabalho traz ainda um amplo panorama das dificuldades dos estados, com a queda na receita e investimentos na crise econômica, e a explosão das despesas com o aumento do funcionalismo ativo e inativo.

 

com informações: Secom-PB

 


Ler 43 vezes
JR Esquadrias