Cidades (134)

A Defesa Civil reforça que, caso a população precise de atendimento, ligar para o número 0800-285-9020.

A cidade de João Pessoa já registrou chuvas de 150 milímetros nas últimas 24 horas. Por causa disso, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil segue em alerta e com as equipes nas ruas desde as primeiras horas da manhã deste sábado (23). O Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) emitiu alerta com o aviso de chuvas com risco de nível alto e a previsão é de mais precipitação ao longo do dia. A Defesa Civil reforça que, caso a população precise de atendimento, ligar para o número 0800-285-9020.

“A Defesa Civil já está em alerta e com equipes nas ruas desde as primeiras horas desta manhã. Essa quantidade de chuva de 146 milímetros é muito alta, com previsão de pontos de alagamentos na cidade. A última grande chuva desse mês foi de 124 milímetros no dia 15. A população precisa ficar em alerta e nos acionar pelo telefone 0800-285-9020 para alguma emergência, principalmente as pessoas que moram em comunidade ribeirinhas”, afirmou o coordenador da Defesa Civil, Noé Estrela.

Noé Estrela ainda ressaltou que todas as secretarias da Prefeitura Municipal de João Pessoa também estão em alerta. “Nós temos o projeto ‘João Pessoa em Ação’, que conta também com o trabalho das secretarias de Infraestrutura, Desenvolvimento Urbano, Desenvolvimento Social, Meio Ambiente, Semob e Emlur. Já acionamos todas elas para ficar em alerta máximo durante todo este sábado”, disse.

Semob – A Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) também fica alerta em caso de chuva intensa. Se um condutor precisar acionar os agentes para semáforos apagados ou ruas intransitáveis por alagamentos, é só ligar para o Centro Operacional de Trânsito e Transportes (COTT).

Os telefones são 3218-9420, 118 ou 98760-2134 (whatsapp).

Secom João Pessoa 

As chuvas das últimas horas atingiram 160 milímetros de ontem para hoje e o acumulado no mês de maio é de 472,8 milímetros, 167% acima do previsto para o período

Após reunião com secretários municipais na tarde deste sábado (23) nesta capital, o prefeito Luciano Cartaxo anunciou medidas para minimizar os efeitos das chuvas nas comunidades e na cidade. Redobra os cuidados em decorrência da pandemia provocada pelo coronavírus, que a gestão está na luta para reduzir o número de infectados pela doença.

As chuvas das últimas horas atingiram 160 milímetros de ontem para hoje e o acumulado no mês de maio é de 472,8 milímetros, 167% acima do previsto para o período. Por isso, o prefeito Luciano agiu rápido na reunião on-line com os secretários da Defesa Civil, Desenvolvimento Social (Sedes), Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Infraestrutura, Habitação, Saúde, Planejamento, Educação, Gabinete, Articulação Política e Comunicação.

Cartaxo determinou, ainda, que todas as secretarias se mantenham de plantão e disponibilizem equipes mobilizadas e trabalhando para prestar assistência imediata, em caso de problemas e possíveis chamadas da população.

Fonte: Da Internet

 

O decreto com as novas medidas sociais será publicado na ultima terça-feira dia (19) no Diário Oficial do Estado (DOE)

João Azevêdo autorizou, a distribuição de mais 60 mil cestas básicas à população em situação de vulnerabilidade social na Paraíba, devido à pandemia do coronavírus. As novas ações na área social também autorizam investimentos de R$ 1 milhão para a aquisição de alimentos da agricultura familiar e asseguram recursos na ordem de R$ 1 milhão para atender as Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), por meio do projeto Acolher. O decreto com as novas medidas sociais foi publicado na  ultima terça-feira (19) no Diário Oficial do Estado (DOE).

Durante o programa semanal ‘Fala, governador’, transmitido em cadeia estadual pela Rádio Tabajara, o chefe do Executivo estadual ainda anunciou a distribuição de 253 mil cestas básicas a alunos da rede estadual de ensino. Os alimentos serão distribuídos de forma regionalizada e a logística de entrega será definida pela Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia com cada escola.

“Nós já fizemos, no primeiro mês, a distribuição de 52 mil cestas e vamos continuar dando assistência às entidades e às pessoas que mais precisam, incluindo novos grupos, como taxistas e motoristas de transporte coletivo da Região Metropolitana de João Pessoa. Estamos identificando os segmentos e chegando com a ajuda necessária”, destacou.

Transmissão ao vivo de cerimônias religiosas - O governador João Azevêdo esclareceu, na ocasião, que o decreto publicado no último sábado (16), que prorroga as medidas de isolamento social, não proíbe as transmissões pela internet ou veículos de comunicação de cultos, missas e demais cerimônias religiosas e lamentou a disseminação de mais uma fake news.

“No decreto que iremos publicar amanhã, nós vamos incluir esclarecimentos de que a vedação de missas e cultos não se aplica às transmissões na internet ou veículos de Comunicação. Não há de nossa parte a intenção de proibir que se façam cultos, missas ou outras cerimonias religiosas porque sabemos da importância da fé e da religião na vida das pessoas. As atividades continuarão sendo realizadas da mesma maneira que estavam ocorrendo anteriormente, com a presença de ministros, oficiais religiosos e músicos, adotando todos os cuidados de proteção com as pessoas que estão nesses ambientes”, disse. 

Construção civil – João Azevêdo ainda explicou que a suspensão, pelo período de dez dias corridos, das atividades da construção civil na Região Metropolitana de João Pessoa e em Campina Grande se deu devido à constatação do aumento da contaminação pelo novo coronavírus nos trabalhadores desse segmento.

“Nós identificamos problemas muito sérios nos canteiros, a exemplo de empresas que forneceram apenas duas máscaras por mês ao trabalhador, quando o certo seria trocar a cada três horas. Também percebemos a ausência de álcool nos locais de trabalho e de pontos de lavagem de mãos, o uso de bebedouros coletivos nas obras e alojamentos com quatro ou seis pessoas sem ventilação natural, ou seja, estamos colocando em risco os trabalhadores da construção civil e peço a compreensão do segmento durante esse período de sete dias úteis de obras paralisadas. A nossa intenção é diminuir o número de contaminação e, consequentemente, de mortes”, observou.

Fonte: Da Internet

Em caso de problemas, o Inmet orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu, nesta sexta-feira (15), um alerta de perigo de chuvas intensas para João Pessoa e mais 62 municípios da Paraíba. A previsão é válida até às 8h deste sábado (16). 

A previsão é válida até às 8h deste sábado (16). O órgão prevê ainda que poderá chover de 30 a 60 milímetros por hora, ou até 100 milímetros por dia, nessas cidades.

De acordo com o Inmet, há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e descargas elétricas. Em caso de problemas, orienta que as pessoas entrem em contato com a Defesa Civil, por meio do número 199, e com o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193.

Confira os 63 municípios que poderão ter chuvas intensas nessas próximas horas:

Alagoa Grande
Alagoinha
Alhandra
Araruna
Araçagi
Areia
Bananeiras
Bayeux
Baía da Traição
Belém
Borborema
Caaporã
Caiçara
Caldas Brandão
Capim
Conde
Cruz Do Espírito Santo
Cuitegi
Cuité De Mamanguape
Curral De Cima
Dona Inês
Duas Estradas
Guarabira
Gurinhém
Ingá
Itabaiana
Itapororoca
Itatuba
Jacaraú
João Pessoa
Juarez Távora
Juripiranga
Lagoa De Dentro
Logradouro
Lucena
Mamanguape
Marcação
Mari
Mataraca
Mogeiro
Mulungu
Natuba
Pedras De Fogo
Pedro Régis
Pilar
Pilões
Pilõezinhos
Pirpirituba
Pitimbu
Riachão
Riachão Do Poço
Rio Tinto
Salgado De São Félix
Santa Rita
Sapé
Serra Da Raiz
Serraria
Sertãozinho
Sobrado
Solânea
São José Dos Ramos
São Miguel De Taipu
Tacima

 

Fonte: Internet

Objetivo é evitar que os estudantes tenham perdas nutricionais e ajudar as famílias durante a interrupção das aulas

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) anunciou nesta segunda-feira (11) a ampliação do programa que garante refeições para alunos da rede municipal de ensino durante o isolamento social, período em que as aulas estão suspensas para evitar a disseminação do novo coronavírus. Serão integrados 14 mil novos estudantes, totalizando uma cobertura de 49 mil estudantes e, com isso, serão 153 unidades de ensino da Capital que poderão ofertar o almoço.

“Depois de atender a 100% das creches e escolas em tempo integral, estamos ampliando a oferta do serviço para as unidades que funcionam em um turno, alcançando quase 50 mil estudantes beneficiados”, explicou o prefeito Luciano Cartaxo.

Para participar, os pais precisam apenas entrar em contato com a escola onde os filhos estudam e informar que vão querer a refeição naquele dia, uma medida necessária para evitar desperdícios. Inicialmente, o programa atendeu Centros de Referência em Educação Infantil (Creis) e Escolas em Tempo Integral, já que nessas unidades a refeição já fazia parte da rotina dos alunos. Com a ampliação, 20 novas instituições serão atendidas, atingindo 153 das 189 unidades da rede municipal de ensino.

Fonte! SECOM

O perigo potencial, em virtude de previsão de chuvas intensas para 143 municípios da Paraíba, seguem até as 10:00horas desta sexta-feira

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu dois alertas na manhã desta quinta-feira (16), de perigo e de perigo potencial, em virtude de previsão de chuvas intensas para 143 municípios da Paraíba.

Algumas cidades foram incluídas nos dois avisos, que seguem até as 10h desta sexta-feira (17).

Perigo

O aviso de perigo (alerta laranja) vale para 67 cidades do Litoral, Zona da Mata, Agreste e Brejo.

O Inmet indica que podem ocorrer chuvas com volumes entre 30 e 60 mm por hora ou entre 50 e 100 mm por dia, com ventos intensos (60-100 km/h).

Conforme a previsão, há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

O instituto aconselha que em caso de rajadas de vento as pessoas não devem se abrigar debaixo de árvores ou estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Se possível, devem desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia.

Cidades incluídas no alerta laranja:

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoinha
  3. Alhandra
  4. Arara
  5. Araruna
  6. Araçagi
  7. Areia
  8. Bananeiras
  9. Barra De Santa Rosa
  10. Bayeux
  11. Baía Da Traição
  12. Belém
  13. Borborema
  14. Caaporã
  15. Cabedelo
  16. Cacimba De Dentro
  17. Caiçara
  18. Caldas Brandão
  19. Capim
  20. Casserengue
  21. Conde
  22. Cruz Do Espírito Santo
  23. Cuitegi
  24. Cuité
  25. Cuité De Mamanguape
  26. Curral De Cima
  27. Damião
  28. Dona Inês
  29. Duas Estradas
  30. Guarabira
  31. Gurinhém
  32. Itabaiana
  33. Itapororoca
  34. Jacaraú
  35. João Pessoa
  36. Juripiranga
  37. Lagoa De Dentro
  38. Logradouro
  39. Lucena
  40. Mamanguape
  41. Marcação
  42. Mari
  43. Mataraca
  44. Mogeiro
  45. Mulungu
  46. Natuba
  47. Pedras De Fogo
  48. Pedro Régis
  49. Pilar
  50. Pilões
  51. Pilõezinhos
  52. Pirpirituba
  53. Pitimbu
  54. Riachão
  55. Riachão Do Poço
  56. Rio Tinto
  57. Salgado De São Félix
  58. Santa Rita
  59. Sapé
  60. Serra Da Raiz
  61. Serraria
  62. Sertãozinho
  63. Sobrado
  64. Solânea
  65. São José Dos Ramos
  66. São Miguel De Taipu
  67. Tacima

Perigo potencial

O aviso de perigo potencial (alerta amarelo) vale para 83 cidades do Cariri, Seridó, Sertão, Agreste e Brejo.

O Inmet indica que podem ocorrer chuvas com volumes entre 20 e 30 mm por hora ou até 50 mm por dia, com ventos intensos (40-60 km/h).

De acordo com a previsão, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

O instituto também aconselha que em caso de rajadas de vento as pessoas não devem se abrigar debaixo de árvores ou estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda. Precisam também evitar o uso de aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Cidades incluídas no alerta amarelo:

  1. Alagoa Grande
  2. Alagoa Nova
  3. Alcantil
  4. Algodão De Jandaíra
  5. Areia
  6. Areial
  7. Aroeiras
  8. Assunção
  9. Baraúna
  10. Barra De Santa Rosa
  11. Barra De Santana
  12. Barra De São Miguel
  13. Belém Do Brejo Do Cruz
  14. Bernardino Batista
  15. Boa Vista
  16. Bom Sucesso
  17. Boqueirão
  18. Brejo Do Cruz
  19. Brejo Dos Santos
  20. Cabaceiras
  21. Campina Grande
  22. Catolé Do Rocha
  23. Caturité
  24. Cubati
  25. Cuité
  26. Esperança
  27. Fagundes
  28. Frei Martinho
  29. Gado Bravo
  30. Gurjão
  31. Ingá
  32. Itatuba
  33. Jericó
  34. Joca Claudino
  35. Juarez Távora
  36. Juazeirinho
  37. Junco Do Seridó
  38. Lagoa
  39. Lagoa Seca
  40. Lastro
  41. Massaranduba
  42. Matinhas
  43. Mato Grosso
  44. Mogeiro
  45. Montadas
  46. Natuba
  47. Nova Floresta
  48. Nova Palmeira
  49. Olivedos
  50. Paulista
  51. Pedra Lavrada
  52. Picuí
  53. Pocinhos
  54. Poço Dantas
  55. Poço De José De Moura
  56. Puxinanã
  57. Queimadas
  58. Remígio
  59. Riacho De Santo Antônio
  60. Riacho Dos Cavalos
  61. Riachão Do Bacamarte
  62. Salgado De São Félix
  63. Santa Cecília
  64. Santa Cruz
  65. Santa Helena
  66. Santa Luzia
  67. Santo André
  68. Serra Redonda
  69. Soledade
  70. Sossêgo
  71. São Bento
  72. São José Do Brejo Do Cruz
  73. São José Do Sabugi
  74. São João Do Cariri
  75. São João Do Rio Do Peixe
  76. São Sebastião De Lagoa De Roça
  77. São Vicente Do Seridó
  78. Tenório
  79. Triunfo
  80. Uiraúna
  81. Umbuzeiro
  82. Vieirópolis
  83. Várzea

Mais informações podem ser obtidas junto à Defesa Civil (telefone 199) e ao Corpo de Bombeiros (telefone 193).

 

Fonte: porta da Correio

A rede de pluviômetros do Governo do Estado revelou que Cajazeiras é a cidade onde mais choveu este ano, com 1.237, 9 milímetros

Vinte e nove açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) estão sangrando. O destaque é para o São Gonçalo, em Sousa, que comporta 40 milhões de metros cúbicos, a maior entre os reservatórios que estão com capacidade máxima. A lista completa, com situação atual dos 134 açudes monitorados pelo Governo do Estado está disponível no site aesa.pb.gov.br. 

Até a manhã da última terça-feira (7) a barragem de Coremas, localizada no município de mesmo nome, estava com 38,38% da capacidade, o equivalente a 285.572.996 m³. Mãe d’Água, que também fica na cidade de Coremas, estava com 38,12% (207.739.952  m³). O açude Epitácio Pessoa, localizado em Boqueirão, acumulava 63,72% (297.264.887 m³). Em Cajazeiras, o açude Engenheiro Avidos estava com 44,01% (129.210.444 m³) e o reservatório de Acauã, em Itatuba, tinha 12,84% (32.477.177 m³). Estes são os cinco maiores açudes da Paraíba.

As chuvas proporcionaram recargas importantes dos açudes. A rede de pluviômetros do Governo do Estado revelou que Cajazeiras é a cidade onde mais choveu este ano, com 1.237, 9 milímetros. Na sequência vêm os municípios de Nova Olinda (1.074 mm), São José de Piranhas (967,3 mm), Cachoeira dos Índios (948,5 mm) e Boa Ventura (929 mm). Os dados são referentes ao período de 1 de janeiro a 7 de abril. 

A rede de pluviômetros do Governo do Estado revelou que Cajazeiras é a cidade onde mais choveu este ano, com 1.237, 9 milímetros

Vinte e nove açudes monitorados pela Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) estão sangrando. O destaque é para o São Gonçalo, em Sousa, que comporta 40 milhões de metros cúbicos, a maior entre os reservatórios que estão com capacidade máxima. A lista completa, com situação atual dos 134 açudes monitorados pelo Governo do Estado está disponível no site aesa.pb.gov.br. 

Até a manhã da última terça-feira (7) a barragem de Coremas, localizada no município de mesmo nome, estava com 38,38% da capacidade, o equivalente a 285.572.996 m³. Mãe d’Água, que também fica na cidade de Coremas, estava com 38,12% (207.739.952  m³). O açude Epitácio Pessoa, localizado em Boqueirão, acumulava 63,72% (297.264.887 m³). Em Cajazeiras, o açude Engenheiro Avidos estava com 44,01% (129.210.444 m³) e o reservatório de Acauã, em Itatuba, tinha 12,84% (32.477.177 m³). Estes são os cinco maiores açudes da Paraíba.

As chuvas proporcionaram recargas importantes dos açudes. A rede de pluviômetros do Governo do Estado revelou que Cajazeiras é a cidade onde mais choveu este ano, com 1.237, 9 milímetros. Na sequência vêm os municípios de Nova Olinda (1.074 mm), São José de Piranhas (967,3 mm), Cachoeira dos Índios (948,5 mm) e Boa Ventura (929 mm). Os dados são referentes ao período de 1 de janeiro a 7 de abril. 

Medida é válida por 15 dias; Clubes sociais, congressos e exposições seguem suspensos na capital paraibana

A Prefeitura de João Pessoa prorrogou, em publicação divulgada na última sexta-feira, o decreto que assegura o fechamento de shoppings, cinemas, academias, salões de beleza, casas de show, parques de diversões, bares e restaurantes. A medida, válida por mais 15 dias, também prevê a suspensão temporária de congressos e exposições, além do funcionamento de clubes sociais. A decisão foi tomada depois de reunião do Núcleo Intersetorial de Prevenção ao Coronavírus. As aulas na rede municipal permanecem suspensas até o dia 18 de abril, data passível de prorrogação.

A prorrogação do decreto segue o que prevê as recomendações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde, além da experiência de isolamento social adotada por outros países. “Sabemos que os próximos dias serão decisivos para evitar a propagação do vírus. É ainda mais importante ficar em casa e seguir com todas as recomendações de higiene. Ninguém queria adotar medidas tão duras neste momento, mas elas serão decisivas para João Pessoa continuar salvando vidas”, disse o prefeito. O documento aborda, ainda, a prorrogação da suspensão do transporte público, anunciado ontem pelo gestor pelas redes sociais, preservando as linhas para profissionais de saúde.

A Prefeitura de João Pessoa segue adotando medidas sociais e econômicas durante o período de isolamento social. Com o plano de proteção social #SomosMaisFortes, 23 mil pessoas beneficiadas com a distribuição de alimentos em creches e escolas integrais e mais de 3 mil refeições são distribuídas, por dia, nos restaurantes populares e nas cozinhas comunitárias. Pessoas em situação de rua receberam kits de higiene e parte das famílias nesta condição estão recebendo auxílio-aluguel. “Suspendemos o pagamento que empresários precisariam fazer ao Banco Cidadão e demos início à distribuição de cestas nutricionais, ação que será intensificada a partir da próxima semana”, explicou o prefeito.

Reforço na rede de saúde – A Prefeitura de João Pessoa também ampliou o número de leitos no Hospital Santa Isabel, referência municipal no enfrentamento do vírus para adultos, e no Hospital Infantil do Valentina, voltado para crianças e adolescentes. O encaminhamento de pacientes vem sendo feito por meio da Central de Orientações (3218.9214), com atendimento realizado por médicos em regime de plantão.

“Suspendemos o pagamento que empresários precisariam fazer ao Banco Cidadão e demos início à distribuição de cestas nutricionais, ação que será intensificada a partir da próxima semana”, explicou o prefeito.

Reforço na rede de saúde – A Prefeitura de João Pessoa também ampliou o número de leitos no Hospital Santa Isabel, referência municipal no enfrentamento do vírus para adultos, e no Hospital Infantil do Valentina, voltado para crianças e adolescentes. O encaminhamento de pacientes vem sendo feito por meio da Central de Orientações (3218.9214), com atendimento realizado por médicos em regime de plantão.

Secom João Pessoa

Todos os dias, são produzidas 50 máscaras que passarão por processo de esterilização, tendo como meta chegar à produção de mil unidades.

A Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes) iniciou a confecção de máscaras para seus colaboradores que estão atuando na linha de frente da assistência social da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), no combate à proliferação do coronavírus. As máscaras serão distribuídas para os serviços essenciais como Restaurante Popular, Cozinhas Comunitárias, Ruartes e Centro Pop, que atende a população em situação de rua.

As máscaras estão sendo confeccionadas por professoras dos cursos de costura e artesanato que fazem parte do programa Escola Social, no Polo de Costura, mas os interessados em ajudar também podem se voluntariar indo ao local. Todos os dias, são produzidas 50 máscaras que passarão por processo de esterilização, tendo como meta chegar à produção de mil unidades.

“Nosso objetivo é poder ajudar ainda mais e sabemos que há uma escassez de máscaras no mercado. Temos o material e estamos seguindo as recomendações da Vigilância Sanitária para entregar máscaras seguras aos nossos colaboradores, que têm sido incansáveis no trabalho de ajudar a população e manter os serviços de assistência social funcionando com qualidade”, frisou Diego Tavares, secretário da pasta.

Fonte: Assessoria da PMJP

 

 

Pagina 1 de 10

PUBLICIDADE

JR Esquadrias