Cidades (70)

Os menores preços foram encontrados a R$ 6,99 (Dois Irmãos, em Jaguaribe, e Shammah, em Mangabeira), R$ 7,00 (Souza Rangel, no  Rangel), e R$ 7,25 (São Judas Tadeu, no Rangel).

 

A pesquisa foi realizada nos dias 10 e 11 de abril deste ano, em 31 estabelecimentos de 20 bairros da Capital

A pesquisa foi realizada nos dias 10 e 11 de abril deste ano, em 31 estabelecimentos de 20 bairros da capital onde o menor e o maior preços do quilo do pão francês se mantêm inalterados desde o mês de outubro de 2017 em João Pessoa, segundo pesquisa comparativa realizada pela Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-JP), com valores de R$ 6,75 (Panificadora Pão da Vida, em Mangabeira) a R$ 13,90 (Padaria Bonfim, em Tambaú).  A diferença é de R$ 7,15, e variação é de 105,9%.
 
Os maiores preços registrados na pesquisa atual (além do praticado na Padaria Bonfim) foram R$ 12,95 (El Shaday, em 
Cabo Branco), R$ 12,90 (Pão Doce Pão, no Bairro dos Estados), e R$ 10,99 (Fino Pão, nos Expedicionários). A pesquisa foi realizada nos dias 10 e 11 de abril deste ano, em 31 estabelecimentos de 20 bairros da Capital.
 
Menores - Os menores preços foram encontrados a R$ 6,99 (Dois Irmãos, em Jaguaribe, e Shammah, em Mangabeira), R$ 7,00 (Souza Rangel, no  Rangel), e R$ 7,25 (São Judas Tadeu, no Rangel).
 
O secretário Helton Renê orienta ao consumidor que verifique a pesquisa antes da compra diária do pão francês, já que o levantamento de preços do Procon-JP abrange vários bairros da Capital.
 
"Nossa pesquisa cobre 20 bairros de João Pessoa, o que dá opção ao consumidor de comprar o pão de cada dia utilizando o percurso de rotina. Por isso é importante consultar nossa pesquisa para saber onde encontrar esse produto mais barato, o que se, certamente, se traduz em economia", diz Helton Renê.
 
A pesquisa visitou os seguintes estabelecimentos: Eldorado e Almeidão (Cristo); São Judas Tadeu e Souza Rangel (Rangel); Pontes (Cruz das Armas); Dois Irmãos e Jaguaribe (Jaguaribe); Bonfim e Fluminense (Centro); 13 de Maio (Mandacaru); Flor das Neves (Roger); Bariloche e Ipanema (Torre); Fino Pão e Pandelly (Expedicionários); Pão Doce Pão (Bairro dos Estados); Pão da Vida e Shammah (Mangabeira); Castelo Branco (Castelo Branco); Doce Pão (Valentina); Bancários (Bancários); N. S. da Penha (Costa e Silva); Cardoso e N. S. da Penha (Geisel); El Shaday (Cabo Branco); Bessa Pão e Shammah (Bessa); Manaíra (Manaíra); Casa dos Pães e Bonfim (Tambaú).
 

 

Fonte: Secom-JP                                                                            escrito por Evanice Gomes

A obra de duplicação e restauração do acesso ao Aeroporto Castro Pinto tem uma extensão de 780 metros em pista dupla e representa um investimento de R$ 2,2 milhões

O governador Ricardo Coutinho inspecionou, nesta segunda-feira (12), a obra de duplicação e restauração do acesso ao Aeroporto Castro Pinto e, em seguida, acompanhou a entrega de 10 novos ônibus do Consórcio Metropolitano que faz o transporte intermunicipal de passageiros entre Bayeux e João Pessoa, como parte de um acordo firmado pelo Governo do Estado e conduzido pelo Departamento de Estradas de Rodagem da Paraíba (DER-PB), a fim de melhor atender a população.

Os ônibus entregues são adaptados com plataforma elevatória, assentos especiais e motorização eletrônica. Para o governador Ricardo Coutinho, a obra do acesso ao Aeroporto é fundamental porque envolve o desenvolvimento do turismo, por isso o ritmo está acelerado e a ação deve ser concluída até julho.



"A gente tem um aeroporto com uma demanda crescente e é preciso que o acesso seja bom para dar mais conforto e deixar uma boa impressão para os turistas que visitam a Paraíba. O Governo do Estado tem um cuidado muito grande com as ações de mobilidade urbana e com intervenções que reforçam a perspectiva de crescimento do turismo", afirmou o governador.

A obra de duplicação e restauração do acesso ao Aeroporto Castro Pinto tem uma extensão de 780 metros em pista dupla e representa um investimento de R$ 2,2 milhões. Os principais serviços executados são: terraplenagem em cortes e aterros, pavimentação alfáltica em CBUQ, sistema de drenagem para águas subterrâneas e pluviais, iluminação ornamental, calçadas, ciclovia e sinalização.



Sobre os novos ônibus, o governador avaliou que, após a implantação do Consórcio Metropolitano, em fevereiro de 2017, a população está sendo melhor atendida pelo transporte urbano. "A entrada de um novo consórcio no ano passado foi essencial para Bayeux, que antes tinha ônibus velhos, com pneus inadequados, enfim, hoje toda a frota é acessível e oferece mais conforto para os usuários", frisou.

Segundo o superintendente do DER, Carlos Pereira, o Consórcio Metropolitano  é integrado pelas empresas Reunidas, Santa Maria, Santa Rita e Das Graças, as quais "mobilizam 31 ônibus novos e seminovos para atender, aproximadamente, 12 mil usuários de transporte coletivo por dia".



As empresas que compõem o Consórcio Metropolitano fazem as seguintes linhas: João Pessoa/Bayeux (Aeroporto); João Pessoa/Bayeux (Imaculada); João Pessoa/Bayeux (Mário Andreazza); João Pessoa/Bayeux (Sesi); João Pessoa/Bayeux (Tambaí) e João Pessoa/Bayeux (Jardim Aeroporto).

"Antes do Consórcio Metropolitano, alguns ônibus pareciam que iam quebrar no meio do caminho. As condições eram muito ruins e a gente era quem sofria. Hoje o povo tem ônibus novo e seguro para ir e vir de Bayeux a João Pessoa. Eu mesma moro aqui em Bayeux, mas trabalho no Centro de João Pessoa, então todos os dias tenho que pegar ônibus", comentou a vendedora Lúcia Gomes - Secom-PB.

 

Fonte: Carlos Magno

 

 

 

Rachaduras apareceram nas paredes de residências dos locais afetados e o asfalto cedeu em algumas ruas

Um tremor de terra causou pânico em Maceió, capital de Alagoas, na tarde deste sábado (3/3). Por conta do abalo sísmico, o asfalto cedeu em algumas ruas e diversas residências apresentaram rachaduras. A Defesa Civil está fazendo uma ronda nos bairros da capital para avaliar os danos. Desesperados, moradores esvaziaram saíram de vários prédios e foram para o meio da rua.

 

O Corpo de Bombeiros de Maceió informou que recebeu diversos chamados de moradores assustados. Até o momento, não existem relatos de feridos. O tremor foi sentido nos bairros de Pinheiro, Serraria, Farol, Bebedouro, Jatiúca e Cruz das Almas. Pouco antes da terra se movimentar, a chuva que atingia a cidade alagou ruas e prejudicou o trânsito. Buracos que já estavam abertos nas vias cresceram com o movimento do asfalto.
 
Diversos moradores relataram o fenômeno nas redes sociais. O músico Luiz Gustavo, morador da capital alagoana, relatou pelo Twitter que se assustou com o abalo sísmico. "Meu prédio tremeu. Achávamos que era problema na estrutura. Mas as notícias informam que o tremor atingiu vários bairros. Coisa de maluco, nunca vi isso por aqui", afirmou. 
 
O professor George França, do Laboratório Sismológico da Universidade de Brasília, afirmou que os equipamentos da instituição não detectaram ondas mecânicas em decorrência do abalo, mas tudo indica que a região foi atingida por um terremoto. "Conseguimos ver um sinal. Mas não conseguimos detectar a magnitude. É possível que tenha sido pequena. A única instituição que pode ter detectado esse abalo é a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)", afirmou.
 

Um tremor de terra causou pânico em Maceió, capital de Alagoas, na tarde deste sábado (3/3). Por conta do abalo sísmico, o asfalto cedeu em algumas ruas e diversas residências apresentaram rachaduras. A Defesa Civil está fazendo uma ronda nos bairros da capital para avaliar os danos. Desesperados, moradores esvaziaram saíram de vários prédios e foram para o meio da rua.

O abastecimento de água será interrompido, a partir das 8h30 até as 19h, nos bairros do Centro, Jaguaribe, Tambiá, Cordão Encarnado, Róger, Baixo Roger, Varadouro, Ilha do Bispo, Cidade Padre Zé, Alto do Mateus, Porto de João Tota, Salinas Ribamar e Vem-vem.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) vai executar, nesta quinta-feira (1º), uma parada no sistema adutor de Marés para a manutenção em um conjunto motor bomba.

Com isso, o abastecimento de água será interrompido, a partir das 8h30 até as 19h, nos bairros do Centro, Jaguaribe, Tambiá, Cordão Encarnado, Róger, Baixo Roger, Varadouro, Ilha do Bispo, Cidade Padre Zé, Alto do Mateus, Porto de João Tota, Salinas Ribamar e Vem-vem.

Mais informações sobre os serviços executados pela Cagepa podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 115, que agora também atende ligações de celular.

 

Houve registro de chuva nas cidades de Coxixola, Parari, Serra Branca, Sumé, Cordeiros, Livramento, Santo André e Caraúbas

A chuva que atingiu a região do Cariri elevou o volume do Rio Paraíba, em São Domingos do Cariri, no trecho que recebe as águas do Rio São Francisco. Moradores da região registraram o momento, nessa sexta-feira (23), na passagem que dá acesso à comunidade das Porteiras.

Houve registro de chuva nas cidades de Coxixola, Parari, Serra Branca, Sumé, Cordeiros, Livramento, Santo André e Caraúbas. Para hoje a previsão da Agência Estadual de Gestão as Águas (Aesa) é de nebulosidade variável, podendo chover em pontos isolados entre a tarde e a noite.

Escrito por MaisPB

O cargo exige a escolaridade de nível médio e as inscrições estarão abertas a partir da próxima segunda-feira (26).
                                                                                                                A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) divulgou na última quinta-feira (22) o edital do concurso público para a contratação de 70 agentes de controle urbano. O cargo exige a escolaridade de nível médio e as inscrições estarão abertas a partir da próxima segunda-feira (26).

As provas estão previstas para acontecer no dia 22 de abril. Todas as informações do concurso podem ser acessadas no link http://midi.as/concursosedurb.

As inscrições prosseguem até o dia 23 de março e os interessados deverão pagar uma taxa de R$58,00. Estas devem ser realizadas online no site da organizadora do concurso – o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade) – que é o www.concursos.ibade.org.br. Os detalhes da aplicação das provas, além do conteúdo programático estão no edital.

A realização do concurso para a Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), além da contratação dos profissionais, foi autorizada para o orçamento da PMJP em 2018. Os novos profissionais devem ser chamados ainda este ano, logo após a homologação do concurso.

Editais 

O concurso pra a Sedurb é o terceiro edital divulgado neste ano de 2018. Além da seleção da Sedurb, estão em andamento concurso na área de Saúde, do Instituto Municipal de Previdência (IPM) e o da Controladoria-Geral do Município (CGM), cujo edital foi divulgado no segundo semestre do ano passado. Somadas as vagas abertas para contratação através de concurso público, o número ultrapassa 730 novos servidores municipais.
                                                                                                                                                                                                        Assessoria
 

 

 

 

 

 

 

 

Mais de 15 mil pessoas se inscreveram.

Campina Grande primando pelo pioneirismo e  buscando oferecer maior transparência ao processo, efetuará o sorteio das unidades habitacionais através de um software, que utilizará algorítimos protegidos por criptografia, garantindo maior segurança contra fraude.

A Prefeitura de Campina Grande processará nesta quarta-feira, 31, às 10h, direto do Parque do Povo, o sorteio das 4.100 casas que integram o conjunto Aluízio Campos, no bairro do Ligeiro.

Mais de 15 mil pessoas se inscreveram para concorrer a uma casa no referido conjunto, considerado o maior núcleo habitacional sendo em construção n

O complexo Aluísio Campos é construído através do programa 'Minha Casa Minha Vida' do Governo Federal, em parceria com a prefeitura de Campina Grande. O conjunto tem 4,1 mil unidades -  3.012 casas e 1.088 apartamentos -, um empreendimento na ordem R$ 233 milhões.

O software foi desenvolvido pela Universidade Federal de Campina Grande (UFCG).  Representantes do Ministério Público Federal (MPF) e do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE-PB) também vão acompanhar o processo.
 

imagem

Complexo já nasce maior que 180 municípios paraibanos

Contando com 4.100 unidades habitacionais, entre casas e apartamentos, o Complexo Aluísio Campos, em Campina Grande, é considerado a maior obra em execução no Brasil em termos habitacionais. Comprovando a grandiosidade da obra, o prefeito Romero Rodrigues garante que o complexo já nasce maior que 180 cidades paraibanas.

“De fato, quase duas centenas de cidades do nosso estado não têm o porte deste complexo habitacional e empresarial, numa demonstração da gigantesca dimensão deste empreendimento, hoje um referencial para todas as cidades brasileiras”, afirmou o prefeito.

A área conta com toda infraestrutura para dar qualidade de vida aos seus moradores, como mais de 66 ruas e 9 avenidas, todas com pavimentação asfáltica, além de equipamentos como praças, creches, escolas, duas Unidades Básicas de Saúde, entre outros setores. Toda esta estrutura faz parte de uma vasta área com quase 800 hectares, que, aos poucos, também será ocupada com empreendimentos comerciais e industriais.

Em decorrência da sua grandiosidade em termos de espaço e de variedade de estruturas, a obra tem atraído a atenção de gestores de toda a Paraíba e até mesmo de outras regiões do país. A Obra representa um investimento de mais de R$ 300 milhões, com contrapartida da Prefeitura Municipal de Campina Grande que viabilizou o empreendimento mediante uma política de parceria com o governo federal.


Prefeitura investiu em arborização e   abastecimento do conjunto

O Conjunto Aluízio Campos, já concebida no contexto de cidade inteligente, também será contam com um projeto de arborização. As suas 70 ruas e avenidas já est~]ao sendo beneficiadas, desde o início deste mês, com o Programa Minha Árvore, que já plantou mais de 30 mil mudas em vários bairros de Campina Grande.

As 70 ruas e avenidas daquele núcleo habitacional receberão milhares de mudas, num processo arrojado de arborização que irá beneficiar os milhares de moradores daquela área com condições ambientais favoráveis para que desfrutem da melhor qualidade de vida possível”, conforme garantiu a coordenadora do projeto, Denise Sena.

Abastecimento

A Prefeitura de Campina Grande também está garantindo o abastecimento de milhares de pessoas que irão residir no Conjunto Aluízio Campos. O prefeito Romero Rodrigues revelou que R$ 12 milhões estão sendo investidos na execução das obras, já que o Governo do Estado se recusou a construir a adutora essencial ao abastecimento do novo núcleo habitacional.

Como parte do sistema, encontra-se em ritmo acelerado a construção de uma caixa d’água, com capacidade de comportar aproximadamente 750 mil litros. “Com isso, estamos fazendo o trabalho que deveria ser feito por outros entes administrativos. Assim, não nos omitimos em realizar mais uma importante etapa de construção de um dos maiores núcleos habitacionais do Brasil, destinado a beneficiar cerca de 4.100 famílias, que contarão com a melhor infraestrutura possível”, afirmou.

imagem
Somente no sistema de abastecimento, que inclui caixa d`àgua., foram investidos R$ 12 milhões

Complexo foi projetado dentro do conceito de “cidade inteligente”

O maior empreendimento habitacional em execução no Brasil, o Complexo Aluísio Campos, foi totalmente projetado dentro dos critérios que norteiam as chamadas “cidades inteligentes”. Desta forma, tudo foi planejado para proporcionar as melhores condições de infraestrutura e de qualidade de vida aos seus 25 mil moradores. Os serviços serão executados pela Construtora Rocha Cavalcante.

As 4.100 moradias construídas dentro de padrões de avançada tecnologia, contando, inclusive, com energia de aquecimento solar. Existem também unidades habitacionais especialmente projetadas para idosos e pessoas com deficiência. As casas destinadas a deficientes e idosos foram projetadas com conceitos de acessibilidade.

Um dos maiores objetivos do prefeito Romero Rodrigues é a implantação de uma tecnópolis no Complexo Aluísio Campos, que será uma área integrada por agentes e produtores de tecnologia. “Destinamos uma área no Complexo Aluísio Campos para implantação de uma tecnópolis em parceria com o Instituto Federal de Educação, Universidade Federal de Campina Grande, Parque Tecnológico e outras instituições”, garante o prefeito Romero Rodrigues.

O complexo é dotado de ruas e avenidas amplas com pavimentação asfáltica. Isto é um fator decisivo para garantir condições de mobilidade urbana no setor, servindo de modelo para outras comunidades do Brasil.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação
 

A Aneel aprova reajuste médio de 18,21% e situação hidrológica é a principal responsável pelo reajuste

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 30, em Brasília, o Reajuste Tarifário da Energisa Borborema (EBO), que valerá a partir de 4 de fevereiro de 2018. O efeito médio a ser percebido pelo consumidor é de 18,21%, sendo que os clientes da Baixa Tensão (residencial e comercial) terão correção de 16,83% e os da Alta Tensão 21,54%.
 
Os principais motivos para a correção da tarifa são os itens relacionados à geração, como a compra de energia e o serviço de transmissão. Os dois itens compõem a PARCELA A, que são custos não gerenciáveis pela distribuidora.

Importante ressaltar que o serviço de distribuição de energia da Energisa Borborema, conhecido como PARCELA B, teve redução de 0,46%, o que significa uma gestão mais eficiente dos recursos.
O reajuste tarifário é um processo regulado pela Aneel, previsto no contrato de concessão da empresa. Estes contratos apresentam regras bem definidas a respeito das contas de luz, bem como a metodologia de cálculo dos reajustes.

A ilustração abaixo apresenta a divisão da fatura de energia elétrica em cada um dos itens que compõem a cadeia do setor mais impostos e tributos (ICMS, PIS/COFINS). A tarifa final do consumidor da Energisa Borborema contém 42,80% em encargos e impostos.


A parte que cabe à distribuidora de energia representa apenas 20,6% da composição da tarifa. Na conta de luz reproduzida abaixo, é possível conferir a composição da tarifaresidencial antes e depois do reajuste:

É com os recursos da PARCELA B que Energisa Borborema distribui energia a quase 210 mil clientes, paga e capacita funcionários, mantém e amplia a rede e os sistemas elétricos, além de investir na modernização e melhoria crescente da qualidade dos serviços prestados. Desde a privatização, foram investidos cerca de R$ 341 milhões em obras de melhoria do sistema elétrico.

Comparando os ajustes na tarifa da Energisa Borborema com a inflação medidas nos últimos dez anos, verifica-se que a correção sempre esteve abaixo dos índices. Confira:


A Energisa Borborema é responsável pela distribuição de energia em seis municípios da Paraíba - Campina Grande, Queimadas, Fagundes, Boa Vista, Massaranduba e Lagoa Seca. Em 2017, em pesquisa realizada pela Associação Brasileira dos Distribuidores de Energisa Elétrica (Abradee), a Energisa Borborema foi aprovada por 81% dos mais de 510 mil moradores da região e conquistou o prêmio de melhor distribuidora do país no quesito Responsabilidade Social.

 

Fonte: Assessoria da Energisa

TÍCI09h47

Essa renovação de frota é um compromisso das empresas  com o poder público mas, sobretudo, na busca da melhoria dos serviços prestados à população”, afirma o diretor do consórcio Unitrans, Alberto Pereira.

 

frota de ônibus de João Pessoa ganhou na  manhã desta terça-feira (30) o incremento de 33 novos veículos zero quilômetro. A apresentação dos ônibus aconteceu às 9h, na Avenida Hilton Souto Maior, em Mangabeira, próximo ao Tribunal de Justiça e contou com a presença do prefeito Luciano Cartaxo, do dirigente da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP),Carlos Batinga e dos empresários dos consórcios Unitrans e Navegantes, responsáveis pela aquisição dos novos ônibus e diversas autoridades.

             Segundo Carlos Batinga, os novos ônibus fazem parte dos investimentos no serviço prestado aos usuários do transporte coletivo da Capital. “Essa reestruturação e reforço na frota, com mais trinta e três ônibus novos que vão entrar em operação, já a partir desta semana, fazem parte da política de melhor atender o passageiro do transporte público”, destacou.

 “Com ônibus novos, os passageiros têm mais conforto, os operadores trabalham melhor e o transporte público de João Pessoa, que já diferencia pela qualidade, fica ainda mais eficiente. Essa renovação de frota é um compromisso das empresas não apenas com o poder público mas, sobretudo, na busca da melhoria dos serviços prestados à população”, afirma o diretor do consórcio Unitrans, Alberto Pereira.

Todos os novos veículos contam uma motorização eletrônica, que polui menos o meio ambiente, e são dotados de itens que melhoram a acessibilidade do usuário, além de serem equipados com GPS. Todos eles tem plataforma elevatória para o acesso de cadeirantes, possuem uma cadeira especial – mais larga – destinada a gestantes e obesos, e também têm corrimãos especiais para deficientes visuais e sinal de parada com escrita em Braile.

 

Escrito Eliane Sobral / News Comunicação

 A iniciativa prevê um plano de ação para João Pessoa nos próximos 30 anos

Depois de vistoriar, na manhã da ultima sexta-feira, a conclusão das obras da Escola Dom José Maria Pires, no Alto do Mateus, a primeira escola pública bilíngue da Capital, o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, recebeu, no Centro Administrativo Municipal (CAM), a visita do senador da República, Raimundo Lira, acompanhado do vice-prefeito Manoel Junior. Na reunião, eles discutiram sobre os trâmites finais do convênio de U$ 100 milhões (R$ 330 milhões), em investimentos para a cidade, através do programa ‘João Pessoa, Cidade Sustentável’, já aprovado pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A iniciativa prevê um plano de ação para João Pessoa nos próximos 30 anos.

O senador Raimundo Lira afirmou que está atuando no Senado Federal para que a aprovação ocorra da maneira mais rápida possível,  assegurando o convênio ainda para o início de fevereiro. “Estamos dando continuidade em Brasília a um interesse da Prefeitura de João Pessoa, que está pleiteando na Secretaria do Tesouro Nacional um empréstimo de U$ 100 milhões. Nós estamos cuidando deste processo, que vai para o Senado Federal, onde deveremos aprovar agora no início de fevereiro. É um assunto de grande relevância e eu, na condição de senador municipalista, estou preocupado com as demandas dos municípios paraibanos, em particular, da nossa Capital”, declarou o senador.

O prefeito Luciano Cartaxo agradeceu à visita do Senador e também falou da expectativa pela aprovação final do projeto. “Muito em breve, nós estaremos colocando em prática um plano que é fundamental para o desenvolvimento sustentável da nossa cidade, que prevê uma série de intervenções para que João Pessoa continue crescendo da maneira certa, ordenada. É um legado que vamos deixar para os pessoenses que vai além da nossa gestão, e o senador Raimundo Lira veio aqui expressar seu interesse e empenho para que agora em fevereiro, possamos ter o projeto integralmente aprovado no Senado”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

No início desta semana, o prefeito se reuniu, em Brasília, com a sub-secretária do Tesouro Nacional, Priscila Maria Santana, e o coordenador-geral de Operação de Crédito para Estados e Municípios, Renato da Motta. A avaliação da STN consiste na última etapa para a liberação do convênio. O Projeto prevê a implementação de 60 ações de grande porte para garantir ainda mais qualidade de vida na Capital paraibana ao longo das próximas décadas. A contrapartida da gestão municipal foi iniciada com a construção de novos equipamentos públicos e mais de 6,4 mil moradias.

Pagina 1 de 5
JR Esquadrias