Cidades (122)

O superintendente da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Lucius Fabianni, se disse otimista com os resultados atingidos nos últimos quatro anos

Vereadores da Câmara Municipal de João Pessoa se colocaram à disposição para contribuir com a discussão da primeira revisão do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), apresentado nesta quinta-feira (5), no auditório da Casa Napoleão Laureano, pelo superintendente da Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur), Lucius Fabianni.

“Hoje, damos continuidade ao debate em torno da primeira revisão do plano na expectativa de receber contribuições dos parlamentares, em atendimento a Legislação vigente, levando em conta as diretrizes técnicas elaboradas há quatro anos, com propostas projetadas para os próximos 20 anos, a contar de 2014”, explica Fabianni.Lucius Fabianni se disse otimista com os resultados atingidos nos últimos quatro anos e que o ano de 2020 na Emlur será voltado para ações que visem a expansão da coleta seletiva, caminhando lado a lado com o fortalecimento da organização dos catadores de materiais recicláveis, além de ações voltadas para o avanço da educação ambiental e da promoção de campanhas educativas.

 

 

 

Audiência Pública – Após realizada a Audiência Pública, prevista para o próximo dia 13 de dezembro, na Estação das Artes, a revisão do Plano volta ao plenário da Câmara de Vereadores, onde será debatida e votada pelos parlamentares. Os representantes do Poder Legislativo Municipal aprovaram o documento em dezembro de 2014, que passou a vigorar a partir de 2015, atendendo ao que determina a Lei Federal 12.305/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A equipe técnica da Emlur elaborou o Plano de Resíduos Sólidos contando com a consultoria da Associação para o Desenvolvimento da Ciência e Tecnologia (Scientec), da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), respaldado pelos membros do Comitê de Sustentação e do Comitê Gestor – criados para acompanhar a elaboração do Plano, com representação de órgãos municipais, estaduais, federais e sociedade civil. O Plano de Resíduos Sólidos está disponível para consulta na página da Prefeitura Municipal (joaopessoa.pb.gov.br). A versão com as alterações será disponibilizada esta semana no mesmo endereço.

Fonte: Secom

 

Foram 113.702 toneladas movimentadas, o que representa um aumento de 48% em relação ao mês de outubro, e de mais de 60% de crescimento em relação a novembro de 2018. Esse é ainda o segundo melhor resultado do semestre – em setembro foram 118,6 mil t – e o terceiro melhor de 2019 – abril teve 116,5 mil t movimentadas.

Depois de registrar o melhor mês do ano em setembro e manter o ritmo de crescimento em outubro, o Porto de Cabedelo bateu o recorde de movimentação de navios no mês de novembro. Foram 14 embarcações, o maior número desde março de 2015.

A boa performance foi reflexo do aumento na movimentação de granéis sólidos. Em novembro foram sete navios de grãos, além de cinco navios de combustíveis (gasolina e diesel) e mais dois navios da Marinha do Brasil: a Fragata “Liberal” e o Navio-Tanque “Almirante Gastão Motta”.

“A economia está dando sinais de retomada do crescimento, porém, mais importante do que isso, é fazermos o dever de casa. Nossa equipe e o Governo do Estado tem buscado novos negócios, estamos fazendo investimentos e os resultados se traduzem em novas cargas e o aumento na movimentação”, comemora a presidente da Companhia Docas da Paraíba (Docas-PB), Gilmara Temóteo.

O volume de cargas também teve um resultado positivo. Foram 113.702 toneladas movimentadas, o que representa um aumento de 48% em relação ao mês de outubro, e de mais de 60% de crescimento em relação a novembro de 2018. Esse é ainda o segundo melhor resultado do semestre – em setembro foram 118,6 mil t – e o terceiro melhor de 2019 – abril teve 116,5 mil t movimentadas.

A maior operação em um único navio no mês de novembro foi a descarga de 19,5 mil toneladas de bentonita, que vieram no navio Torrent, dos Estados Unidos. Levando em consideração todos os navios, o trigo foi o produto com maior movimentação no Porto de Cabedelo em novembro: 40.280 toneladas – a segunda maior movimentação dessa carga no ano. No total, foram mais de 68 mil t de grãos.

A posição estratégica do Porto de Cabedelo faz com que navios procedentes de diferentes partes do mundo tenham suas operações na Paraíba. Neste mês, metade dos navios vieram por longo curso: três da América do Norte (EUA e Canadá), dois da Europa (Rússia e Bélgica) e outros dois da América do Sul (Argentina). Outros sete navios vieram de portos pelo Brasil.

Combustíveis tem segundo melhor resultado do semestre – Em novembro, mais de 45 mil toneladas de granéis líquidos passaram pelo berço 101 do Porto de Cabedelo, que é exclusivo para esse tipo de carga. Os cinco navios, juntos, trouxeram 45.332 toneladas de combustíveis, sendo 32,6 mil de gasolina e 12,6 mil de diesel. O resultado é 42%¨maior do que o registrado no mês anterior e está 11% acima do mesmo período de 2018.

Dezembro deve movimentar 154 mil t – De acordo com a gerência de Operações do Porto de Cabedelo, existe a previsão de que 154.801 toneladas passem pelo Porto no último mês do ano. O destaque deverá ser do coque de petróleo (ou petcoke), que representará mais de 60% (94 mil t) do total movimentado.

 

Fabio Cardoso                                                                    Assessoria de Imprensa

Serviços de varrição e coleta de lixo só serão retomados quando o pagamento dos vales transporte e alimentação forem efetuados

Cerca de 80 agentes de limpeza paralisaram os serviços de coleta de lixo e varrição em Campina Grande. Segundo a Secretaria de Limpeza Urbana do Estado da Paraíba (SindLimp), as atividades foram paradas na última segunda-feira (25),devido ao atraso no pagamento de vales-transporte e alimentação dos trabalhadores.

De acordo com a SindLimp, casos de atraso acontece constantemente e, desta vez, já ultrapassam os 20 dias. A empresa para a qual eles trabalham, terceirizada pela prefeitura da cidade, informou que só poderá fazer o pagamento quando receber o repasse da gestão municipal, sendo assim, os serviços só serão retomados quando o pagamento for efetuado.

Em nota, a Prefeitura Municipal de Campina Grande (PMCG) esclareceu que a coleta de lixo da cidade está em transição porque o contrato com a empresa que faz o serviço foi oficialmente encerrado. O prazo previsto para uma nova empresa assuma o trabalho é até próxima segunda-feira (2).

Nota da PMCG

A Prefeitura Municipal de Campina Grande vem a público prestar os seguintes esclarecimentos a respeito de problemas pontuais e recentes em relação ao sistema de coleta e transporte de resíduos sólidos em Campina Grande:

A paralisação anunciada, nesta segunda-feira, 25, pelos trabalhadores da coleta domiciliar que prestam serviços à empresa contratada para o serviço diz respeito exclusivamente ao processo de negociação entre o sindicato da categoria e o ente privado, no tocante ao pagamento de vale transporte e alimentação dos servidores.

De sua parte, além de fiscalizar e monitorar o serviço de coleta domiciliar, a Prefeitura de Campina Grande vem adotando medidas, embora paliativas, para que os problemas atinentes à suspensão parcial da coleta não fuja do controle e espera, penhoradamente, que as partes em conflito cheguem a um bom termo, de forma a não prejudicar substancialmente o sistema de limpeza pública do Município.

Informamos, por oportuno, que o serviço de coleta e transporte de resíduos sólidos de Campina Grande encontra-se numa fase de transição, já que oficialmente foi encerrado, em outubro último, o contrato com a empresa Light Engenharia – que, com aval do Tribunal de Contas do Estado, passou a atender o Município em caráter emergencial, pelo prazo de 90 dias, enquanto se desenvolvia o processo licitatório para contratação de uma nova firma.

Como resultado da licitação, que já foi homologado, a empresa Limpmax saiu vencedora no processo, por apresentar preço competitivo em relação ao valor padrão por tonelada coletada e transportada, além de ter sido aprovada na avaliação técnica compulsória, cumprindo todos os requisitos necessários no fornecimento do serviço. A Limpmax deve assumir de vez os serviços em Campina Grande, efetivamente, já a partir da próxima segunda-feira, 1º de dezembro.

A Prefeitura de Campina Grande, que na atual gestão tem primado pela excelência no sistema de coleta domiciliar, espera que os problemas pontuais atinentes à relação entre a empresa que ainda presta serviços no setor e o sindicato da categoria possam ser resolvidos a contento e sem demora, ao longo dessa semana que marca a transição para uma nova realidade contratual numa área que o Município tem recebido altos índices de aprovação por parte da população e de turistas, desde 2013.

 

Imformação da Internet 

Voltamos a informar que os bairros de Tambaú, Bessa, São José e Manaíra não vai faltar água nesta terça-feira (26), como tinha anunciado nas rede sociais.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) comunicou que suspendeu a inspeção de rotina nas estruturas do reservatório R-9, que fica em Tambaú, e, por conta disso, os bairros de Tambaú, Bessa, São José e Manaíra vão ter água normalmente nesta terça-feira (26).

Na tarde desta segunda-feira (25), a Cagepa havia informado a imprensa sobre a inspeção e os bairros estariam sem água das 6h às 18h desta terça-feira. A suspensão do serviço foi decidida por problemas de logística na empresa que faria o procedimento.

Mais informações sobre esse e outros serviços realizados pela Cagepa podem ser obtidas gratuitamente pelo telefone 115, que atende ligações de celular.

Com assessoria

 O abastecimento de água será interrompido das 6h às 18h desta terça-feira nos seguintes bairros:

Bessa, Comunidade São José, Manaíra e Tambaú.

A Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) realiza, nesta terça-feira (26), uma inspeção de rotina nas estruturas do reservatório R-9, localizado na Ruy Carneiro, no bairro de Tambaú, na Capital. A vistoria tem o objetivo de preservar a vida útil, segurança e volume da água distribuída na Região Metropolitana de João Pessoa. 

Em decorrência dos trabalhos, o abastecimento de água será interrompido das 6h às 18h desta terça-feira nos seguintes bairros: Bessa, Comunidade São José, Manaíra e Tambaú.

 

Materia da Internet

O Ação Asfalto é um programa desenvolvido pela atual gestão através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), para melhorar a infraestrutura e malha asfáltica, recapeando as vias com trechos já desgastados naturalmente pelo uso, como os grandes corredores

A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) já asfaltou ou recapeou mais de 170 quilômetros de vias nos últimos anos e o Ação Asfalto, o maior programa de investimentos na malha asfáltica da Capital, segue avançando com mais trabalho por todas as regiões da cidade. Na manhã desta segunda-feira (25), o prefeito Luciano Cartaxo autorizou o início da implantação do asfaltamento novo na Avenida Edmundo Filho, a principal via do bairro São José, que corta todo o bairro com uma extensão de 2,29 km. O investimento é de R$ 400 mil.

“Quem anda pelas ruas de João Pessoa, pelos grandes corredores ou novas vias criadas, percebe a qualidade do trabalho que estamos executando. Chegamos com o programa Ação Asfalto em todas as regiões da cidade para melhorar a malha viária e oferecer um trajeto melhor e mais confortável. Agora estamos no São José, um bairro que tem recebido uma atenção especial da nossa gestão com o objetivo de gerar mais qualidade de vida e bem estar para seus moradores. Para fazer a pavimentação, antes nós fizemos a desobstrução de galerias e novas áreas de drenagem”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

 

 

O Ação Asfalto é um programa desenvolvido pela atual gestão através da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), para melhorar a infraestrutura e malha asfáltica, recapeando as vias com trechos já desgastados naturalmente pelo uso, como os grandes corredores. Também são asfaltadas novas vias de acordo com estudos da Superintendência de Mobilidade Urbana e demandas da população, o que cria novos trechos alternativos de escoamento do trânsito, impactando positivamente na mobilidade urbana.

Os trabalhos do Ação Asfalto acontecem paralelo a outro programa que também tem grande influência na mobilidade urbana. É o caso do Mais Pavimentação, que também tem obras espalhadas por diversas regiões da Capital, atendendo, principalmente, a pedidos dos moradores por meio do Orçamento Participativo (OP). Recentemente, o prefeito Luciano Cartaxo anunciou um novo pacote de R$ 12,5 milhões para a pavimentação de 74 ruas de 18 bairros, incluindo drenagem e calçadas padronizadas e acessíveis.

 

 

 

São José – O bairro São José já recebeu diversos investimentos da PMJP nos últimos sete anos. Se antes a região era o local de uma grave área de risco, onde as chuvas deixavam famílias desabrigadas ou desalojadas, a PMJP construiu um residencial com 336 apartamentos para retirar estas pessoas desta condição subumana e oferecer um lar digno e seguro. O bairro também passou por obras de urbanização, oferecendo uma área de convivência e lazer, com playground para as crianças e Academia da Terceira Idade (ATI).

Secom 

“Vencemos mais uma etapa deste processo que visa algo fundamental para nossa cidade que é a proteção da falésia do Cabo Branco”, comemorou o prefeito Luciano Cartaxo.

Após aprovação do presidente da República, Jair Bolsonaro, o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, anunciou, nesta segunda-feira (11), durante solenidade em Campina Grande, a liberação recursos para execução do projeto desenvolvido pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) para a proteção da Barreira do Cabo Branco. A liberação dos recursos será feita através de uma portaria publicada nesta segunda-feira (11) no Diário Oficial da União e possibilitará o início da segunda etapa da obra.

A drenagem da barreira está sendo executada com recursos próprios do Município e teve seu projeto integralmente aprovado pelo Governo Federal. Essa é uma intervenção histórica na região, do ponto de vista histórico, turístico e, principalmente, ambiental, que aguardava essa liberação para dar início às obras da segunda fase.

“Vencemos mais uma etapa deste processo que visa algo fundamental para nossa cidade que é a proteção da falésia do Cabo Branco”, comemorou o prefeito Luciano Cartaxo.

A primeira etapa, que ainda está em execução, consiste na drenagem realizada na parte de cima da barreira e é considerada a principal intervenção na parte continental. O prefeito Luciano Cartaxo resolveu iniciá-la com recursos próprios devido à necessidade de intervenção no local, após mais de 20 anos de discussões e nenhuma medida efetiva de proteção da falésia. Enquanto isso, o projeto elaborado por técnicos da Secretaria de Planejamento (Seplan) foi submetido, desde 2017, à diversas câmaras técnicas de análise dentro da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil e aprovado integralmente em sua concepção de engenharia.

Após a drenagem, realizada com o objetivo de disciplinar o escoamento das águas pluviais e reduzir a consequente erosão, o projeto é composto por mais duas etapas. A segunda será o enrocamento, ou seja, a colocação de rochas no sopé da barreira para evitar que o mar atinja e continue provocando sua erosão e a engorda da área de praia. Para esta fase, a Prefeitura já realizou a licitação e contrato. Por último, a terceira fase consiste na construção de gabiõesmarinhos intercalados com a linha de corais existentes.

 

 

 

 

Drenagem – A construção da rede de drenagem consiste na implantação de 10 novos trechos de drenagem, que irão integrar a nova rede à já existente no entorno dos bairros Altiplano e Seixas. Essa intervenção disciplina o curso da água das chuvas até a praia, reduzindo o impacto já que o lançamento das águas pluviais vai ocorrer em dois pontos de emissão, que estão sendo reforçados para receber a nova rede nas praias do Seixas e do Cabo Branco. A área total de contribuição da rede de drenagem equivale a 173 hectares. Nos trechos finais da rede de drenagem, as manilhas de 400 de diâmetro foram substituídas por novas manilhas de 1500 de diâmetro, medida que aumentará em quatro vezes o escoamento das águas pluviais.

Secom

Pedido inicial do MPF era de que a ação fosse realizada de forma imediata, mas prefeito pediu adiamento

O Ministério Público Federal (MPF) em João Pessoa recomendou à Prefeitura de Cabedelo, na região metropolitana, que identifique, notifique e remova todos os quiosques, traillers, barracas, toldos e outras estruturas comerciais similares que estiverem instaladas em espaço de uso comum na área de acesso e na faixa de areia das praias de Camboinha, Areia Dourada, Ponta de Campina e Formosa.

O pedido inicial do MPF era de que a ação fosse realizada de forma imediata, mas em reunião com o prefeito Victor Hugo o prazo foi esticado em 150 dias. Dessa forma, a retirada das construções irregulares acontecerá logo após o período do Carnaval 2020.

 

Fonte  da internet

“Sensíveis com a situação, procuramos o MPF para solicitar o adiamento dessa ação, que é de total responsabilidade deste órgão. Argumentamos sobre esses bares ser a fonte de renda de muitas famílias e pedimos a extensão desse prazo, a fim de buscarmos uma solução mais branda e que responda aos dois lados. Vamos, nesse tempo, estudar um reordenamento da orla e buscar um novo espaço para esses comerciantes”, disse o prefeito Vitor Hugo.

A recomendação tem como objetivo apurar a situação de inúmeras ocupações irregulares nas praias, provocando graves danos ambientais, inclusive às áreas de preservação permanente.

O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), em parceria com o programa João Pessoa Cidade Criativa e o apoio da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para Mulheres (SEPPM).

Quem passar pela Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), no José Américo, a partir desta quinta-feira (7), vai encontrar uma vasta programação cultural, gastronômica e artística, além de contar com abacaxis sendo comercializados a preços mais acessíveis. Isso porque inicia o I Festival do Abacaxi da Cecaf. O evento é uma realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da sua Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), em parceria com o programa João Pessoa Cidade Criativa e o apoio da Secretaria Extraordinária de Políticas Públicas para Mulheres (SEPPM).

O evento se estende até o próximo sábado (9) e tem como objetivo fortalecer a cadeia produtiva do abacaxi, que hoje é um dos principais produtos da agricultura estadual e proporciona inúmeros benefícios à saúde. Nesta quinta, a programação tem início às 5h, com a abertura da tradicional feira da agricultura familiar. Às 7h está prevista a apresentação do grupo de xaxado Reaprendendo a Viver. Às 9h inicia a apresentação da Cia Helohim de Dança: lavadeiras do Sertão. A partir das 9h10 acontece simultaneamente as Oficinas Criativas João Pessoa Artesã de crochê básico e ponto russo, que também acontecem à tarde. Às 10h, o show da Banda Tuareg’s agita agricultores e clientes e no mesmo horário acontece o show gastronômico da chefe Rita Patrícia. Às 11h30 haverá ainda o sorteio de kits Abacaxis para clientes.

“O evento chega para somar ao nosso calendário de atividades e pretende potencializar o lucro dos agricultores familiares, cozinheiras e artesãos nessa reta final do ano. A Paraíba é produtora em potencial de abacaxi e aqui a gente conta com produtores rurais de várias áreas que trabalham com esse fruto. A nossa expectativa é que o evento consiga tanto êxito quanto o nosso Festival do Milho, que já faz parte do calendário pessoense”, destaca Rogeany Gonçalves, coordenadora da Cecaf.

A Cecaf conta hoje com 132 agricultores familiares de 23 municípios paraibanos. No local são comercializados produtos como frutas, verduras, peixes, mariscos, aratu, camarão, goma, farinha de trigo, mandioca, coco ralado, leite e óleo de coco (100% naturais), queijos, manteiga, ovos e bolos, comercializados a preços acessíveis para o consumidor. Também é possível encontrar produtos orgânicos.

Workshops – Durante o evento serão ministradas oficinas de crochê e ponto russo, coordenadas pela SPPM. As inscrições são gratuitas e para se inscrever, basta procurar a Cecaf, no José Américo, de terça a sexta-feira, das 8h às 12h, levando RG, CPF e comprovante de residência. Ainda há vagas. Também é possível se inscrever na sede da Secretaria, no Paço Municipal, levando a mesma documentação, em horário de expediente, das 8h às 17h.

Programação – É possível conferir a programação completa acessando: https://midi.as/lWT2.

Localização – A Cecaf está localizada na Avenida Hilton Souto Maior, 1.112, José Américo, vizinho ao NATU-TRE.

A autorização para início das obras aconteceu na Rua Arábia, em Mumbaba, no Bairro das Indústrias e, os 18 bairros contemplados serão: Costa do Sol, Cristo, Castelo Branco, Oitizeiro, Mangabeira, Funcionários II, Aeroclube, Costa e Silva, Bairro das Indústrias, Barra de Gramame, Valentina, Cuiá, Paratibe, João Paulo II, Loteamento Parisi, Mumbaba, Gramame e Varjão.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, autorizou, na manhã da última quarta-feira, o início das obras de um novo pacote do Programa Mais Pavimentação, levando mais infraestrutura e mobilidade urbana a 74 ruas de 18 bairros da Capital em um investimento de R$ 12,5 milhões. Com obras já em andamento ou concluídas em todas as regiões da cidade, a atual gestão da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) amplia, ainda mais, com este novo pacote, a cobertura de pavimentação na terceira capital mais antiga do país, instalando, ao mesmo tempo, a drenagem das ruas e a construção de calçadas padronizadas e acessíveis.

“Nós estamos chegando com obras de pavimentação em todas as regiões da cidade, resolvendo problemas históricos da população em diversas vias onde a população enfrentava muitas dificuldades em virtude das ruas ainda não serem calçadas e construindo caminhos que levam a uma vida melhor. Nossa expectativa é continuar avançando com o programa Mais Pavimentação e chegar a muitas outras ruas com os trabalhos que garantem não só uma melhor infraestrutura e mobilidade urbana, mas também mais qualidade de vida para os moradores”, afirmou o prefeito Luciano Cartaxo.

 

 

 

Os trabalhos são executados pela Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e atendem às demandas da população eleitas através do Orçamento Participativo (OP). Em muitas destas ruas moram pessoas que aguardavam há 20 ou 30 anos por um calçamento e que não perdiam as esperanças de verem suas ruas calçadas, e muitas outras são em bairros novos, fruto da expansão da cidade, que vem se desenvolvendo nos últimos anos e exigindo novas ações do poder público.

Além do calçamento, o Mais Pavimentação conta também com obras de drenagem e de construção de calçadas padronizadas e acessíveis. Aliado a outros programas como o Ação Asfalto e o LED nas Ruas, o Mais Pavimentação vem modificando o perfil das vias urbanas de João Pessoa, dotando-as de mais infraestrutura e deixando elas preparadas para receber novos investimentos da iniciativa privada mas, principalmente, para melhorar as condições de moradia da população. Grandes exemplos desta intervenção são as que estão ocorrendo na Rua Carmem Miranda, no Alto do Mateus, uma das principais vias que corta todo o bairro e que os moradores aguardavam há 60 anos pelo calçamento, assim como a Rua do Desenvolvimento, no Bairro das Indústrias, que também está sendo beneficiada.

A autorização para início das obras aconteceu na Rua Arábia, em Mumbaba, no Bairro das Indústrias e, os 18 bairros contemplados serão: Costa do Sol, Cristo, Castelo Branco, Oitizeiro, Mangabeira, Funcionários II, Aeroclube, Costa e Silva, Bairro das Indústrias, Barra de Gramame, Valentina, Cuiá, Paratibe, João Paulo II, Loteamento Parisi, Mumbaba, Gramame e Varjão.

 

Por Flávio Asevêdo/Secom

Pagina 1 de 9

PUBLICIDADE

JR Esquadrias